Esforço, Dedicação, Devoção e Lágrimas: o lado racional

Terá valido a pena festejar com lágrimas, uma vitória sobre o Gil Vicente? Terá valido a pena gritar golo a plenos pulmões? Terá a revolução táctica sido pensada, ou fruto da vertigem causada pelo abismo? Terá Sá Pinto percebido que tem mesmo que mexer na rigidez em que amarrou o nosso futebol?

Estas são algumas das perguntas que se colocam, e que são completamente válidas. Afinal, depois de uma pré-época as soluços e de um arranque de época completamente engasgado, uma vitória arrancada a ferros não dá garantias algumas de que entremos no rumo certo. Nem de que Sá Pinto venha a revelar-se o homem certo no lugar certo. Mas dois pormenores ficaram, inegavelmente, demonstrados: primeiro, que a revolução táctica não foi feita assim tão à toa; segundo, que os jogadores acreditam que este treinador pode conduzi-los às desejadas conquistas (basta ver o que Ínsua acabou de escrever no twitter).

Ao entrar em campo numa fusão de 4-4-2 com 4-3-3 (Viola, várias vezes, era mais extremos do que segundo avançado, Pranjic deixava várias vezes a linha para se juntar a Rinaudo e Izmailov no meio), Sá Pinto cortou radicalmente com o Sporting mecânico, em que cada movimento da equipa parecia obedecer a regras de xadrez e onde o espaço para a criatividade ficava, unicamente, entre à inspiração de Carrillo. A entrada em jogo da equipa provou isso mesmo e, confesso, espanta-me ler que vários leões considerem que pouco fizemos para resolver o jogo na primeira parte. Para mim, fizemos a melhor primeira parte da época e, em condições normais, as três ou quatro oportunidades de golo claras (sim, claras) de que dispusemos, praticamente deixariam sentenciada a partida antes do intervalo e obrigariam o adversário a trocar a Marranita por uma Vanette, aumentando as possibilidades de mais golos surgirem.
Pelo meio, como aquele fio de água gelada que entra pelo isotérmico quando se decide ir às ondas no inverno, sofre-se um golo às três pancadas, golpe doloroso numa alma já tão amassada.

Depois, a meia hora do final, o murro completo na mesa. Sá tira um central e coloca Carrillo em campo. Se me disserem que isto não foi ensaiado, acredito. Se me disserem que não foi pensado, duvido. A falta de ensaio notou-se no tempo que os jogadores demoraram a assimilar o novo desenho, na forma muitas vezes atabalhoada como ocuparam os espaços, até no bloqueio cerebral, que podia ter custado um segundo golo e que Rui Patrício resolveu com silenciosa classe. O não ser pensado… não me parece que a entrada de Carrillo seja à toa, tal como a colocação de Izmailov e a forma como ele e Rinaudo se articularam para compensar a dificuldade do russo chegar-se à frente.

Se Sá Pinto teria feito algo do género num outro cenário. Provavelmente, não. Mas fez quando tinha que fazer. Arriscou em demasia?!? Foda-se, mas, afinal, em que ficamos? Se mantém o médio defensivo em campo é um maricas, se assume que temos capacidade para ganhar a adversários destes com as preocupações defensivas quase abaixo de zero é louco? Se querem que vos diga a verdade, Sá Pinto terá feito algo muito aproximado do que qualquer um de nós faria. Mais, Sá Pinto acabou por reforçar a minha tese de que, a jogar em casa contra 90 por cento das equipas do nosso campeonato, é encostá-los lá atrás de tal forma quem nem têm tempo para pensar em contra-ataque. Sim, porque, e custa-me que alguns de nós vão nas cantigas da imprensa desportiva, se o Gil jogou assim tão pouco não é apenas por ser uma equipa limitada; antes porque os nossos jogadores souberam fazer sobressair essa limitação com as diversas recuperações de bola feitas (mas isto não vejo ninguém, com responsabilidades editoriais, escrever).

Terá valido a pena festejar com lágrimas, uma vitória sobre o Gil Vicente? Terá valido a pena gritar golo a plenos pulmões? Terá a revolução táctica sido pensada, ou fruto da vertigem causada pelo abismo? Terá Sá Pinto percebido que tem mesmo que mexer na rigidez em que amarrou o nosso futebol?
Sim. Sim (sempre). Não sei bem. Não sei.
Mas sei que, e já o disse, vi algo sem o qual qualquer genialidade táctica vale tanto como engatar a Monica Bellucci e sofrer de ejaculação precoce: vi todos a remar para o mesmo lado, acreditando no seu líder. E isto é coisa para permitir que o meu lado racional abra espaço à emoção, à fé de puto Sportinguista que, por mais anos que passem, não quero deixar de ser e que só pede que o deixem manifestar-se mais vezes.

98 thoughts on “Esforço, Dedicação, Devoção e Lágrimas: o lado racional

  1. Cherba prefiro este teu registo mais emocional é certo mas que será mais representativo da nossa essência a ESPERANÇA a FÉ isto é o que nos distingue dos outros eles só ganhando (seja de que maneira for) é que a demonstram.

    Relativamente ao Sá Pinto nas declarações após o final do jogo ele vincou as instruções que deu aos jogadores para se posicionarem mais próximos do seu avançado e a humildade de reconhecer que pode(m) fazer muito melhor basta continuar a aprender e a melhorar o que vem sendo feito.

    SL,

  2. Sim o Sá explicou as mudanças tácticas. Desde o Carillo a fazer as diagonais a partir de trás até o pq de deixar o Izmailov a organizar e o Rinaudo a varrer e a começar as transições. Não foi por acaso. Mas o Sá tb admitiu q se correram muitos riscos. Isso é óbvio. Mas não havia nada a perder. Só a vitória interessava e sinceramente prefiro este Sá sem medo de arriscar qd é preciso.
    Este esquema estaria treinado? Não me parece. Demasiado louco e improvável p/ estar treinado. O Sá deu a entender isso qd disse q Izmailov e Rinaudo lhe davam confiança p/ conseguirem os equilíbrios necessários. Ou seja a classe destes jogadores permite-lhes improvisar e corresponder à primeira. Daí a importância deste tipo de jogadores.

    A partir de agora espero q o Sá passe a mexer na equipa mais cedo sempre q for preciso. Tem jogadores c/ cultura táctica p/ isso. Talvez seja mesmo essa a principal vantagem destes jogadores.

    E sim, c/ equipas pequenas é partir p/ cima deles sem medo desde início.

    Ainda vamos muito a tempo de fazer uma grande época.

      • Bruno1906,
        Só podes Burro, 1906 vezes!
        A vitória contra o Gil foi límpinha, sem espinhas! É dessas que fala o post, e o Snite também.
        No sábado, tentaremos ganhar outra vez. E vai ser assim, grão a grão. Dá para perceber, ou fazemos um desenho?

        SL

    • E aquilo que eu quis dizer é que com este treinador (?) só podemos estar a caminho das vitórias morais. A equipa continua sem jogar a ponta dum corno e só ganha jogos com “coração” e “garra” como se isso fosse suficiente para ganhar campeonatos. Vai jogar, armado em parvo, com “coração” e “garra” ao Dragão que eles contam-nos uma história.

      • Jogaste com “coração” e “garra” contra os lamps o que chegou para acabar com o sonho deles na época passada.
        Eu acredito no Sá Pinto, nesta equipa, agora mais que nunca a equipa precisa de nós.. Em frente SPORTING!

        SL

      • Chegou porque convinha aos lá de cima que ganhássemos, mas nem sempre vai ser assim, ou alguém tem dúvidas que se fossemos nós a lutar com o Porto pelo título tínhamos sido nós os roubados?

  3. Seja com que adversário for, o médio defensivo tem de jogar sempre, já que é o ponto de equilíbrio da equipa. Prefiro tirar um central, jogar com três defesas e ter um Rinaudo (ou até mesmo o Elias) a fazer de falso central/trinco, do que tirar o trinco e depois ter um buraco à frente do eixo defensivo.

    O Sá Pinto foi jogando as peças do xadrez como mais lhe foi proveitoso.

    A capacidade que o Izmailov tem em agarrar a bola (e sobretudo não perde-la) foi argumento suficiente para o por como patrão único do meio-campo, para derivar a bola de um lado para o outro.

    O Insua deu a profundidade que “o croata” não tinha dado nos jogos anteriores, e do outro lado (e excluindo o lance do golo rival) tivemos novamente um Cedric Soares de qualidade.

    Com o Jeffren a 10 ganhou-se também um jogador que executa rápido e remata forte de fora da área. O jogador que podia ser letal para a própria equipa era o Carrillo, pois perde bolas que causam contra-ataques venenosos, mas com o Rinaudo a fazer de comboio nem que o Messi jogasse no Gil Vicente se tinham safado.

    A bola entrou quando tinha de entrar e ganhamos com justiça.

    • Trolha,
      acho que devia ser alvo de estudo, a estranha facilidade com que se aponta o dedo aos extremos que resolvem arriscar e partir para cima do adversário.

      • Os extremos também têm deveres, e um deles é não originar contra-ataques do adversário.

        Está escrito nos livros da bola.

        Mas com o Rinaudo ali atrás nem tenho tanto receio. Sei que vai limpar o lance e dar um raspanete ao extremo.

        Deus existe.

      • Aqui tenho que concordar com o Trolha… quantas vezes já vimos o Carrillo leavar amarelo por perder a bola estupidamente e depois ter que vir atrás fazer falta? Liberdade aos extremos para ir para cima deles? Certamente, mas quando estão na posição de extremos e não no nosso meio campo ou à entrada do meio campo deles.

      • Os extremos vão sempre perder muitas bolas, compete ao meio-campo posicionar-se devidamente para impedir os tais contra-ataques

      • João Luís isso é bonito de dizer, mas dentro do campo diz isso aos médios.

        Em campo nada é linear, vão-te mandar pró caralhinho.

        “Andar a correr para ti?”

        E atenção, eu falei nesse pormenor, que penso já ser mais que conhecido dos sportinguistas, o que não quer dizer que tenha algo contra o Carrillo ou extremos em geral. Aliás, a era Paulo Bento deu cabo de mim, sentia-me doente só de olhar para o onze. O cherba é que falou nessa história de apontar dedos, como se os extremos não tivessem deveres.

        Em campo, e para quem jogou à bola sabe, é uma selva, e não há lateral que goste de andar a fazer piscinas por causa da vedeta que é extremo.

      • Quem jogou “à bola” não sabe a ponta de um corno… Quem jogou e joga futebol profissional, a este nível, sabe que uma equipa, quando ataca, tem preparados mecanismos de compensação para o caso de perda da bola. Se fosse como tu dizes, cada bola perdida seria um contra-ataque. E não é.

      • Pelo andar da conversa até parece que sou contra as investidas dos extremos no 1×1.

        Quem jogou à bola não sabe a ponta do corno? E quem não jogou, sabe o quê? Sabe caralhos no cu…

        Haja paciência.

      • Deve se ter enganado na escrita de certeza(JLII)….Às vezes nem tendo sido jogador se percebe alguma coisa de futebol e muito menos de táticas….Vejo por aí muito jogador profissional que nem sinaléticas de árbitros ou mesmo regras de jogo conhecem(foras-de-jogo,lançamentos laterais ou mesmo faltas em cima da linha da grande area onde dizem não ser penálty),quanto mais perceber alguma coisa de futebol.

      • Obviamente, peço desculpa. Quem percebe de futebol é o trolha e o edujuveleo e não os profissionais que fazem aquilo todos os dias. Como pude cometer semelhante erro de julgamento?

    • Não qualquer problema em que os extremos percam bolas quando vão no 1 para 1, de desde que sejam acompanhados por um colega que rapidamente caia em cima do adversário e interrompa o contra-ataque ou consiga mesmo recuperar a bola e lançar a segunda vaga. O que me tem parecido é que a equipa fica a olhar para o que o Carrillo ou o Capel estão a fazer, em vez de subir, com eles, abrindo linhas de passe e apoiando as eventuais perdas de bola. Neste jogo melhorou também este aspecto.
      QUantas bolas não perde o CR7 por jogo?

  4. Sinceramente acho que nos outros jogos não jogámos tão mal quanto querem fazer passar, sim nao era perfeito e longe de estar bom mas tivémos sempre mais oportunidades, faltando talvez a intensidade de jogo e o ultimo passe, esta vitória serviu para desbloquear o lado emocional da equipa que nao duvido que tivesse vontade de ganhar e fazer melhor mas faltava secalhar confiança e alguns aspectos tacticos que tem de ser pensados tal como o triangulo do meio campo ser de 1-2 e nao de 2-1, o banco para alguns jogadores que tem produzido pouco tais como elias, Capel ou mesmo Carillo que pra mim é um jogador brutal mas perde demasiado as bolas, mas tambem talvez porque tamos sempre dependentes da criatividade de jogo dele e isso nao pode acontecer no sporting, tarmos dependentes dum puto de 20 anos, Eu como Sportinguista acredito que possamos marcar um ponto de viragem aqui, acredito que Sá mesmo com alguns dos seus defeitos ou falta de alguma experiencia é a pessoa certa no lugar certo, a experiencia ganha-se com jogos, treinos, no dia a dia e com tempo que é coisa que nos tem faltado, tamos sempre em situações delicadas e de cortar a respiração, quem é que consegue trabalhar nesse ambiente assim? como é que um clube pode andar pra frente se estamos sempre a pedir cabeças a toda a gente? A equipa mostrou que sabe o que tem de fazer e que tem alma de leão, tão solidários e querem fazer do sporting, um clube campeão e vencedor e isso nota-se na maneira como festejam, como falam e como sentem o clube. é mau festejar um golo assim de forma efusiva contra o gil? fdx era bom era que fosse sempre assim! gritar golo com emoção em todos os jogos, sentir o orgulho no nosso clube!

  5. Já não suporto estes Sportinguistas com a estabilidade emocional duma adolescente de 13 anos. Quando se perde e joga mal, é tudo a insultar o Sá Pinto, quando se joga MAL (porque isso aconteceu no último jogo) e se ganha, já se pode aguentar com ele.

    A mim o último jogo só me provou que ele não é treinador para o Sporting. A maneira como ele alterou tudo, sistema táctico, jogadores, etc, mostrou que já não tem controlo sobre a equipa, que se deixou afectar por tudo que está à sua volta. E nem sei o que dizer da maneira como ele arrumou a equipa…conseguimos estar em campo, ao mesmo tempo, com os seguintes jogadores: Izmailov, Labyad, Carrillo, Jeffrén, Capel e Van Wolfswinkel…isto só pode ser brincadeira. A equipa nem conseguia trocar a bola e quase não criou perigo na 2ª parte. Era um excesso de jogadores. Porque não colocar Labyad, Carrillo e André Martins? Dar mais critério a meio-campo com Rinaudo a 6 mas a ajudar o Rojo a fechar no meio (com a saída do Xandão), Carrillo e Labyad a abrir nas alas, Izmailov nas costas de Viola e Wolfswinkel.

    • Bruno o Sá é o nosso treinador quer queiras quer não queiras !!!

      Aceitas isso como um fato ou ontem vais agoirar para os lados da Luz ou do Dragão terás lá muitos comparsas para falar mal do treinador do SCP.

      SL,

      • Mais “Já não suporto estes Sportinguistas com a estabilidade emocional duma adolescente de 13 anos.”

        O que dizer de alguém que critica o Sá pelo seu modelo de jogo e logo a seguir critica-o por mudar o modelo de jogo isto é o que ??? Estabilidade RACIONAL de um recém nascido só se for :).

        SL,

    • Bruno,
      só tenho a dizer-te duas coisas:
      – o Sá ganhou o jogo quando colocou o Carrillo em campo
      – o Sá seria um perfeito anormal, se continuasse a insistir num modelo de jogo completamente emperrado.

      • Sinceramente, eu já estou farto de discutir sobre o Sá Pinto, ele é fraco, fraquíssimo mesmo e não é treinador para o Sporting. Mas como é o Sá…aguenta-se tudo.

        Continuem, enfiem a cabeça na areia e pensem que está tudo bem.
        Só vai estar mal quando encaixares 4 ou 5 batatas dos azuis ou dos encarnados.

      • Já ninguém se lembra que o Sá Pinto em Barcelos o ano passado fez a mm substituição? Ao intervalo qd estávamos a perder tirou um dos centrais, colocou mais um avançado e o Elias ficou a fazer o mm que o Rinaudo neste jogo (central/trinco). Por isso não penso nada que tenha sido um acto de desespero. A jogar em casa contra um autocarro e a 20 minutos do fim acho perfeitamente lógico este tipo de substituição. É arriscado? Claro que sim! Mas geralmente o primeiro instinto destas equipas é fecharem-se ainda mais.

  6. Escreveu-se hoje no Rascard que Rinaudo tem “limitações técnicas”. Há jornaleiros mesmo estúpidos. Não sabem o que é “técnica” e põem-se a escrever porcarias. Que digo.. nem sabem que a bola é redonda, quando mais reconhecerem um jogador tecnicamente evoluído. Enfim, para eles “técnica” deve ser aqueles truques com bola que ensinam às focas e ursos do circo.

      • Dizem que vai “explodir”, por isso estão à espera que ele “expluda” a qualquer momento, mas eu penso que o homem, até pelo mau gosto que já revelou nas suas escolhas, não deve morrer de amores por virgens….

    • Nem mais Mokambo! Confunde-se muito técnica com habilidade. O Rinaudo tem bastante técnica. Basta reparar na sua capacidade de recepção de bola, passes em grande distância e de aceleração do jogo. Para os nossos jornaleiros se um jogador não sabe fazer uma “cueca” é um tosco.

    • Fdx, dizer que o Rinaudo tem limitações técnicas é o mesmo que dizer que o Manha percebe de futebol e que a Charlize Theron é feia todos os dias.

      Um jogador que leva a bola controlada como ninguém, que faz passes a 30m com alta precisão e que faz cortes impossíveis tem limitações técnicas!?!?!??

      BURROS DO CARALHO!

      Rinaudo, perdoai-lhes… eles não sabem o que dizem.

    • Ainda me hão-de explicar o porquê de dar dinheiro (comprando o jornal ou lendo na net com clicks que lhes garantem receitas) a esses animais… nunca mais aprendem!

  7. Um bom post Cherba. Uma analise bem feita. deixa-me que te diga que eu acho que sá pinto, e já o tinha escrito aqui dps do jogo, quando chegou aos ultimos 20 mints, pensou: ou a vitoria ou a saída. Por isso arriscou, meteu a carne toda no assador! A revolução não foi pensada, é a minha opinião. Para mim, aquilo foi fruto da vertigem causado pelo aproximar do abismo. Arriscou, tirou xandão e jogamos num 3-1-6, até à expusão de labyad. Porque não meteu rinaudo, insua e viola nos jogos antes? para mim, andou a fazer experiencias ou então algo se passou no balneario. Mas que aquelas lágrimas são verdadeiras e de alguem a que tiraram a corda do pescoço, aí não tenho duvidas.

    O pior, caro cherba, é que, tal como tu, eu tb quero acreditar nesta equipa, mas não sei se as lições que aprendemos se vão manter….Por isso espero pelos proximos jogos.

    O que não entendo e cada vez mais me parece um divorcio é ver a direcção e seus agentes a sairem da toca, quais virgens ofendidas, a atacar a arbitragem e benfica, com comunicados ( quanto à arbitragem, esquecem-se que o arbitro podia ter marcado um penalty do rojo e não o fez…..), mas NÃO LHES OCORREU OU NÃO QUISERAM DEFENDER O SÁ PINTO DAS ACUSÇÕES DAS CAPAS DOS 3 JORNAIS DE SABADO!!ontem naquela reunião da brigada dos reumaticos, que é o CL, nem um pio….Para mim, aquele abraço do duque é uma abraço de judas…..

    OFF-TOPIC: hoje um jornal publica que afinal já não vão haver despedimentos na academia e que vai até haver um investimento superior….Curioso, sair esta noticia antes de 2 AG’S….. enganem quem quiserem, a mim não me enganam. Investimento na academia e depois, mandamos embora miudos por numeros irrizorios, quase dados ( joao carlos, o edgar lé e cá, o candé, o rafael veloso). Ou então, não sabemos vende-los ou não os potenciamos: varela, custodio, diogo rosado, wilson eduardo, diogo salomão. Mereciam uma oportunidade, mas não devem dar comissões a ganhar a alguem….

  8. Para mim todos os golos do Sporting são para festejar em alto e bom som, seja contra os miúdos lá do bairro ou contra o Barça…até mesmo na Playstation, sempre, sempre, sempre!!!

    Esta vitória demonstrou varias coisas:

    – Quase todos os jogadores estão com a estrutura técnica…e quem não está parece-me que ficou na bancada de castigo!

    – Não se pode jogar sempre a pensar na prudência e a esconder as nossas qualidades, o que aumenta drásticamente a tendência para perder pontos.

    – Elias causa mau ambiente, basta ver o jogo com o basileia, a discussão que teve com o Capitão Patricio.

    – Rinaudo e Insua têm de jogar sempre, dão corpo à alma Sportinguista!!

    – Carrillo é bom mas ainda tem muito que aprender e não pode jogar de inicio.

    SL

    • lá estamos nós a criar fantasmas… foda-se, se o Elias causa mau ambiente, o que justifica ser um dos capitães? fazê-lo mais feliz? foda-se…

      • eu não estou a criar fantasma nenhum, baseio-me naquilo que vejo e já não é a primeira vez!

        E quando ele joga mal e porcamente continua a jogar para quê?…só pode ser para lhe fazer a vontade a ele, a mim não é de certeza!

      • Elias, tal como joão pereira o foi, é capitão por sugestão/imposição da Direcção… todos sabem que mais cedo ou mais tarde é preciso vendê-lo e ser capitão aguça o apetite e aumenta o seu valor.

      • Eh pá, a malta aqui tem tanta inside info… Cuidado, olhem que o clube é cotado em bolsa, qualquer dia recebem a notificação da CMVM por violação das regras de informação privilegiada!

      • acho que não é uma questão de “inside info” mas sim de “common sense”…ou vejamos, porque é o Ronaldo capitão da selecção? porque era o hulk capitão no porco?

        Aposto que não é pela capacidade de liderança e pela prudência nas palavras!

      • O Elias tem é sido um fantasma na equipa.

        Fez uma pré-época espectacular, mostrou o que sabe e pode fazer, o treinador é o mesmo … assim que fechou o mercado de transferências ficou um vislumbre.

        Que tem potencial, lá isso tem mas …

        Agora, se causa mau ambiente, não sei se será por aí.

        SL

      • João,

        Então experimenta reparar nos jogadores quando o Elias está em campo, e experimenta reparar no próprio Elias.

      • JLII, especulação ou inside information o que eu sei é que à primeira crítica feita pela imprensa em Espanha à contratação do joão pereira nomeadamente acusando-o de ser indisciplinado, o presidente do valência respondeu dizendo que isso eram coisas do passado e que ele até era o capitão do Sporting.

      • Mais, o Sá Pinto quando falou da nomeação dos 5 capitães afirmou que tinha sido uma escolha conjunta dele e da Direcção.

      • Mas o que é que isso interessa? Olha vou citar o “dono” do blog, com quem habitualmente até estou em desacordo:

        “foda-se, se o Elias causa mau ambiente, o que justifica ser um dos capitães? fazê-lo mais feliz? foda-se…”

  9. Se o Sá perdesse o jogo não merecia sair do SCP. Pois tinha feito tudo para ganhar.

    Mais, o Sá subiu de categoria como treinador neste último jogo, pois teve a capacidade de se adaptar às circunstância e alterar o modelo de jogo perante um adversário que com o empate já estava em vantagem, quanto mais com um golo caído do céu.

    Só os burros não mudam e são teimosos, tivemos quatro anos disso. Alguns acham que é uma virtude, pois eu acho que é estupidez. Com efeito, a evolução das espécies diz-nos que só sobrevivem os mais adaptáveis e não os mais teimosos.

    Por isso espero que o Sá no próximo jogo em casa faça a mesma coisa, um trinco em casa chega e o resto a atacar para massacrar o Estoril e virar definitivamente o rumo do campeonato.

    Já vejo os adversários e comentadeiros preocupados é que já estava prevista a substituição do Sá e a consequente instabilidade que permitiria rios de tinta nos jornais.

    SL

    • Excelente comentário Reinaldo,se com a mesma estrutura tática dermos uma abada ao Estoril ou ganhemos apenas por poucos mas de maneira convincente acredita que tanto Lampiões e Tripeiros A e B vão começar a sentir a nossa força,sem esquecer que vamos ao Porto logo a seguir,jogo esse para ganhar e seguirmos na luta.

    • Bem dito, Reinaldo. É exactamente o que eu penso. Por momentos, temi que o Sá Pinto, por teimosia ou até por genuína convicção, se mantivesse fiel ao seu sistema que, como todos já vimos, não estava a resultar. Mas não: alterou tudo e entrou com uma equipa agressiva e ganhadora. Teve a humildade – como bem disse na conferência – de o fazer (coisa de que o outro, que era “forever”, nunca foi capaz).
      Para mim, é o treinador certo, no momento certo. Digo isto desde o início e não agora. Mas digo-o agora com convicção redobrada. Porque agora deu-me garantias que a equipa e os resultados estão primeiro que qualquer vaidade pessoal. E o abraço colectivo no final, a garra com que a equipa jogou e as tais palavras do Insúa (“Hoy mas que nunca necesitamos estar todos unidos.Todos peleamos por el mismo objetivo”), vindas de um jogador que até tem estado no banco, levam-me a acreditar convictamente que a equipa está ao lado do treinador. Penso que temos tudo reunido para fazermos um resto de boa época.
      P.S: a única nota negativa é para a direcção, que gasta o seu tempo a responder aos bitaites do Vieira em vez de defender o treinador e estabilidade da equipa. E nunca mais se dá cabo dos cadáveres que por lá andam a tentar destruir o clube.

  10. Penso que a atitude de jogar mais no campo de adversário tem que ser mantida…Não jogar com 3 medios centros de caracteristicas parecidas tem que ser mantido…Confirma-se que o Xandão entope muito a saida de bola do Sporting…
    Gosto muito da malta que critica o Sa Pinto por ser cabeçudo taticamente, e quando muda por ter passado a uma tatica nao treinada….Criticam porque não temos criatividade na equipa, e porque o Carrillo perde muitas bolas no 1 para 1…
    Penso que em todos os jogos precisamos de um “Trinco” para ter maior capacidade de recuperar a bola mais a frente, o que não sei é se precisamos de um central com as caracteristicas do Xandão (até porque apesar de alto, no ataque é uma nulidade)
    SAUDAÇOES LEONINAS! SPORTING SEMPRE

  11. Os cretinos que escrevem nos pasquins são, no fundo, como qualquer adepto básico de futebol, com a agravante de fingirem (uns mais que outros) uma mal disfarçada “imparcialidade de análise”.

    Dito isto, 60% andam à procura do próprio QI e arrastam alegremente 60% dos leitores na mesma busca existencial, 30% são maníaco-depressivos a semear pânico ou euforia, e 10%… bem, não interessa, ninguém lê os restantes 10%.

    Ou seja, tal como muito Cacifeiro encartado, se o Sporting ganhar vai ser o maior, os dirigentes habilidosos, o treinador visionário e os jogadores todos craques, se perder (mais que os outros) vai haver crises, conflitos e muita falta de qualidade de tudo e todos.

    Podíamos esforçar-nos para não ser assim. O que interesa é o Sporting, o jogo do Sporting, o onze do Sporting, a expectativa sobre a forma como o Sporting vai jogar o próximo jogo, a memória do último grande jogo do Sporting, ou das jogadas que mais nos encantaram.

    E não é difícil ser-se assim, feliz, como tantos de nós pouco habituados a títulos tão bem sabemos. Basta o tal pequeno esforço para ignorar o acessório e para nos concentrarmos no essencial. E, claro, “um pouco” de Sporting.

  12. Se engatares a Monica Belluscci mas sofreres de ejaculação precoce, bate uma primeiro. Não sei se o viagra ajuda, nunca experimentei.

    Quanto ao “poste” em si, parece-me óbvio que a derrota era o adeus do Sá (nem sei se o empate o segurava), a partir daí é futebol e pouco mais. Tá visto que esta direcção não tem projecto algum que não passe pelos resultados a curto prazo, nem o pessoal está disposto a aguentar outra coisa. É uma mistura «explosiva», no fundo o SP caminha sobre um campo repleto de minas e o pior é que nem todas lá foram colocadas por inimigos.

  13. Eu também não sei se está tudo bem agora, o que sei é que a vitória contra o Gil Vicente foi mais do que uma vitória, acrescentou moral ao jogadores, fez soltar aquela raiva contida, desanuviou o ambiente á volta da equipa e pode ter sido o mote para uma sequência de jogos vitoriosos.

    Disseram-se coisas sobre o Sá Pinto perfeitamente disparatadas que nem um Pal Serge teve direito.

    Não vi nem senti nenhuma euforia com a vitória, vi foi equipa e adeptos com vontade de festejar golos e vitórias.

    Também não acho que o Sá tenha feito uma revolução no onze titular, fez somente aquilo que tinha que fazer e que a maior parte de nós queria que fizesse.

    Colocou Insua a jogar, nenhuma duvida de que o lugar de lateral esquerdo é dele, colocou Rinaudo, também não me parece que haja duvidas quanto á titularidade, jogou com dois avançados ( Ricky e Viola ) e para isso sacrificou Carrillo, manteve Capel porque é mais experiente e ajuda muito mais em tarefas defensivas, também me parece óbvia esta alteração e encostou Pranjic á esquerda fazendo-o derivar para o meio em determinados movimentos ofensivos ou para compensar as subidas do Insua.

    Quando estávamos a perder e a 20 minutos do fim, meteu a carne toda no assador e… correu bem, se calhar cagou nas dicas do “catedrático” Jorge Castelo, ou lá como é que ele se chama, e foi por aí fora.

    Agora veremos, Estoril, Videoton e Dragão. Antecipar cenários de desgraça é que não é a minha cena, prefiro acreditar que as vitórias estão de volta e, quem sabe o bom futebol.

    A mim não me chateava um empate no Dragão, não esquecer que lá, vamos sempre jogar em inferioridade numérica, nem precisam de fazer entrar o Proença.

    E sábado lá voltarei a Alvalade armado em palerma ( aos olhos de muito Cacifeiro ) acreditando que vamos ganhar folgadamente.

    SL

  14. Sugiro um nome para próximo treinador:
    Um homem que do alto da sua cátedra, bastas vezes nos tem transmitido ensinamentos básicos referentes à incompetência do nosso técnico:
    “Bruno 1906”

    • Esses ataques a este ou áquele bloguer são para quê?? Andam com falta de alguma coisa??

      Agora para se ter opinião tem que se pedir licença aos “sportinguistas de primeira”?? Vc e outros Bloguers que por aqui andam a tentar dar uma de “PIDE” têm falta de alguma coisa?? É a mulher lá em casa que veste as calças??

      Há muito tempo que a ditadura acabou, se gosta comenta, se não gosta comenta na mesma, mas não ande aí a tentar silenciar os outros. Boa ou má é a opinião dele, não gosta ponha de lado, agora isso é que não…

      SL

      • Não tenho nada contra ninguém companheiro! Pelo contrário (julgo eu), basta o facto de sermos sportinguistas para termos algo em comum.
        Apenas me irrita o facto de com a maior das ligeirezas se pretender por em causa a competência do nosso treinador, seja ele quem for!Todos gostamos que o nosso clube ganhe, mas há quem julgue que ao manifestar-se dessa forma está a contribuir para isso…Erro!!! Quem anda nisto há muitos anos, mas mesmo muitos… sabe que os êxitos que temos conseguidos só o foram em anos em que todos puxavam para o mesmo lado! Alguém que desminta isso! Estamos entendidos? Nada contra ninguém mas tudo a favor do SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!
        SL

      • ZeLeão, achas mesmo que Sá Pinto é treinador para fazer melhor do que um 3º/4º lugar?

        É a meter a cabeça na areia e fingir que ele é bom que vamos ajudar o clube a ganhar?

        Não consigo perceber esta lógica, não é por querermos muito uma coisa que ela se torna realidade.

  15. OFF-TOPIC

    “Leões no “top 5″ europeu da formação”

    Um estudo aponta o Sporting como um exemp
    lo a seguir no que toca à formação de jogadores. Investimento é de cinco milhões por ano, o quinto maior da Europa.

    O Sporting foi ontem o único emblema português citado pela Associação de Clubes Europeus (ECA) num estudo promovido por esta entidade subordinado aos melhores exemplos de trabalho na formação e respetivos custos.

    labor desenvolvido na Academia, em Alcochete, implica a aplicação de 5 milhões de euros por ano por parte dos leões, que surgem na quinta posição, atrás de Barcelona (dez milhões, sem incluir sub-19 e equipa B); Ajax (seis milhões); Inter de Milão (seis milhões) e Lens (seis milhões).

    Numa exposição detalhada acerca de todo funcionamento e logística da proficiente “cantera” leonina, desde a folha de encargos até às regras de conduta para atletas, o Sporting é notado no relatório da ECA por ser o único clube que formou dois jogadores eleitos com o prémio da FIFA para o melhor jogador do planeta, Figo e Cristiano Ronaldo. O descobrimento, evolução e integração de jovens no futebol verde e branco é, à luz do estudo em questão, considerado exemplar.”

    O JOGO

    Será que não conseguimos capitalizar esta mais-valia em todos os aspectos no clube?? Que é brutal??

  16. O que eu quero é o Sporting a ganhar … a ganhar … a ganhar !! Farto de tristezas … depois do jogo do Gil, decidi abrir a alma e o coração e dar VALENTE VOTO de CONFIANÇA ao Sá Pinto !
    Se fico triste, eles não ganham … se eles perdem, fico triste … se eles ganham eu não acredito na vitória … se eles perdem eu acredito na derrota e não quero nem saber se houve aspectos positivos ou não !! Chega … para mim, chega !!
    Quero voltar a ser louco e amante do meu clube … sem olhar a A , B ou C !! Quero ser doido na hora da vitória … tenha jogado A, B ou C … tenha sido em 4-4-2, em 4-3-3 ou em 4-3 e o caralho que foda aquela merda.
    Eu gostei da vitória contra o Gil, acho que vamos limpar o Estoril e vamso andar lá em cima até final … ultrapassando os merdosos nos últimos metros :)
    Sporting caralho !!

  17. Pranjic pouquíssimas vezes deixou a linha para fechar ao meio. Aliás, o buraco no meio campo foi por demais evidente, na primeira parte. Concordo que a equipa entrou bem mais proactiva e agressiva do que tem sido habitual, mas ter Rinaudo na equipa em vez de Gelson, faz alguma diferença, ou não? Ter Viola ao lado do PL ou ter Adrien a segundo avançado, também. Ou não? Ter Izma em vez de Elias, não será a mesma coisa, certo?

    Enfrentou-se uma equipa muito frágil e daí posso tentar compreender o desequilibrio no desenho na primeira parte e o que se fez na segunda. Mas, lamento, parece-me tanto sustentável a crítica ao tridente de contenção no meio utilizado até aqui, como as mexidas que se fizeram, em desespero de causa e que não me pareceram que melhoraram em nada a equipa. O que terá feito, foi dar uma mensagem aos jogadores que era o tudo ou nada e por aí, percebo a ideia. Que foi emocional, acima de tudo e com pouco discernimento. Porque ter Carrillo, Capel, Labyad, Viola ( e depois Jeffren ), no mesmo 11, com Izmailov sozinho ao mesmo nunca dariam ao futebol da equipa critério, circulação de bola que desposicionasse o adversário nem capacidade na tomada de decisão no último terço, que nenhum dos jogadores que ali jogaram, têm sido consistentes nesse aspecto.

    Se critico um bloco baixo e uma escolha em excesso de médios centro, não perco a legitimidade para a utilização de 3, 4 extremos inconsequentes em simultâneo. É tudo uma questão de equilibrio. E, mais importante, sendo que a minha opinião conta zero quando comparada com os superiores interesses do Sporting, o que se passou no último jogo não abona muito quanto à capacidade de fazer escolhas que não as que ditam o coração. Calhou bem. Mas aqui o conceito de “calhar” bem, tem muito a ver com sorte e o aleatório.

  18. Por momentos, temi que o Sá Pinto, por teimosia ou até por genuína convicção, se mantivesse fiel ao seu sistema que, como todos já vimos, não estava a resultar. Mas não: alterou tudo e entrou com uma equipa agressiva e ganhadora. Teve a humildade – como bem disse na conferência – de o fazer (coisa de que o outro, que era “forever”, nunca foi capaz).
    Para mim, é o treinador certo, no momento certo. Digo isto desde o início e não agora. Mas digo-o agora com convicção redobrada. Porque agora deu-me garantias que a equipa e os resultados estão primeiro que qualquer vaidade pessoal. E o abraço colectivo no final, a garra com que a equipa jogou e as tais palavras do Insúa (“Hoy mas que nunca necesitamos estar todos unidos.Todos peleamos por el mismo objetivo”), vindas de um jogador que até tem estado no banco, levam-me a acreditar convictamente que a equipa está ao lado do treinador. Penso que temos tudo reunido para fazermos um resto de boa época.
    P.S: a única nota negativa é para a direcção, que gasta o seu tempo a responder aos bitaites do Vieira em vez de defender o treinador e estabilidade da equipa. E nunca mais se dá cabo dos cadáveres que por lá andam a tentar destruir o clube.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s