O estranho caso das bolas paradas

Duvido que algum Sportinguista ainda não se tenha questionado sobre se, em Alcochete, se treinam lances de bola parada. Eu confesso que, olhando para os nossos jogos, aposto no “não” como resposta.

Dizem as estatísticas que, desde que a época começou, já tivemos a nosso favor mais de 130 cantos. Dizem também as estatísticas que, desses momentos que resolvem cada vez mais jogos no “futebol moderno”, nós aproveitámos um, logo na primeira jornada, com uma cabeçada de Tonel.

É verdade que houve evolução, pois deixámos de marcar aqueles cantos patéticos à maneira curta, mas eu não consigo aceitar que não consigamos aproveitar estes lances. Como é possível, por exemplo, ter vinte cantos a favor, mais não sei quantos livres nas laterais da área, e não marcar sequer um golinho? Sim, isto aconteceu. Na Trofa.

E depois… os livres, um pequeno pormenor que em muito contribui para que a minha tolerância relativamente ao Roca seja zero! Já alguém experimentou deixar o Vuk e o Izmailov marcarem os livres? Já alguém pensou que é ridículo, quando temos cantos a favor, o Vuk raramente estar dentro da área?

Pronto, Paulo, a folha do bloco que te envio esta semana pede atenção a estes lances. Talvez seja uma mariquice minha, mas esta coisa chata de treinar cantos e livres pode render, pelo menos, 15 pontos no final do campeonato. E três podiam vir já amanhã.

p.s. – prometi a um dos nossos leitores, o Jedi, que explicava a minha teoria do 3-5-2 e, como o prometido é devido, aqui vai.
Patrício; Polga, Carriço e Miguel Veloso; Pereirinha, Moutinho, Adrien (ou Roca) e Izmailov; Vuk (completamente solto, a vir buscar jogo ou a criar superioridade nas laterais); Liedson e Derlei (ou Djaló)

A defender, e se fosse necessário, o 3-5-2 rapidamente passava a 4-4-2 (Pereirinha a recuar p def direito, Veloso a defesa esquerdo, Vuk a fazer de médio direito) ou a 4-5-1, com o Derlei ou o Djaló a descerem um pouco mais, para posição 10, deixando sempre o Liedson mais adiantado.

7 thoughts on “O estranho caso das bolas paradas

  1. Bem, parece que não sou só eu a ter os cantos e os livres no bloco de notas.

    O Klinsmann, treinador do Bayern, acabou de dizer isto: “Temos expectativas elevadas para a Liga dos Campeões, mas os jogos a eliminar são desafios. A eliminatória começa com cinquenta por cento para cada lado e pode ser decidida num piscar de olhos. Talvez num canto ou livre”.

  2. Cherbakov,

    O teu 3-5-2 era capaz de ser giro.

    Mas, o Moutinho jogava em que posição?

    Não concordo com o Roca, nem entre parêntesis.
    E não sei se a rectaguarda não é muito baixinha.
    (Atenção que tu sabes que eu não morro de amores pelo Tonel).
    E em caso de uma ou duas lesões, quem jogava aonde?
    Bom, o teu 3-5-2 é uma merda.

    A sério, não me importava que o PB fizesse uma experiência deste tipo.

  3. Quanto às bolas paradas, talvez o mais curioso foi o facto de termos marcado um único golo no 1º lance de bola parada que tivemos no campeonato…
    O registo tem sido muito medíocre e basta ver os golos de Luisão, Yebda, Katsoranis, Sidnei, Bruno Alves, Rolando (em Kiev), para perceber que esses lances dão pontos e campeonatos, pois resolvem jogos a equipas que jogam pouco.

    Quanto ao 3-5-2, há umas semanas escrevi isto neste vosso local. Refere-se ao jogo de Munique, mas gostaria de ver testado noutro contexto:

    “Para o lado direito, face a Ribery, apostava em Pereirinha, pois tem velocidade, não entra à queima, e sobe no terreno, colocando o Ribery em trabalho defensivo, algo que ele não gosta. Por outro lado, a defesa-esquerdo, o Bayern terá Lahm, um jogador muito ofensivo. Izmailov terá que estar em cima dele. Se o 1º jogo fosse lá, eu jogaria com uma táctica mais defensiva, tipo:
    Patrício
    Tonel; Carriço (ou Caneira); Polga
    Pereirinha; Veloso;
    Rochemback; Moutinho;
    Izmailov; Vukcevic (ou Derlei, caso fosse o Ninja dos tempos do FCP);
    Liedson;

    3 centrais (Klose e Toni assim o obrigam, para ficar alguém a ganhar a 2ª bola, pois a 1ª nunca será nossa), com laterais que defendem e são certos a atacar que sabem ter a bola e podem colocar-se no meio na ajuda aos médios centro (Roca e Moutinho lado a lado), tanto a defender como a atacar. Dois jogadores rápidos nas pontas, mas que são bons em trocas de posições, a alimentar um avançado móvel e letal (e como é óbvio, não será para jogar com centros para área, é inutil, face a Lúcio e Van Buyten ou Demichelis). O ataque sempre em constante moviemento.
    É só teoria…

  4. Sporting nfd 1907,

    O Moutinho jogava, e sem querendo entrar em comparações, numa posição semelhante à que joga o Xavi, no Barça, tendo no Adrien o médio mais defensivo

    Quanto à altura da defesa, acho que não há muito a fazer, mas podes sempre jogar com o Tonel, que acaba por ser o central mais forte no jogo aéreo.

    “E em caso de uma ou duas lesões, quem jogava aonde?”
    Depende das lesões. Ou queres que escolha eu os lesionados? :)

  5. No que diz respeito à defesa, precisamos mesmo de altura. Mas gajos com cérebro, não estilo, Alves. Luisão & Companhia.

    A minha preocupação, não só no teu esquema como também no losango actual, ou qualquer outra táctica adoptada, reside no facto do nosso banco. ser uma grande merda.
    E não digo fraco. Digo uma grande merda. Já imaginaste o teu 3-5-2 a funcionar porreirinho e de repente, por lesão ou cansaço físico (nunca por opção) ter que entrar o Ronny? O Romagnoli? O Peidenbach? O Piu Piu? E por aí fora?
    Creio que a linha que indicaste representa de facto a melhor equipa que o Sporting pode apresentar (em qualquer esquema). Ah, e era preciso convencer o Barbosa Russo e o PSV, que o puto gosta é de jogar à bola, e naquela, ou qualquer outra posição, não lhe falassem à mão.

    E agora, vou para os pastéis. Sem canela, mas com muito Sporting.

  6. Caros amigos,

    Posso vos dizer que os de Munique nem pensam na próxima eliminatória connosco…Por razões profissionais, tenho contacto permanente com essa malta.
    Para eles, preocupação só com Barcelona, Real Madrid e Manchester United. O nosso Sporting não é mais do que um degrau na escada.
    Mas também vos posso dizer que o Bayern tem jogado uma merda.
    Na jornada de hoje perderam por 2-1 em Berlim frente ao Hertha que assim chegou ao primeiro lugar relegando o Bayern para terceiro.
    Continua a viver da terrível eficácia de Luca Toni ( que se lesionou hoje ) e Miroslav Klose, bem alimentados pelo françês Ribery.

    Para os analistas tacticos, esta foi a formação Bávara de hoje:
    Rensing – Lell (Borowski 58), Lucio, Demichelis, Lahm – Schweinsteiger, van Bommel, Zé Roberto, Ribéry – Klose, Toni (Donovan 35)

    Bora lá borrar os dentes a estes também?

  7. Obrigado pelo esclarecimento Cherba.
    Não concordo muito com esse 11 (embora perceba as variações que ele permite). Eu escolheria mais um (3-4-1-2) que também permite todas as variações que falaste:

    ———— Patrício
    ——-Carriço Tonel Caneira
    Pereirinha Veloso Adrien Izmailov
    ———— Moutinho
    ————Liedson Vuk

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s