Tenho saudades…

Tenho saudades das sras dos autocolantes.
E dos srs a venderem almofadinhas para a bola.
De ver o Paulinho carregar bolas para o campo de treinos.
E de ficar a ver os craques prepararem o jogo seguinte.
De entrar e sair da “nave” as vezes que queria.
De espreitar a porta 10A.
E de esperar a chegada do nosso autocarro, para só depois entrar para o Estádio.
De passar o Tejo para ir ao Estádio, mesmo quando chovia a potes.
E de obrigar o meu pai a levar-me a Campo Maior para ver um jogo numa noite gelada.
De chegar uma hora antes do apito inicial e já só ter lugar sentado nas escadas.
De ver o Estádio de Alvalade cheio de adeptos certos de ver a equipa resolver jogos nos primeiros vinte minutos.
E de sentir os adversários todos borrados por irem jogar a casa do Sporting.
De festejar mais do que três golos no mesmo jogo.
E de não ter que levar com animadores histéricos nem passatempos estúpidos com remates estúpidos para uma baliza ainda mais estúpida.
Das camisolas com riscas verdes mais largas.
E de ver jogos à luz do dia.
Do cartão de sócio tipo passe, com as quotas em papel.
E de fazer colecção de bilhetes.
De ter um verdadeiro número 10.
E de jogar com extremos.
De ter um louco qualquer com nome acabado em ic ou ov, capaz de fazer-me comprar camisolas.
De gostar de todos os nossos jogadores, simplesmente por serem do Sporting.
E de ser capaz de achar que um qualquer João Luís II podia decidir jogos, fosse quem fosse o adversário.
De nunca admitir que o Sporting joga mal.
De ter um presidente que goste de futebol.
E que não queira ser amigo de tripeiros ou lampiões.
De ter uma estrutura para o futebol profissional que proteja o treinador e os jogadores.
E um treinador que arrisque e invente.
De ter as claques a uma só voz na curva sul.
E de identificar-me com a forma de estar de quem gere o clube pelo qual nunca hei-de deixar de sofrer.
Tenho saudades… do meu Sporting!

8 thoughts on “Tenho saudades…

  1. Este post fez-me rir, mas também ficar triste.

    Tenho saudades disso tudo (embora não me lembre bem do João Luis II :P) e de ver jogos à tarde ao Domingo e as amadoras na nave.
    Também tenho saudades de poder entrar no estádio todos os dias, às vezes dando de caras com a equipa a subir as bancadas para treinar a condição física.
    Fogo, até tenho saudades de não ter dinheiro para pagar o bilhete e dar música aos porteiros, que, mais beijinho menos beijinho, acabavam sempre por nos deixar entrar.

    PS – As senhoras dos autocolantes ainda lá andam!

  2. Concordo com quase tudo menos com a de ter as claques na curva sul. Dantes só havia a Juve no topo sul e a Torcida numa lateral. Qd o estádio não enchia a norte estava quase sempre vazia e sem animação, de modo a que quando havia clássico tinham sempre de ir um grupo da Juve para o topo norte para dar festa à coisa. Até não desgosto de haver duas claques e uma em cada topo.

  3. Cherbakov,

    Meu grande cabrão. Vai-te foder.

    Conseguiste pôr um gajo de quase um metro e noventa, cem quilos e barba rija, a chorar que nem uma Madalena.

    O teu Sporting, o meu Sporting, o nosso Sporting.
    Será que não seria esse o verdadeiro Sporting?

    Eu sei que também tem a ver com uma parte da nossa vida, que já lá vai.
    Mas, porra, o Sporting não faz parte da nossa vida?

    Foda-se, ainda não parei de chorar!!!

  4. SnF1907,
    vou-me foder com todo o gosto :)

    A questão é precisamente essa. Tudo isto faz parte do verdadeiro Sporting. Umas coisas perderam-se por imperativos da própria evolução social e tecnológica, outras nunca deviam perder-se nem podem deixar de ser sentidas. Quando quem dirige o rumo do nosso Leão for capaz de mostrar-nos que sente, nem que seja um bocadinho, esta forma de viver o Sporting, terá de volta a tão falada militância.

    Até lá, vai continuar a doer-me a alma. De saudades…

  5. Obrigado, Cherba. Obrigado por nos lembrares de coisas que parecem distantes, mas que fazem parte de todos nós.
    Quem sabe se esse Sporting que nós amamos, todos nós, não voltará um dia.

    Abraço Leonino

  6. Grande estoria sim senhor!
    São gratas recordações para quem, sem ser muito assíduo de Alvalade, sente tudo isso que descreves e mais.
    P.ex. em relação ao cartão de sócio tipo passe, com as quotas em papel… Lembro-me quando um de nós não estava em dia ficar cá em baixo à espera que da varanda voasse uma das tais almofadinha com um cartão legal dentro.
    Realmente eramos grandes bandidos…! :-)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s