A QUEM TANTO SE ABAIXA, VÊ-SE-LHE O CU

Nível de endorfinas: quase zero. Houve uma estratégia errada na abordagem ao jogo, que se exprimiu num problema táctico que abaixo se tenta compreender. Mas houve, antes disso ou por causa disso, uma atitude errada para este derby. Demasiado respeito, demasiado tensão nas decisões individuais, pouco risco e, o que mais me custa, pouca alegria. Então mas nós não estamos a meio de um projecto táctico, futebolístico e anímico já consolidado? E o nosso adversário ainda não está a conhecer os cantos à própria casa? Para quê olhar olhos-nos-olhos e não de cima para baixo? Assusta ouvir o Paulo Bento dizer que o Sporting teve menos maturidade que um benfica com dois centrais de 19 anos, um médio rejeitado por ele próprio por ser imaturo e um punhado de jogadores sem experiência de grandes clubes…

Momento-chave: Dois. O falhanço do Djaló no 1º minuto e a assistência errada do Pipi para isolar o Djaló, poucos minutos depois. Com um golo de vantagem, provavelmente seria a repetição de Braga.

Prémio El Dieguito: Sem vencedor. O que revela muito…

Prémio Gladstone: Miguel Veloso, pelo jogo que fez. Pobre é elogioso. É verdade que ele é vítima de uma posição demasiado desamparada. Mas ficou à vista, se prova faltasse, que não consegue carregar a equipa a trinco. E as disparatadas subidas no campo deixam a equipa num farrapo para recuperar.

Prémio Zé Piqueno: Os cartões amarelos aos jogadores do Sporting depois do 2-0. É feio… mas é orgulho.

Visão Zeman: O que acontece a uma equipa que decide anular a sua força para expor a sua fraqueza? Pois, perde. No futebol, pouca coisa acontece por acaso. A ideia de lançar bolas pelo ar para os dois avançados e, com isso, subir a equipa no campo para limpar as segundas bolas, está a ser um insulto à inteligência futebolística do adepto que paga quotas (hoje foram mais 48 euros!). Sobretudo, quando a força da equipa assenta na fluída rotação do losango… como se viu a espaços no jogo, momentos em que ficaram à vista as dificuldades do benfica. Mas a insistência em bolas em altura foram mel para Sidnei, o puto que nem sei o nome e o Yebda… E era ver os anões Djaló, Moutinho, Pipi a saltar, impotentes…

O sr. flores, pelo contrário, fez o que lhe competia. Força do benfica? Jogo pelas alas… Fraqueza do losango? Aquele quadrado vazio, à entrada do meio-campo defensivo, definido pelo defesa lateral (Abel, p.ex.), o médio lateral (Roca), a linha de meio-campo e a linha lateral. É só contar as vezes que a bola ali esteve no ataque do benfica… E para onde ia assim que o benfica recuperava a bola na defesa (muitas vezes iam lá buscá-la o Cardozo e o Nuno Gomes). Três lances exemplares: desequilíbrio que permitiu ao Maxi centrar para o falhanço incrível do Nuno Gomes, saída do benfica que acaba no remate à figura, à meia volta, do Cardozo, e, num miniquadrado vazio mais à frente, o 1º golo…

Vivó Sporting… até morrer!: O regresso de Liedson num palco onde já fez tanto pelo sportinguismo…

6 thoughts on “A QUEM TANTO SE ABAIXA, VÊ-SE-LHE O CU

  1. Não assusta só ouvir o Paulo Bento falar em maturidade ou falta dela. Assusta-me, cada vez mais, ouvi-lo constantemente falar em falta de agressividade. É caso para perguntar: mais, afinal, quem é o treinador? Então, Paulo, sendo tu o treinador e vendo que os jogadores não estão a ter a atitude que lhes pediste, não devias fazer alguma coisa?

    O mais estranho ainda, é ver que esta falta de atitude começa a ser apanágio dos jogos mais importantes: primeiro Barcelona, agora Benfica. Quer dizer, quando a equipa tinha um plantel mais fraco, havia motivação para os jogos grandes e os escolhidos faziam das fraquezas forças para tentar fazer um brilharete. Agora, com uma equipa realmente mais forte e equilibrada, faz-se o suficiente para ganhar os jogos simples e, chegados aos embates a doer, parece que estamos todos (ou quase todos) envergonhados e desejosos que aquilo acabe. O caso do Rochemback é dos que mais me incomoda, por todas as capacidades que nele reconheço. Aliás, ontem, alturas houve em que pareceu que ele estava ali a fazer um frete. (quem me dera a mim poder vestir aquela camisola e jogar contra os lampiões…)

    Depois, a táctica. Sim, é verdade que tudo mudaria se o Djaló tivesse tido a “maturidade” suficiente para matar o jogo aos 50 segundos. Se o Pipi tivesse feito o passe em condições para isolar o Djaló. Ou se o Postiga tivesse aproveitado a última vez em que a defesa do benfica foi comida com bolas colocadas nas costas.
    A questão é que nenhum desses lances resultaram em golo e a estratégia de futebol directo tinha que ser alterada. O que é que foi feito? Nada. Charutadas atrás de charutadas para a frente quando, e corrijam-me se estiver enganado, temos o meio campo com melhores executantes da Liga portuguesa. Gajos que gostam de jogar de pé para pé, quase como se estivessem a jogar à “rabia”. Mas, não. Vamos mandar charutada para a frente! Até parece que temos avançados do tamanho do Cardozo…

    Grave, é que este é um problema que se arrasta desde a época passada. O Sporting joga pouco, muitas vezes não joga nada. 30 minutos contra o porto, na supertaça, mais 30 minutos contra o trofense, a abrir a liga, foi o tempo em que se viu algum futebol. Braga, futebol sofrível, Barcelona, futebol horrível, Belenenses, futebol a dar para o gasto, Benfica, futebol horrível. E, diga-se, não ganhar a um benfica com uma defesa composta por maxi, sidnei, miguel vítor e jorge ribeiro, é realmente preocupante.

    No fundo, receio ter que vir a dar razão a todos aqueles que afirmaram que, com um plantel claramente capaz de ganhar a Liga, as limitações do Paulo Bento iam ficar ainda mais expostas.
    Até lá, até porque continuamos à frente dos adversários mais directos e porque o optimismo faz parte do ser-se Sportinguista, quero acreditar que os jogos com Basileia e FC Porto servirão para levantar o moral das tropas.

  2. Este lampião de merda que é o rei reyes anda pelos blogs todos do Sporting a borrar esterco.

    Parece o puto que se veio pela primeira vez e que depois bate punhetas até a olhar para a secção de necrologia.

    Quro ver na quinta-feira, se por acaso ou obra do destino forem eliminados, se a culpa também é do fora-de-jogo do Postiga.

  3. o cherba tem toda a razao o roca foi uma amostra do k ja o vimos fazer ve lo jogar meteu dó!!!fikei triste, nao por ter perdido mas pq podiam ter ganho facil facil !! nao me importo de perder qd realmente a equipe adversaria é superior agora com os periquitos??? mt fraco!!

  4. jb,
    eu estava a tentar não bater muito no ceguinho, mas só me dá vontade de ir aos cornos ao Rochemback quando me recordo do primeiro golo dos gajos. O lançamento de linha lateral a ser feito e o gajo a travar-se de razões com o árbitro. Como diria o Cintra, pró caralho!

    A propósito de primeiro golo… Douglas, o remate de trivela foi claramente o melhor gesto técnico do derby, mas compreendo que te tenhas recusado a entregar o El Dieguito ao cabrão do lampião

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s