Estórias de Viseu

Noite gelada. Rua cheia de chuva, sem pessoas nem carros. Um único café. Com uma TV. “Vão dar o jogo do Sporting?”, pergunto com a garganta cheia de frio. Abre-se um sorriso no dono do café: “sim”. Enquanto me sento e peço uma cerveja, pergunto-me “mas ri de quê, este gajo?”. Começo logo à defesa. No entanto, o ataque vem de outro lado. O dono muda de canal e já se sente o ambiente deprimente do estádio do Leiria. Na mesa, à minha frente, um grupo de jovens animados, solta a primeira ofensiva: “olha, vai dar o jogo do Sporting, ahahah”. Nem o respeito têm para nos chamar lagartos. Ignoro. Concentro-me nos preliminares. Joga o Valdés. E a 10, parece. “Olha lá, ó Vítor, tu hoje não te safas, ahahah”. O dono riu-se porque é do Sporting. E riu-se porque deixou de estar sozinho. Todos os frequentadores do café são do FC Porto. São tripeiros, retintos. Novos, entre os 20 e os 30. Vários grupos, diferentes fornadas… mas só falam do FCP. “Estes gajos perderam o Varela, como é possível, ahahah?”. O Vítor vem logo em socorro da sanidade e tapa-me a visão da TV para explicar toda a questão administrativa dos contratos do Varela com o Sporting. Valeu a pena perder 30 segundos do jogo para defender a honra do Paulo Bento.

“O Pena? O Pena ainda foi o melhor marcador do campeonato”; “Tu não sabes as alcunhas dos jogadores, carago? O “cabeças” agora treina o Covilhã”; “Ó Vítor, olhó Maniche… ahaha, só dá pau, já devia estar na rua”. Tento focar-me no jogo. Não consigo. “O que é que eles inventaram agora? Que o Leiria jogou sem os titulares contra nós? Ahahah”; “Tenho a camisola do Conceição e do McCarthy. Adoro o Conceição. Mas ainda não houve um jogador do FCP que me enchesse as medidas como o Paulinho Santos”. Pimba. Golo! Toma, caralho!, penso, ainda anestesiado pela conversa à minha frente. Atrás de mim, um velho também grita golo. Afinal, eu e o Vítor não estamos sozinhos. Fixe. Comida não há. É só beber. O grupo de tripeiros roda, saem 10, vão para um jantar, entram outros oito. Na mesa mais perto da TV joga-se às cartas e ri-se muito quando o Leiria marca. “Ahahah, este Sporting nunca falha!”, goza-se. Eu distraio-me em abstracções sobre os defesas centrais leoninos.

O que mais perturba é a total falta de respeito pelo Sporting. E a convicção de serem os donos do mundo. O futebol começa e acaba no Dragão, o resto ou é merda ou não é relevante. E nós estamos no grupo dos irrelevantes, o que é assustador. Penso isto e toma lá um golo a sério! “Grande golo, olha vê… porra, sim senhor, ó Vítor, o Sporting até sabe marcar golos”. Chega a segunda parte e já consigo concentrar-me no jogo, deve ser da cerveja, mas provavelmente é da iminência do terceiro golo que nunca chega. Mas está perto. O meu vizinho do Sporting está tão impaciente que começa a desenvolver o sportinguês: “que merda, assim não, não conseguimos marcar, irra, tantas oportunidades falhadas vão custar caro, este Sporting assim não vai lá”. Fala sozinho. Eu não lhe respondo. Mas fala por milhares.

O café, agora tão cheio que já é impossível perceber as conversas, reage em horror à visão de uma tíbia quase exposta. E o horror ganha força com a entrada de um gajo grande, cheio de sangue, com uma faca na cabeça e a roupa rasgada. É a noite das bruxas em Viseu. Atrás de mim, o meu colega sportinguista tem um amigo que lhe trouxe uma “prenda”. Riem muito e eu deduzo que é da aguardente. Mas não é. Acaba o jogo e o “amigo” do meu colega levanta-se, puxa da “prenda” e começa a tocar o “apita o comboio” num belo e melodioso trompete. A vulgar “corneta”. Saio do café, sem perceber nada. No fundo da rua ainda se ouve a corneta, enquanto eu tento enquadrar mentalmente as minhas últimas duas horas. Não consigo, está demasiado frio. A única coisa que me passa pela cabeça é se esta noite, há 20 anos, não teria sido muito diferente? Desvalorizo a “amostra”. Afinal, é um café, no centro de Viseu. Não quer dizer nada. É uma bizarra coincidência que durante um jogo do Sporting, num grupo de 30 pessoas, um velho e dois trintões são do Sporting, e todos os outros, mais novos, são do FCP e menosprezam o Sporting.

Não, não tem importância. Afinal, estamos à distância de um clique.

Anúncios

44 thoughts on “Estórias de Viseu

  1. Quer se queira quer não, o SCP perdeu muito do seu apoio popular. Até mesmo em locais onde tradicionalmente era forte, como é o caso de Viseu. Mais ainda, e como bem dizes, já nem tomado a sério, já nem causa raiva, jé nem ‘é merda’. É pior do que isso, é ignorado. É olimpicamente ignorado… não sei se ainda se vai a tempo de estancar esta sangria.
    Off-topic: conhecem a expressão gloear pela margem mínima? Pois eu também não conhecia: http://bancadadeimprensa.blogspot.com/2010/11/goleadas-morais.html

  2. Fdx conseguiste encontrar tripeiros em Viseu? Eu conheço cá 5 ou 6 no máximo lool lá lampiões cabrões à cá muitos… mas a próxima avisa e vens ver o jogo a minha casa que cá pelo menos só se vê verde à frente ;)

  3. Vocês andam é a precisar de Prozac, para se deixarem afectar por um bando de morcões amantes de ladrões durante um jogo do grandioso….

    E que tal oferecer putas a árbitros? Ou viagens? Já agora dar-lhes o cu? A troco de uns campeonatozinhos?

    Ganhem mas é juízo!

    Enquanto andarem assim, vejam mas é o jogo em casa. E se estiverem em viagem, ouçam pela rádio.

  4. Sintia o mesmo quando via o Sporting nos cafés! Hoje em dia recuso-me a ver jogos do Sporting sem ser em Alvalade ou em casa. Se não puder ver em casa ouço o relato.
    É mais emocionante assim quando o Polga faz um passe em profundidade quase que parece golo :D

  5. Grande Post parabéns!

    Tudo o que sentiste é algo que eu já sinto á muitos anos aqui na cidade do Porto.

    Esta indiferença, esta ideia dos coitadinhos, este constante gozo deixam-me fora de mim!

    Mas o que mais me irrita é quando eles dizem: ” antes o Sporting que o benfica!” Mostra o quanto somos indiferentes para eles e isso deixa-me revoltado. O Sporting perde todos os dias o popularismo e o respeito por parte de muita gente jovem.

    Quando lhes perguntamos: “então e o Sporting?” eles dizem: ” O Sporting? Óh pá o Sporting não incomoda ninguém, coitados…”

    É triste. Esta indiferença não pára. E vai continuar a crescer.

  6. Isto não se reflecte em todas as zonas. Já assisti a muita porrada em cafés em noites de dérbis lisboetas. Essa rivalidade do Porto/lamps acentuou-se nos últimos anos, mas quando sportinguistas e lampiões se enfrentem (principalmente num espaço reduzido) pega fogo.

    E assim também eu o vejo, o meu maior rival continua a ser a lampionagem.

    É o dérbi eterno.

    • Concordo, mas há zonas onde mandávamos ou tinhamos uma presença muito forte (Viseu e Coimbra são casos clássicos) onde estamos a perder muito terreno e isso assusta.

      Ali na zona Oeste continuamos fortes, mas tem que se trabalhar muito (e ganhar troféus relevantes também dava jeito…) para dar a volta a esta retracção da nossa base genuinamente popular.

      Mas… Ainda não há jogo como um Sporting-Benfica para meter o país a ferver, aquele derby do Peseiro foi inesquecivel.

      Post muito, muito importante.

      • O Sporting que volte a ganhar títulos e vão ver o que acontece nos cafés. Hoje em dia nem há é paciência de ir ver os jogos à tasca.

        Quando começarmos a ganhar troféus, até a barraca abana.

  7. Essa sensação é um bocado inevitável. É fruto dos últimos 25 anos de domínio avassaldor do porto no futebol portugês o que faz com que as gerações mais novas tenham tendência a simpatizar com eles o que não acontecia até aqui. De um clube regional transformaram-se num clube à escala nacional. No entanto, em termos absolutos acho que ainda somos mais que eles. A clubite em Portugal sempre foi e ainda é muito hereditária, felizmente.
    Por tudo isto é que são de fundamental importância os próximos anos para o posicionamento do nosso grande clube. Temos de ser capazes de ganhar um campeonato de 3 em 3 anos, vá de 4 em 4. Sem isso, esta tendência que já se sente agora de crescimento dos adeptos de outros clubes, tornar-se-á irreversível.
    Força Grande Sporting.
    Saudações Leoninas

  8. Caro Douglas,

    Quando vieres novamente a Viseu eu mostro-te o que é ser Sportinguista . Escolhes-te o tasco errado. Em Viseu existem mais Sportinguistas do que benfas e portistas. digo-te por experiência de 27 anos a viver em Viseu. Numa aldeia a 2km do centro, em 50 jovens 40 são do Sporting, e com muito orgulho.

    Escolhes-te mesmo mal o tasco. Já agora podes dizer o nome do tasco só pra ficar a saber??!!:)

    Quando cá vires outra vez diz qualquer coisa e eu mostro-te o que é ser Sportinguista do interior.

    Abraço

    F. Mota

  9. É a imagem que acontece um pouco por todo o pais. Somos levados por tripas e lamps e porquê?!

    Porque não assumimos publicamente uma luta sem tréguas á corrupção (porto) e á máfia (Benfica) preferindo fazer almoços e sentar á mesma mesa para negociar jogadores com essa cambada de corruptos e mafiosos.

    Porque não ganhamos campeonatos, algo que de 3 em 3 ou 4 em 4 anos dava muito jeito. Não é com uma tacinha de Portugal ou supertaças que se entra dentro de um café de peito cheio para nos defendermos deles.

    Porque não investimos em qualidade no plantel com bons jogadores alimentando a esperança de ano após ano sermos campeões e termos a melhor equipa do mundo, como acontecia nos tempos antes de Roquette.

    Já á algum tempo que evito ir ver jogos a cafés ou outros locais públicos. Da ultima vez que lá estive a coisa correu mal por causa do “venda” do Moutinho…não presto vassalagem a ninguém, ao contrário do cabelos brancos!!!

  10. Pois eu posso-te contar algo diferente.

    Por norma quando o jogo é ao Domingo ou não é a mais de 100Km mais coisa menos coisa (isto agora vai mudar um bocado por causa das Scuts)em que o orçamento ainda permite ir ver o jogo, vou ver o jogo onde dá.

    Certo é que não vou sozinho, somos sempre os mesmo 4-6 a ver.
    Certo é que também somos 2 trintões, 2 quarentões e dois miudos um com menos de 10 anos.
    Neste Domingo eramos 4, juntou-se um 5º que não conhecia, amigo de amigo, Leão logo meu amigo.
    Os miudos ficaram em casa que o tempo não ajudou.

    1º golo, não sei porquê mas havia confiança logo o festejo foi algo timido, eu como sempre gritei-o junto com os outros 3.

    Golo do Leiria, o café estremeceu pois os gémeos esqueceram as diferenças e festejaram, subitamente eram todos brancos, não havia azuis e vermelhos.
    Indiferença?
    Medo, repondo!

    2º golo, gritei, gritamos mais alto, bem mais alto para o espanto dos gémeos.
    5 numa mesa, mais dois um casal na mesa ao lado, outro noutra mesa e este acho que até já tentou abrir uma casa do Sporting por aqui, um bem por trás de mim encostado ao balcão com voz à Damas e pelo que me apercebi pelo menos dois lá fora que tentavam fumar um cigarro por baixo do toldo do café em luta com o vento e a chuva.

    O café estremeceu e os gémeos guardaram a viola!

    Estamos no Alto Minho, bem a Norte pelo que seria de supor que existem poucos Leões mas não, há e muitos.
    O que concordo é que são cada vez mais mansos mas isso a culpa também é deles, desistem.
    Eu desisto quando morrer e mesmo disto não tenho certezas!

    Se se atrevem a dizer-me algo tenho sempre resposta.

    paulinho santos?!
    Isso só foi jogador de futebol no tempo de pratas e outras ténias que se armavam aos juizes.

    Tantas vezes campeões?!
    Não me perguntem a mim, perguntem ao calheiros que tem casa a 6km.

    Titulos internacionais?!
    As putas e os putas (perguntem ao boss) dão sempre jeito assim como dá jeito treinar em casa descansado para jogar fora contra quem se tem de esforçar na sua casa.

    Há mais mas não me apetece nem tenho vocação para escrever um livro de no minimo 300 páginas.

    Enfim já me conhecem e sabem que não ficam sem resposta o que obviamente não é o mesmo que sozinho num sitio que não é a nossa terra!
    Só me apeteceu partilhar isto.

    S.C.P. SEMPRE
    Gnitrops

      • Pois há!

        Quando quebramos o jejum foi um espetaculo único!

        Foi lindo de se ver a festa pelo país fora mas aqui foi algo de especial.
        A cara dos gémeos não era de espanto era mesmo de terror.
        E nem tenho duvidas em dizer que mesmo por aqui não estamos atrás do gémeo azul.

        Hoje em dia outra coisa que me faz brilhar os olhos é ver nos mais variados sitios, hiper, shopping, na rua, os miudos vestidos com o verde e branco fruto da escolinha de futebol!

        Jogam num sintético e os sub 11 têm grandes dificuldades de arranjar adversário para jogar porque menos de 10 é derrota LOL.

        Não vejo a hora de termos o Hoquei no topo outra vez para voltar a vê-los aqui no pavilhão contra a Juventude de quem gosto mas que não é a mesma coisa.
        Foi assim que se fez enorme o Sporting, não foi só com o futebol!

        Lembro-me de ser miudo e ir assistir provas de atletismo em corta mato e o fascinio pelas verde e brancas que ganhavam regra geral era tanto que quase toda a gente queria ser o Mamede ou o Carlos Lopes.
        Quase todas as Casas do Povo (como se chamavam) tentavam ter atletismo e lutavam pelo direito de usar o verde e branco.
        Cheguei a correr orgulhosamente com uma que infelizmente a minha mãe estragou com lixivia, com os anos desfez-se.
        O fascinio do Ciclismo sempre a esticar o pescoço para tentar ver o Joaquim Agostinho e preparação de tácticas para tentar apanhar algo que o carro do Sporting sempre oferecia.
        Tenho um boné que o meu avo (Tripeiro de Miragaia) apanhou e me deu que guardo religiosamente.

        Outros tempos que um banana decidiu tentar matar para depois ajudar despudoradamente o gémeo vermelho e o pior é que esse diz-se Sportinguista e até vai ver uns jogos a Alvalade presumo que sem pagar bilhete.

        Flopes.

        O que sei é que o Sporting precisa mesmo de se voltar a mostrar em força mas isso infelizmente parece que tão cedo não irá acontecer!

        Por culpa própria e não só!

        S.C.P. SEMPRE
        Gnitrops

  11. Mais do que perder adeptos, acho que os sportinguistas se têm é resignado e afastado. Além de não haver títulos para festejar e qualidade de futebol para nos motivar (para além de não ligarmos patavina às modalidades que nos vão dando alegrias, nisso não somos assim tão diferentes), acho que o adepto sportinguista sente cada vez mais que o seu apoio é indiferente para os que mandam e pensam o clube. Então fora de Lisboa, nem queiram saber como isso se sente. Por outro lado é normal que a miudagem queira ser dos que ganham. E que os pais sportinguistas dessa miudagem se vão desinteressando de criar novos leõzinhos. No fundo ninguém gosta de ver os filhos sofrer. No entanto, há motivos que nos fazem pensar que nem tudo está perdido. Moro no litoral alentejano e o meu filho joga nos infantis duma escola de futebol que até pertence ao João Alves, o luvas pretas do benfica. Pois dos 14/15 jogadores que o têm acompanhado desde os escalões mais novos, 11 ou 12 são do SPORTING. Parece mentira mas é verdade, para muita irritação dos directores da escola… principalmente quando os levam como prémio ao estádio da luz e percebem que estão a contribuir para aumentar a claque do adversário. E além disso, somos o único clube que tem uma aldeia de 300 e tal habitantes em que 99,5% da população é sportinguista (Parambos em Trás-os Montes). Se eu fosse dirigente do SCP distribuía bilhetes de época por aquela gente e alugava um autocarro todos os fins de semana para levar uns quantos aos jogos por este país fora. E publicitava isso ao máximo…

    SCP sempre!

    • Uma boa ideia que deveria ser espalhada a vários pontos do pais. Apoiar o Sporting deve estar ao alcance de quem quer e não apenas de quem pode.

    • Este ano passei férias no litoral alentejano. Em dias de jogo do Sporting ouvia-se o burburinho e sentia-se uma azáfama como há muito já não sentia (nota: por oposição à hora do jogo vitória g. – carnide, estava em casa quando ouvi um “GOOOLO” por toda a aldeia. Era o carnide que tinha levado um golo).

      No dia do jogo Lille – Sporting estive sentado a petiscar e a beber umas imperiais num café à pinha de Sportinguistas enquanto ia acompanhando a nossa vitória. Quando acabou o jogo eram 20h e estava a começar o jogo dos tripeiros. Olhei à minha volta e não havia ninguém em nenhum café.

      Também o Ribatejo é uma região com muitos Sportinguistas fervorosos. Falo particularmente de Benavente, Salvaterra, Samora, Marinhais, Coruche, etc.

      Por outro lado, existem outra região que ainda não foram faladas e que sempre tiveram um enorme amor pelo Sporting: A Beira, em particular a Beira Alta e o Algarve.

      Somos muitos, não tenho dúvidas mas andamos com pouca vontade de mostrá-lo. Bem queria um título nacional para sairmos todos de casa outra vez, para que todos possam ver novamente a nossa força…

  12. Caro Douglas,

    Então o café está cheio de tripeiros a ver o Sporting e tu achas que eles nos vêem com indiferença? Não concordo.

    Com indiferença trato-os eu… pois ao contrário deles, não sou capaz de ver 5 minutos de um jogo de porcos ou de tripeiros… a menos que joguem entre eles.

    Eu, por acaso, também vi o jogo num café. Tenho a casa em obras e de momento não tenho Tv, e aquilo estava cheio de lampionagem. Sportinguistas, era só eu e outro. O resto, era tudo porcos a torcer pelo Leiria. Mas sabes porquê? Porque aquela merda é uma tasca e 90% dos clientes estão bebados desde as 7 da manhã.

    SL

    • Ora nem mais.Eu não consigo ver jogos dos corruptos, nem quando dão de borla.Muito menos me daria ao trabalho de ir ver uma partida ao café.Na altura do jogo da segunda-mão da pré-eliminatoria da liga europa,em que demos 3 fora aos Dinamarqueses,encontrava-me de férias e garanto que eram muitos Sportinguistas a sofrer onde vi a partida.A derrota em Paços e as exibições sofridas, a falta de um verdadeiro craque que embale a malta e a desmotivação que vem de trás,de épocas perdidas e sem sabor,têm afastado os sócios e adeptos.Nota-se logo que após um ciclo de vitórias convincentes o público aparece,mas mais importante é se o futebol praticado é apelativo.
      Isso foi algo que andou arredado nos ultimos anos.

  13. “O Cercle de Brugge, clube com o qual o Sporting tem um protocolo de cooperação e que conta, por empréstimo dos «leões», com Nuno Reis, Renato Neto e William Owuso na sua equipa principal, está a organizar, no seu site oficial, uma excursão de apoio à equipa «leonina» na partida com o Gent, da próxima quinta-feira.

    O autocarro está praticamente lotado de adeptos belgas – que se juntarão a várias centenas de emigrantes e aos sportinguistas que viajam de Lisboa – para que a equipa de Paulo Sérgio se sinta o mais possível em casa, no encontro da quarta jornada da Fase de Grupos da Liga Europa.”

    in: sporting.pt

  14. A falta de respeito parece-me normal, eu também não respeito galinhas e tripeiros. Se for ver um jogo do benfas num café cujo dono é lampião e meu conhecido, também passo o jogo a mandar jardas sempre que houver oportunidade.

  15. Prá próxima vem a Castelo Branco, caralho! Pelo menos não levas com adeptos dos corruptos… Já com lampiões igualmente( ou piotr) atrasados mentais não garanto… LOL. Mas fdz, numa amostra de igual grandeza à que encontraste em Bizeu encontavas mt mais lagarto de certezinha absoluta.

    Abraço!

  16. Este é um dos melhores textos que li recentemente.
    O Douglas devia escrever mais.

    E é tao bem escrito como lapidar como verdadeiro. Será que ainda vamos a tempo? Claro que sim, mas nao é com um clique nem com um campeonato. Isto só poderá alguma vez mudar com um período de hegemonia desportiva do Sporting no futebol. Que, como está bom de ver, é pura fantasia no contexto actual.

    Mas que belo texto!

  17. Mas só agora é que nos apercebemos disto???

    Obviamente que o Douglas tem muita razão no que diz, apesar do tom excessivamente negativista.

    Parece que estamos a caminho de nos tornarmos o Feynoord cá da terra, mas com a agravante de não sermos o único grande clube do burgo, ao contrário deles…

    A verdade é que apesar de tudo existe uma diferença entre o “ser” e o “parecer”, e como tal ainda há saída.

    Não acho que sejam só os títulos a motivar as simpatias. Acho que fundamentalmente é a ambição. O Sporting ficou 18 anos sem ganhar o campeonato e mesmo assim todos nós, sportinguistas, vivíamos cada época como sendo a tal. Ou então “é pró ano”. Mas vivíamos sempre com a ambição de chegar lá, hoje ou amanhã. E tinhamos razões para isso. Tinhamos boas equipas e o nosso apoio jamais faltou. Tinhamos orgulho em ser sportinguistas, fosse qual fosse o resultado.

    Julgo que esse orgulho, essa ambição, é que está gravemente ferida, moribunda mesmo. Nós simplesmente já não acreditamos. Vivemos todos os 90 minutos da nossa equipa com o coração nas mãos. Não temos confiança nos nossos. É isso que temos de recuperar. AMBIÇÃO!

    E isso só se faz com uma equipa AMBICIOSA, apoiada num discurso AMBICIOSO, de dirigentes AMBICIOSOS, que se deixem de lamber o cu aos MAFIOSOS e passem a ser mais AGRESSIVOS e menos politicamente correctos. Cadê?

  18. O post está interessante e dá que pensar. Não conheço Viseu, mas faz sentido que 18 anos sem ganhar titulos, mas 8 que já levamos de seca causem mossa.

    Estive em Espanha no fim de semana de maneiras que não vi nada. Já percebi que a doutrina por aqui diverge, e que há quem tenha gostado do jogo, e quem não lhe tenha achado tanta graça. Só vi os golos do Valdéz e gostei sobretudo do resultado porque estavamos a precisar de embalar.

    Hoje estive a ouvir uns amigos muito exaltados a dizerem que nós fomos roubados( com o João Ferreira a apitar, o homem que não viu a mão do Ronny e nos roubou com isso um campeonato, queriam o quê?!), que o Porto nem devia ter realizado o seu jogo e o carnide escandalosamente levado ao colo. Não vi nada de nada do futebol português- apenas vi o Barça a enfiar cinco ao Sevilha e a remontada dos vikingos em Alicante. Ah e o Atleti a empatar contra o Almeria claro. Para além da Liga Espanhola em Espanha apenas se vê a Liga inglesa e a italiana. Quando há um 10-0 lá mencionam nos resumos( claro!) a Liga da Holanda, e os golos do Bayern( não a Bundersliga) ainda lhes merece alguma estima. Fora isso é o deserto. Nós de resto temos sensivelmente a mesma visibilidade do campeonato turco… Mas se o que se passou foi mais do filme do ano passado não têm nada que estranhar. O carnide está a fazer exactamente o que disse que ia fazer.

    Um abraço

    Ps: Estava a ver os posts antigos e vi um que me fez rir. O Ronaldo na sexta feira deu duas entrevistas, uma ao record e outra à marca. Só li a da marca e deu-me vontade de rir na última pergunta. Pergunta-lhe o entrevistador da marca: onde pensas terminar a tua carreira?( Nota: esperando naturalmente ouvir a resposta: no RM…)Resposta do CR: Não sei, na verdade não penso muito nisso. Isto saiu na edição impressa da marca de sexta feira. Compare-se isso com a capa da edição do mesmo dia do Record( Pode sempre haver a hipótese de o gajo dizer o que disse apenas para português ler…). Lost in translation?!… :)

    • Ora fdx ó Pita? Vem um gajo ler comentários sobre o SCP e sais-te com o resumo da jornada de ‘la Liga’ e concluis o teu coment com uma questão que remete a memória para um filme tãooooo tesudo?

      Isso não se faz… é cruel… Mais ainda ao misturar as viseenses de buço com a Scarlet, pá!:D

      Just kitting!

      Abraço.

  19. Não percebo esse problema de termos menos adeptos… O Sporting sempre foi um “clube de elite”. Se não percebem passo a explicar, só é do Sporting quem tem um QI acima da média, logo, a larga maioria é do Porto e do Benfica… E que assim continue…

  20. Para quem ganhou apenas 3 campeonatos nos últimos 30 anos acho que até não estamos nada mal.

    Mas é uma evidência que fomos ultrapassados pelo FCP em termos de popularidade.

    Vejam, por exemplo, o número de fãs no facebook:

    Sporting: 97.665 (17,38%)
    FCP: 184.503 (32,84%)
    SLB: 279.714 (49,78%)

    Claro que há enviesamentos, atendendo ao momento desportivo dos clubes e à maior adesão da malta nova a este tipo de instrumentos / iniciativas, mas é um indicador, sobretudo para o futuro, que não deve ser menosprezado.

    Se analisarmos as estatísticas web (pageviews diárias) (http://urldogg.com), também aqui estamos em 3º, embora menos afastados do FCP:

    sporting.pt: 10.429 (23,44%)
    fcporto.pt: 11.862 (26,66%)
    slbenfica: 22.196 (49,89%)

    A própria alteração na orientação dos jornais desportivos mostra uma mudança do mercado, ou seja nas simpatias clubísticas dos adeptos.

    Portanto, meus caros, let’s face it, somos o 3º clube mais popular de Portugal. Fomos ultrapassados pelo FCP. Essas são as más notícias.

    As boas notícias é que apesar de um enorme vazio de títulos por comparação com os adversários, cerca de 1/4 dos portugueses continuam a gostar do Sporting. Masoquismo? Orgulho? Herança? Sei lá. Sei é que ainda há muita gente a amar o Sporting e portanto qualquer comparação com Boavista e Belenenses é totalmente descabida e desprovida de senso.

    Agora é certo que se nada for feito, este potencial que ainda vale alguns milhões de adeptos vai-se deteriorando. Não há dúvida.

    Aqui entra o terceiro e derradeiro ponto. É mais que óbvio que a estratégia anti-benfica falhou redondamente. Reparem que eles mantém o mesmo número de adeptos que sempre alegaram ter, apesar de nos últimos 20 anos também terem sido bastante fraquinhos.

    Ou seja, o FCP não ganhou adeptos ao Benfas, ganhou-os sim ao Sporting!!! E nós sempre ao lado deles, achando que o inimigo eram os lammpiões.

    Enfim, já escrevi sobre isso aqui: http://berde-e-branco.blogspot.com/2010/07/o-bom-o-mau-e-o-vilao.html

    Não gosto de bater sempre no ceguinho, mas acredito plenamente que enquanto os dirigentes do Sporting continuarem a eleger apenas o Benfas como o alvo a abater vamos continuar a ser enrabadinhos, como meninos, pelo Papa e pelos seus seguidores, que começam a ser muitos, de facto.

    De um Sportinguista nortenho, que gosta da sua terra, detesta corruptos e lacaios do regime e aprendeu desde tenra idade a amar verdadeiramente o Sporting Clube de Portugal, e não o Sporting Lisbon.

    SL

  21. Pois eu sou de Viseu, tenho 29 e sou lagarto dos pés à cabeça. Garanto-vos que como que há muitos.
    Se é difícil ser do Sporting? Muito, cada vez mais.
    Se vale a pena sofrer? Sentir aquelas riscas verdes e brancas é qq coisa que a razão não explica…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s