Quem é Pedro Souto?

Bem, para já para já, parece assumir-se como possível candidato à presidência do nosso Sporting.
Também já me disseram que é um óptimo gestor, capaz de criar o seu próprio negócio e com ele enriquecer.
Que não precisa de dinheiro.
Que é Sportinguista ferrenho.
E que é um nome capaz de ter opoio até do Abrantes Mendes.

Quem tiver mais informações, faça o favor de chegar-se à frente.
Quem achar que eu inventei o nome, veja a capa do Jogo.

Futebol sem balizas

Já aqui disse que não gosto do Carlos Queiróz.
Ainda assim, posso confidenciar-vos que, ontem, sofri como há muito não sofria pela selecção.
Se é verdade que aquela cabeçada do Cristiano Ronaldo, a um metro da baliza, tinha tudo para devolver a esperança de um apuramento para o próximo Mundial, também é verdade que vir falar de vinte e tal remates é conversa p enganar tolos. Desses vinte e tal, só três ou quatro foram reais situações de golo.

A Selecção joga bem? Sim, tem momento de bom futebol.
Mas ninguém me peça para entender como é que se aborda um jogo decisivo sem ponta-de-lança. Como é que o Nani não joga, mesmo que o Simão esteja em dia não. Como é que se prefere o Tiago ao João Moutinho (até o próprio Danny podia jogar ali, até o Deco entrar) ou como é que se mantém o Pepe, que até fez um bom jogo é verdade, a trinco até final, quando a equipa precisava de alguém que, mais do que recuperá-la, soubesse o que fazer quando a tivesse nos pés.

Eu gosto, mas…

betten

José Eduardo Bettencourt.
Ao que parece, pelo menos de acordo com a nossa imprensa desportiva, um forte candidato a assumir a presidência do Sporting.
Se me perguntarem se gosto desta possibilidade, sim gosto.
É um nome que me faz recordar vitórias no campeonato.
É um homem que, por mais do que uma vez, mostrou que gosta do Sporting e, muito importante, gosta de futebol.
Mas… será que Bettencourt vai ser um candidato da continuidade?
Este é um dilema: gosto da pessoa, mas não sei se me apetece que continue tudo na mesma.

Olha que dois

Como qualquer sportinguista que se preze, Sá Pinto e João Vieira Pinto compreendem perfeitamente a atitude de Pedro Silva, na final da Tacinha da Vergonha.

“A frio é fácil analisar. Quando estamos sentados no sofá não temos noção do cansaço e da emoção que se vive dentro do campo. Quem é que nunca cometeu excessos? Quem está lá dentro é que sabe!”, diz JVPinto.

“Se calhar, na minha cabeça, tinha sido 30 ou 50 vezes pior. Logicamente que os jogadores têm responsabilidade perante todos os adeptos, mas é uma grande frustração saber que não se cometeu qualquer tipo de erro e, daí, ser expulso, ainda para mais numa final”, diz Sá Pinto.

Entretanto, o Pedro Silva foi premiado com um cartão de sócio honorário da Juve Leo.

O Louco volta a atacar

Stojkovic voltou, ontem, em Belgrado, a mostrar incompreensão por não ser a primeira escolha na defesa das redes – agora, do Getafe. O guardião, cedido pelo Sporting, ao qual está vinculado até 2012, ao emblema espanhol, onde, diga-se, ainda não teve oportunidade de jogar, revelou ter questionado o treinador Victor Muñoz sobre a sua parca utilização, mas a justificação não convenceu Stoi.

“Falei com o treinador e perguntei-lhe o porquê de não jogar. Disse-me que não conheço suficientemente a Liga espanhola e a língua. Não entendo a explicação. Resta-me trabalhar e esperar uma oportunidade”.

in O Jogo

Deus, Buda, Alá, sejas tu quem fores, obrigado por não me teres deixado ser lampião

ferrari1

O árbitro assistente que apoiou Lucílio Baptista na controversa decisão de assinalar grande penalidade contra o Sporting na final da Carlsberg Cup, disputada com o Benfica no Estádio Algarve, ganha a vida como 1.º Sargento de Infantaria do Exército e reside no concelho de Setúbal, onde, segundo O JOGO apurou, é conhecido pelo seu… benfiquismo, que não reprime nem mesmo no curso de árbitros. A afeição pela cor forte do emblema da Luz – o encarnado – levou inclusivamente a que Pais António recebesse a alcunha de “Ferrari”, numa alusão directa aos modelos (e à cor) de referência da famosa marca italiana de carros de alta cilindrada.

p.s. – a capa daquela merda intitulada A Bola, dá voz a um dos jogadores mais patéticos de que tenho memória, mas pelo menos ficamos com a certeza de que, para aquela espécie denominada lampiões, a vitória de sábado teve um brilho imenso. Tenho tanta pena em viver num país onde a maioria das pessoas simpatiza com tão real poia de clube e de espírito…

p.s.2 – a conferência de imprensa dada pelos lampiões fez-me vomitar a noite toda. E transformou o João Gabriel no novo “malheiro desta vida” ou, se preferirem, num dos dez gajos mais ridículos de Portugal.