O novo Sá

Esperemos que não tenha dotes nas artes marciais.

29 thoughts on “O novo Sá

  1. Agora é que vai ser: temos um ministro! :)

    A sério: já tenho pouca fé nas melhoras próximas do meu Sporting, mas parece-me uma solução inteligente e acertada (oxalá não venha a arrepender-me de ter escrito isto).

    E hoje… que joguem! Que corram! Que se mexam!

  2. Bem o homem sempre disse ser do Sporting,jogou nos melhores campeonatos onde certamente fez bons contactos e sabe bem como blindar e criar um bom balneário.Será que o JEB aprende com os erros? pelo menos vejo aqui alguma coerência,como ainda não tinha visto antes.

  3. 09-06-2009
    Costinha recuperou condição de sócio

    Costinha esteve em Alvalade, acompanhado pelos dois filhos, Diogo (4 anos) e Hugo (9 anos), para recuperar a sua condição de sócio, aproveitando também a oportunidade para inscrever os dois descendentes como associados do Clube.

    O médio que já representou o Mónaco, o FC Porto, o Dínamo de Moscovo, Atlético de Madrid e Atalanta, clube que representa actualmente, aproveitou para pisar o relvado do Estádio José Alvalade e para conhecer o Mundo Sporting. Costinha revelou-se um grande conhecedor da história «verde e branca» e aproveitou a visita para dar a conhecer aos seus filhos, ambos adeptos do Clube, a história do Sporting. Costinha salientou: “Entrei para associado em 1997, depois deixei de pagar as quotas por opção pessoal. Os meus filhos, sobretudo o mais velho, já me tinham pedido para serem sócios do Sporting e então, antes de partir para férias, aproveitei e vim satisfazer essa vontade. Isto aconteceu também um pouco pela euforia da candidatura de José Eduardo Bettencourt e pela resposta que os sócios deram na votação. Este é um momento importante para a vida do Sporting e nada melhor do que esta altura para concretizar um desejo meu e dos meus filhos.”

    BOA OPÇAO

  4. Meu Deus, nunca vi alguem a gerir uma empresa ou um clube ou uma instituição que cada passo que dé é sempre para pior, sempre.

    Esta escolha é de loucos…só faço esta humilde pergunta: Que esperiencia tem costinha e que ligação ao clube tem para assumir tais funções?!

    Para mim chega, chego a um ponto que já não dá mais.

    Tanta incompetencia junta é de loucos mesmo!!!

    FIM!

  5. É BOM RELEMBRAR, LEIAM COM ATENÇÃO.
    O HOMEM TEM COJONES, ESPERO QUE OS PONHA AO SERVIÇO DO SPORTING

    “ATT – Alguma vez se arrependeu de ter ficado no FC Porto depois do Euro 2004 e da saída de Mourinho?

    Costinha – Atentendo ao que se passou, fiquei um bocado arrependido. Perdi tempo. Havia vários clubes interessados, mas o FC Porto convenceu-me de que era uma peça importante para a equipa, um factor de estabilidade no balneário. Tinha um contrato muito bom, acima das possibilidades do mercado português e achei que devia ficar. Fiz mal.

    ATT – Pelos resultados desportivos?

    Costinha – Por tudo. Nunca pensei que o FC Porto se destruísse em tão pouco tempo. Da equipa campeã europeia apenas ficaram 10 jogadores. A equipa ficou sem identidade, sem espírito. Na época anterior, era habitual ver 10 ou mais jogadores no mesmo restaurante sem ter havido qualquer combinação. Era um prolongamento dos treinos e dos jogos. Com tantas saídas e tantas entradas, cada um ficou para seu lado. Não consegui perceber que tipo de política foi esta nem o que se prentendia obter com ela.

    ATT – O FC Porto apontou razões financeiras…

    Costinha – Pelos valores a que venderam o P.Ferreira, o Deco, o R.Carvalho e ainda o Mourinho, não era preciso vender mais ninguém. Ia buscar o Seitaridis, um médio e pronto. Assim, sim: seria possível reorganizar a equipa, pô-la de novo a funcionar.

    ATT – Terá sido uma opção de Del Neri…

    Costinha – Não me parece que lhe tivesse sido dado o poder de desfazer equipas campeãs da Europa.

    ATT – A sangria na equipa continuou com Fernández…

    Costinha – Fernández construiu uma equipa e depois venderam-se mais jogadores.

    ATT – Derlei foi dispensado por vontade de Fernández?

    Costinha – Isso é mais complicado. Para perceber a saída de Derlei é preciso encontrar quem está por detrás dela. Não admito que um grupo de adeptos venha criticar e enxovalhar, com faixas provocatórias, um atleta que deu ao clube aquilo que Derlei deu. E mais espantados ficámos quando ninguém do FC Porto tomou uma atitude. Pelo contrário. Essa gente, depois de insultar os jogadores, entravam nas instalações do clube com um livre-trânsito e ninguém fazia qualquer reparo. E mais: de dia ameaçavam os jogadores e à noite jantavam com dirigentes do FC Porto. Que pensa um grupo quando sabe que quem os insulta e ameaça janta com dirigentes do clube?

    ATT – Conhece o presidente dos Super Dragões?

    Costinha – De vista. Ele diz-se profissional de claque e, pelo que aparenta, tem uma profissão rentável. Muitos jogadores do FC Porto não ganham para comprar Porsches e ele tem um.

    ATT – Acha que as claques serviram para branquear as decisões da direcção que falharam?

    Costinha – Não sei. Sei que tenho no meu corpo marcas que provam o que dei ao clube. Joguei lesionado e joguei infiltrado, fi-lo porque quis e por dedicação. Ganhei tudo o que havia para ganhar. E ainda andam a correr atrás de mim para me fazer a vida negra?! E os responsáveis, os directores não fazem nada?

    ATT – Foi ameaçado?

    Costinha – Sim, mas como tenho um grande amigo na cidade do Porto o caso teve um fim pacífico.

    ATT – Qual foi a situação mais complicada?

    Costinha – Quando o FC Porto empatou na Madeira com o Nacional, os desacatos começaram logo no aeroporto do Funchal. As claques provocaram com insultos todos os jogadores, sobretudo o Raul Meireles, que tivera o azar de fazer um autogolo. Foi mesmo agredido fisicamente, com uma garrafa. Eu estava no Porto, a recuperar de um traumatismo craniano, mas soube o que se estava a passar porque telefonei a vários colegas, por solidariedade. E perante o que ouvi decidi ir ao aeroporto do Porto esperar a equipa. Levei dois amigos, para não levar dois guarda-costas, e tive razão, porque quando lá cheguei vi um bando de 60 ou 70 Super Dragões. Os jogadores foram os primeiros a sair do avião e a levar com aquela gente toda, com insultos, com agressões, enquanto os dirigentes ficaram dentro do avião, protegidos. Apenas Reinaldo Teles saiu. E a verdade é que aquela gente agrediu atletas. Na época passada, tudo foi permitido no FC Porto.

    ATT – Nunca tentou falar com o presidente?

    Costinha – Não. Eles é que decidem. Quando acertam, dizem que acertam, quando erram não dizem nada. Tinhamos jogadores campeões da Europa a ganhar 5 escudos e outros sem nada ganho com ordenados muito superiores. E eu tentava ajudar falando com eles.

    ATT – O mau comportamento da equipa nos jogos em casa esteve relacionado com este ambiente?

    Costinha – Foi uma das questões da época e a explicação. É muito simples: alguns jogadores não conseguiram jogar por medo. Estamos a falar de ameaças vindas de grupos organizados. Por mais que alguns de nós tentasse criar um ambiente desinibido, houve quem ficasse em pânico por falhar um passe ou uma jogada.

    ATT – Foi por isso que jogadores como Luís Fabiano renderam pouco?

    Costinha – Luís Fabiano foi um dos que se deixaram apanhar por esse medo.

    ATT – Estamos a falar das mesmas pessoas de quem Mourinho se queixou?

    Costinha – Claro. Estou por dentro da história, mas não a posso revelar sem autorização dele. No entanto, posso dizer que aquilo que fizeram ao Mourinho foi uma vergonha.

    ATT – O que fez Pinto da Costa para evitar esses problemas?

    Costinha – Ele continua a ser um grande líder, mas nos maus momentos não basta dizer que a equipa perde porque o Derlei só gosta da noite ou porque o Costinha só gosta da noite. Bodes expiatórios, não. É fácil atribuir a destruição da equipa campeã do Mundo a Del Neri, é fácil atribuir o despedimento dele às pressões dos jogadores, é fácil atribuir a Fernández o esvaziamento, em Janeiro, da equipa, e é fácil convencer a massa associativa, através da colocação estratégica de meia dúzia de Super Dragões num estádio, de que a culpa é dos jogadores. E assim protege-se a direcção. Mas eu não sou dos que ouvem, vêem e ficam calados. A equipa e o espírito de Mourinho foram completamente destruídos.

    ATT – Foi para Moscovo só por causa do dinheiro?

    Costinha – Quando deixar de pensar em ganhar títulos, vou escolher um clube mais pequeno para que não me chamem chulo.

    ATT – Mourinho nunca o convidou?

    Costinha – Em Novembro de 2003, Mourinho disse-me que no fim da época seríamos campeões Europeus, que ele iria para um grande clube e perguntou-me se queria ir com ele. Disse que sim. Depois isso não se concretizou, mas não lhe quero mal por ter levado o Paulo, o Tiago e o Ricardo. Continuo a falar com ele regularmente.

    ATT – E quando regressar a Portugal?

    Costinha – Todas as pessoas sabem que sou sportinguista desde pequeno. Quando regressei a portugal disse que gostava de jogar no FC Porto, onde queriam ganhar sempre tudo e os valores da família eram defendidos. Recusei uma proposta do Benfica, podia ter ido para o Sporting, mas escolhi o FC Porto. Num segundo regresso, não sei o que acontecerá.

    ATT – Aconselhou Miguel ao Dínamo?

    Costinha – Aconselhei. Como jogador e como homem. O Miguel não quis vir e acho que fez bem. É novo e tem outros clubes interessados para onde ir.”

  6. Parece-me uma solução inteligente e inventiva. Não tem anti-corpos por Alvalade – digo eu, às tantas acho que tudo e todos têm anti-corpos por Alvalade, logo, reformulo: não tem anti-corpos no balneário -, é assumidamente sportinguista – nem enquanto jogador do Porto o escondeu -, e sempre que o ouvi falar, pareceu-me um tipo sóbrio, ponderado e educado.

    Que tenha sorte, que se saiba rodear de gente competente.

    ps: boa entrevista que o JOKA aqui colocou.

  7. Gostei de ver esta entrevista, a qual desconhecia. Como sempre achei, o Costinha parece-me uma pessoa sóbria nas suas ideias, ponderado, sabe o que quer, pensa pela sua própria cabeça e sabe muito de futebol.
    Espero que lhe dêem poder para levar as suas ideias adiante e que as “donzelas” do balneário não lhe façam a folha, assim a direcção não o permita.
    Boa sorte, todos merecemos.

  8. Muito boa escolha. gajo calmo e ponderado com escola “Porto”.

    E tem o que Rui Costa nunca terá: ganhou uma liga dos campeões e uma taça UEFA na condição de titular.

  9. Afinal faltas para tratar de assuntos pessoais????????????????????
    Que profissionalismo é este antes de um jogo importante???

    Anda tudo a dormir???

    “Jogador disse ao “Sport Express” que já fez exames médicos e desmente que vá ganhar dois milhões de euros por época. Leões e Lokomotiv estão de acordo, mas falta palavra final do jogador.

    Izmailov está de regresso aos convocados do Sporting e o jogo de hoje com o Everton (20h05), ao que tudo indica, será o seu último de leão ao peito.

    Apesar de algumas fontes que acompanham de perto as movimentações em torno da transferência do russo continuarem a garantir que o jogador está muito indeciso em regressar à Rússia, o certo é que o próprio jogador, em entrevista concedida ao jornal russo Sport Express revelou que esteve em Roma, Itália, na segunda-feira passada, onde efectuou os exames médicos antes de assinar pelo Lokomotiv.

    Izmailov explicou, no fundo, o porquê da sua ausência em alguns dos últimos treinos do Sporting. «Fui a Roma para fazer exames médicos pelo Lokomotiv, onde estive com Vladimir Maminov [antigo companheiro de equipa que é, actualmente, um dos adjuntos de Yuri Semin no Lokomotiv]. E também estive na Alemanha a ser consultado pelo médico que me operou para ter a certeza de que está tudo bem», revelou o internacional russo, que se mostrou ainda agastado com algumas notícias que têm vindo a lume e que apontam no sentido de que irá usufruir de um ordenado de dois milhões de euros por época ao serviço do emblema moscovita:

    «Estou a trabalhar calmamente e não tenho tido contactos a propósito da transferência. Tenho recebido, com alguma surpresa, as notícias que falam que vou receber dois milhões de euros de ordenado por ano. Isso não faz qualquer sentido, nem sei de onde isso vem.»

    Mais: Izmailov, e isso percebe-se pelas suas declarações, continua cem por cento concentrado no Sporting e revela uma firme determinação em ajudar o clube de Alvalade em seguir em frente na Liga Europa. « Estou a preparar o jogo com o Everton, para o qual temos boas perspectivas, pois basta-nos marcar um golo», realçou.”

    Costinha põe essa malta na linha….

  10. Mais uma…
    Discurso que augura bons tempos para o Sporting.

    “Costinha, o segundo jogador de sempre a vestir a camisola da selecção portuguesa sem ter jogado na 1.a divisão, a seguir a Pauleta e antes de Boa Morte. Treina na Atalanta, da 1.ª divisão italiana. Escrevemos treina, porque já não joga há dois anos. É verdade, fez esta semana, no dia 2, dois anos desde o último jogo oficial de Costinha, numa partida que coincidiu com a sua estreia na Serie A italiana. A Atalanta ganhou 2-0 ao Parma e Francisco José Rodrigues da Costa, vulgo Costinha, jogou 56 minutos. Daí para cá, só um problema físico, mais de 500 treinos e zero jogos. Incrível, mas verdadeiro.

    Porque não joga há dois anos?

    É uma situação estranha. Larguei o Atlético Madrid no Verão de 2007. Quando surgiu a proposta da Atalanta, fiquei contente porque Itália sempre foi o meu sonho de consumo. No Atlético, não me queriam deixar sair, porque era um jogador querido pelos companheiros e até pelo presidente, que já me propôs seguir uma carreira por lá sem ser como futebolista. Até a minha mulher não queria sair de Madrid. Mas Itália sempre foi o meu sonho. Sempre quis jogar lá. Em Bérgamo, estreei-me e nunca mais joguei.

    Mas porquê?

    Não sei bem de quem partiu esta decisão. Treino da mesma forma que os outros colegas. Até já perguntei aos treinadores [Luigi del Neri, ex-FC Porto, em 2007/08 e 2008/09, e Angelo Gregucci, em 2009/10] e ambos me disseram que a escolha não era deles. As ordens vinham de cima. É estranho. Se estivesse lesionado ou fora de forma… Quem quiser, desloque-se a Bérgamo e veja os treinos. Corro como os outros, faço os exercícios como os outros, mas nem convocado sou.

    Como convive com esta situação?

    Não jogo e não sei porquê. É uma pena, mas ainda bem que só passo por isto no final da carreira. Isto não é uma decisão minha, é uma escolha da direcção do clube. Apenas posso treinar. Tudo fica ainda mais estranho quando os tiulares do meio-campo estão lesionados e o treinador chama os jogadores da primavera [juniores]. A Atalanta foi uma oportunidade falhada.

    Sem jogar, o fim-de-semana fica mais longo?

    É uma dura realidade. Mas para felicidade minha, quando a Atalanta joga fora, o Inter joga em casa. Como gosto de futebol, vou ao Giuseppe Meazza. Sou amigo de Mourinho e ele deixa-me sempre dois bilhetes para mim, mesmo que eu não apareça. Mesmo quando a Atalanta joga em casa à tarde e o Inter em casa à noite, dá par ir ver ao vivo. E ainda tenho o bónus da Liga dos Campeões, para recordar belos tempos em que celebrei o título europeu em 2004, ao lado de Mourinho.

    A sua vida sempre foi pródiga em acontecimentos surreais. Assina pelo Valência mas afinal não vai para lá, da 2.ª divisão B para o Mónaco, herói nacional no Euro-00. Como é consegue este ritmo?

    É engraçado, não é? [gargalhadas tímidas] A minha vida já deu voltas e mais voltas. Repare, aos 23 anos, estava na 2.a divisão B, com o Nacional. Nunca pensei em subir daquela forma.

    Então, conte lá esses episódios todos por ordem cronológica.

    Em 1994/95, fiz a primeira época como profissional, no Oriental, 2.a divisão B [26 jogos e três golos]. Ficámos em 11.o lugar e o campeão dessa zona sul foi o Alverca. Em 1995/96, já estava no Machico [30/5], outra vez na zona sul da 2.a divisão B. Acabámos em segundo lugar, a sete pontos do Beja. Na época seguinte, 1996/97, já estava no Nacional [27/4].

    Ao lado do Fernando Aguiar, o Robocop.

    É verdade. É uma pessoa espectacular, sempre muito brincalhona e amiga. Agora, aquela imagem física dele é impressionante. Por isso, foi tantas vezes contestado, mas construiu uma carreira interessante [Maia, Beira-Mar, Benfica, U. Leiria, Penafiel, Landskrona-Suécia e Gondomar]. E, juntos, subimos à 2.a divisão, sem dificuldade [15 pontos de vantagem sobre o Santa Clara, a 15 pontos].

    Eis que apareceu o Valência.

    Assinei por cinco anos, mas o mundo desabou quando me encontrei no hotel com o Jorge Valdano [na altura, treinador do Valência e agora dirigente do Real Madrid]. Disse-me que eu era uma contratação do presidente [Francisco Roig] e não dele. Ele queria um trinco como o Mauro Silva do Deportivo, o Guardiola do Barcelona ou o Redondo do Real Madrid. Eu não estava preparado para suportar essa carga de exigência do treinador [despedido na terceira jornada, com zero pontos em nove possíveis]. Então, pedi ao meu empresário para me colocar noutra equipa. Acertei a minha saída com o presidente e tive a possibilidade de ir treinar ao Mónaco. Eles queriam um médio e a primeira opção não aceitou sair do clube, o Paulinho Santos, do FC Porto. Fui eu e, no final do segundo treino, o Tigana [treinador do Mónaco] perguntou-me se eu queria ficar. Respondi-lhe: ‘Claro que sim.’

    E a vida lá foi fácil?

    Nada fácil. Lembro-me da minha estreia na Liga dos Campeões, em Alvalade, com o Sporting. Foi o meu quinto jogo pelo Mónaco e fiquei tão triste. Fui titular e saí ao intervalo, com o Sporting a ganhar 2-0 [acabou 3-0, golos de Oceano aos 4′, Hadji aos 8′ e Leandro aos 65′]. Nessa noite, à saída da mítica porta 10 A, senti que ainda tinha de crescer muito para ser um jogador da Champions.

    Melhor foi em 2000, quando o Mónaco foi campeão francês?

    Sem dúvida. Era um número infindável de jogadores de topo. Barthez; Sagnol, Christanval, Márquez e Riise; Eu e Lamouchi; Gallardo e Giuly; Trezeguet e Simone. No banco, Legwinski, Prso e dois futuros jogadores do Sporting, Contreras [central chileno] e Farnerud [médio sueco].

    Esse Mónaco a viver o período pós-Henry, o homem que lhe deu “a” alcunha

    É, esse Henry era danado para a brincadeira. Como eu ia de fato para o treino todos os dias, ele começou a chamar–me de ministro. A alcunha espalhou-se por todos os companheiros e pegou. Alcunhas há muitas mas essa ficou. Até hoje,

    À conta disso, foi ao Euro-00?

    Devo enaltecer a confiança do seleccionador Humberto Coelho, que me chamou à selecção e nunca desistiu de mim. Além de médio, ele também me via como alternativa a defesa-direito. Fui ao Europeu e até marquei o golo à Roménia, no último minuto, que garantiu a qualificação para os quartos-de-final.

    Seguiu-se…

    O FC Porto! Em 2001, fui para o FC Porto, que se antecipou ao Sporting e ao Benfica. Só tenho uma palavra e como já tinha dado a minha palavra ao presidente do FC Porto [Pinto da Costa]… É público que o Sporting é o meu clube de coração, mas a minha palavra é sagrada. Nos primeiros anos, com Octávio Machado, houve alguma contestação em redor da equipa. Depois chegou Mourinho, que, entre mim e o Paredes, optou por mim e estou agradecido por isso.

    Porque saiu do FC Porto campeão europeu para o Dínamo Moscovo?

    O FC Porto já não contava comigo e apareceu o Dínamo Moscovo, cujo presidente queria imitar Abramovich no Chelsea, mas as coisas não correram da melhor maneira. O dinheiro não é tudo na vida e não queria ficar lá para coleccionar euros.

    E aterrou em Madrid.

    Sim, no Atlético, onde fui nomeado um dos capitães de equipa, apenas duas semanas e meia depois de chegar. E pude voltar a jogar nas competições europeias, através da Intertoto. É um clube com uma massa adepta fantástica, das zonas mais pobres de Madrid e da América do Sul, com muitos equatorianos. Eles enchiam o estádio quando jogavam na 2.a divisão e isso é raro.

    Mas entre Moscovo e Madrid, ficou seis meses parado. De que maneira o afectou?

    Entre Fevereiro e Junho, não competi. Só treinei em Belém. E os treinos físicos são diferentes dos treinos jogados. Por isso, estava fora de forma no Mundial-06. Por isso, vi três amarelos em cinco jogos. Tenho pena que a selecção fosse penalizada por isso. “

  11. Acho que é uma boa escolha, foi um jogador influente em todos os clubes onde passou, inteligente, humilde, tem escola de balneário ( FCP ), pode ser uma mais valia para o clube.
    Força Costinha
    Força Sporting

    • Pois,tambem me ocorreu esse pensamento.À que reconhecer que a Académica não tem nada e o gajo espremeu bem o sumo daquilo tudo,talves seja gajo para entrar no Sporting e sem grandes revoluções retocar onde é necessário.A esperença é verde!

  12. Possível… Costinha treinado por Mourinho, Mourinho é o mentor do Villas Boas… talvez haja ali qualquer coisinha de romântico que leve a namoro, e talvez casamento

  13. Se o Ministro tiver pasta, pode fazer coisas bonitas, se não tiver…será um Ministro sem pasta e isso não vai adiantar de nada.
    Villas nao forçou a ida para o Sporting por causa do Sa Pinto, aconselhado por Mourinho…

    • O quê?! Diz-se com cada coisa! O villas boas é amigo pessoal do sá pinto e foi este que o tentou ir buscar – ele não veio por que o Sporting não subiu a parada além do €1M… mais, no início da época o villas boas era para ir para o braga e o adjunto seria o sá pinto. Mas o salvador optou pelo domingos devido a falta de experiência do villas boas…

      Quanto ao Costinha, é uma decisão surpreendente, mas em teoria terá tudo para dar certo…

  14. costinha foi o 1º … (foi divulgado hj propositadamente)…
    paulo futre será o 2º (como director desportivo) …
    villas boas será apresentado no final da época …

    para quem kizer acreditar …

  15. Costinha e uma autentica incognita.Teoricamente concordo com a escolha pelo que conheço da sua personalidade.E concordo com o Cherba.”Cheira-me” cada vez mais a Villas Boas no Sporting.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s