Campeão?

fruta

15ª jornada: Primeiro golo em fora de jogo contra o Braga, que ainda viu dois penaltys não assinalados.
17ª jornada: Golo do empate contra os lampiões num penalty inexistente. A 20 minutos do fim.
18ª jornada: Golo da vitória, a cinco minutos do fim, com Farias a fazer falta sobre o defesa.
19ª jornada: Segundo golo num penalty inexistente sobre Hulk e numa altura em que só havia Paços em campo.
21ª jornada: Goleada em Matosinhos, onde havia salários em atraso e o guarda-redes não se fez a uma bola…
25ª jornada: Penalty contra por assinalar, à beira do intervalo. Contra a terceira melhor defesa da liga em casa.
26ª jornada: Contra recém assalariados, jogo empatado até à saída dos dois melhores jogadores do adversário.

Normalmente, sou o primeiro a dar os parabéns aos adversários quando ganham. Normalmente. Este campeonato foi tudo menos normal. Foi uma liga com dois asteriscos. Um, para o primeiro clube da história do futebol português que admitiu a culpa num processo de corrupção (não recorrendo da punição, descontando seis pontos num campeonato ganho à larga, quando devia ter andado a travar duelos, esta época, com Santa Clara, Leiria e Olhanense). Outro, para o clube mais beneficiado pela arbitragem, nunca prejudicado na segunda volta (bizarro, quando temos os piores árbitros da Europa) e que lançou a sua rede de influências por tudo o que era casa sem pão. Mas onde hoje haverá, seguramente, fruta.

Neste momento, nos Aliados, não se festeja a superioridade desportiva nem o mérito futebolístico. Festeja-se a sensação de impunidade total. Festeja-se uma identidade clubística baseada na mais pura mentira.  

(E não esqueçamos a cumplicidade do nosso presidente com esta vergonha… se há razões para uma revolução em Alvalade, esta é em absoluto a mais importante).

10 thoughts on “Campeão?

  1. Isto assume maior importância se pensarmos que na primeira volta uma vitória do SCP em Alvalade sobre estes fdp, e TODOS os outros 27 jogos com o mesmo resultado, neste momento estaríamos em 1.º

    Prova da regularidade onde um clube (fdp) é empurrado para cima quando precisa, e o outro com um terço do orçamento(SCP)para baixo quando incomoda, e mesmo assim, apenas um jogo faz a diferença.

    Esta época correu mal. De um presidente paneleiro e ausente, até um treinador demasiado teimoso para continuar. De um losango nojento às princesas do plantel, que era curto e mal montado. Mas:

    – Vitoria na Supertaça limpinha;
    – Eliminado da Taça por uma roubalheira incrível, e apesar disso, só nas gp;
    – Oitavos da CL, com uma 1ª parte de nivel contra o Bayern (depois uma humilhação total e inesquecível);
    – Roubados na final da Taça da Liga;
    – Resultado diferente em apenas UM jogo no campeonato e eramos campeões, e somos tetra dos clubes honestos.

    Sem ser o resultado do Bayern, no resto fomos roubados nos momentos cruciais de cada competição. Não dá para taças, e ficará na memória apenas os 12-1 e talvez o “oh lucílio já tás a roubar”.

    Somos um clube de anjinhos e cavalheiros. E competimos contra mafiosos e filhos da puta. E normalmente perdemos nesta luta, e aposto que estamos todos cansados da mesma historia ano após ano.

    Nos últimos 15 anos (5+SCP+Boavista+SCP+2+slb+4), o Porto não ganhou quando outro clube usou as mesmas armas, ou pelo menos, quando enfrentou de modo mais agressivo nos bastidores.

    Luis Duque pelo Sporting, Clã Loureiro pelo Boavista, e Veiga/Cunha Leal pelo Benfica. É ter de lutar nos bastidores, foder os esquemas. É pressionar quem decide para equilibrar. Não é preciso comprar arbitros mas sim deixar claro que levarão nos cornos se são comprados por outros. O mesmo para quem avalia.

    O meu voto nestas eleições vai para quem mostrar que entrará nesta luta. Porque está provado que só assim é possível bater este porto nojento.

  2. Totalmente de acordo com o post. Não posso dar os parabéns a quem ganha como o fcp tem ganho.

    Este ano foi incrível. Desde a quantidade de jogos em que fomos prejudicados, às decisões absolutamente inacreditáveis que se assistiram (penalty logo na 1ª jornada e cartão amarelo ao RP no jogo com a Naval aos 37 minutos por estar a queimar tempo!!!), à ajuda sempre que necesessária quando o fcp não conseguia resolver ou parecia que ia cair.

    Claro que também demos tiros nos pés mas ainda assim encontramo-nos a 6 pontos. As derrotas em casa com o Leixões e o Braga e o empate com a Académica são resultados que nos custaram caro (o jogo com o fcp é de tripla).

    Por isso é que não posso concordar com a “superioridade” do fcp ou a sua “regularidade”. Basta ver o registo do fcp em casa.

    Como diz o Careca:

    “Somos um clube de anjinhos e cavalheiros. E competimos contra mafiosos e filhos da puta. E normalmente perdemos nesta luta, e aposto que estamos todos cansados da mesma historia ano após ano.”

    O que nos falta é alguém que faça ver que não nos podem desrespeitar, como ainda este fds aconteceu. Alguém acredita que o episódio entre o Duarte Gomes e o Ricardo Peres teria acontecido noutro estádio? E depois ainda temos o panasca do Presidente do SCP a receber o filho da puta do bimbo na Tribuna. Eh pá puta que o pariu! E aquela corja é incapaz de protestar quando somos roubados contra o fcp.

  3. Também eu não consigo dar os parabéns, e irrita-me que digam que merece porque foi mais regular. A regularidade deles reina há 20 anos. Mas não é dentro de campo.

  4. Pingback: Blog da Ater aparece na 27º posição no Wordpress! « Criação de SItes

  5. Essa contabilidade é deprimente, vamos mas é olhar em frente.

    Não esquecer os aspectos positivos:
    -Mantém-se formação activa;
    -Pereirinha cada vez mais sólido;
    -“Ganhou-se”, talvez, Vukcevic;
    -Os lampiões também gamaram, e ficaram bem atrás;
    -Rui Patrício mais maduro;
    -Parece até que Ronny “renasceu” (vá lá, melhor dizendo: “nasceu”);
    -Apesar de tudo, apuramento para a pré da Champions (futuro próximo não-hipotecado);
    -Eleições com diversidade de candidatos à escolha (para todos os gostos, depois não se queixem…);
    -Mais um ano em que Polga mostrou tudo o que não vale, o que torna as probabilidades de continuar a jogar cada vez menores (central, PRECISA-SE!!!);
    -Orçamento baixinho, comparado com os dos rivais;
    -Gestão que, sendo criticável, pareceu ajuizadinha nas despesas, sem as megalomanias dos vizinhos que compram treinador caro, e despedem-no ainda mais caro….

    Ou seja, caros amigos, não foi espectacular, mas podia ser bem pior. Podíamos ter um Rui Costa e um LFV (quais “Polgas” carracentos) de pedra e cal para o futuro próximo; podíamos ter que nos contentar com a UEFA (sem “pré”) e as espectaculares manchetes dos pasquins da praça; podíamos estar-nos a queixar de não conseguir roubar tanto quanto o vizinho de cima (e a honoranilidade agrada-me, mesmo que não renda em títulos, ou seja, antes anjinho e cavalheiro que mafioso e filho da puta, pegando nessa bem conseguida metáfora do Careca).

    Claro que é preciso um pouco mais de “pica”. Um pouco menos de conformismo. Um pouco mais de efectividade nas acções de bastidores (e não estou a falar em roubar). Um pouco mais de mediatismo, e não apenas da parte do treinador.
    Mais mística e menos contabilidade (sendo que a matemática também é importante).

    Até podia haver um FSF presidente, mas tipo honorário, com algum dirigente do futebol, com protagonismo e autoridade, um pouco mais “activo” que aquele.

    Enfim, toca a retocar que isto ainda vai lá.

    Rugidos de Optimismo!

    Ou a vã glória de ser “Coração de Leão”

  6. TRETA

    NOTA PRÉVIA
    O meu Sporting mostrou debilidades ao longo do campeonato e dificilmente pode parecer a alguém que merecesse ser campeão, mas de facto num país normal tinha-o sido de forma completamente folgada, apesar de não apresentar um futebol brilhante, mas para Portugal chegava e sobrava.
    O nosso melhor jogador não jogou nos primeiros jogos por lesão (Liedson).
    Izmailov que tinha tudo para ser o melhor centro campista em Portugal, conseguiu ser brilhante mas apenas conseguiu fazer meia época entre lesões.
    Vuk que tanto potencial tem, acabou apenas por jogar (e bem) em meia dúzia de jogos, já que começou por estar castigado e depois lesionado.
    Djaló que muito evoluiu, estava forte mas apagou-se.
    Polga que tinha feito 2 campeonatos categóricos teve fases em que não esteve bem.
    Os 4 reforços que pareciam 4 valores seguros, por esta ou por aquela razão, acabaram por não acrescentar a mais valia que se esperava: Rochemback, Postiga, Caneira e Grimi.
    Miguel Veloso que poderia ter explodido, envolveu-se em problemas e perdeu a influência que já conseguiu ter.
    Romagnoli que tinha feito excelentes segundas voltas nas duas últimas épocas, passou todo ano irreconhecível.
    Claro que agora muita coisa positiva havia a dizer, mas neste texto estamos a falar de debilidades, como se pode ler logo na primeira linha do texto; e o Sporting teve-as… como todos.

    O CONTROLO E MANIPULAÇÃO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO
    Antes de mais é preciso desmistificar a autêntica campanha de pura propaganda que se seguiu ao melhor jogo da época do FCP: o tão festejado empate em Manchester.
    Esta campanha durou uma semana e ocupou horas e horas em todos os canais de TV e Rádios, encheu jornais e jornais e “lavou o cérebro” a grande parte dos Portugueses; fazendo crer que o FCP era uma equipa muito melhor do que as outras equipas Portuguesas e só por esse facto era um campeão nacional inquestionável.
    O problema é que não se disse que o Manchester jogou com uma segunda equipa e com menos de 48 horas de descanso.
    Mas como o que se está a tratar é do campeonato Nacional; nesse, se soubermos separar as águas o FCP esteve muito longe de ser brilhante.
    Não houve por exemplo no FCP um avançado como Liedson (o melhor jogador do nosso campeonato) ou mesmo como Néné; já que Lisandro fez uma época muito abaixo do costume.
    No meio campo onde Lucho era rei, temos que convir que esteve a época quase toda muito apagado.
    O Rodriguez até ao “Natal” era assobiado; e figuras como Sapunaru, Stepanov ou Pedro Emanuel autênticos buracos.
    A equipa foi melhorando, com mais entrosamento, mas não deslumbrou.
    E temos que ser honestos e constatar que sempre que a sua posição estava em perigo, apareceu a “ajuda divina” das arbitragens; e curiosamente aparecia ao mesmo tempo um forte “empurrão para baixo” a quem os incomodava.
    São factos que não se podem negar (e mais à frente no texto vão aparecer exemplos) e que só as mentes mais estúpidas podem constantemente desculpar com argumentos do tipo: “o FCP é muito melhor, porque empatou com o Manchester (Manchester B) e o Sporting foi goleado com o Bayern ou o Benfica com o Olympiacos” (a tareia que o Arsenal lhes deu evaporou-se!)
    “Só o FCP é que dá pontos a Portugal” (completamente falso).
    Isso não cola.
    Ainda agora o Barcelona foi golear o Real Madrid a Madrid por 2-6 e sabemos perfeitamente que o Real é muito melhor que qualquer equipa Portuguesa.
    Importa ainda sublinhar o exército de jornaleiros e fazedores de opinião, os chamados “rapazes da casa”, que vomitam lavagens cerebrais nos média pró-FCP e muitas vezes como é evidente e por efeito “bola de neve” as oposições dentro dos rivais aproveitam para ganharem dividendos.
    Os pobres maltrapilhos de alguns adeptos do FCP, ainda esta época passaram de um estado em que não podiam ver o treinador Jesualdo à frente, ao ponto de afirmarem (até por escrito) que enquanto treinasse a equipa não viam mais nenhum jogo e muito menos iam ao estádio; para a uma dada altura afirmarem com todas as suas bocas com escorbuto que era melhor que o Mourinho.

    A LEGIÃO DE “EMPRESTADOS”
    O poder económico que o FCP conseguiu acumular com “30 anos de sistema”, que nos levaria horas a escrever agora… permite-lhe controlar e manipular cerca de metade das equipas do nosso miserável campeonato.
    Assim sendo não é preciso explicar, pois não andamos a dormir e sabemos perfeitamente como decorre o nosso campeonato.

    O PESO DA ARBITRAGEM
    Foi gritante a diferença de tratamento que existiu nas arbitragens.
    Aos olhos de todos, foi claro um evidente corporativismo dessa classe contra o Sporting.
    Um exercício interessante é rever todos os jogos do Sporting no campeonato; e mesmo em alguns onde os nossos rivais possam dizer que fomos beneficiados; é muito interessante verificar que é impossível até ao mais fanático adepto rival indicar um jogo onde um eventual benefício ao Sporting não tivesse sido um lance perfeitamente isolado no contexto do jogo em causa; muitas vezes a acontecerem mais prejuízos contra o Sporting no mesmo jogo.
    Não têm um lance em todo o campeonato em que um árbitro tenha cometido um “erro” indesculpável e injustificável a favor do Sporting… pelo contrário, foram dezenas de “erros” sem desculpa e por vezes autênticas provocações.
    Em contrapartida os nossos rivais foram presenteados com arbitragens de “campo inclinado a seu favor”, por vezes com alguns “erros” que simplesmente não se engolem.
    A campanha do FCP na Liga dos Campeões esteve bastante tremida, principalmente após perder em casa com o Kiev… mas curiosamente quando a equipa se apurou para a fase seguinte; e entrou muito dinheiro as arbitragens por cá no nosso campeonato começaram a dar sempre aquele empurrãozinho necessário.
    Ou então se não era um árbitro era um “emprestado” ou “apalavrado”.
    Quando na última jornada de 2006/07, mesmo com a mão de Ronny o Sporting ao intervalo seria campeão, pois o FCP estava empatado 1-1 com o Aves do Neca, afirmei e escrevi que no intervalo tudo se resolveria… e resolveu.
    Também alertei que o GR Nuno iria jogar para o FCP… e foi.
    E lá ganharam mais um campeonato da treta.

    Vamos então, por curiosidade olhar para 10 jogos do FCP este ano:

    5ª J: Sporting-FCP
    Tomás Costa já com amarelo tem 3 entradas que obrigatoriamente tinham que ser amarelo, mas o Lucílio não deu.
    A 3ª é tão gritante que ele próprio estava convencido que vinha para a rua… e veio mas porque Jesualdo o substituiu de imediato e o FCP lá jogou 11 contra 11, arrancando uma vitória muito suada depois do Sporting ter feito um jogo em que poderia ter dilatado bastante o resultado.

    12ª J: FCP-Marítimo
    Empate em casa a 0-0, mas com 2 penalties claros por marcar contra o FCP.
    O 2º com expulsão de Bruno Alves, que lhes faria falta para os jogos seguintes.

    13ª J: Nacional-FCP
    Num dos campos mais difíceis do campeonato o jogo foi muito rasgado e equilibrado, mas logo na 1ª parte o influente Lucho devia ter visto o vermelho (não está esquecido pois não?).
    Puderam jogar 11 contra 11 e o jogo chegou aos 90’ com empate a 2-2 e já à largos minutos com tudo conformado com o empate; até que um tal de Felipe Lopes ou lá o que é, atira com um braço à bola como se desse uma manchete de volei sem explicação nenhuma.
    Penalty, golo e 3 pontos para o FCP.

    15ª J: Braga-FCP
    Um jogo completamente escandaloso, daqueles que nem vale a pena contar os penalties, golos mal anulados e expulsões. Foram 3 pontos dados a uns e tirados a outros.

    17ª J: FCP-Benfica
    Empate entre as duas equipas, com destaque para que este foi um dos dois jogos em que realmente o Benfica jogou bem esta época. Este e a recepção ao Nápoles.
    Se tudo se tentou lavar com um possível penalty sobre Lucho na 1ª parte; e se é verdade que de facto se podia ter marcado penalty, o que também não é menos verdade é que o jogador seguiu perfeitamente no controlo da bola e que “ninguém” marca aquele penalty.
    Num jogo totalmente controlado por um Benfica que vencia e apenas pecou por não matar o jogo; ao cair do pano é marcado um penalty fidelidade de uma simulação tão fraquinha que até veio dar motivo a suspensão (num jogo que não interessava e anunciada precisamente na altura em que um tribunal de “Palermo” considerava inocente o Papa e não credível aquela que um dia serviu para beijar a mão do verdadeiro Papa no Vaticano; como que numa manobra de diversão de que estavam a querer prejudicar o FCP com o castigo de Lisandro).
    Com o apitador a 2 metros do lance e bem de frente.
    Lá chegaram ao empate.

    20ª J: FCP-Sporting
    Arranjou-se um truque para o Sporting não ter as 72 horas de descanso e jogou-se num Sábado em vez de Domingo.
    Ainda assim o Sporting foi a equipa mais próxima de vencer um jogo que acabou 0-0.
    Mas aos 43’ Lucho agrediu nas barbas dos apitadores e nada.
    Como seria o jogo com toda a 2ª parte com o FCP com 10 contra 11 Leões?

    21ª J: Leixões-FCP
    Um jogo que parecia dos mais difíceis da época, o FCP encontra uma equipa onde tem vários emprestados, um Zé do Boné a treinar e um grave problema… salários em atraso.
    Na semana anterior o GR do Leixões foi contratado para jogar no FCP e surgiu por coincidência a 1ª convocatória da sua carreira para a Selecção.
    Na semana a seguir os salários foram regularizados.
    O jogo foi um passeio de 4 batatas nas redes, com o GR a chegar-se para o lado.

    23ª J: Guimarães-FCP
    Ao intervalo o Guimarães vencia e tinha sido a equipa mais forte.
    Na 2ª parte o FCP acaba por empatar.
    O Guimarães ainda tenta vencer e mesmo a acabar acontece um lance tantas vezes assinalado penalty que poderia dar o 2-1 ao Guimarães… o árbitro manda seguir, e com os jogadores ainda a protestar e incrédulos é o FCP que vai à frente e marca.
    Mais 3 pontinhos.
    (Aqui o campeonato foi ganho, principalmente porque depois se viu o que fizeram ao Sporting neste mesmo campo)

    25ª J: Académica-FCP
    Com uma 1ª parte miserável, o FCP não tinha maneira de marcar.
    Perto do intervalo acontece talvez o ROUBO mais porco do campeonato, pelo artista mais bem cotado (claro… porque será ele tão cotado?)
    Um penalty por defesa de Raul Meireles, simplesmente impossível de não ser assinalado, como se prova por toda e qualquer imagem.
    Uns anos antes num FCP-Sporting já tinha acontecido o mesmo e com o mesmo Meireles.
    No início da 2ª parte é anulado o 1-0 à Académica, porque o mesmo palhaço foi descobrir uma falta que não lembra a ninguém.
    Posto isto e com um “rapaz da casa” no banco de Coimbra o FCP lá ganhou.
    (Falta os Portugueses entenderem como é que um árbitro que não marcou aquele penalty impossível de não ser marcado, tão pouco não foi castigado como 3 dias depois estava na Madeira a apitar uma meia-final da Taça, curiosamente a decidir o adversário do FCP na final. E marcou lá penalties bem mais difíceis)

    26ª J: FCP-Setúbal
    Uma equipa que está à rasca para não descer e que se consta ter jogadores a passar fome por falta de pagamento; recebeu na 3ª feira anterior metade dos salários em atraso; e com muitos “emprestados” deslocou-se ao Porto e jogou “brilhantemente” à defesa com o seu autocarro, deixando apenas na frente 2 jogadores “emprestados” pelo FCP que muito estavam a dar que fazer aos patrões.
    E por incrível que pareça o FCP simplesmente não furava de maneira nenhuma.
    Acontece então o famoso minuto 58 já tão falado. O pescador que está o banco dos Sadinos (por ordens e por querer receber) tira só esses mesmos 2 jogadores “emprestados”… e pronto em 2 minutos 2 golos.
    Mas como clubes amigos, a garantia estava dada… a outra metadezinha e claro a permanência na 1ª divisão, em que na jornada seguinte logo ficou demonstrada com um penalty impressionante que deu a vitória no jogo ao Setúbal contra o Paços.
    Vejam o lance que é de rir.
    Agora vamos ver se o Papa cumpre a palavra e não deixa o Setúbal descer; é que mesmo assim não está fácil.

    Agora raciocinem com o que foi feito a favorecer o FCP e olhem para alguns jogos do Sporting e vejam como as coisas se passaram!
    Tem cabimento? Só num pais muito corrupto.
    Tantas e tantas judiarias ao longo da época…
    Em alguns jogos, com grande sofrimento lá conseguimos vencer mesmo contra 2 equipas, mas noutros não tivemos mesmo hipótese.
    Lembro aqui apenas um caso paradigmático… o dos livres marcados de forma rápida!
    Sofremos este ano desaires precisamente assim; e num joguinho de sentido único que empatámos em casa 0-0 com a Académica, metemos um golo e logo nestes jogos em que “o que custa é entrar o primeiro” o apitador anulou o golo.
    E deixo também uma pergunta?
    Num jogo em que empatamos 0-0 na Trofa e jogamos mais do que suficiente para ganhar folgadamente, anularam-nos 2 golos.
    Mas alguma vez faziam isso ao Papa?

    A QUESTÃO DISCIPLINAR
    Custa a entender como um monstro criado no viveiro de cacetada das Antas, como Bruno Alves atravessa um campeonato inteiro com 2 cartões amarelos.
    Em Espanha já caçaram o rabo a outro macaco da raça dele, o Pepe.
    Por cá, e agora não particularizando, quem vir os jogos e se por acaso até nem tiver clube, vê que o FCP joga na base da cacetada; mas curiosamente são os outros clubes que são carregados de cartões.
    Os jogadores do FCP até apanham é muitos a pedido; mostrando um estudo profundo que fazem dessas situações; pois ainda hoje se tinham substituído 2 jogadores que estavam à bica com 4 cartões e criaram uma confusão para limparem cartões e claro, aproveitaram para queimar tempo.

    A QUESTÃO DOS PENALTIES
    Não vou agora aqui discutir se este ou aquele lance foi penalty.
    O que quero dizer é que o Sporting tem este ano um Recorde digno de registo. Então não é que em Portugal uma equipa grande faz um campeonato com 2 penalties a favor e 4 contra… o dobro!
    Mas alguma vez uma equipa grande teve sequer mais penalties contra do que a favor?
    E depois alguém se pode acreditar que num campeonato inteiro só por 2 vezes foi cometido penalty a favor do Sporting?

    OS LADOS POSITIVOS
    Cada vez que o FCP ganha alguma coisa (ás vezes empates a meio de eliminatórias também servem) sinto-me orgulhoso por não ter o AZAR de ganhar de forma suja como eles ganham.
    O ser humano gosta de se divertir, por isso existe a comédia e de facto cada romaria e parvoíces que sai da boca dessa gentinha feia que se vê nas televisões faz rir qualquer um; pois frases como se ouviram hoje são mesmo cómicas!
    – Quem marca os golos hoje?
    – É o Lucho! (Já está lesionado ao tempo e a época dele acabou)
    – O que é um penalty?
    – É “cúândú” “roubum” o “Puarto”
    – O que é o Fora de Jogo?
    – Isso “num” sei bem
    – Quem mostra cartões num jogo?
    – É o “sinhor” Pinto da Costa
    E constantemente berrarem a mesma cantilena que é o hino deles: “Filhos da P*** SLB”
    Só mesmo para rir.
    Ah… e não digam que são as televisões dos Mouros carago!
    Hoje já não é desculpa, ele é “PORTO CANAL”, ele é RTP N de Norte… ele é Rui Cerqueira… LOL.

    CONCLUSÃO
    Assim não obrigado!

  7. Excelente post, caro Douglas e excelentes comentários, caros Careca e PPA.
    Parabéns pelo título? Em bom português: ide-vos foder, tripeiros.

    Saudações Leoninas

  8. Óbvio que o meu comentário ao PPA foi em tom de brincadeira.
    Quanto ao campeonato estar “viciado”, no meu entender há duas maneiras de ver as coisas;
    Vermos o campeonato que passou como um campeonato que de entre todas as equipas o Porto foi a que jogou melhor (mais regular) e o nosso SCP não o foi tanto, e ao mesmo tempo encontrar soluções rápidas para uma mudança firme e que nos proporcione um futebol melhor desde o 1º minuto, mais golos e sobretudo mais espectáculo, direccionando a nossa revolta para a reivindicação em sede própria (conselho da Liga, um presidente com tomates, etc)
    Ou vermos o campeonato como uma corrida “suja” em que quem for mais cigano ganha, em que adoptamos uma postura que não se revê no espírito do clube.
    Há ainda a hipótese de não querermos participar numa prova que consideramos pré-definida e controlada, mas dessa, nem vale a pena falar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s