F5

(carregar na tecla refresh)

Esta é a sensação primeira à saída do jogo de apresentação. F5. Sportinguismo refrescado, uma surpreendente sensação de ruptura com o passado recente. F5. Cinco pontos, todos sobre futebol, o novo futebol do leão.

1- Fora-de-jogo
2- Bolas paradas
3- Duplo pivot
4 – Artistas
5 – Liedson

Fora-de-jogo – A filosofia da defesa assenta toda na subida dos quatro jogadores, para “empurrar” o meio campo na pressão e, mais importante, para forçar o fora-de-jogo alheio. Risco alto, a exigir máxima coordenação da defesa. Nos primeiros 15 minutos, foi o caos, com dois defesas centrais – Tonel e Torsiglieri – fortes na marcação mas lentos e pouco coordenados. Depois, mudou a táctica e começou-se a sacar fora-de-jogos, foram quase uma dezena em meia-hora. Na segunda parte, a equipa defendeu toda e a defesa foi poupada (e o adversário ajudou).

Bolas paradas – Há trabalho. Ofensiva e defensivamente. Temos finalmente alguém a marcar livres e cantos com critério e colocação, há livres directos estudados e, mais relevante, a defender houve poucos buracos na primeira parte e só alguns na segunda. Com o tempo, a tendência é melhorar. Pior que nas últimas épocas é impossível.

Duplo pivot – O treinador usou três tácticas, mudando-as a cada meia-hora. Nos primeiros 30 minutos, um 4-1-2-3, com Pedro Mendes (capitão) sozinho atrás. Não resultou, porque abria demasiados buracos a defender (Maniche e Veloso sem ninguém para marcar, ficavam muito subidos). E a atacar, o meio campo não dava linhas de passe. Paulo Sérgio mexeu e mexeu bem. Tirou Veloso (patrão a falar com os companheiros, mas completamente fora da equipa) e meteu Matias, recuando Maniche para o duplo pivot com o Mendes. A equipa melhorou instantaneamente, a defender de forma mais agressiva e coordenada e, a atacar, com dois “registas” alternados a alimentar, com futebol directo, os três artistas. Imagem que vale mil palavras: Maniche e Mendes saíram abraçados ao intervalo, a corrigir posicionamentos: são eles os novos líderes futebolísticos da equipa. Haja saúde…

Artistas – Vuk, Matias e Valdes. Durante os últimos 15 minutos da primeira parte e os primeiros cinco da segunda, o Sporting  jogou à bola. Com Maniche a dar uma dimensão nova ao futebol da equipa, a procurar jogar rápido e nos espaços vazios. E a procurar os artistas: Matigol, Vuk e Valdes, três jogadores que correm com a bola e ultrapassam adversários com facilidade. Valdes foi o melhor, mas também sem “bagagem negativa” com os adeptos. Matigol a distribuir mas ainda sem finalização. E Vuk, um renovado Vuk, pressionante, mais colectivo, sempre em diálogo com o treinador e na direita, como quer. Esta é a melhor versão do Sporting 2010-2011. É a luz ao fundo do túnel. Tem tudo para dar certo, com alternativas como Izmailov (???) e Salomão (está ali um Nani, se ele quiser e o deixarem). Tudo isto é muito giro, mas há um pormaior: Liedson

Liedson – É o herói incontestado de Alvalade. Está sozinho no coração dos adeptos. Basta entrar no relvado em direcção do banco para ser aplaudido e celebrado. Pode ser um problema. No estádio percebeu-se que não gostou de entrar a cinco minutos do fim e “obrigou” o preparador físico a confortá-lo quando Paulo Sérgio lhe disse que entraria daí a dois minutos. Mas, depois, entrou e viu-se logo. A equipa cresceu imediatamente. Mas já em 4-4-2, que tinha sido introduzido aos 60 minutos, com a saída do Matias e a entrada do Postiga e do Salomão. A grande incógnita deste Sporting é o entendimento geral entre Paulo Sérgio e o “cabeça de cartaz” da equipa. Se o treinador convencer o Liedson a jogar sozinho (precisa de trabalhar porque não sabe fazê-lo), a equipa ganha dimensão. Se for “forçado” a jogar no 4-4-2, a ladeira fica mais íngreme.

Fez-me bem ir a Alvalade. As primeiras impressões assustavam (estádio tenso, anti-clímax na apresentação, habitual ambiente de festa artificial) mas, com o tempo, a coisa foi-se compondo. A equipa ajudou. Há um novo Sporting. Ainda sobram “maçãs podres”, o Veloso, o Djaló e o Patrício parecem estar a mais. Involuntariamente, mas são os rostos de um passado que está a ser rapidamente enterrado. Polga sobrevive, Liedson é Liedson e o Vuk pode voltar a ser o Vuk. Falta outro médio centro, outro “artista” e um gajo que marque golos (o Pongole parece mais fresco, mas não rematou…). E um guarda-redes, se a Juve Leo continuar a assobiar o Patrício (outra sintonia com a direcção?).

“O Maniche, o Maniche. Que se foda o Moutinho, nós ficámos com o Maniche”. É o novo cântico da época. Um exagero emocional e claramente em sintonia com a direcção, mas ficou-me na cabeça. Como símbolo do novo Sporting, assente na rodagem de jogadores experientes em detrimento das bandeiras de jovens-velhos. F5. Refresh, o novo Sporting vem já a seguir, para o bem ou para o… costume.

25 thoughts on “F5

  1. Grande texto. E muito obrigado, irmão leão. Estou a 200 km de Lisboa, o jogo não foi televisionado e fui ao vosso blogue antes de ir ver análises dos incompetentes da praxe. Um abraço.

  2. Acrescentava também Grimi ao lote dos que já não fazem parte deste filme. Claramente a mais e bastante infeliz no jogo. Por outro lado gostei do Evaldo e das 2 ou 3 arrancadas que teve na 2.ª parte.

    Não percebo a situação do Polga. De pseudo-dispensado passou a capitão. Além disso ficamos com 5 centrais no plantel, e nem vou contar com Caneira e Mexer. Isto vai ficar assim?

    Os miúdos André Santos e Salomão entraram sem medo de jogar. Bom sinal.

      • Pois…não é, mas a história de haver 4 ou 5 capitães que vão rodando durante a época também não me convence…penso que devia haver explicitamente um Capitão, um líder de balneário…mas pronto, são opiniões…e o Paulo Sérgio tem a dele.

  3. Não sou defensor desta direcção, e já o manifestei por várias vezes.

    Agora também não posso deixar de achar estranho que, num post em que se fala bem (finalmente há alguma coisa para dizer bem!) do Sporting e já com algumas horas de publicação, há apenas 7 (SETE) comentários!

    Se fosse a descascar no JEB, Costinha ou outra coisa qq, isto já ia nos 30 e tal. Uma pena.

    Pessoalmente, critico quando acho que tenho o direito de o fazer mas também sei reconhecer quando as coisas são boas: e ontem foi um exemplo disso. Por isso, os meus parabéns à equipa pela exibição. Espero sinceramente que seja para continuar e se assim o for, esta época promete!

    • Eu também gostava de deixar uma crítica positiva mas não tenho grandes factos sobre os quais me basear para uma análise, porque não vi o jogo. A questão é que, tal como eu, muitos outros não terão dados para referir que gostaram do Maniche ou desgostaram do Patrício – ou vice-versa.

      A única coisa que me apraz dizer é que não tenho razões para não ter confiança no Pál Sérge.

      Espero que possam vir mais alguns reforços (independentemente do ‘som’ que nomes como Drenthe ou Gio dos Santos têm, eu gostava muito de ter o Manelelé naquele meio-campo, a título definitivo!) e que lentamente os Sportinguistas possam mobilizar-se em torno da equipa e do Clube, mesmo que desejem que o cabelo-branco vá comer um enorme cagalhão com varizes. Sobretudo porque apesar de a época passada ter sido má e ser difícil fazer pior, tal não acontecerá automaticamente!

      Seguindo a já clássica adaptação do “My Way” do Frankie ‘Ol Blue Eyes’ Sinatra, também eu farei o que puder pelo meu Sporting

    • Nastase…
      Se tivesses acesso às estatísticas deste blogue e aos picos de audiência que gera, perceberias um pouco melhor algumas das coisas que compõem a essência do ser sportinguista.
      A tendência genética para a desconstrução é uma merda? É! Muitos de nós padecemos desse mal? Sim!
      A culpa é só nossa? Não!
      Esta dicotomia entre ser-se adepto de um “grande” e só festejar 3 títulos de campeão em 30 anos provoca uma esquizofrenia que terá tanto de censurável como de compreensível.
      Não achas?

      • Cintra,

        atenção que não sou contra quem critica! É saudável e recomenda-se pois a apatia e conformidade é uma bela merda. Eu também critico, e muito, toda a gentalha por detrás do JEB e cia lda. Tanto que nem votei neles. Mas pronto, adiante.

        Quanto a ser adepto como o descreves, isso também é o que nos faz Sportinguistas. Se gosto de festejar apenas de 10 em 10 anos? Claro que não!! E como dizia o outro, quero mais, muito mais!

        No entanto, não me deixa de entristecer que após criticar (e com muita razão) muitos não tenham os colhões de vir aqui dizer: eh pah sim senhor, parabéns, ontem foi fixe e espero que continue assim! Porque nem tudo é só branco ou só preto…

  4. A tua análise só aflorou um dos que para mim, vai ser a revelação desta época no Sporting: Salomão.

    Se a apresentação tivesse sido contra o Manchester Utd, lá iam ter que desembolsar alegremente mais 15 milhões.

    Gostei muito do miúdo, pelo que jogou, deu a jogar, e atrevimento na hora do remate.

    Gostei mesmo.

  5. Não pude ver o jogo mas fico muito contente por saber que já há pessoal a falar de “revelações” para a época que aí vem. Os últimos tempos foram tão beras que até a esperança nos falhava e nada como sangue novo para inverter o pessimismo.

    Fico à espera da digressão na américa para ver estes meninos em acção, já com menos margem de manobra para desculpas de pré-temporada (legítimas, claro). O Yannick era para despachar antes de lesionar, sff.

  6. Eu vi o jogo e gostei de alguns jogadores em especial:

    – Salomão
    – A.Santos
    – Evaldo

    Parece que o Salomão tem condições de ficar no plantel principal e já não precisamos de ir buscar mais nenhum ala. Precisa é urgentemente de ganhar massa muscular, porque aquele corpo ainda é de 3ª divisão.

    • Esse trabalho físico é uma das grandes falhas da formação. Veja-se o que os jogadores “crescem” quando vão para os maiores clubes vs o que sucede aos que ficam em Alvalade como Pereirinha e Adrien, dois exemplos para não estar aqui a tocar em nomes “proibidos”

  7. Acredito que todos os Sportinguistas anseiam sempre por uma vitória,por uma exibição que mostre que estamos no caminho certo,por coisas que nos renovem a esperança e nos façam continuar a apoiar incondicionalmente a nossa equipa,se assim não fosse o clube teria desaparecido após anos e anos de jejum.
    Custa-me a perceber os que propalam apoio cego mas continuamente vão ao estádio e aqui,por exemplo,vaiar e humilhar quem veste a camisola.È dificil digerir isso e devem ser poucos os clubes onde jovens formados nas escolas e que estão à anos nos mesmos, são publicamente enxovalhados pelos adeptos em vez de apoiados.Talvez seja por isso que de facto não conseguimos manter as figuras que nós proprios criamos e temos dado ao futebil nacional,talvez seja por isso que essas figuras saem logo que podem e desde cedo procuram construir o caminho deles noutro lado.Talvez seja por isso que Figo tenha sido o que foi e nunca tenha ganho um campeonato no Sporting,e tenhamos Quaresmas,Simãos,Moutinhos,Futres,N.Valentes,
    Nanis,Ronaldos,etc,etc.
    Como já se estão a fazer as camas a outros três (Patricio,Veloso e Djaló) isso deixa-me a pensar quando é que aprendemos com os nossos erros e mais que isso,não será de facto legitimo que eles queiram sair do SCP para irem ganhar os títulos que certamente desejarão ou como sempre nos é atirado à cara em jeito de desculpa,será pelo dinheiro?
    É que pelos vistos temos aqui um problema,se não se trata de dinheiro tem de se tratar de amôr e repeito, e no Sporting pelos vistos não existe uma coisa nem outra!

  8. Douglas,
    bastaria o título do teu post para dizer o que realmente importa: estamos a arejar a casa, deixando sair aos poucos o cheiro bafiento que ficou da era Bento.

  9. estive lá..

    parece-me acertada a análise para o facilitismo sentido pelo Lyon na primeira parte. tiveram várias (3!?) oportunidades isolados frente ao guarda redes. (belas defesas!)

    na segunda parte melhoramos. realmente o maniche trás outro futebol. rapidez de passe. sentido posicional. consistência defensiva. bela contratação! (e contra mim falo, q o julguei rápidamente pelo “tri-queixo” apresentado.)

    De resto o q se nota é a necessidade de muito trabalho, a evidente necessidade de vender alguns jogadores (yanick, veloso, grimi, abel….) e reforçar o meio campo e ataque.. mas vá.. foi melhor do q imaginava..bons momentos de futebol. esperança renovada para uma época diferente (pra melhor..)

    e serei eu ou 5 Milhões pelo Yanick é mt dinheiro!?

    melhor descrição q eu alguma vez li dele:
    “São parvos. Este rapaz, por seis milhões de euros, era dado. Precisa de três toques para controlar um esférico, não aguenta uma carga de ombro dum tipo com mais de setenta quilos, possui uma certeza no remate que é mais ou menos conforme calha, não ganha uma bola de cabeça, é menino para falhar meia dúzia de passes em sete tentativas, dribla-se muitas mais vezes a ele do que aos adversários, é indivíduo para estar quinze minutos seguidos sem tocar na chincha, tem do jogo de equipa uma noção comparável à que eu possuo do golfe mas, que diabo, é um tipo relativamente rápido a conseguir isto tudo e já tem o cabelo praticamente liso!”

  10. gosto da limpeza k se está a executar, custa-me no entanto ver k gostamos de “marcar” sempre alguém…
    massacramo-los até os esgotar e depois vamos gritar k são traidores, custa-me, que querem?
    mas depois os mesmos k assobiam o patricio ou o djalo(não gosto do n.º20 como jogador), fazem do “cobra” liedson um herói…
    sim custa aos sportinguistas, perceber k existem principios k têm de ser válidos para o scp k terão de ser aplicados a todos os elementos, desde o k dá frangos ao k marca 15 golos por ano, sem espinhas, sem mimos …

  11. 1. A Juve Leo como tu insunuas nem assobiou muito o patricio. E sinceramente acusar de alguém se associar à direcção neste assunto é continuar a pensar que não ir ao mercado e manter o miúdo é uma boa estratégia.

    2. A sintonia com a direcção como tu insunuas não criou nem cantou a música. Quem a inventou e cantou não faz nada a mando ou incentivado pela direcção, fá-lo por sua livre e espontânea vontade. E para além disso, faz tudo contra esses mercenários que vivem para um dia cuspirem na camisola do Sporting Clube de Portugal e se servirem dele.

    By the way? Veloso 12 Milhões, não era?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s