Há vida para lá das “razões pessoais”

Não venho aqui falar de “razões” pessoais, empresariais e que mais. Não venho falar de desilusões, ilusões e tostões. Venho falar de bola. E de xis, números, traços e setas. O Sporting deste ano está em obras. E não há crises emocionais que o trabalho não resolva. Também não me interessa o resultado e a vitória contra o Grupo de Excursionistas do Alto dos Moinhos. Nesta fase, é pouco importante, embora seja confortável saber que a coisa para os lados da Rua dos Soeiros está tão complicada como um jogo de Mikado numa placa de xisto.

O losango tem a morte anunciada. Antes tínhamos um jogador (Pipi) que, pelo seu intrínseco apagamento, punha todo o sistema em causa ofensivamente. E tínhamos outro (Veloso) que, pelo seu engordamento, afundava o que restava do sistema defensivamente. Agora, temos um terceiro (Rochemback) que, pura e simplesmente, ignora o sistema, deixando frequentemente o vértice direito para pegar no jogo pelo meio, pisando o trinco e desprezando o 10.

Não podemos ter um jogador como o Roca e tirá-lo do centro. Sendo assim, e porque ninguém com quase 90 quilos pode ser deixado sozinho no centro, o Sporting 08/09 está feito para o já testado (obrigado, Paulo, ano e meio depois) 4-4-2. Perfeito para o Roca, para o Veloso, para o Adrien. Óptimo para o Izmailov, para o Vuk (tem de defender um pouco mais), para o Pereirinha. Fantástico para o Pipi, que vai para o banco, que parece sempre ser o seu desejo. E muito bom para os avançados, que não têm de se desgastar nas alas e podem preencher os corredores do meio, lado a lado, como se viu tão bem nos dois golos desta noite, cortanto nas costas e recebendo a bola perto da baliza e não a 30 metros, perto do bandeirinha.

O problema agora é largar definitivamente o losango. Na supertaça? Nas primeiras jornadas e antes da dupla jornada com os rivais? Antes da Champions? É a dúvida que deve estar a atormentar o Paulo Bento, para além do momento em que pensou em dar uma marretada no Moutinho, dentro do balneário e antes das declarações mais pertubadoras no clube desde a épica conferência de imprensa do Figo. Eu diria, esqueça-se já o losango. Tente-se vender já o Pipi. E procurar um médio esquerdo alternativo ao Vuk. Para evitar atrasar cinco meses o crescimento de uma equipa que tem condições para atingir os níveis competitivos mais altos da Era Bento.

PS: Nestas cogitações não foi citado o ex-Capitão nem um possível substituto. A racionalidade do discurso puramente futebolístico diz-nos que a eficácia de jogo subia muito com ele em campo. A emotividade do futebol diz-nos que a sua presença turva os raciocínios…

5 thoughts on “Há vida para lá das “razões pessoais”

  1. Tenho muitas dúvidas sobre se (e quando) o PB largará o losango. Mas concordo contigo quanto ao peso (salvo seja) que o factor Rochemback terá na progressiva alteração às linhas do nosso meio campo. O exemplo de ontem é claro. Apesar de jogar a interior direito, o homem estava, de facto, constantemente a aparecer em cima do Caneira e/ou do Romagnoli. Portanto, ou a equipa consegue rotinar um losango sem posições fixas (uma espécie de tangerina mecânica) ou então será mais seguro jogar com uma linha de 4.
    Duas notas finais sobre aquilo de que realmente gostei no jogo de ontem: a forma como o Derlei festejou os golos e o facto de não termos perdido nenhum dos “sururus” que se geraram. Quanto a este último ponto, o Caneira e o Roca vão contribuir bastante para deixarmos de ser os meninos que fomos na última época. Ainda bem.

  2. Também gostei do “esquadrão porrada”. É fundamental que o nível de agonismo da equipa suba em relação ao ano passado. Caneira, Roca, Grimi, Tonel, Derlei, Vuk, temos um belo BOPE! E, embora seja um adepto praticante do respeito pelo colega de profissão, adorei as porradas que o Carlos Martins levou o jogo todo. Foi o Grimi, o Roca e, cereja no topo do bolo, a belíssima agressão do Tonel, de um cinismo fundado nas escolas da Cedofeita! As vezes que o gajo ficou no chão a reclamar devem ter sido suficientes para repensar a vidinha…

  3. Durante o jogo comentei precisamente esse facto: este ano não vamos levar porrada sem dar troco. Aliás, o mais certo é sermos nós a impor o respeito logo nas primeiras jogadas, como o Rochemback fez com o desorientado Carlos Martins.
    E ao que foi dito, acrescento um outro ponto que me agradou bastante: o elevado nível a que o Polga já se encontra.

    Já agora, vocês acham que é possível passar pela cabeça do Paulo Bento colocar o Tiago a titular?

  4. Cherbakov

    Nao so acho como me parece completamente plausivel. Ate ver, ainda nao deu bem para perceber quem vai ser o guarda-redes titular (porque o regresso de ferias nao costuma ser problema para quem joga nessa posicao). Mas desengane-se quem pensa que o Tiago oferece muito mais garantias que o Rui Patricio, e o segundo pelo menos tem potencial. Enfim, a eterna discussao sportinguista sobre quem deve ser o guarda-redes titular… Comeco a pensar que o Paulo Bento preferiu nao trazer nenhuma “luminaria” para a baliza so para nos podermos continuar a mandar bitaites! :-)

  5. Para mim, com meio campo em linha :

    Patrício(medo); Abel-Caneira-Polga-Veloso; Rochemback-Moutinho-Izmailov-Vuk; Liedson-Derlei

    Na segunda parte entram sempre: Pereirinha aos 70´, Postiga aos 75, e aos 80´, Tonel ( para não desmoralizar)

    E mai nada!
    A Champions é nossa! :)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s