A Vida a Preto e Branco

“Guardiola ha acabado recuperando a Henry, desde aquellas declaraciones en las que el francés manifestaba que corría más que nadie y que su mejor posición era por el centro de la delantera. En lugar de no convocarlo o, de alguna forma, castigarlo por esas manifestaciones no especialmente solidarias, el entrenador del Barça optó por hablar con él. Desde aquel momento, Henry ha jugado su mejor fútbol con el FC Barcelona, culminado en Villarreal en el que seguramente fue su mejor partido vestido de azulgrana”.

in El Mundo Deportivo.

 

 

Os princípios rigorosos pelos quais regemos a nossa conduta fazem parte de uma forma de entender a vida. São simplesmente um guia. Não vem mal nenhum ao mundo saltar a norma de vez em quando. Como se vê no exemplo acima citado, as consequências até podem ser boas.

Ouviste, Paulo?! 

 

 

Anúncios

Barco à deriva?

A fonte é duvidosa. Mas, a ser verdade, a notícia é deveras preocupante.
Diz A Bola que o Yannick e o Miguel Veloso estão dispostos a propor a saída.
“[…] A ponto de, apurou A BOLA, os atletas em causa estarem até na disposição de serem emprestados, sendo que, para isso, é preciso que os dirigentes leoninos estejam naturalmente de acordo. Se a situação já era muito complicada, a entrevista recente concedida por António Veloso, pai de Miguel Veloso, ao Correio da Manhã, caiu como uma bomba em Alvalade e extremou ainda mais as posições, já de si muito distanciadas. […]

Eu já nem vou buscar o caso Stojkovic e também sinto que tudo o que se passa em Alvalade e motivo para haver caso (com a ajudinha do próprio PB e de declarações despropositadas como as que se seguiram ao jogo com o Marítimo), mas depois de um caso Liedson, de um caso Moutinho, de um caso Vukcevic, de um caso Djaló e de um caso Miguel Veloso (os quatro principais activos do clube) já para não falar, por exemplo, da forma como despachou o Deivid por uma questão de feitios ou, se quiserem, da forma como o seu estilo de liderança tem sido prolongado da pior forma por dois dos jogadores que deveriam ser uma referência no balneário, Caneira e Derlei, o que podemos nós esperar mais deste reinado bentiano que, com a união da equipa feita num caco, se arrasta penosamente para o fim (ou não…)?

A atracção pelo abismo, de que tão bem falou o Douglas, faz-se sentir com cada vez mais força. Difícil é prever o que sobrará, depois da queda anunciada.

 

p.s. – para não serem só más notícias, hoje ficamos também a saber que o Daniel Carriço vai renovar até 2015.

Ai coração, coração…

Depois do Pai Natal ter dado ao Paulo Bento a tão desejada prenda, entrar em 2009 a não depender de terceiros para ser campeão, a emissão da Sport TV continuou com um momento de “palheta” onde, entre outros convidados, estava o Costinha.

Com 34 anos, o homem está farto de ser pouco utilizado na Atalanta e planeia mudar de ares na reabertura de mercado. Quando questionado sobre se tinha preferência pelo país ou clube onde continuar (ou terminar, digo eu) a carreira, o ex-tripeiro não foi de modas e afirmou que o seu coração coloca o Sporting no topo das preferências.

Bonito…

ATRACÇÃO PELO ABISMO

O jogo de ontem dispensa, pela recorrência dos incidentes, a análise normal do Cacifo. Quem quiser saber porque é que o Sporting perdeu dois pontos, pode socorrer-se da secção “jogo-a-jogo”, onde os erros de ontem estão mais do que reflectidos.

Importa, antes, perceber o que está a passar-se na cabeça do Paulo Bento. Quem leu o “Eurico, o presbítero” (quem leu?), lembrar-se-á daquele episódio em que Hermengarda atravessa a ponte para, finalmente, chegar a Eurico. Em determinado momento, ela olha para baixo, para o abismo e o sr. Herculano dá-nos conta da atracção que ele exerce sobre o ser humano, desestabilizando a mente e enfraquecendo a razão. Quando se vai na auto-estrada a 150 km, um simples gesto no volante leva-nos imediatamente à tragédia. Quando se está numa situação social delicada, a palavra errada pode provocar consequências imprevisíveis. Quando, nesses momentos, se pensa nisso mais que cinco segundos, é porque o abismo está a chamar. O bom senso e a noção da punição que esse passo traria, coloca-nos de novo no caminho certo. Até ao Eurico.  

Insensatez e impunidade. São estes dois conceitos que dominam a mente do treinador do Sporting. Há quem possa pensar em estupidez e burrice, mas eu prefiro valorizar racionalmente o homem. Paulo Bento está a olhar para o abismo e aceita isso tranquilamente. Ele continua a dizer as coisas erradas nas situações erradas e guina o volante, sem razão nenhuma, em plena auto-estrada. Futebolisticamente falando, continua a meter os jogadores errados nos sítios errados nos jogos errados nos momentos errados. E, como Hermengarda, ele sabe qual é a opção certa. Mas resiste… a atracção pelo abismo é mais forte. Vukcevic a titular, Moutinho no meio, Djaló com Liedson, Izmailov sempre em campo. Isto é o Eurico de Paulo Bento. Mas ele continua a meio da ponte.

Porquê? Porque a teimosia é irmã gémea da insensatez. E porque sente-se inimputável. Não tem medo das consequências, porque não há consequências. O Sporting vive na era da impunidade. Os casos, os pontos perdidos, os erros tácticos e técnicos, o discurso taberneiro, a paranóia arbitral. Tudo isto faz mal ao Sporting. Penaliza o clube e os sócios. Envergonha a história da instituição. O Paulo Bento é irrelevante nesse cenário. Não representa nada. E alguém devia tornar isso claro ao senhor. Porque de tanto olhar para baixo, o Paulo Bento começa a ter muito pouca margem para fugir à força de sucção do abismo. O pior é que quando ele se atirar, leva-nos a todos na queda.

Saltou-me a tampa, Paulo!

Eu podia falar dos falhanços do Postiga. Também dos do Liedson. Podia falar do livre à Barcelona que desta vez não contou, embora tenha valido quando feito pelo Benfica, na Madeira. Podia falar da bola que quase entrou. Do nojo que sinto pelo antijogo e até dos barretes verdes que distribuíram à entrada do estádio.

Mas não quero falar de nada disto. O que quero dizer vai precisamente ao encontro do que tu disseste na conferência de imprensa: “Durante quarenta e cinco minutos não fizemos as coisas bem e por isso fomos penalizados no jogo, e porventura na classificação”.

Olha lá, Paulo, mas tu achas que nós somos estúpidos? E que tal se assumisses que voltámos a fazer 45 minutos de merda por tua única e exclusiva culpa? Explica-me lá, tu que até terminaste a conferência de imprensa a falar do Zanetti e da polivalência, a razão pela qual mexeste na equipa, deixando o Vuk e o Djaló no banco? Porque razão quebraste a dinâmica que estava a criar-se com a utilização de dois jogadores para as alas (Vuk e Izma)? Mas, não, tu tinhas que voltar a fazer merda e a insistir naquele modelo de jogo que nunca vai dar nada. A pôr em campo um patético Romagnoli, a deixar no banco um avançado em maré de fazer golos e a apostar num Caneira completamente fora de forma para a lateral esquerda da defesa, ainda por cima num jogo em que o adversário ia estar todo fechado e era imprescindível que os laterais atacassem! 

Sabes, Paulo, estou farto. De ti. E deste Sporting que não é o meu. Vou apoiar até ao final da época. Vou continuar a pagar quotas. Mas, no caminho que fiz do estádio até ao carro, decidi que, e mesmo que sejamos campeões, não volto a comprar Gamebox enquanto tu e mais uns quantos por aí continuarem. E olha que não é por causa da crise.

O Bloco de Notas do Gabriel Alves – Jornada 12

É um estádio bonito, novo… arejado

Sporting – Académica

Sábado, 20 Dezembro 2008
Estádio José Alvalade, 20.30

 

Uma humidade relativa, muito superior a 100%

Noite fria, a pedir casaco e cachecol. Ao olhar lá para fora, céu azul e sol a brilhar, não consigo entender a razão pela qual temos que voltar a jantar às 23h ou, se preferirem, porque não se marca o jogo para uma hora que levaria mais umas cinco mil pessoas ao Estádio.

 

A selecção do Mali tem um futebol com perfume selvagem e com um odor realmente fresco…

A Académica ainda não ganhou jogo algum fora de casa e só marcou um golo nas deslocações que fez. Com Garcés e Sougou fora de combate, ainda menos poder de fogo resta ao estudantes.

 

Este homem é um Mister

Haja paciência para o Domingos, um rapazola com a mania que é um grande treinador. Para mim, o gajo é e continuará a ser uma ferramenta ao serviços dos interesses “papais”, logo, não o curto.

 

Ele é excelente nestes lances porque a bola está morta e passa a estar viva

Sougou, esse mesmo que ajudou a golear-nos em Leiria, é a mais valia da Briosa. Mas está castigado.

 

A vantagem de ter duas pernas!

Quem não se recorda do Rui Nereu, apontado como futuro guarda-redes do Benfica e vá lá saber-se mais do quê. Pronto, é o terceiro redes da Académica, em mais um claro exemplo dos talentos formados na Luz.

 

E agora entram as danças sevilhanas da Catalunha

Paulo, este é um bom jogo para marcar pontos junto aos adeptos. Uma boa exibição será meio caminho andado para marcarmos alguns golitos e, consequentemente, terminar o ano com esperanças renovadas para 2009.

 

Vamos jogar no Totobola

Sporting – Académica 1