O Bloco de Notas do Gabriel Alves – Champions League, pré-eliminatória


É um estádio bonito, novo… arejado
Sporting – Twente
29 Julho 2009, 20h45, Estádio José Alvalade

Uma humidade relativa, muito superior a 100%
Estamos na estação perfeita para ir à bola. A noite convida ao cachecol, como complemento à camisola oficial (apesar do babete…)

A selecção do Mali tem um futebol com perfume selvagem e com um odor realmente fresco…
O Twente é uma equipa que sai rápida para o ataque, com boas trocas de bola, jogando preferencialmente em 4-3-3 ou, em alternativa, num 4-2-3-1 (curiosamente, as tácticas que aqui no Cacifo já várias vezes defendemos para o Sporting). A força da equipa reside, precisamente, no ataque, a que se junta uma forma de jogar bastante física e por vezes dura. No fundo, o futebol apoiado típico da Holanda misturado com o futebol musculado à moda de Inglaterra.

Este homem é um Mister
Steve McLaren não tem boas recordações do Sporting, depois de já ter sido derrotado quando estava ao comando do Middlesbrough. Com aquele ar de “bife” que preferia mil vezes estar no Algarve a emborcar cerveja do que a comandar uma equipa, o bom do Steve já afirmou que, em Alvalade, vai ser importante a segurança defensiva da sua equipa, ou seja, preparem-se para um jogo rasgadinho e enervante, com muitas faltas à mistura.

Ele é excelente nestes lances porque a bola está morta e passa a estar viva
Brama é um jogador claramente acima da média. Joga no centro do terreno e é o equilíbrio da equipa. A bola, essa, passa quase sempre pelos pés de Kenneth Perez, armador de jogo e municiador do rápido Stoch, um puto emprestado pelo Chelsea que ocupa a ala direita (o Caneira que se cuide). Na frente, o monstruoso Kufo é um perigo real.

 A vantagem de ter duas pernas!
Douglas e Wisgerhof formam uma dupla de centrais com rins mais pesados que o Tolan, daí jogarem bastante recuados. Kuiper, o lateral esquerdo, gosta de subir e deixa as costas destapadas e, na direita, sente-se bastante a falta de Braafheid, que rumou a Munique. É isso, o ponto fraco do Twente é mesmo a sua defesa, daí que seja quase certo que vão jogar em 4-2-3-1.

E agora entram as danças sevilhanas da Catalunha
Paulo, acabou-se o tempo das experiências. Agora, é a sério. Aposto que ias gostar de ter o Caicedo, mas percebo que não faças alinhar um jogador que chegou há dois dias. No fundo, a culpa não é tua. Só te peço que não inventes, ou seja, que não decidas deixar o Vuk no banco, meter o Rochemback numa das laterais ou colocar o Abel de início. Vá lá, temos que ganhar, porra! E, se possível, quando marcarmos o primeiro não digas à equipa para começar a congelar o jogo.

 Vamos jogar no Totobola
Sporting – Twente  1

4 thoughts on “O Bloco de Notas do Gabriel Alves – Champions League, pré-eliminatória

  1. Não tendo maneira de ver o SCP na TV dita normal…. ligo o meu bom e velho companheiro rádio… e acima dos decibéis dos automóveis da rua oiço o relato! (quando a informatização ainda não é perfeita nos canais live streaming no PC – net lenta porra porra porra!)VIVÓ SPORTING!

    Saudações leoninas!

  2. Rui Patrício, Pedro Silva, Polga, Carriço, Caneira, Veloso, João Moutinho, Vukcevic, Matias Fernandez, Postiga e Liedson!!! Vamos ganhar 2-0!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s