Outro tiro no pé?

Segundo a RTP, Izmailov viaja este fim-de-semana para a Rússia, onde representará o Lokomotiv de Moscovo durante as próximas três temporadas. O que ganhamos com isso? Uns míseros 6 milhões de euros, por um dos cinco melhores jogadores do plantel (ou, se preferirem, por um dos cinco em que eu não mexia mesmo).

A notícia, que a RTP ilustra com uma foto do Adrien (???), não está confirmada, e espero que, desta vez, seja verdade o que diz a Bola: “Izmailov quer ganhar a Liga Europa”. Mais, espero que isto seja, realmente, uma grande invenção, ou então estaremos perante outro tiro no pé. É que já nem falo da qualidade do jogador e do valor baixinho, baixinho. Falo de incompetência, traduzida na recusa do negócio enquanto as inscrições estavam abertas e no “sim”, dado numa altura em que já não é possível compensar qualquer saída.

Alguém vai desmentir?

Estou… chocado (sim, penso que posso utilizar esta palavra), perante o negócio que podia ter sido mas não foi, noticiado pelo Record. Sim, a fonte é duvidosa, mas… é a mesma fonte escolhida pelo “bufo mais rápido”, aquando do “já não gosto mais de ti” entre o Sá Pinto e o Liedson e, recorde-se, é o pasquim preferido do JEB para passar recadinhos tipo “estou a fazer coisas bonitas, pensando no futuro do Sporting”.

Portanto, parece que existiu a possibilidade de:
– durante seis meses, trocar o Veloso com o Quaresma;
– durante esses seis meses, o Inter pagava o ordenado do Veloso e parte do ordenado do Quaresma;
– no final desses seis meses, o Inter tinha opção de compra sobre o Veloso;
– essa opção de compra estava cifrada nos 20 milhões;
Notas: o dossier Quaresma-Veloso foi negociado pessoalmente por José Eduardo Bettencourt e pelo empresário Jorge Mendes; Bettencourt considerava que Quaresma seria uma mais valia futebolística e em termos de militância

Perante esta possibilidade, Carlos Carvalhal terá dito “não, não, não, o Veloso é fundamental na estrutura do meu meio-campo”. Bettencourt, apesar de afrontado pelo seu funcionário a prazo, fez-lhe a vontade.

Eu continuo chocado. Cada vez mais…

p.s. – existe a teoria de que esta notícia é o início do despedimento do Carvalhal. Outra teoria, de que é uma invenção do Record. Se, realmente, for mentira, alguém que desminta este espetar de mais um prego no caixão do nosso Sporting!

O Bloco de Notas do Gabriel Alves – Taça da Liga, meias finais

É um estádio bonito, novo… arejado
Sporting – Benfica
09 Fevereiro 2010, 20h15, Estádio José Alvalade

Uma humidade relativa, muito superior a 100%
O último derby à chuva traz-me excelentes memórias. Venha de lá outro 5-3!

A selecção do Mali tem um futebol com perfume selvagem e com um odor realmente fresco…
O Benfica chega a Alvalade como favorito mas, ainda assim, com a azia de, mesmo com colinho, não ter ganho em Setúbal e, pior, de, mesmo com os castigos a dois médios titulares um dia depois do fecho do mercado e com um a menos desde os 15 minutos, ter visto o Braga ganhar no Restelo.
Entretanto, parece que Jesus vai fazer descansar alguns jogadores, mas depois de ter visto o que se passou no Dragão, já nem sei se isso será uma vantagem…

Este homem é um Mister
Jesus é um dos melhores treinadores nacionais e, também, um dos mais deselegantes. Com jeitinho, e à frente de uma equipa de 50 milhões, chega ao final da época em terceiro e sem ganhar a ponta dum corno.

Ele é excelente nestes lances porque a bola está morta e passa a estar viva
Saviola é, claramente, o mais influente jogador deste Benfica. Sem ele, Cardozo não funciona. Sem ele, Aimar perde-se em campo. Sem ele, aquelas bolas perdidas não se transformam em golo.

 A vantagem de ter duas pernas!
Se nós nos queixamos da defesa, julgo que os lampiões não deverão morrer de amores pela sua, principalmente pelo lado esquerdo, onde tanto Coentrão como Peixoto são duas reais nulidades. Luisão já deve estar a tremer só de pensar em Liedson e David Luiz é um jogador mediano que os jornais insistem em transformar num dos cinco melhores centrais do mundo (e se visse cartões em Portugal como vê nos jogos europeus, estava de fora mais de metade dos jogos).

E agora entram as danças sevilhanas da Catalunha
Carlos, deves estar com os colhões bem apertadinhos, fazendo aquela cara que podia fazer de ti o modelo para um boneco da saudosa série Vento nos Salgueiros. Se perderes hoje, cheira-me que nem os seis meses de contrato vais cumprir, mas diz-me uma das fadinhas amigas do Djaló, perdão, da Floribela, que este jogo contra os lampiões até pode vir em óptima altura.
Vá, deixa-te de merdas e trata de ganhar o jogo. Atenção às bolas paradas (Javi e Luisão ao primeiro poste, Saviola ao segundo), atenção às bolas nas costas, para a entrada do argentino, e às correrias do queniano pela direita. Tirando isso, se abafares o meio campo e pressionares a defesa dos gajos, como fizeste há dois meses, temos equipa para passar à final.

Vamos jogar no Totobola
Sporting – Benfica    1 X 2

Cantinho Zandinga
Sporting – Benfica  3-1 (Liedson 9′; Cardozo 17′; Pongolle 38′; Liedson 61′)

“Infelizmente”

O Pateta já aterrou.  
“Infelizmente”, sabe o que se passou. 
Infelizmente não pediu desculpa aos sócios.
Talvez porque, infelizmente, não teme pela própria saúde (quando as pessoas têm medo, são mais humildes). 
Infelizmente, amanhã corre o risco de perceber melhor o que fez.

Agora que as férias terminaram…

…talvez seja altura de acabarmos com os disparates, começando por aqueles que são ditos pelos adeptos. Bastou jogarmos com a Académica, e perdermos, para voltar o “fantasma Villas-Boas”. Diz que o homem tem feito um trabalho brilhante na briosa (digam-me qual, que eu ainda não vi), que tiveram uma exibição exemplar em Alvalade (ui…), que, que, que, que…

Com tantos “ques”, dou comigo a pensar que devíamos ter ido buscar o José Mota, esse mesmo que nos deu quatro batatas quando treinava um “Paços sensação” e que, há ano e meio, nos deu um banho em Alvalade, ao comando do “Leixões sensação”. Num flashback à minha memória dou, até, comigo a pensar que devíamos ter ido buscar o Mário Reis e o Abílio ao saudoso Salgueiros ou, de uma forma mais actual, que o Domingos é que era ou, já que o Domingos deve ter guia de marcha para o Dragão, vamos buscar o Jesualdo Ferreira que, com jeitinho, volta a limpar o campeonato.

Ora, caros leões (e leoas), não me fodam! Chega desta merda, ou não? Chega de experimentar, ou não? Chega de fingirmos que um treinador estrangeiro, com tarimba, não é a melhor solução, ou não?

A(s) pergunta(s) é para vocês mas, obviamente, é também para o senhor de farta cabeleira branca que, hoje, regressa bronzeado a Lisboa, curiosamente o mesmo senhor que, há dez anos, esteve envolvido naquela épica caminhada que colocou um ponto final em 18 anos longe do título nacional.
E, se querem que vos diga, este é um dos pormenores que me faz mais confusão: Bettencourt tem perfeita noção que, para ser-se campeão, há que reforçar, efectivamente, a equipa. Há que ter líderes (Schemeichel, André Cruz, Beto, Rui Jorge, Acosta) capazes de mostrar os tomates quando as coisas correm mal (neste momento temos um, Liedson, e outro que, a médio prazo, poderá fazer o mesmo, Pedro Mendes). Há que ter um treinador apoiado por tudo e todos, não um treinador a recibos verdes, contratado por seis meses e que, na altura mais delicada da época, fica literalmente sozinho, porque o presidente foi de férias e o Salema é das figuras mais patéticas que existem no nosso clube, símbolo daqueles cabrões engravatados que têm andado a mamar à conta nos últimos 15 anos.

Agora que as férias terminaram, espero que, de uma vez por todas, se perceba que há muito trabalho a fazer.
Começar-se do zero, se quiserem.
Precisamos de um treinador (e, sim, no meio disto tudo, até me custa criticar o Carvalhal).
Precisamos de uma estrutura para o futebol (vão-se foder com o Freitas Lobo. Onde é que este gajo pode ser director desportivo? Quando muito poderá ter uma função na porspecção de mercado… lembrem-se do Manolo Vidal, peça chave na relação do balneário com os dirigentes e com a própria massa adepta).
Precisamos de recuperar símbolos e pessoas que gostem e sintam o Sporting.
Precisamos de pessoas que se sintam responsáveis pelo Sporting. Precisamos de profissionais.
Precisamos de reaproximar o clube dos adeptos.
Precisamos de voltar a ter um Sporting Clube de Portugal, foda-se!

p.s. – sim, precisamos de uma limpeza de balneário, mas ficará para um futuro post. Parece-me mais importante limpar primeiro tudo o que rodeia o balneário, para que, quem venha a entrar, não o faça com os pés cheios de merda!