O Bloco de Notas do Gabriel Alves, Liga Europa, Dezasseis-avos-de-final, 1ª mão

É um estádio bonito, novo… arejado
Glasgow Rangers – Sporting
17 Fevereiro 2011
20h05, Ibrox Stadium

Uma humidade relativa, muito superior a 100%
Frio, possibilidade de chuva, e cerca de 50 mil protestantes na bancadas. Digno de uma cena do Braveheart. E nós temos que ser o Mel Gibson (com a cara pintada de verde e branco).

A selecção do Mali tem um futebol com perfume selvagem e com um odor realmente fresco…
Já se sabe que, na Escócia, os primeiros 10-15 minutos são fundamentais e essa máxima ganha maior impacto quando falamos de um dos grandes (Rangers ou Celtic), que, com o apoio do público, procura ganhar rapidamente vantagem no marcador. Jogando em casa, acredito que o Rangers entre com dois avançados (Diouf e Jelavic), num 4-4-2.

Este homem é um Mister
Walter Smith é um treinador experiente, com passagens pelo Everton e pela selecção escocesa. E continua a afirmar que o Sporting joga um bom futebol. Façamos-lhe a vontade!

Ele é excelente nestes lances porque a bola está morta e passa a estar viva
Com a venda da estrela Kenny Miller, o Rangers reforçou-se com senegalês Hadji Diouf, uma seta apontada às balizas adversárias. O seu companheiro, o encorpado Jelavic, é eficaz. O ala Weiss desequilibra. E o médio Ness é uma espécie de patrão do meio-campo.

A vantagem de ter duas pernas!
A defesa do Rangers é alta e perigosa no jogo aéreo. Mas a dureza de rins, da qual se salva o central Bougherra, é um facto, principalmente do capitão quarentão Weir.

E agora entram as danças sevilhanas da Catalunha
Paulo, este é o primeiro de uma série de jogos em que, penso, ou vai correr tudo muito bem ou vamos andar 20 dias a controlarmo-nos para não cortarmos os pulsos. Este Glasgow não é melhor do que nós. Ponto. Resta saber se teremos a mesma tesão com que eles jogam e tu terás os colhões para não nos brindares, novamente, com aqueles três médios que tornam as nossas transições praticamente inexistentes e os passes de ruptura uma verdadeira miragem. Aliás, foi notório o que aconteceu quando meteste o Matías em Olhão, não foi? Vá lá, rapaz. Dá-nos uma alegria.

Vamos jogar no Totobola
Glasgow Rangers – Sporting  x 2



Algum dia tinha que concordar com eles

«Perante a rapidez da decisão, não custa relembrarmo-nos da recente expulsão de André Vilas Boas quando o próprio não foi alvo de qualquer castigo (apenas multa pecuniária), ou da agressão de Jorge Jesus a um jogador adversário também sem se conhecer qualquer castigo. Arriscamos o prognóstico de virmos a saber qual será essa penalização no dealbar da corrente época, ao bom estilo do futebol português», in comunicado da Associação de Adeptos Sportinguistas (AAS).

Bastidores

Não posso deixar de lamentar que o único candidato que, até agora, apresentou um projecto, seja praticamente ignorado pelas capas dos diários desportivos.
Não posso, igualmente, deixar de lamentar a possibilidade da desistência do Braz da Silva ficar a dever-se a um “apertão” que o filho levou à saída da escola.

Agora é que me lixaram…

«O antigo internacional português Paulo Futre é o mais recente membro da lista de Dias Ferreira para as eleições no Sporting. Depois de uma reunião numa unidade hoteleira de Lisboa, esta terça-feira, o acordo foi alcançado e, caso o candidato chegue à liderança dos leões, terá ao seu lado o antigo craque, que será vice-presidente para o futebol e ainda diretor geral da SAD», in Record.

Portanto… o presidente que eu não quero entra a pés juntos e consegue o director desportivo que eu peço há anos… foda-se mais a ironia do destino…