Coisas que me “fazem espécie”

Enquanto o Titanic de Bento se afundava, um jogador teimava em não acompanhar a tendência da equipa e, ao contrário dos restantes, subia de forma. Fernandez, Matias Fernandez, marcou três em três jogos e, por alturas da saida do treinador, mostrava ser, efectivamente, uma mais valia.

Por tudo isso, existe uma pergunta que, agora, vejo-me obrigado a fazer: porque razão o craque chileno, que será a referência da sua  selecção no proximo mundial,  não tem lugar na Traineira de Carvalhal? Não consigo encontrar uma resposta que justifique tal cenário.

p.s. – tambem sou incapaz de encontrar justificação para continuar a apostar-se em Postiga, deixando Vuk no banco. Aliás, Carvalhal jogava com mais criativos em Setúbal e em Braga, do que agora que é treinador do Sporting.

15 thoughts on “Coisas que me “fazem espécie”

  1. A 1ª parte do Matias contra o Leiria foi das coisas mais miseráveis que já vi num jogo de futebol. Mas acho que continua a fazer parte dos eleitos do Carvalhal, espero que com mais algum tempo volte a recuperar a titularidade.
    Quanto ao Vuk, e por mais que eu goste dele, não lhe têm corrido bem as coisas e não fez ainda nada de jeito nas vezes que jogou com o Carvalhal. Mais uma vez, espero que com algum tempo volte à melhor forma.

  2. Porque só jogam onze.

    Porque o Carvalhal decidiu, e bem, que o Sporting precisava de um trinco a sério.

    Porque o Veloso tem que estar lá dentro porque merece mas não é um trinco a sério (ou pelo menos, no Sporting, raramente mostra a rapidez de reacção necessária).

    Porque o Moutinho é o Moutinho e passou a jogar no espaço do Matias.

    Porque se findou a lesão do Marat.

    Porque o Carvalhal tem preferido jogar com dois avançados que pensem na equipa (isto exclui o Vuk). Mas dois avançados a sério, não são dois tipos lá à frente.

    E já agora, quanto ao Postiga, não era mau que lhe creditassem algum, bastante, mérito pelo golo do Saleiro contra o Braga. Só com o Postiga a jogar ali é que se tinha criado a linha de passe que o Grimi aproveitou e o espaço na zona central de que o Saleiro beneficiou. Mais nenhum avançado do Sporting faria o que o Postiga fez. Repito, mais nenhum avançado do Sporting faria o que o Postiga fez.

  3. O postiga é um extraordinário jogador de futebol sem bola.

    Lamentavelmente (para ele), esse desporto não ascendeu à categoria de federado e ficou-se pelos parques infantis da primária e primeiro ciclo.

    O postiga também é excelente a protestar.

    Lamentavelmente, protestar não é (para já) um desporto.

  4. Concordo em parte com luissm e com Pedro ML.
    Há mérito de Postiga no golo do Saleiro. E Postiga é dos poucos jogadores que joga de cabeça levantada e sabe controlar uma bola (isto no Sporting). Mas não chega.

    Quanto ao Matías e ao Vuk, creio que há algo que ambos não se podem queixar, já tiveram muitas oportunidades de jogar esta época. E por outro lado, não vejo em Carvalhal uma total desconsideração por eles. Ambos foram titulares em jogos importantes e, sejamos justos, o seu rendimento ficou muito aquem do desejado e exigido (tal como outros). Creio mesmo que o jogo com o Leiria foi essencial para se retirar tais jogadores da equipa.

    Também não nos podemos esquecer que este mês terá mais jogos que habitual. Haverá campeonato, taça, taça da liga e no próximo mês também haverá Liga Europa. Haverá espaço para todos. Aposto que na quarta-feira, ambos serão titulares e mesmo amanhã talvez um deles seja.

    Adrien tem de ficar e quem discorda da contratação de Pedro Mendes percebe pouco de futebol. O Sporting não tem um trinco que vá ao chão, que desmonte o jogo adversário, que una a defesa com o meio-campo. Quem vê o Sporting (ao vivo) percebe o buraco que há, principalmente, nas transições defensivas, entre a defesa e o resto da equipa. Pedro Mendes faz isso, “agarra” a equipa. Adrien quer fazê-lo, mas ainda não o sabe e Veloso, simplesmente não quer fazê-lo. É o jogador em melhor forma desde do inicio da época, mas aquele que se necessita menos. Parece um paradoxo. Para mim, Veloso ou vai ao chão (como foi com a Fiorentina e Benfica, por isso sabe fazê-lo, mas não quer fazê-lo mais vezes), ou vai para defesa-esquerdo, ou estrangeiro.

    ps: aqui fazem do Vuk o que ele não é, um fora de série. Está ao nivel de um Iordanov e Sá Pinto. Interpretem como quiserem.

      • Melhor que o Liedson? Melhor que o Moutinho? Melhor que o Veloso? Melhor que o Matias? Melhor que o Izmailov?
        Um gajo que nem vê Futebol, não joga para a equipa, é individualista, gosta de ser ele a brilhar e no meu entender quem deve brilhar é a equipa.
        Cheira-me que é aquele tipo de gajo que mesmo que a equipa ganhe ele só fica feliz se for ele a marcar o golo da vitória.
        Vê-se isso á distância…Não o gramo.

      • Vukcevic podia ser no Sporting o que Derlei, Artur, Rui Barros, Lisandro (num primeiro momento), entre outros, foram no Porto (um pouco à imagem de Hulk, Rodriguez ou Varela, hoje em dia). Um segundo avançado, vagabundo, que parte de uma das alas para o centro, que surge vindo do nada, que foge a marcações, que marca entre 7 a 12 golos no campeonato, golos esses que decidem jogos, jogos que dão vitórias e títulos.
        Era isto que ele devia ser e até tem capacidades para tal. Não é um extremo nem um fora de série (por favor não coloquem o Balakov na conversa quando falam de Vukcevic ou de outro jogador qualquer do Sporting desde Jardel).

        Mas Vuk só tem algo que pode protestar. É a posição onde tem jogado desde da 2ª época em Portugal. Nunca mais jogou a 2º avançado, aí, onde rende mais, com o tal “faro para o golo” que Bento falava mas não alimentava. De resto, Vuk deve a si próprio não ser melhor do que é ou pode vir a ser. Não tem alegria, não tem rigor defensivo (os avançados são os primeiros defesas e nisso Derlei era exímio com Liedson; e não me falem que os génios não podem fazer tudo, que Messi também não defende. Claro, os génios, não o Vuk. Vuk não é génio, aliás o Cerebro é algo que não funciona muitas vezes naquele corpo). Vuk não respeita o jogo, o momento de passe, de largar a bola, de ser intenso ou ser mais mole. É egocentrico. Chega mais tarde quando vai para a Selecção do que outros que cruzam o Atlântico. É pouco profissional. Desmotiva-se com facilidade, mesmo quando é dos mais utilizados e acarinhados pela massa adepta.

        Vukcevic podia ser aquele que resolve (tem técnica e remate para isso), que está sempre lá (tem físico para isso), aquele que a equipa pode sempre contar quando algo falha, mas… talvez não queira. Deu-lhe jeito os amuos com Bento. Dá-lhe jeito beijar o emblema pois acrescenta crédito emocional junto dos adeptos, mas não crédito desportivo e profissional (o que devia ser mais importante). Tem uma 2ª volta para provar se quer ser importante no futebol e clube, ou se quer ser só mais um.

        Para muitos já não salvação possível, mas para Vuk há. Depende dele e de nós, através da lucidez que temos que colocar a por na seu rendimento é que ele é o principal responsável, e não o treinador mau ou a táctica má.

      • No dia em que o Vukcevic for o melhor jogador do plantel Sporting das duas uma: ou cresceu formidavelmente enquanto jogador (ficou mais genial, mais rápido a executar, mais inteligente do cérebro, enfim, mais tudo), ou é melhor fecharmos portas logo logo.

  5. “ps: aqui fazem do Vuk o que ele não é, um fora de série. Está ao nivel de um Iordanov e Sá Pinto. Interpretem como quiserem.”

    completamente de acordo. até nos exemplos que dás por comparação. mais se aproxima de um Yorda ou de um Sá Pinto (com todas as qualidades e méritos e respeito que tenho por eles) do que de um Balakov.

  6. leoa,

    Obrigado, andava há uns tempos a procura dessa característica para descrever o que o Veloso não tem. Não “agarra” a equipa é isso.

    Quanto ao Vuk compará-lo ao Sá Pinto e ao Iorda, principalmente a este, tem um lado de grande heresia. Nem o Sá Pinto nem o Iorda “cagavam” tanto para a equipa como o Vuk. E eu sinto-me à vontade para dizer mal do Vuk porque, no início, quando todos o assobiavam por parecer que perdia bolas a mais, o defendi várias vezes. Agora parece que ninguém se lembra do homem ser assobiado pela bancada.

    Quanto ao Postiga, apesar de tudo, prefiro vê-lo em campo do que ao actual Vukcevic. Um profissional de futebol não pode jogar só onde gosta. Se só se esforça aí, então mais vale ficar sentado no banco.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s