A Normalidade

Para mim, hoje é aquele dia em que o Paulo Bento devia ter vergonha na cara e desaparecer. Só que eu acho que ele já não tem vergonha na cara. E como a direcção não tem nada, ficamos assim.

Para mim, já chega de o Paulo ganhar experiência no Sporting. Sim, porque é com estas derrotas que o rapaz aprende. E é com estes resultados que adquire aquela maturidade tão importante quando daqui a uns tempos estiver noutro clube onde haja uma cultura de exigência.

O Paulo, com uma frieza desconcertante – mais uma vez – veio afirmar no final do jogo que hoje não conseguiu passar para a equipa aquilo que era necessário. Epá, se não fosse ele a dizer isto, nós não tínhamos notado.  Mas essa frieza, essa descontracção, compreendem-se. Afinal, a Taça de Portugal, esse grande objectivo da época, continua de pé. O resto é calendário.

E além do mais, nós temos que compreender que a equipa hoje esteve cansada.

A equipa hoje esteve cansada pela meia hora de quarta-feira em que jogou em ritmo acelerado.

Para mim, é triste confirmar que o que aconteceu na quarta-feira foi apenas meia hora que correu bem demais. E que isso nem de motivação serviu.

Vergonha de  Sporting.

 

P.S.: Como as coisas vão de vento em popa, sugiro que de imediato:

Dediquem o tempo necessário a renegociar contrato com o Abel, essa grande mais valia.

Renovem com o Izmailov, esse exemplo de regularidade e investimento de futuro.

Continuem a apostar no Pipi e a dar-lhe a importância que ele merece na equipa.

Anúncios

3 thoughts on “A Normalidade

  1. Leiria, 4 – Sporting, 1

    De ficar com a boca aberta! Tudo correu mal ao Sporting neste jogo.
    Antes da partida criaram-se um conjunto de condições, que tinham tudo para ajudar o Sporting, mas vieram a ser-lhe prejudiciais e da pior maneira:

    A favor:
    – O Guimarães tinha empatado, bastando por isso ao Sporting vencer o lanterna vermelha para agarrar de vez o 2º lugar.
    – O Benfica iria perder de “certeza”, logo nunca apanharia o Sporting.
    – O Sporting vinha da melhor exibição da época, onde acima de tudo tinha mostrado um enorme poder de marcar golos (5 ao Benfica em 24’).
    – Embora jogando fora, o pouco público era todo do Sporting.
    – Elevado estado de espírito psicológico.

    Contra o Sporting tinha:
    – Possível cansaço pelo frenético jogo da última 4ª feira.
    – Mau estado do terreno (muito pesado).
    – Descontracção evidente do Leiria, que “já desceu” e joga sem o mínimo de pressão.

    Tudo se virou contra o Sporting, pois entrou em campo com um facilitísmo incrível, mamando 2 golos parvos em 5 minutos, de uma equipa que passou o ano a “não marcar a ninguém”, e que a meio da 1ª parte o colocavam a perder com uma equipa, que embora tenha um bom plantel é a última classificada e ainda só tinha ganho 2 jogos este ano.
    Depois o Sporting continuou a jogar a passo, sempre convencido que acabaria por dar a volta a este Leiria, porque até o tinha feito contra o Benfica, e de que maneira.
    O momento chave da partida apareceu no final da 1ª parte, quando Vuk, após passar o GR, acaba por não marcar.
    Estou convencido que se fosse-mos para o intervalo a perder apenas por 2-1, daríamos a volta facilmente.
    Na 2ª parte o Sporting foi de vez para cima do Leiria, mas logo ali se viu que não seria possível imprimir um ritmo idêntico ao do jogo com o Benfica, quer pela fadiga dos atletas, quer pelo estado pesado do terreno. Ainda assim o problema esteve no acerto desta noite, pois a bola não queria entrar, quer fosse pela desinspiração, ou pelos ferros da baliza.
    Perto do final ainda foi o Leiria a fazer o 3-0, já sem ninguém do Sporting lá atrás para o evitar.
    De imediato o Sporting acabou por reduzir por Liedson; e quando já sem Derlei (expulso por palavras), tentou um assomo de coragem para pelo menos meter 2 golos e empatar no tempo de descontos, voltou o Leiria a ir lá à frente para fazer de nós “gato-sapato” e estabeleceu o placard num vergonhoso 4-1.

    Duas Notas:
    – Pelo que se viu esta noite, Paulo Bento prova mais uma vez que não tem capacidade para treinar o Sporting, coisa que continuo a afirmar, apesar de ter “assinado contrato” com o excelente 5-3 sobre o Benfica, pois permitiu que a equipa entrasse completamente a dormir em campo; e tentou fazer o mesmo que fez com o Benfica, quando o jogo e o adversário eram outros e os jogadores estavam esgotados. Este é que era um jogo para Farnerud, Tiúi, etc. Paulo Bento é um Teimoso e parece estar sempre apático naquele banco!
    Apesar disso os maiores culpados são os jogadores, que jogaram sem a necessária humildade, jogaram cheios de vaidade.
    – Mister Vítor Oliveira. Excelentes declarações, admitiu que a sua equipa estava super motivada e que para além da sorte do jogo, defrontaram uma equipa cansada num terreno pesado. Teve a nobreza de afirmar que os números foram exagerados.
    Será de questionar porque foi este Homem escorraçado de Matosinhos, ele que subiu o “grande” Leixões. Quiseram lá o Brito e depois também o chutaram! Agora têm lá um infeliz, e com muita pena minha devem acabar por descer; embora espere que ainda se salvem.
    Sinceramente, uma vez que parece mesmo que não temos hipótese de contratar um treinador internacional de real valor, dá-me vontade de ver um Homem destes a treinar o Sporting, um treinador que subiu a pulso, vindo do campo para o banco, passando já por quase todas as equipas pequenas e médias do nosso futebol; enfim, um homem experiente e capaz de enfiar uns cachaços e uns biqueiros nas “vedetinhas”.
    Já sei, vão dizer que não será ofensivo… e pergunto? Paulo Bento (normalmente) é?
    Depois vão dizer que não tem estofo. Paulo Bento tem?
    Terminam dizendo que é um “Bimbo” e não sabe falar, comunicar. Aqui nem vou falar de Paulo Bento, que é muito fraco neste aspecto. Chalana coitado, esse ainda é muito mais limitado.

    O que resta do campeonato?
    Recebemos o Marítimo, vamos a Paços de Ferreira e acabamos em Alvalade com o Boavista.
    Será obrigatório vencer os 2 jogos em casa. Quanto ao jogo em Paços de Ferreira, será o teste ideal para esta equipa e este treinador, onde se exige UMA VITÓRIA FORA contra uma equipa FORTE mas AFLITA, MANHOSA, PORCA, MAU TERRENO DE JOGO e PÚBLICO HOSTIL.
    Ou seja, com condições difíceis, que são “provas a passar” para quem quer ser campeão no futebol Português. São estes jogos que decidem os campeonatos.

    http://bola-na-trave.blogspot.com/

  2. …mas o 2º lugar continua ali, à nossa mão..

    (depois, no fim da época, sim. é “guardar os bons e vender os maus”. ir buscar um treinador para… fazer melhor que o 2º lugar

    SL

  3. Grave, muito grave, quando o título do post que agora comento é totalmente verdadeiro.

    Olhar para mais uma derrota do Sporting com “normalidade” é tudo menos normal e, diria, aceitável. Pior ainda quando levamos quatro!!! golos do lanterna vermelha da nossa Liga e, para agravar ainda mais o cenário, quando levamos quatro golos da única forma que uma equipa como o Leiria podia marcar: em contra-ataque, aproveitando os extremos e um avançado que joga como falso 10 para poder fugir à marcação dos centrais. Porra, eu não sou treinador de profissão, vi dois jogos do Leiria (Luz e Braga) e consegui perceber isto!

    Depois… bem, depois voltámos a ter uma entrada em jogo que é uma falta de respeito para com a nação Sportinguista e o Abel, esse rapaz esforçado que nunca deveria ter sido defesa na vida, voltou a mostrar o porquê de eu escrever o que acabei de escrever (será que nem assim vão desistir da ideia de renovar com o gajo?!?).

    Para além da vergonha que foi aquela exibição e aquele resultado, no fundo espelho de tudo o que o Sporting tem sido esta época, fica a preocupação de termos apresentado aquele que é, supostamente, o melhor 11 (com o Moutinho a 10 e tudo) e de ninguém, mas mesmo ninguém naquele plantel profissional ter percebido o seguinte:
    mais do que ultrapassar o Guimarães e ficar em segundo, este jogo garantia a Liga dos Campeões.
    Como? Simples.
    Todos sabíamos que o Benfica ia perder no Dragão (só não sabíamos por quantos), ou seja, podíamos ter deixado os lampiões a quatro pontos quando faltam três jornadas para o final do campeonato.
    Assim, e mesmo que viessemos a meter a pata na poça na deslocação à Mata Real, tínhamos dois jogos em casa a justificar outra tantas vitórias, o que corresponderia, pelo menos, ao terceiro lugar e a ida à pré-eliminatória da Champions.

    Agora temos que esperar que o Fc Porto ganhe em Guimarães e, coincidência das coincidências, vemos no Belenenses o nosso principal aliado (mais uma aproximação dos universos), visto jogar com Benfica e Guimarães.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s