A receita

Não vou perder tempo com os problemas, vou directo às soluções. Paulo, gosto de ti, quero o melhor para ti, o que penso de ti como treinador do Sporting está claro na minha Cabeça. Num momento mau como este dou-te uma mão… sugiro-te “coisas bonitas”. Aceita o que quiseres. Mas olha que a teimosia tem dois bicos e qualquer um deles pica…

1) Treina com afinco a alternativa ao losango. A sério. Porque qualquer treinador com mais rodagem que tu percebe logo onde está o alçapão… e entra por ali fora sem pedir licença. À falta de um trinco varredor (o Cacifo não te avisou para ires buscar um armário para ali?), mete o Roca e o Moutinho no meio como nos bons velhos tempos do Peseiro. Utiliza o Izmailov e o Vuk nas alas, com liberdade para o um-para-um. Vais ver que será bonito… depois, quando quiseres “controlar” o jogo, mete lá o losango outra vez.

2) Abanca o Abel… o tipo é inteligente, fala bem, deve ser um gajo respeitado no balneário por usar frases com complemento directo… Mas abanca-o. Mete ali o Caneira. Já chega de ser constantemente enrabado pela direita nos jogos grandes… a história é deprimentemente longa… Mete-o nos jogos em casa contra mijasnasescada. Aí ele corre… e corre… e corre… e pode vir a andar para a defesa.

3) Esquece o Miguel Veloso sozinho a trinco… O puto não se aguenta… são os sumos, as madeixas, essas merdas todas da adolescência tardia… Mas esta ideia eu suspeito que tu já percebeste…

4) Recupera o Vuk. Eu concordo contigo que o puto é parvo. E egoísta. Eu, se estivesse naquele balneário, dava-lhe com uma toalha molhada e enrolada no cu todos os dias à saída do chuveiro. Mas eu tenho uma experiência desportiva muito básica, muito baixo nível. Não sou treinador do Sporting. O teu dever não é destruir jogadores, é recuperá-los. Usa os métodos que quiseres, eu estou contigo até ao fim… desde que esse fim seja o melhor para a equipa. E, claramente, a única saída para isto é o regresso em grande do Vuk à equipa… sim, “à equipa”, eu ouvi-te (no meu anestesiado cérebro)…

5) Manda o Barbosa dizer qualquer coisinha à malta. Ó Pedro, vá lá… falavas tão bem com os árbitros… diz qualquer coisa ao pessoal, depois de tantos casos em tão pouco tempo numa época que se queria tranquila.

Ficam as ideias, Paulo. Entretanto, dá uma vista de olhos ao derby de Milão (aposto que estiveste a ver o Torreense-Guimarães, só para teres a certeza que o Cajuda vai ser corrido… eu percebo). Mas vê como o melhor treinador do mundo, o gajo especial, chega a um derby, com mais quatro pontos que o rival, e tenta “controlar” o jogo. Como tu! E, depois, repara como o tipo que é especial leva um banho táctico e perde o jogo e a oportunidade de enterrar já um adversário directo. Como tu! Um gajo especial…

9 thoughts on “A receita

  1. A rigidez Bentiana

    O Sporting de Paulo Bento tem-se destacado, na minha opinião, pela Rigidez Bentiana.
    Esta rigidez não será alheia a uma das principais características do treinador Leonino, a sua teimosia; que também se demonstra na dificuldade de lidar com as personalidades mais fortes e “especiais” do nosso balneário.
    Já se percebeu que Bento “não conta” com quem não seguir ao milímetro o que ele pretende.
    De facto a rigidez de princípios é exagerada, o que leva o Sporting a apresentar apenas um modelo de jogo exequível, o tal 4-4-2 losango.
    O que sair fora disto dá asneira, o que torna este Sporting demasiado previsível, sendo demasiado fácil para os adversários saberem como o Sporting joga.
    Depois é tudo uma questão de equilíbrio de forças, pois contra equipas “fracas”, quase sempre a rigidez Bentiana leva a melhor.
    Os Sportings de Bento têm sido capazes de ir mais além ou não, consoante a riqueza do plantel ou a forma em que os jogadores se apresentam na altura dos desafios; mas é tudo muito previsível, muito fácil de “acertar no totobola”.
    Também pela rigidez Bentiana se compreende que enquanto tudo estiver a correr de feição nos jogos, o Sporting se aguenta muito bem, seja em que campo for.
    De facto, quando o Sporting se apanha a vencer por 1-0, a equipa fica confortável, pois pode aplicar a tal “tranquilidade”. E o historial de Paulo Bento no Sporting, prova que realmente quando se apanha a vencer, tem sido quase impossível aos adversários darem a volta.
    Em contrapartida, quando o Sporting se apanha a perder, revela muitas dificuldades, e tem sido muito raro virar jogos, a níveis percentuais invulgarmente raros em equipas ditas grandes. É habitual as grandes equipas virarem jogos; o Sporting tem dificuldade; e porquê?
    Penso que essencialmente tudo está estudadinho ao pormenor, o problema é que quando as coisas não correm bem, a equipa fica perdida em campo, muito por culpa de não estarem treinadas formas diferentes de espalhar as peças em campo.
    Evidentemente que é nestes momentos que os jogadores que pela sua mais valia técnica podem fazer a diferença, e neste particular acho que estamos um pouco limitados, pois temos poucos “mágicos”.
    Liedson (em forma), Rochemback, Vuk e possivelmente Izmailov serão dos poucos capazes de colocar em campo essa imprevisibilidade. Mas importa que possam actuar como “vagabundos” em campo; e não serem amarrados pelo treinador a posições e princípios demasiado tácticos.
    Evidentemente que não POSSO exigir ao Sporting que vença os Gigantes Europeus, pois sejamos honestos e realistas, por melhor que joguemos a diferença é abismal; apesar de ser possível de vez em quando arrancar uma exibição fabulosa e vencer um jogo a esses colossos do futebol, como já aconteceu com o Inter, na altura com Miguel Veloso a fazer uma exibição imperial, para mim a melhor da sua carreira.
    Este exemplo só vem demonstrar o grande tiro no pé de Barcelona, quando Bento decidiu amarrar Veloso a defesa esquerdo após alguns minutos em que actuou a trinco e conseguiu dar supremacia ao Sporting nesse desafio, tendo inclusivamente chegado ao golo e com 2-1 no placard ter discutido o mesmo em Camp Nou.

    A excepção (que confirma a regra)
    Os jogos com o FCP têm sido a excepção na carreira de Paulo Bento como treinador do Sporting. De facto temos quase sempre vencido, principalmente por duas razões:
    – Em todos esses desafios, o FCP tem sempre partido como favorito, quer pela estatística pontual, quer pela soma monetária teórica do valor dos passes do plantel, quer pela generalidade da imprensa e “opinion makers”; dando sempre a sensação nesses jogos que entram em campo “convencidos” que vão acabar por vencer o Sporting. E isso tem quase sempre funcionado a favor do Sporting, pois damos sempre a sensação que os surpreendemos em campo.
    – O Jesualdo tem errado constantemente em termos tácticos, sendo que mudou o esquema só para os jogos com o Sporting e apenas em mais uma ocasião, quando foi a Londres perder por 4-1 com o Arsenal. Realmente o Jesualdo lá saberá porquê; pensando eu que o faz porque julga que o meio campo Leonino é superior ao dele, pelo que o tenta modificar, mas com as modificações ou sem elas, tem sido ai que o FCP perde os jogos com o Sporting, na batalha do meio campo.

    Desta vez, e após alguns jogos, principalmente 2 Supertaças e uma Taça ganhas pelo Sporting ao FCP, e pelas prestações pobres do mesmo FCP esta época, não acredito que o FCP entre como “favorito” em Alvalade na próxima jornada, pelo que estou bastante céptico para este desafio, cheirando-me o mesmo demasiado a empate; até porque na “cabecinha” de Bento será muito mais importante não perder 2 jogos seguidos com os maiores rivais do que vencer.
    Aceito que um treinador rígido como Paulo Bento possa no final das épocas conquistar mais umas taças para a nossa colecção gigantesca de mais de 13.000, mas até por isso, pelas mais de 13.000 taças que o Sporting tem, pergunto a mim mesmo e aos Sportinguistas se é isto que pretendemos?
    Se calhar com outro treinador dariamos mais espetáculo mas no final ganhariamos menos, mas uma coisa é certa e sabida: não gosto de perder como perdemos em Barcelona ou na Luz, nem de ganhar a defender como em Braga.

    http://afirma24.blogspot.com/

  2. PPA,
    fiz um esforço titânico para conseguir ler o teu comentário até ao fim. Tens que escrever livros, meu!

    Douglas,
    concordo com praticamente tudo o que escreveste e, nem de propósito, os jornais de hoje apontam todos para o regresso do Vuk, ao que parece mentalizado para a necessidade de controlar o seu lado desbocado. Só não estou contigo nas críticas ao Miguel Veloso. Aliás, na minha opinião, ele e o Moutinho foram os menos maus no jogo do passado sábado. Se há alguém, para além do Abel, que devia ficar no banco, esse alguém é o Pipi. E espero que tenha havido alguma voz grossa a lembrar ao Rochemback que o primeiro golo é culpa dele e a pedir-lhe um bocadinho mais de atitude nos jogos (e, já agora, menos passes à Magic Johnson! Foda-se, já me irrita a quantidade de bolas que se perdem quando ele tanta olhar para um lado e meter a bola noutro, cheio de estilo).

  3. Não acho que a culpa do golo seja do Rochemback. Obviamente estava desatento por causa do árbitro e podia ter feito a dobra a tempo. Mas o Abel está de frente para o Reyes e quando o espanhol passa a bola o Abel vira-se e deixa de o ver. O Reyes corta e quando recebe a devolução do Aimar o Abel ainda está à procura dele… Aquilo aprende-se nos infantis.. Quando o teu jogador corta, esquece a bola e vai com ele… O Abel achou melhor assistir de cadeira ao desenrolar do lance. E deve ter gostado, foi um golo bonito…

    Quanto ao Miguel Veloso e ao Moutinho, pois eu acho que foram os piores do Sporting. Especialmente o Veloso… mas já falei disso…

  4. Este cacifo do Paulinho, escreve… escreve… e escreve bem, diga-se!
    Se o Paulo Bento arranjar um tempinho para vos ler tenho a certeza que adquire um “know-how” nada desperdiçável.
    Estou com vocês queridos amigos e com o Paulo Bento se ele seguir os vossos conselhos.
    Rugidos solidários

  5. Douglas, dividimos então a culpa por uma dupla com alguns problemas de sincronização :)

    Tite, eu acho que o Paulo Bento lê o Cacifo. Mas sabes que o homem é teimoso.

  6. Gostei dos conselhos do douglas mas na parte do roca tou com o cherga!! !!o roca podia ter feito mais k refilar com o arbrito e postriormente fica perdido na jogada, o abel é certo tb tem culpas no cartorio. qt ao resto esta excelente o post!

  7. PPA..não julgues que te ficas a rir. Entre o início da leitura do teu comentário e a hora em que tento (de olhos colados ao ecrã) escrever este comentário, já fui duas vezes ao oftalmologista e outras tantas à Multiópticas. Mas caralho me foda se não conseguir ler o que escreveste até ao fim desta semana. Não te ficarás a rir, pá!

  8. já que falamos em receitas, espero que o Paulo Bento esteja a ver o Arsenal-Fc Porto. E que o Grimi e o Caneira estejam a ver como é que o Clichy deu duas trolitadas ao Lucho e o deixou em sentido.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s