O duelo

De um lado, o homem do passado. O Tó. O homem que quase faliu uma empresa, que ajudou a quase falir um banco, um homem que lutou, qual D. Quixote, contra o sistema… até perder os berlindes e desistir da missão porque… “os sócios não gostavam do meu treinador” . Um cooptado. Um homem, cuja família de tanto procriar entre si, deixou-o no final da linha, com os genes do fundo do poço… uma característica que afectou para sempre a sua já mítica eloquência. Por simplicidade de linguagem, chamemos-lhe “o velho”.

Do outro, o homem do presente e, provavelmente, do futuro. O Tiger Woods do Estoril. Mas branco. O menino sempre gozado na escola pela sua desproporcionada altura. O antigo director-desportivo do Estoril, que tinha Fernando Santos como treinador, o mesmo que quis despedir pelas costas já no Sporting. O homem do sistema… do futebol, do poder, da banca. O construtor civil que gosta dos prazeres simples da vida… para quem o Sporting é uma “loucura” de um adolescente que nunca cresceu. Por simplicidade de linguagem, chamemos-lhe “o bêbado”.

Unidos pelo Sporting, separados por guerras de poder entre os bancos concorrentes. Nunca deram motivos de orgulho aos sportinguistas, só razões de vergonha. Hoje, enfrentam-se, no que poderá ser o “ground zero” do clube: são ambos responsáveis pelo estado a que chegou o clube. São ambos fantoches que agora querem cortar os cordéis e assumirem a vontade própria. Teme-se o pior…

o Cacifo acompanhará este duelo deprimente… com as actualizações possíveis…

22h02: “o sr. dr. Dias da Cunha”, Soares Franco começa ao ataque.
22h03: “desejo que o debate se comporte com lisura”, Soares Franco também tem o tal problema dos casamentos entre primos… malditos genes! Entretanto, a explicação do costume sobre como o referendo é mais fixe, mais democrático e não temos de aturar o povo, que é chato e obriga-nos a ouvir as parvoíces que eles dizem lá na taberna…
22h07: “dr. Soares Franco”, diz mais calmo o “velho”, que já deu um raspanete ao “bêbado”… e promete contar histórias mais logo (talvez noutro local, imagino). Cita cartas, lembra e relembra AGs do passado, sabe quando saiu da presidência, está em forma o “sr. dr.”… E toma lá uma ganchada de direita, bem na queixada do Franco: recorda a assumida falta de competência e vontade do adversário para ser presidente do Sporting.
22h12: “Temos de falar do buraco”, interrompe Franco. Esperemos que isto não descambe num debate sobre golfe.
22h13: “um dia, pelas nove da manhã, entrou no meu gabinete…”, Soares Franco relembra as coisas bonitas do passado de ambos.
22h14: falam de cartas, pedidos para isto, para aquilo… enfim, duas comadres a discutirem as manchas de líxivia na roupa estendida…
22h15: Soares Franco já ajudou duas vezes o “velho” a citar nomes… se estes homens não são amigos, não sei o que são… “toda a gente pediu para o sr. dr. não se ir embora”… isto ainda vai acabar numa supercandidatura, de duas cabeças, qual delas a melhor…
22h18: o Dias da Cunha já está nos seus habituais patinanços… mas o Soares Franco não ataca, pelo contrário, continuam amigos como até aqui.
22h20: “Vou para Moçambique e quando voltei, tudo tinha mudado”, diz Cunha… lembrando os amores perdidos depois da guerra do Ultramar.
22h20: “É o único presidente da Europa que sai quando sai um treinador, não existe, não existe, não existe”, ataca o “bêbado”… Defende-se o “velho”, com “a campanha que estava montada contra o prof. Peseiro”… Soares Franco diz que se passa o mesmo com ele agora… “são as mesmas pessoas”… Isto já está no campo do octáviomachadismo… Que cumplicidade!
22h22: “vamos ao buraco”, dizem os dois em uníssono! Genial, o momento da noite até agora!
22h23: estão os dois a conduzir o debate… já ignoram olimpicamente o rapaz que está entre eles…
22h25: citando uns papéis, Soares Franco diz: “em Fevereiro, que era Março (apontando para outro papel)”… são estes pormenores de calendário que fazem toda a diferença na gestão deste homem.
22h27: “pode ser até o lease back!”, argumenta, e com a razão que lhe dá um argumento deste género, o ainda presidente.
22h28: “ó dr Rui Meireles”, diz o “velho”, recuperando rapidamente um “sr. Soares Franco… ai os berlindes…
22h30: a minha TV Cabo diz-me que “o cartão expirou”… estes lampiões estão em todo o lado! Mas inconsequentes, como habitual, continuo a ouvir o Dias da Cunha a dar uma seca monumental sobre como os bancos mandaram no seu mandato. Soares Franco espreita uma oportunidade (“ah sim? tem a certeza?”) para devolver a ganchada de há pouco.
22h32: “pau, pau, pau”, sublinha o “bêbado”.
(interrompo o acompanhamento em directo… isto está a ser tão mau, pior do esperado, que preciso de alguma ajuda externa… voltamos dentro de momentos, depois do visionamento integral em diferido).

(regressamos, já devidamente preparados mentalmente… seguimos até ao fim, com um prudente “time lag” de vinte minutos, para evitar, à americana, um indesejável mamilo de fora…)

22h35: “o sr. dr está brincar com o contrato que assinou”, repete quatro vezes Soares Franco, recorrendo à velha táctica do contra-argumento exaustivo…
22h36: “exactamente…”, replica Dias da Cunha, reforçando o argumento do adversário. Em causa o valor das vendas de património… entretanto, confusão total sobre o buraco e a opinião de Rui Meireles, um  escravo para um, um cobardolas para outro.
22h38: “sabe que não cumpriu”, quatro vezes, novamente. “dr. Soares Franco!”, reprimenda do Dias da Cunha, já sem qualquer controlo emocional e de raciocínio completamente enrolado, numa recuperação da falta de discernimento público que pautou sempre a sua presidência.
22h40: “o sr. não sabe de Direito, pois não?”, acusa o “velho”. Soares Franco ri-se, numa demonstração de total paternalismo… de um lado, a loucura, do outro a traquinice… o Sporting esteve em tão boas mãos durante estes anos…
22h42: “eu troco números e o sr. engana-se nas palavras que diz”… resume, de forma supreendentemente clarividente, Soares Franco… está tudo dito.
22h43: “tem”, “não tem”, “tem”, “não tem”, “teve”, “não teve”.
22h44: “não!”, perde a paciência Dias da Cunha, por causa do balanço consolidado, o assunto que mais horas de sono tirou, nos últimos anos, aos adeptos e sócios sportinguistas…
22h46: “Chega?”, mais quatro vezes… esta merda está estudada…
22h46: “Temos apenas 13 minutos para falar do futuro”, diz o rapaz entre os dois gigantes da dialéctica financeira. O balanço do debate está feito…
22h47: “espolhiar?”, pergunta o “bêbado”. “Espoliar”, responde o “velho”.
22h49: “mas o que é que é espoliar?”, insiste o “bêbado”. “Espoliar é tirar de dentro do Sporting, por valores absolutamente despropositados, o que ainda resta do Sporting. É isso”. Momento especial…
22h49: “onde está a garantia que o Sporting não perde a maioria da SAD?”. “Está aqui…” Ah, bom.
22h50: Soares Franco dá uma explicação absolutamente genial sobre como o clube fica com o dobro da participação na SAD que tem agora, na sequência da sua proposta… Inacreditável momento de ilusionismo, em directo para uma audiência nacional…
22h51: “empréstimo intercalar de 20 milhões de euros. Subscrito por quem”, questiona Dias da Cunha, finalmente! “Pelo Sporting”, responde o presidente. “Não está dito”, contra-ataca Dias da Cunha. “Pois, tá bem”, encolhe os ombros o presidente… um pormenor, claro, para este visionário…
22h52: Alternativas da oposição? “renegociação com a banca, ú, ú, ú, ú”, responde o chefe da pandilha de opositores… ora aqui está a revolução! E já há grito de guerra!
22h53: “os jovens que têm insistido no pedido da apresentação das contas”… “são os Leões da Verdade”, diz Dias da Cunha, com algum desdém… mas corrige “revejo-me nisto, sim”.
22h54: “se eu baixar de dois para um, passa para metade”, vomita Soares Franco. O outro diz que “não é necessariamente assim”.
22h55: “há sempre uma viabilidade… e a única que o Sporting tem é vender jogadores e destruir a formação”, ameaça o chantagista Soares Franco.
22h56: “o dr. Soares Franco não quer um clube, quer uma empresa”, acusa o “velho”. Recusa o “bêbado”. É o ponto fulcral disto tudo, mas rapidamente desaparece da discussão, dando lugar à problemática de uma carta pessoal trazida para o debate.
22h57: “o que eu não quero é um clube restringido a metade dos custos do Porto e do Benfica”… a câmara filma os números: Sporting 18,4, Porto, 31,4 e Benfica 27,8… ora 18,4 é metade de 36,8… hummm… o conceito de metade mudou significativamente em apenas três minutos.
22h58: “não diga asneiras”, descredibiliza Soares Franco sobre a intenção de fazer do clube uma empresa… coisa que o próprio já admitiu várias vezes… Tem razão, são asneiras…
22h59: “ó homem…”, pede o “velho”. “o sôtor vê-se que não sabe um número de quando lá esteve”, ataca o presidente… “a este distância…”, desculpa-se o “velho”. “é que nem se lembra de nada!”… continua o “bêbado”. Degradante…
23h01: “do dr. Soares Franco como pessoa, não me separa nada”… pois…
23h03: o Dias da Cunha continua a falar sozinho, “peça, peça, peça”… agora debatem conceitos como resultado, saldo, balanço, “ai, é falso”, é inacreditável…
23h03: “isto é uma tristeza”, concordam os dois. Quando os próprios percebem isto, pouco trabalho resta aos observadores… acaba aqui esta palhaçada.

De um lado, um homem senil, incompetente e totalmente acabado. Do outro, um homem desonesto, prepotente e alimentado a um daqueles combustíveis que fazem suar as estopinhas do buço. Falou-se de merdas contabilísticas, cartas, houve momentos de aritmética e língua portuguesa. Não houve uma palavra sobre visão, estratégia, futebol, modalidades. Ambos tão maus, tão maus, que nem inspiraram os próprios filhos. Nas palavras dos artistas, “uma tristeza”… Ninguém ganhou, obviamente, porque não havia nada para ganhar. Perdeu o Sporting… e ficou com uma imagem pior que a de Munique…

17 thoughts on “O duelo

  1. Depois de muitos anos de Sporting, é com grande pesar e, acima de tudo, VERGONHA, que vejo esta luta de galos, este lavar de roupa suja na praça pública.
    Um só lesado, o SPORTING CLUBE DE PORTUGAL.

    ps: também é muito deprimente este post, bem como a vossa ansia de ver sangue num amor que também é vosso.

  2. Cantinho,
    nem te digo nada. Espera…talvez “vai para a puta que te pariu” exprima o que sinto depois de ler o teu post scriptum. Se achares que não fui suficientemente explícito, podes apenas ir para o caralho. E no percurso, levas o bêbado e o velho se fazes favor.
    Douglas,
    Obrigado.

  3. Cantinho… tu vives num mundo só teu, não vives? Pronto, continua caladinho, só abrindo a boca para criticar quem não aceita ficar calado perante a degradação do clube…

    Douglas,
    quando, um dia, fizermos o best of do Cacifo, este post vai lá estar.

  4. Cintra, ainda tentei ver o duelo. Queria fazer como o post e ir actualizando o resultado para animar a tua viagem! Ainda para mais, num duelo de gagos! É como se antes de cada palavra se ouvisse o rufar do tambor. Puro suspense! O que será que ele vai dizer a seguir? Car… nificina? Car…naval?
    Car… alho é pa esta merda. Nem fiz um delay foi mudar de canal passados 5 minutos. Acho que ia na altura do contra-argumento exaustivo….

  5. (Desculpem o copy-paste):
    Quem ontem viu o debate e não conheça a história recente do clube não diria que estiveram frente as 2 figuras mais importantes dos executivos recentes do Sporting. Nada mais nada menos que o anterior presidente e o actual, mas, mais importante, o anterior presidente e o seu vice-presidente substituto.

    Mas houve algo que ficou bem claro: Dias da Cunha não se lembra e não parece saber muito bem para onde levava o Sporting. O passivo, ao seu tempo, era monstro de apetite insaciável e não parou de engordar. Não deixou de ser surpreendente ver Dias da Cunha com perguntas dos nossos consócios do Leão de Verdade. As alianças no Sporting podem ser mais surpreendentes que um argumento de Hitchcok. Porque não ajuda Dias da Cunha a responder a alguma perguntas que eles muito bem têm feito? Surpresa, ou talvez não, foi também a aparição do sinistro Meireles, que depois de sacar, sugar e mamar, ainda tem o desplante de dizer o contrário do que escreveu e assinou. Não percebo é como, de repente, todos aparecem juntos. O que é nisto tudo uma guerra pessoal e os verdadeiros interesses do Sporting?

    Estranho porém a posição de F.S.F.: que andava ele lá a fazer? Não era afinal o nº2 na hierarquia? Percebemos que foi uma surpresa para FSF deparar com o buraco de 16 milhões na tesouraria, por incumprimento do acordo de alienação do E.V.A. (Afinal o promitente vendedor do património sempre foi Dias da Cunha?). Como pôde assistir de poltrona a tudo o que a agora parece discordar? E cada vez que fala FSF parece dizer o contrário do que pensa e do que, pelos vistos, escreve. Os sócios e o ecletismo são uma maçada para ele. Concordo porém com 1 ponto: com este passivo não seremos nunca competitivos.

    Nem FSF nem Dias da Cunha parecem ter percebido bem porque se afastou Ernesto Ferreira da Silva. Estamos a falar do Presidente do Conselho Fiscal à data. Será que ele, mais do que ninguém, sabia que o passivo, a onda enorme que continuava a crescer e que ameaçava arrasar tudo à passagem, era água de mais para o navio dele? A sua retirada da sucessão dinástica a Dias da Cunha não foi o salto do 1º rato, a que nem o lustro de ser o Presidente do Centenário conseguiu demover? Ernesto Ferreira da Silva tem-se esquivado a cargos executivos e saiu-se muito bem com a realização do Congresso. Mas como Presidente de um órgão fiscalizador o seu silêncio foi demasiado comprometido e comprometedor.

    Em todo o debate uma profunda ausência dos sócios. Em nenhum momento os contendores pareceram ter em conta aqueles que representaram, mesmo que Dias da Cunha nunca tenha sido eleito. Este debate mais pareceu um novo argumento para uma nova versão do Navio Fantasma: o Sporting tem tido presidentes, mas falta-lhe há muito um comandante. Alguém a quem nós, os que viajamos esquecidos no porão, consigamos confiar que não nos deixará encalhados num rochedo qualquer.

  6. Diniz,
    o termo “deprimente”, embora usado em atencipação ao teu comentário, enquadra-se perfeitamente com a forma e conteúdo com que te dirigiste a elementos da minha familia.

    Cherbakov,
    talvez tenha sido um pouco severo na análise ao post (à hora que eu escrevi ainda só estava postado a introdução e não o resumo). mas talvez tenhas razão quando dizes que vivo num mundo só meu. não digo que seja só meu, é, simplesmente, diferente. é um mundo onde não entra o insulto facil e de baixo nivel que nem sequer devia ser levado em conta. para vocês é dificil lidar com alguém que vos critique ou tenha opiniões diferentes. já não é a 1ª vez que aqui sou insultado sem nunca ter dado o mesmo troco como resposta (lá está, um mundo só meu, diferente). como tal, quem está mal, muda-se. e eu é que estou aqui mal.
    com muita pena minha, deixarei de frequentar este espaço desejando o seu crescimento e a melhor das sortes na busca de um Sporting melhor.

    ainda assim, um abraço

  7. Mas alguém tem pachorra pó politicamente correcto do gajo do cantinho da família ofendida, ele próprio já anteriormente ofendido por insultos fáceis e de baixo nível? Que deprê! Melhor: Que deprê! E agora puxa de ameaças… deve deixar de frequentar este espaço para ir lá pó sitio que o Dinis o mandou. Embora no fundo deva continuar por cá, mas caladinho (e sim! não fui práqui chamado, mas eu também tenho um mundo só meu!)

  8. Douglas,

    Representaste bem o que se passou no “debate”….loooooooooool

    O velho não dá uma para a caixa e nem conseguiu apresentar qualquer argumento para dizer que o plano de reestruturação é mau. Simplesmente diz que não !!!

    Soares Franco não consegue cativar os sócios, apesar de me parecer perceber de gestão e de ter conseguido manter o SCP à tona da água apesar da gestão ruinosa do Velho.

  9. Grande post!!! Cantinho, acho que já viste que os insultos aqui no blog não são propriamente ditos a sério por isso não fiques chateado!!!

  10. Cantinho,

    tu não nos percebes. Eu já tinha ficado com essa sensação em lamúrias anteriores, mas agora fica claro: tu não nos percebes.
    sim, este blog é frequentado por gente demasiado voluntariosa na reacção à crítica. Diz o ditado que “quem não se sente, não é filho de boa gente”. Pois bem, perdoa-nos a presunção, mas aqui a malta é toda filha de gente do mais alto gabarito. Aqui sente-se muito. Bué.
    Devem contar-se pelos dedos da mão esquerda do Álvaro Magalhães a quantidade de cacifeiros e/ou comentadores que nunca foi literariamente ofendida por um interlocutor. Eu, por exemplo, se me chamarem “imbecil”, já recebo o epíteto como uma medalha (esta frase tem um anacoluto, que giro). E gosto dessa medalha. Não me ofende. “Imbecil” é uma expressão que ornamenta muito bem uma tomada de posição mais radical em reacção ao que que eu escrevo. E não vejo mal nisso.
    Enfim, tudo isto para dizer-te que me sinto constrangido por perceber que não aceitas as regras. Que vês em tudo um insulto, um atentado à dignidade humana, um “bas fond” de gente alarve que não sabe aceitar as posições dos outros. Ironia: nunca censurámos um comentário. E nutrimos, até, um carinho especial por alguns comentadores residentes que não hesitam em atirar-nos uns calhaus aos cornos, quando acham que merecemos. E chamam-nos “imbecis”. E nós chamamos-lhes “imbecis”.
    A ti, como não nos percebes, não posso chamar-te imbecil.
    É pena. Tinha-me poupado 1447 caracteres.

  11. Nada! Foi isto que José Roquette concluiu ser o resultado do debate na SIC Notícias que anteontem opôs Dias da Cunha a Soares Franco – seus sucessores na presidência do Sporting. Momentos antes de ontem tomar assento em mais uma reunião do Conselho Leonino, no auditório do Estádio José Alvalade, o antigo líder do emblema leonino não foi meigo nas palavras e deixou bem patente o seu desagrado perante toda a situação que, sustenta, nada acrescenta à instituição e seus seguidores e só prejudica o ambiente em redor do clube. “Foi deprimente!”

    na edição de hoje do jornal O Jogo.

  12. Gente boa uma saudaçao para todos, em especial pó cantinho jejeje

    quero deixar apenas duas ideias, que sao na verdade elogios……a esta altura ja estarao mais intrigados q eu com algumas das vossas vendas……..jajaj

    bem a primeira vai pó Douglas que até onde entendi é o autor desta hilariante peça. Fantastico como eu me ri….espero q tenhas essa capacidade para encarar a vida

    a segunda vai para todos os verdinhos: so para vos reconfortar com a convicçao q voces tem uma grande escolinha, só nisso posso permitir me dizer que na minha opiniao sao os maiores de Portugal. Quero acreditar que em parte esteja ai a vossa projecçao para o futuro, mas por favor peçam aos vossos bebados e velhos para nao venderem adolescentes.

    viva o porto carago

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s