ESTAMOS FODIDOS

 

Estamos tão fodidos. No sábado passado ao intervalo do penoso Sporting-Académica comentava o camarada Cintra que o rosto das pessoas na bancada era o espelho perfeito do nosso momento. Realmente não posso estar mais de acordo. Assistir a um jogo do Sporting passou a ser um acto de fé. É tão absurdo como acreditar que Deus existe. É uma punição que se aceita por obrigação. Por doença. É pura irracionalidade. Em suma, é um frete.

E como chegámos nós a este estado de coisas? Para além de todas as razões já escalpelizadas, detenho-me num pormenor. Independemente das variações tácticas, do losango, do Romagnoli ser titular ou não, estamos fodidos por outro motivo.

Os jogadores não gostam do Paulo Bento. Os gajos não gramam o gajo nem com molho de tomate. E isso nota-se cada vez mais. Pelos inúmeros casos que vão crescendo como cogumelos. Pela indiferença e apatia dos jogadores. E pela falta de implicação dos pesos pesados na liderança do balneário. Como em tudo na vida a uns topa-se melhor a careca do que a outros. Há quem seja burro e assuma isso sem problemas – Vukcevic. Há quem se deixe levar pela imaturidade – Djaló e Veloso. Há quem faça jogos de merda consecutivamente rendendo a um nível bem abaixo das reais possibilidades – Caneira. E depois, há quem disfarce esse sentimento com profissionalismo – João Moutinho. Mas aposto que, por razões distintas, nenhum destes gosta a sério do treinador e está à morte com ele. Uns por que estão fartos de ser a cabeça de turco entregue em bandeja de ouro para os abutres da comunicação social, outros porque não entendem por que razão não jogam na posição deles, outros porque já não podem ouvir falar da puta do losango e das suas amarras tácticas, outros porque simplesmente não se divertem a jogar à bola, e ainda outros porque já perceberam que mesmo cumprindo tudo a tempo e horas conforme é pedido, não terão a recompensa porque não ganharão nada de relevante na carreira. O que é facto, é que o PB é “persona non grata”. E quando assim é, pouco há a fazer. É a lei do futebol. Quando os jogadores decidem queimar um treinador, nada feito.

11 thoughts on “ESTAMOS FODIDOS

  1. Ora aqui está uma síntese de tudo o que eu também penso sobre a momentosa vida do nosso Sporting.
    Quisera eu ter o dom da palavra para ter dito isto, mesmo que fosse com outras palavras.
    Mas, está cá tudo.
    O Paulo Bento dificilmente conseguirá dar a volta a este texto. A menos que o Pai Natal o ilumine e lhe faça a bênção de o adoçar, coisa em que eu não acredito.
    Não basta aprender técnicas sobre futebol. É igualmente necessário gerir recursos humanos.
    Como sou verde, ainda existe em mim uma réstia de esperança.
    Votos de um Feliz Natal e um Ano de 2009 cheio de realizações pessoais (para todos os autores deste maravilhoso cacifo) e desportivas para o nosso querido clube.

  2. Amigo Jordão,
    esse título está de fazer corar o menino Jesus!
    (a propósito, estou tão farto que já nem me importo que contratem o Jorge. O tal que tem apelido tão adequado à quadra que celebramos).

  3. Um treinador do Sporting que leva 5 em casa, tem de colocar de imediato o lugar à disposição. Isso não aconteceu e o PB até do árbitro se veio queixar. Está tudo dito, é a total impunidade e desresponsabilização.
    O pior é que além do péssimo futebol e dos maus resultados (não me venham com a historinha das taças e dos segundos lugares, isso seriam 3 epócas de excelentes resultados para o Guimarães, não para o Sporting!!) o PB está a desvalorizar activos importantes do Sporting. O Veloso a época passada já não valia os 30 milhões, agora se calhar já nem 5 vale. O Moutinho a mesma coisa. Este post está correctissimo, os jogadores já não suportam o PB. Sabem que com ele o futebol praticado vai ser sempre uma merda, o titulo sempre uma miragem e vão evoluir 0. O Miguel Veloso é hoje mais jogador do que há 2 anos atrás?? Não, é pior do que era!! O mesmo para o Moutinho e para o Djaló.

  4. Confesso que me custa concordar com esta opinião.
    Porque no fundo eu gosto do Paulo Bento. Do homem.
    Mas… gosto cada vez menos do treinador. Esgotou-se-me a paciência.
    No meio disto, confesso que me custa concordar com esta opinião. Embora ela tresande a verdade.

  5. Desculpe lá,
    mas quem é que o senhor pensa que é para apelidar de absurdos todos aqueles que acreditam na existência de Deus? Isso é de uma tremenda falta de educação e respeito pelas ideias dos outros, mas já vi que é seu apanágio catalogar as pessoas de forma ofensiva, pois num outro post já chamou ridículo a um dos leitores.

    Percebo agora porque razão o sr escolheu assinar como Jordão. No fundo, tem a consciência de que é a ovelha negra daquele que é um dos melhores blogues sportinguistas do país.

    Saudações Leoninas e Feliz Natal

  6. “Assistir a um jogo do Sporting passou a ser um acto de fé. É tão absurdo como acreditar que Deus existe. É uma punição que se aceita por obrigação. Por doença. É pura irracionalidade. Em suma, é um frete.”

    Jordão, não faças o frete. Não vás lá. O Sporting dispensa o teu sacrifício.
    Olha, aproveita para ficar em casa, cura-te e, já agora, não escrevas merdas como as frases acima.

    Não te desejo Feliz Natal, porque óbviamente, tudo isto para ti, são tretas.

  7. Carlos Nunes,

    Não vou entrar numa discussão religião ou ateísmo. Ao contrário do que possa pensar respeito todas as crenças ou a falta delas. A frase utilizada é uma metáfora para explicar que o envolvimento clubístico é m acto de fé por si só. Não há explicação racional para isso. Como gosto de pautar a minha conduta por uma certa razão, encontrei em Deus a metáfora perfeita para explicar que hoje em dia assistir a um jogo do Sporting é tão cintificamente improvável como acreditar que Deus existe. Numa quadra tão importante não queria ofender os sentimentos dos nossos queridos leitores. A mim, mais do que ofender os católicos, preocupa-me o facto de encontrar pessoas sem sentido de humor. Isso é bem mais aflitivo.
    Quanto à questão da escolha do nome, posso garantir que escrevo como uma ovelha negra mas as convicções são fortes. Jamais o faria ter um rebanho de fiéis seguidores atrás das minhas opiniões. A crítica é livre e eu não tenho pretensões de ser o Pastor!
    Bom Natal!

  8. Sporting na Família,

    Ainda bem que não és um torniquete de Alvalade. Ainda bem que não és tu quem me paga as quotas. E ainda bem que não és tu a voz da minha consciência. A propósito disso, aproveita para ler o comentário anterior.
    Aliás, informo que não tenho que prestar provas do meu sportinguismo. Nem a ti nem a ninguém. E finalmente, lá por teres um nome a atirar para o sangue azul, digo-te que não aceito lições sobre fidelidade clubística ou religiosa.
    Bom Natal. Diverte-te no presépio com os Reis Magos e poupa-me a considerações merdosas escritas em tom altivo sobre o que o Sporting dispensa ou não dispensa.

  9. Meus caros senhores religiosos,

    Devolvo o insulto: mas quem é que os srs. pensam que são? “Tremenda falta de educação e respeito” é acharem que, por causa das vossas motivações pessoais, quem não acreditar numa simples versão histórica da realidade, é-vos inferior moralmente. Já bastaram mais de 2000 anos desta opressão social, cultural e moral! Sim, há quem acredite que a religião é absurda. Tal como há quem acredite que a clubite é absurda. Eu não me ofendo quando desvalorizam a minha crença irracional numa equipa de futebol. É algo que me diz respeito e não pretendo “evangelizar” ninguém a pensar como eu. Os srs. deviam ter a minha atitude. Porque mudaram os tempos, mas esse tipo de reacção a uma postura diferente perante a vida está mais próxima da Inquisição que o contrário. Não chegaram os milhões de mortos à conta desse fundamentalismo primário, essa ânsia de uniformizar o pensamento colectivo?
    Sentem-se ofendidos? Coitadinhos… ainda não perceberam que o ónus da religião mudou de campo: eu é que me sinto ofendido por ver a minha vida totalmente condicionada por aquilo que, para mim, é uma fantasia, um mito, uma lenda. Mas eu não quero que pensem como eu… só quero que fiquem no vosso espaço e não invadam o meu. E, sobretudo, que não tentem passar por vítimas num caso de determinismo histórico em que os srs. sempre ganharam por goleada.
    Aliás, o sr. Nunes devia era preocupar-se com os laivos racistas do seu comentário. E quanto ao sr. Famíla, o sr. é que devia ter vergonha dessa demonstração de superioridade moral a roçar a boçalidade. O sr. é que devia “curar-se” desse mal e parar de escrever “merdas” como as que escreveu no seu comentário. O Cacifo acredita na pluralidade, mas o seu comentário foi o que mais perto me fez estar de uma inédita censura neste blogue… no entanto, isso seria cair na tentação censória que marcou a cronologia da vossa crença… Algo que recuso. E os srs?

  10. Bom afinal, além do Jordão o Douglas também teve um ataque de imbecilidade.

    1º O que é que o meu nome tem a ver com sangue azul?
    E se tivesse? Ficavam incomodados?

    2º O que é que eu tenho a ver com religião, crenças e o caralho?
    Qual é a parte do meu comentário que vos leva a tais conclusões?
    A comparação de algo concreto como assistir a um jogo do Sporting, com práticas de sociedades secretas, crenças, igrejas, religiões e outras porras, isso sim, é absurdo.

    Censurem o que quiserem.
    De qualquer modo a bola é vossa.

    Como diria o Cintra, vão para o caralho, e nunca, por nunca mais voltem a escrever que assistir a um jogo do Sporting é um frete.

  11. E que tal uma boa sardinhada (ou Petingada) para botar agua na fervura?

    Religioes, credos e Paulos Bentos a parte somos todos adeptos do Sporting… ao menos isso e algo que nos une (para sempre, assim o espero).

    Tambem eu me permito uma reflexao, neste caso copiando descaradamente a do carissimo Sousa Cintra.

    This is the way I see things: o Sporting passou a ser “a equipa do Paulo Bento”, numa mui habil manobra orquestrada por quem de direito no clube e levada a cabo pela sanguinaria e despudorada Comunicacao Social do nosso Pais. Isso tem sempre as suas consequencias, para o bem e para o mal. A verdade e que, no momento presente, e mesmo so para o mal. Cada vitoria sera interpretada como uma vitoria “apesar de la estar o PB” e cada derrota sera uma derrota “por causa do paneleiro do PB”, isto porque a mesma Comunicacao Social que o endeusou rapidamente o fez descer a Terra expondo a nu as suas fragilidades: casos com jogadores, futebol de baixa qualidade, truculencia (moderada) e figura nem sempre muito apelativa. Um pouco como se foi fazendo com o Scolari quando estava na Seleccao (com as devidas comparacoes).
    Em termos objectivos, o homem ja fez muito com os recursos que tem tido. Sejamos honestos (isto vai doer a muita gente….), o Sporting tem tido orcamentos para o futebol que sao sempre significativamente inferiores aos seus dois rivais e apesar de tudo tem-se consolidado como segundo clube do panorama futebolistico portugues. Custe a quem custar, temos que admitir que o Sporting com este treinador e uma equipa regular (para o bem e para o mal…) – e desafio qualquer dos leitores deste blogue a apostar que o Sporting este ano nao ficara entre os 2 primeiros da Liga. Isso e novo e muito positivo porque e algo que o nosso clube NUNCA teve desde finais dos anos 70. Mas nao e PERFEITO.
    Ou seja, na minha humilde avaliacao das coisas, e incontestavel que o PB colocou o Sporting em termos desportivos num patamar diferente daquele em que se encontrava – e digo isto porque pessoalmente sei que o sucesso desportivo consolidado nao e facil de obter, ainda para mais no contexto ranhoso do futebol portugues em que uns sao levados ao colo e a outros tudo e anulado, ate quando estao a jogar no seu proprio estadio… (tenho tido pesadelos ao imaginar que a Academica merece mais respeito a jogar em Alvalade do que o Sporting no mesmo estadio a jogar contra o Barcelona, isto a proposito de livres marcados depressa e bem…)
    O problema e que o homem nao parece, neste momento, ter capacidade para mais. Falta-lhe um estagio em Manchester com o Ferguson (para os aspectos humanos), um em Milao com o Mourinho (para os aspectos tacticos) e outro com o Cruyff (provavelmente sob forma de explicacoes duas vezes por semana, pagas com cha e scones em casa do proprio) para a qualidade do futebol. E aqui esta a encruzilhada – e provavelmente a razao pela qual este estado de coisas se vai mantendo -, mantermos este “status quo” sabendo com o que contamos (que provavelmente se vai deteriorando a cada ano que passa) ou arriscarmos ir mais longe, correndo o risco de retroceder?
    A haver uma mudanca tecnica no Sporting, mudar para o Jorge Jesus e como passar a usar T-shirts de manga comprida porque nos fartamos de camisas de contrafaccao da Feira do Relogio (que nao sao nada de especial mas ao menos sao camisas). A haver uma mudanca no Sporting, que se mude de maneira ponderada e reflectida e nao ao sabor do momento. Fica a reflexao – muitos de nos pensam que se deveria ter despedido o PB apos os 1-4 de Leiria (confesso que a ideia tb me passou pela cabeca). Ter-se-ia vencido a Taca de Portugal? Ter-se-ia ficado em 2o lugar no campeonato? Estariamos agora 10 milhoes de euros mais ricos por estarmos entre as 16 melhores equipas da Europa? Chapeau bas para quem assumiu o risco de manter a aposta feita nessa altura. Mas as bases pedem mudanca… e ignora-lo pode ser quase tao perigoso como, no balneario do Sporting, pregar uma partida escondendo o gel para o cabelo do Veloso e Djalo. Ou oferecer ao Roca um jantar no Chimarrao. Ou pedir ao Romagnoli que faca um sprint para apanhar o autocarro (o homem pode mesmo ter um enfarte, coitado).

    SL e Boas festas!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s