hoje escreves tu: «O meu filho vai ser do Sporting»

O Cacifo dá, hoje, o pontapé de saída numa nova rubrica, o «hoje escreves tu», anunciada na passada sexta-feira. Todas as quartas, a voz dos cacifeiros salta da caixa de comenários para a primeira página, naquela que considero uma forma de enriquecer o blogue, de reforçar o Sportinguismo e de agradecer a todos os que, diariamente, ajudam a fazer do Cacifo aquilo que ele é. O sorteio ditou que fosse o Animal o primeiro a escrever, sendo que para a semana a prosa será assinada pela Lioness. 

 

O meu filho vai ser do Sporting
by Animal

Há um ano e uma semana passei pelo momento que muitos leitores do Cacifo concordarão ser um dos pontos altos de uma vida: o nascimento de um filho. Não me vou alongar com os sentimentalismos próprios destas ocasiões, ou a descrever como o miúdo herdou a beleza do pai. O que interessa aqui, é que ele vai ser do Sporting. Sei-o. Soube-o quando ele nasceu. Soube-o antes disso, quando soube que um bebé vinha a caminho. Honestamente, já quando pensava em gerar descendência imaginava como lhe iria incutir o meu Sportinguismo.

Os (poucos) amigos sportinguistas que leram o que eu escrevo sobre o nosso clube dizem que falo do Sporting de forma apaixonada. O mesmo faço em relação ao meu Sportinguismo. Uma vez que o considero uma faceta importante da minha personalidade, não poderia ser de outra forma.
O Sportinguismo está comigo desde que me conheço. As primeiras memórias que tenho do contacto com o Sporting são de longínquas colecções de cromos, ou de folhear um velho almanaque de futebol (que empobrecia as cores do nosso clube para um preto e branco sensaborão) até memorizar factos como “a maior goleada de sempre do campeonato nacional foi uma vitória do Sporting sobre o Leça por 21-0”, entre muitos outros. E poucas memórias conseguem marcar o Sporting tão profundamente na alma como aquele passeio domingueiro pelas ruas da Guarda, com um pequeno rádio a pilhas colado ao ouvido do meu pai, que me contava os detalhes daqueles 7 golos ao grande rival e me deixava com um sorriso de orelha a orelha.

O meu pai foi obviamente quem me influenciou a ser do Sporting. Bom, nem foi bem influenciar, foi mais dizer “aqui em casa somos do Sporting”. Parece extremista, mas ainda bem que assim foi. Tenho familiares e amigos que dizem que vão deixar os filhos escolher a preferência clubística, e depois espumam de raiva porque os miúdos lhes aparecem em casa a gritar o nome de um clube rival. Os miúdos serão sempre influenciados por alguém. É preferível que o sejam pelo pai do que por algum colega ranhoso ou outro ser mal intencionado.

Não é uma tarefa fácil educar alguém para ser Sportinguista. E esta afirmação decorre de outra, factual e unânime: não é fácil ser do Sporting. Experienciei isso ao longo de mais de 30 anos de existência, e sei bem que colocarei o meu filho em algumas situações ingratas em que estive ao longo da minha vida. Estar muitas vezes sozinho nas disputas; ser parte de uma minoria tantas vezes rebaixada e enxovalhada; enfrentar a arrogância de quem julga ter razão só por estar em maior número; ter que lidar com quem julga que as vitórias justificam qualquer patifaria. Não é à toa que se diz que para se ser sportinguista tem que se saber sofrer. Mas tem também que se saber ser superior a tudo isso.

E qual é então a maior dificuldade que um pai sportinguista encontra ao querer passar essa qualidade ao seu filho? Principalmente, fazer com que ele perceba que no Sporting existe uma cultura e um sentimento diferentes. Que ele perceba que, quando as coisas correm mal e as vitórias fogem, devemos gritar o nosso amor ao Sporting de forma ainda mais forte. Que, nos momentos de vitória, ele saiba ser melhor do que os que em situação inversa o tentaram humilhar.
Nada disto é fácil de dar a entender. Principalmente porque o Sportinguismo é um sentimento em tudo semelhante a uma religião, mais ligado ao domínio da fé do que ao da razão. Por exemplo, é fácil racionalizar o benfiquismo: são muitos, e a pressão dos pares faz metade do trabalho. No caso do Sportinguismo, há claramente algo mais, tão difícil de explicar por palavras como de incutir a alguém. É esse o desafio de qualquer pai sportinguista, um objectivo actualmente acrescido de maior dificuldade devido à recuperação que tarda em acontecer. Mas não só.

Uma coisa é mostrar a uma criança as glórias imensas deste clube que amamos, os momentos épicos vividos ao segundo, os personagens que se tornaram símbolos eternos do Sporting, e até levá-la pela mão até às bancadas de Alvalade, para que possa sentir o peito a querer explodir, incapaz de conter a avalanche de sensações que proporciona a primeira visão do interior daquele estádio. Outra coisa é tentar explicar porque é que teimamos em falhar objectivos propostos, época após época. Ou porque corremos com o treinador após os primeiros desaires, inviabilizando qualquer projecto de médio prazo. Ou porque insistimos em colocar na liderança do clube gente que defende todos os interesses menos os do Sporting e dos seus adeptos. Ou porque é que, num clube que se quer grande como os maiores da Europa, de repente se deixou de exigir mais do que segundos e terceiros lugares, com umas taças de permeio. Ou porque se perdeu a capacidade de fazer mostrar aos jogadores (mesmo aos das camadas jovens) que estão no grande SPORTING CLUBE DE PORTUGAL, e que devem tentar estar à altura do clube que servem.

Porque isso ainda eu próprio não consegui perceber.

60 thoughts on “hoje escreves tu: «O meu filho vai ser do Sporting»

  1. Tendo em conta a responsabilidade de ser o primeiro e de ter que tentar manter o nível dos textos do Cherba acho que estiveste muito bem na tua mensagem de sportinguismo! Parabéns!
    Saudãções Leoninas

  2. Sim senhor,muito bom texto!Cherba grande atitude esta de mostrar estes belos post “nossos” Sportinguistas!muito bom…Animal,parabéns pelo teu Leãozinho!

    SL

  3. Belíssima prosa, sim senhor.
    Revejo-me em cada uma das linhas.
    Uma nota só: o pseudónimo escolhido é que não fica bem a um clube como o SCP.
    Ler animal vêm-me sempre à memória um jogador do clube rival e, claro está, o tratamento que se dá aos adeptos desse clube.
    Ainda assim, uma vez mais parabéns pelo texto.
    SL

  4. Animal.

    Bom texto.
    O Não ganhar nada de jeito, as épocas de miséria seguidas, o ser gozado na escola pelos andrades e carnidenses são a maior dificuldade que atravessamos hoje em dia, para deixarmos os nossos filhos com a mesma doença que nós.

    Mas o meu já disse, ” Pai, prefiro “adoecer” todos os anos que deixar o Sporting”
    Tem 11 anos e em resposta aos que gozam, só responde !!

    O Sporting Clube de Portugal é o segundo clube com mais troféus do Mundo.

    O Sporting é o Clube do mundo com mais troféus europeus em diferentes modalidades (Já são 11).

    Orgulho. Eu tenho.

  5. Acho que existe muita matéria prima, recente e antiga, nas prateleiras deste cacifo que podia ser usada noutros projectos.
    De facto, muita coisa de qualidade aqui se vem escrevendo.

  6. Excelente texto Animal! É mesmo isso, comer a cabeça ao puto pra ele não caminhar ao contrário. Melhor ainda, será se for ele a escolher e a dizer “Pai, eu sou do Sporting”. Nesse dia vais chorar baba e ranho.

    No dia em que eu for Pai, o meu puto será obrigatoriamente Leão, porque se até o meu sobrinho já está a ser “minado”, o meu filho não ficará atrás.

    Parabéns e SL

  7. Animal… confesso que não esperava outra coisa que não fosse uma transmissão apaixonada do que é, efectivamente, ser e sentir o Sporting.
    Parabéns pelo texto e pela herança que deixas ao teu Leo!

  8. excelente iniciativa do cacifo, quanto ao post só posso dizer que a minha filha tem uma semana a mais de sócia do SCP do que de vida(“culpa” do avô que já tinha feito o mesmo com os filhos), e muito sinceramente não aceitava de bom grado que assim não fosse, mas isso sou eu, dos tais “extremistas”….

    SL

  9. Caro companheiro Egitaniense,

    Parabéns pelo texto… A pôr os padrõeszinhos lá em cima!

    No meu caso não foi a um filho, mas a um irmão 10 anos mais novo, onde não foram dadas segundas opções – ou Sporting ou Sporting.

    Viva o MAIOR DO MUNDO!!

    SL

  10. obrigado por partilhares essa experiencia de vida. Quando soube que ia ser pai, nem pensei no nome que lhe ia dar.. pensei que 9 meses depois iamos ter um novo socio/a no nosso clube e como haveria de fazer para que nesse mesmo dia o cartao fosse produzido em alvalade. Ainda faltam alguns meses para nascer, mas ja se mexe antes dos jogos do Sporting..

  11. vejo que a crise anda a resultar em lamechice. isto é só posts parecidos com entrevistas do daniel oliveira. saudades do cintra e do douglas no cacifo.

    • Exacto, este blog já teve melhores dias, agora parece as tardes da Julia, e a culpa nem é de quem escreve, mas sim do clube ter chegado a este estado e fazer despontar estes sentimentos nos adeptos, enfim, resta esperar que melhores dias virão, já aguentei 30 anos com 2 campeonatos não vai ser agora que vou desmoralizar.
      Mas que sinto falta de quem escreva umas caralhadas a puxar a moral pra cima isso sinto.

  12. “(…) e até levá-la pela mão até às bancadas de Alvalade, para que possa sentir o peito a querer explodir, incapaz de conter a avalanche de sensações que proporciona a primeira visão do interior daquele estádio.”

    Foda-se, brutal! EXACTAMENTE o que senti na primeira vez que entrei em Alvalade… Aquelas luzes todas a iluminar o gigante tapete verde no velho estádio… pensei que tinha sido só eu a ter essa sensação.

    Texto Animalesco!

  13. Seremos assim tão poucos? Melhores seguramente mas ainda esta por provar a nossa “inferioridade numérica”. Cá em casa, também na Guarda, somos 4 e todos sócios do Sporting!

    • Numeros de sócios, audiencias televisivas, médias de assistencias ao longo dos anos, discussões na turma, emprego e cafés, likes no facebook, etc eu diria que está mais que provado, somos menos e ainda bem, tenho muito orgulho em não pertencer á maralha, em ser diferente, em ser Sporting.

  14. Patricio
    JP – Xandão – Rodriguez – Insua
    Carriço
    Carrilho – Ismailov – Matias – Capel
    VW

    Sonhar é fácil

    Agora a Realidade

    Patricio
    JP – Carriço – Polga – Insua
    André Santos
    Carrilho – Matias – Capel
    VW

    Saudações Leoninas

  15. Animal:

    Se precisares de casa para dormir na primeira vez que trouxeres o teu filho ao estádio, podes contar comigo!!

    VIVA O SPORTING!

    Um abraço do amigo,

    Blasphemeous ;)

  16. Um pai diz para o filho: Filho, antes paneleiro que lampião.
    Responde o Filho: pai mas os paneleiros não são todos Lampiões
    ( Versão SIC Radical em contraponto com as tardes da outra
    SL

  17. Meu caro, tenho 3 filhos, são todos sócios desde o dia em que nasceram (é provávelmente a única NÃO opção na vida deles) e abraçaram a escolha mesmo não vivendo e sofrendo o clube como o Pai, Tio, Avô…
    Quando a Mãe do mais novo (antes dele ser concebido) “gracejou” que ele seria do inimigo como o avô materno, viu a cara mais feia que poderia ver em mim e o assunto ficou por ali…!!!

  18. Grande post, animal!

    Os meus filhos irão ter a hipótese de escolher: ou Sporting ou Sporting.

    Hoje é pa ARRABENTAR com esses polacos nojentos !!!

    Patricio;
    Pereira, Xandão, Rodriguez, Insua;
    A. Santos (temos que dar moral ao puto);
    Schaars;
    Carrillo, Mati, Capel;
    Wolfs.

    Substituições: Izma para o lugar do Mati, o A. Martins para o lugar do Capel e o Carriço para o lugar do André Santos.

    Força Sá!!!
    Força Sporting !!!

    • Como geralmente acontece (demasiadas vezes diria eu) o Sporting ganhou o hábito de não jogar para trucidar as desfesas contrárias e sim para jogar mais seguro e tentar ganhar.
      Daí a minha “realidade” que escrevi ontem.

      Eu gostava de ver o Sporting jogar mais balanceado no ataque, mas isso sou eu que não percebo nada de bola (tal como o Doc do Prolongamento).

      Patricio
      JP – Xandão – Rodriguez – Insua
      Carriço
      Carrilho – Isma – Matias – Capel
      VW

      Como eu prevejo que vai jogar o Sá

      Patricio
      JP – Carriço – Polga – Insua
      André Santos
      Pereirinha – Matias – Schaars – Carrilho
      VW

      Vamos sofrer hoje, mas acredito que possamos ganhar/passar e depois que venha o City.

      • O que eu gostava que acontecesse:

        Aquecimento: Polga lesiona-se e carga policial sobre os polacos

        Onze inicial: Patrício; JP, Xandão, Rodríguez, Ínsua; Carriço; Schaars, André Santos; Carrillo (Pereirinha na 2ª parte), Ribas (Lobo na 2.ª parte), Izmailov (Capel na 2ª parte) e carga policial sobre os polacos.

        Intervalo: 2-0 e carga policial sobre os polacos.

        73 minutos: carga policial sobre os polacos.

        90 minutos: 4-0, notícia de que Polga rompeu os ligamentos do corpo todo e o resto do salário dele até final do contrato vai ser pago pela seguradora e carga policial sobre os polacos.

        O que eu acho que vai acontecer:

        Onze incial: Polga e mais dez.

        Jogo: exibição sofrível, Polga a tirar-me mais dois ou três meses de vida, os polacos a foderem a bancada toda e a polícia a olhar para o lado e passagem aos oitavos-de-final da Liga Europa.

  19. Na minha opinião o Sá hoje devia apostar numa equipa mais robusta fisicamente, até por ser um jogo a eliminar e saber que o Legia, não sendo uma equipa talhada para controlar jogos, vai tentar causar perigo, sobretudo, através de lances de bola parada e futebol directo. Os polacos têm vários jogadores bem acima de 1.80 e portanto devíamos levar isso em conta, apostando numa zona central mais forte fisicamente e com melhor capacidade no jogo aéreo, com Carriço a trinco e uma dupla de centrais formada por Xandão-Rodríguez (o peruano apesar de ter apenas 1.82 é um jogador que tem 3 características fundamentais que fazem dele um jogador forte no jogo aéreo, é agressivo na procura da bola, posiciona-se bem e tem uma boa elevação).
    Devia também dar a titularidade ao André Santos (o puto ganhou uma motivação enorme com a saída de Domingos e com a confiança que o Sá lhe deu), no entanto essa titularidade não deve passar pela posição 6, muito menos neste jogo, o André Santos derivado da sua falta de agressividade e capacidade de “meter o pé” fazem dele a pior hipótese para trinco contra esta equipa de homens de barba rija.
    Finalmente, acho que está na altura de se dar um murro na mesa no que toca a Ricky Van Wolfswinkel, entendo que tenha apenas 22 anos, que vem dum Campeonato bastante menos “agressivo” fisicamente e com menos competitividade, mas custou 5M€ e deve ter um desempenho de acordo com o que custou, sendo que o seu preço não deve condicionar a sua utilização, portanto tendo isto em conta está na altura de dar oportunidade a outro avançado do plantel.

    Tendo isto em conta o meu 11 para logo seria:

    RP

    JP – Xandão – Rodríguez – Insúa

    Carriço

    André Santos – Schaars

    Carrillo Capel
    Ribas

    Banco: Marcelo, Renato Neto, Evaldo, Pereirinha, Van Wolfswinkel, André Martins e Izmailov

    PS.: Muito importante que 2 jogadores como Renato Neto e Evaldo estejam no banco, 2 gajos que são muito bons atletas, fisicamente muito fortes e altos, podem dar muito jeito se precisarmos de segurar o resultado, sustendo um futebol mais directo dos polacos e defendendo bolas paradas, acima de tudo importantes para defender, sendo que se precisarmos de mudar o resultado para nosso favor temos Van Wolfswinkel, Izmailov e André Martins e até Pereirinha.

      • Atenção que bom atleta é diferente de bom jogador, atleta tem haver com a parte física do jogo, a sua resistência, a sua velocidade, a sua força e a sua altura, se ele depois tem pés e cabeça para juntar a essa capacidade física já é outra história…

      • O Evaldo é claramente um caso de equívoco na escolha da profissão. Ele tem todas essas características. Só é pena que o futebol se jogue com uma bola.

      • O problema é que mesmo sendo bom atleta em termos físicos pode essa vantagem não lhe valer de nada.
        O Evaldo é um jogador sem grande timming.
        Mas atenção, o n.º 3 do carnide é pior que o Evaldo.

      • Na minha opinião se precisarmos de defender, a entrada do Evaldo com consequente subida no terreno do Insúa, parece-me a melhor opção, a capacidade defensiva do Evaldo nunca foi das maiores preocupações que tive, é mesmo a falta de objectividade a atacar, a falta de saber cruzar bem sempre, ou pelo menos quase sempre, de ter a mínima capacidade técnica para tabelar com os extremos ou tentar, esporadicamente, o 1×1 com o lateral contrário, isso sim preocupa-me num lateral do Sporting, a sua capacidade defensiva nem por isso, erra de vez em quando mas, no geral, não defende mal.

  20. Bom post, boa iniciativa!

    Quando for pai, de certeza absoluta que um dos valores que vou passar aos meus filhos vai ser o Sportinguismo, um dos mais importantes!

    Tenho de concordar que o ambiente aqui anda um bocado sentimentalista e “piegas”, o Sportinguismo também tem destas coisas, sentimentos!

    E outro dos sentimentos do Sportinguismo é a RAÇA, por isso vamos mostrar a nossa raça, a fibra de que somos feitos!

    Hoje era bom começar por fazer um jogo consistente e espetar uns 2 ou 3 nos hooligans polacos!

    FORÇA SPORTING!

    SL

  21. O Sá Pinto é a cara do Sportinguismo, raça, ambição, paixão, dentes e punhos cerrados!!!

    O Sportinguismo não é como muitas vezes se vê no estádio, gente que parece estar no sofá e que se limita a assobiar, isto não é de todo o Sportinguismo, e qualquer dia ainda cerro o punho “à Sá Pinto” a algum!

    SL

  22. Eu sou do Sporting por duas simples razões. Por causa do Joaquim Agostinho e por causa do Benfica. No café dos meus pais, havia um cliente que eu odiava. Era chato, bêbado, dizia-se que batia na mulher e um benfiquista ferrenho, daqueles que desejava lesões graves ao Jordão, apesar de ele ter jogado no seu clube. Um dia, ele já com os copos e a pedir mais uma taça de vinho, virou-se para mim e disse que eu se quisesse ser uma pessoa como ele tinha que ser do Benfica. Eu – lembro-me como se fosse hoje – olhei-o nos olhos e perguntei-lhe: “E de que clube é que tenho que ser para ser o contrário de si?”. E foi aí que confirmei a decisão do meu clube.
    Quanto ao meu filho, isso foi pacífico. O exemplo de um pai sportinguista, que gosta de futebol e discute futebol com o filho, só pode dar um resultado. E por isso, sou um homem realizado.

  23. Excelente prosa, neste momento passo espero o mesmo do meu filho Francisco acontece que o problema é que eu sou o único sportinguista numa familia de portistas e anti-benfiquistas (o clube do meu Pai), apesar de dificil a tarefa de o meu leaozinho vir a ser do SCP será sempre um motivo de orgulho o contrário … bem mais vale não pensar :).

    SL,

    Força SCP és o nosso grande amor (a seguir aos nossos filhos :) )

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s