De filha para pai

A minha história de Sportinguismo não começa da forma mais comum, com esse sentir do clube a ser passado por um pai ou outro familiar mais próximo. Tinha a minha avó Sportinguista, é verdade, mas as minhas conversas preferidas com ela versavam sobre como fingir que tinha comido peixe cozido em vez de bife com ovo a cavalo e batatas fritas. Ou sobre a ida ao parque, com direito a passagem pela diplomata, para comprar príncipes e pela papelaria, algures numa transversal à João XXI, para comprar kalkitos.

O meu pai passou-me o gosto por jogar à bola, mas o Sportinguismo veio… porque sim. E veio com tal força que, uma vez mais ao contrário do que é comum, acabei por ser eu a contagiar tudo e todos à minha volta com a paixão pelo Sporting. Não admira, portanto, que as minhas primeiras memórias de Alvalade tenham resultado de boleias no carro do pai de um colega com quem fiz toda a primária.

No passado domingo, chegou a altura de tornar a história um pouco mais convencional. «Amanhã queres ir ver o Sporting?», perguntei à minha filha de três anos e meio. «Ao estádio grande?», retorquiu ela, de olhos a brilhar. «Sim, ao grande». «E vamos apitar aos outros carros Sportinguistas?» «(risos) Vamos, claro!» «E o Jubas vai lá estar?» «Vai». Ela dançou. Feliz.

E fomos. E apitámos. E o Jubas por lá andava, enquanto eu tentava imaginar o que ela estaria a sentir. Uma mão para o pai, outra para a mãe. O cachecol, que ainda não perfeito por não ser igual ao do pai. A camisola listada. A bandolete verde e branca. Uma mão pequenina a segurar, com convicção, o “cartão de sócia”. «Há aqui muitos Sportinguistas, pai!», exclama ela por entre a maré verde e branca que se encaminha para as bancadas. «Quando é que vamos para ali?», atira ela, assim que se senta na cadeira, apontando para o relvado. «Queres ir jogar para ali?» «Quero». Sorrio. «Hoje não podemos».

Começa o jogo. «Onde está o Rui Patrício? E o Ricky? E o Fokobo?» (caramba, dá mesmo jeito ter nome de jogador da bola misturado com desenho animado). Envergonha-se por estarem a entoar o cântico que ela conhece. Desprende-se com o rufar dos tambores. Assusta-se, muito, no golo. E festeja em lágrimas. Pergunta porque é que eles se atiram a escorrer pelo chão. Indigna-se com uma falta e pede pipocas, ao intervalo.

Está feliz. Nota-se. Apesar de impaciente, à medida que o tempo passa. Fica admirada com o golo do adversário. «E agora, pai?». «Agora temos que marcar outro». E marcámos. E ela viu, atenta a um canto que ela não sabe chamar-se canto. Grita golo, pela primeira vez, num misto de emoções que termina em novas lágrimas assustadas. Fica ao colo, depois sai às cavalitas.

Liga a todos os avós, contando que viu o Sporting marcar dois golos. «Pai, o Sporting estava a demorar tanto para marcar golos… Para a próxima tem que marcar estes!», diz-me exibindo quatro dedos, antes de trocarmos beijos de boa noite. E acorda, com o entusiasmo de ir para a escola ampliado pela vontade de contar que foi ver o Sporting. «Pai, amanhã podemos ir outra vez ver o Sporting?»; «Amanhã não há jogo, amor. Mas depois vais. Queres ir sempre ver os jogos?»; «Sim, contigo e com a mamã!»; «Combinado» «Sabes, pai, quando for grande vou ser jogadora do Sporting!»
Sorrio. E volto a ter cinco anos.

Anúncios

170 thoughts on “De filha para pai

  1. É a primeira vez que aqui comento apesar de ser leitor quase diário, e faço-o com um nó na garganta tal o turbilhão de emoções e de memórias que este texto me desperta. Obrigado por me fazer lembrar este lado inocente do ser do Sporting. Tanta falta que isto nos faz!
    um abraço e não deixe de escrever!
    Francisco

    • aproveito o comentário do Francisco para também eu fazer o meu 1º comentário neste blog
      tal como o Francisco também sou um leitor assíduo deste blog à pelo menos 2 anos (altura em que o descobri e passou a ser uma referência para mim)
      ler este post e muitos iguais a este escritos por ti, Cherba, é como se estivesse numa aula de Sportinguismo…e quem melhor para ma dar que não um verdadeiro leão como tu?
      é mesmo um “despertar de memórias e um turbilhão de emoções”, como disse e muito bem o Francisco, que mexe connosco por dentro e que nos faz pensar que afinal o Sportinguismo de muita gente ainda está bem vivo..basta ler a caixa de comentários dos mais variados posts que tu fazes

      continua…é um enorme orgulho e uma grande honra ler estes teus comentários que transpiram Sportinguismo ;)

  2. Tears in my eyes now. Fdx arrepio. Como já estou tb a tratar da minha sucessão espero fazer o mesmo trabalho k tu fazes em incutir esse espirito na miuda. Só tenho pena de não morar tão perto para poder ver o maior nº de jogos possiveis.

  3. Priceless!
    Também tenho 2 filhas (9 e 8 anos), as 2 sportinguistas, que já sofrem quando perdemos e me enchem a alma de alegria quando riem com um golo dos nossos.
    Ser do Sporting é escolher não ganhar sempre, mas escolher que se quer ganhar com rectidão e justeza. Mas ainda mais importante,jamais viramos as costas quando perdemos e isso é uma lição para a vida. Ser do Sporting é ser resiliente à adversidade.
    Saudações leoninas

    P.S. O meu pai era portista. Foi portista no tempo em que ser do Porto era como é hoje ser do Sporting(perdendo mais vezes que ganhando e sem usar métodos sujos) e respeitou sempre a minha (e a do meu irmão) decisão de ser do Sporting.
    Por essa razão e outras exemplos de vida é que sinto imenso a sua falta.

    • Também eu tenho um leaozinho de 3 anos e espero ansiosamente pelo dia de o levar a Alvalade… Cada vez mais penso que somos uma tribo singular nada que ver com viscondes mas sim com valores. É isso que quero transmitir ao rebento.

      Ps: deixaste-me em lágrimas….

      SL

  4. Eu tambem tenho esse sonho de levar o meu filho daqui a uns 3 anos ao estádio, com uma camisola verde e branca. A primeira oficial ja deixou de lhe servir. Ontem, antes de ele dormir e depois de ter sentido vomitos ao abrir o facebook, depois do jogo dos lampioes, pensei…tenho mesmo orgulho em ser diferente, ser do Sporting. Vou cumprir o sonho de tornar o meu filho um Sportinguista como eu…ele merece.

  5. Excelente post Cherba, também estou a tratar da minha prole e espero que ainda este ano tenhamos um novo Sportinguista nas nossas hostes.

    Por enquanto tenho o meu sobrinho que já joga futebol sete em telheiras no Sporting local e tem um orgulho na verde e branca fora de serie.

    Claro que temos intoxicação da comunicação social mas aqueles puros de espírito que amam o Sporting e têm carácter e sabem festejar não só as vitórias serão sempre sportinguistas.

    Cresci com o grande jejum, pois sou dos anos 80, e nunca fui tão sportinguista como nesses tempos, era difícil, era mas deu-me um carácter fora de serie.

    SL ao sportinguistas com espinha direita que forjaram a lenda.

  6. Cherba: Apesar de andar muito desiludido com o futebol (não com o Sporting) e achar que é um desporto que está podre, o teu texto deu-me vontade de pegar no meu mais velho, que vai fazer 5 anos, e levá-lo ao Estádio. Quem sabe na próxima época passo da vontade à prática. Obrigado pelo texto!

    Saudações Leoninas!

  7. Estou a ler e a pensar que daqui a alguns meses, haverá mais um (a) Sportinguista aqui em casa… acho mesmo que a viagem de regresso a casa, depois do nascimento, vai ter paragem em Alvalade para oficializar a comunhão com o nosso Grande amor! Quanto à minha história, fica para outra oportunidade, é muita emoção junta… a tua, a minha… enfim!

  8. Eu venho duma familia praticamente toda Sportinguista! Espero, e estou a tentar, incutir o sportinguismo aos 3 descendentes. Os mais velhos (com quase quatro anos) já dizem não gostar do encarnado porque é mau e gritam Sporting (Seportingue mais concretamente). Ah… e são todos sócios!

  9. Texto maravilhoso, que a mim, que também os levo (uma de 8 e um de 7) ao estádio me deixou de lágrimas nos olhos!… São momentos como esses que ficarão para sempre na memória da tua pequena e que te (nos) acompanharão até ao fim!

    Obrigado Cherba!

  10. Brilhante!

    Parabéns, estes balões de oxigénio reforçam todos os dias o nosso Sportinguismo!

    Arriscas-te a ter uma estátua junto ao estádio!

    SL

  11. Cherba,

    Excelente porra!
    Tal como o Bonga, tenho uma lágrima no canto do olho :)

    No Domingo levei comigo a minha filha de 8 com a sua camisola verde e branca vestida e com um orgulho imenso, dela e meu.

    Ao lado ia a prima de 9 anos, única sportinguista numa familia de 5 lampiões e que faço questão de a levar a Alvalade sempre que possível.
    Um rogulho para mim ter esta leoazinha no meio do vermelho :)

    Em casa ficou o meu mais novo com 2 anos mas a quem já lhe comecei a incutir o gosto pelo Sporting apesar de à volta dele e por ser rapaz haver muita lampionagem sempre a melgar…

    Temos de ser nós a mostrar-lhes como é maravilhoso ser sportinguista e que bom é ser deiferente daquelas coisas que festejam em pleno Marquês como se já tivessem ganho alguma coisa.

    SL

  12. ja acompanho o cacifo a muito tempo mas nunca tinha escrito nada …
    mas….
    mas foda-se bateste mesmo forte cá dentro
    parabens ….
    espero que a minha filha siga os passos da tua
    saudaçoes leoninas para todos voces

  13. Cherba, na qualidade de pai de um unico filho com a idade de 5 anos decreto que passas a estar proibido de escrever estados de alma misturado com vivências familiares como a que acabas de fazer.
    Não há necessidade de me obrigares a largar umas quantas lágrimas no meu local de trabalho.
    Mais: ando há algum tempo para levar o meu filho a assistir a um jogo do SCP, ao vivo, em Alvalade. Sei que fui eficaz na transmissão de sportinguismo ao meu filho. Mas, admito, estou ansioso por lavá-lo a Alvalade. Juntos, a comemorar uma grande vitória dos nossos verde-e-brancos.
    Aquele abraço, Cherba.
    SL

  14. Numa família dominada pelo vermelho, onde apenas eu e o meu pai somos Sporting, não me canso de transmitir a imagem do leão, do verde, do Sporting à minha sobrinha de 2 anos. Não será nada fácil pois os pais, tios e avós são todos do benfica.
    Não irei desistir pois ela vive agarrada a um leão de peluche que tenho em casa. A próxima vez que passar pela Loja Verde vou-lhe comprar um jubas (que ela já sabe dizer e o que é).

    ps: O Cacifo é do caralho!

  15. É de lagrima no olho que pela primeira vez aqui escrevo para dizer Obrigado.
    Também sou pai de 2 leoas, que pela distancia (300kms) e carteira apertada não posso ir Alvalade. Mas é este sentimento que também sinto que passei às minhas herdeiras, que se não lhes puder deixar nada na minha partida, terei deixado algo de valor incalculavel, inigulavel e eterno: SER do SPORTING!

  16. fodax Cherba,
    finalmente colocaste-me a chorar….
    já tinhas ameaçado várias vezes, mas desta estava para aqui uma poeirada na sala que os olhos soltaram as lagrimas….

    porra tantas memórias que trouxeste, do meu passado, com avós (apesar de serem de outro clube), com o meu falecido pai e irmão mais velho em que íamos logo de manhã para Alvalade ver tudo o que era jogo, treinos e afins enquanto ele ia trabalhar.
    as memórias de sempre do nosso Sporting,
    o meu mini ultra (como lhe chamam os meus amigos) de 9 anos que sabe todos os nomes, todas as músicas e que já diz asneiras de contentamento quando marcamos golos decisivos ou que reclama com uma falta que (para não variar) o árbitro não marca…

    isto é o Sporting, isto é amor….

    porra Cherba….

  17. Cherba, o sportinguismo sempre foi e sempre será assim: de pais para filhos. E filhas, naturalmente! A minha filhota fez ontem 4 meses; ainda não sabe, mas já é a sócia 99034 do Sporting Clube de Portugal. Espero daqui a 3 anos, concretizar o sonho de a levar a Alvalade comigo e com o avô. Saudações Leoninas

  18. Cherba, man. Nada pode contribuir mais para a pacificação e purificação do Futebol do que textos destes. Choro, mas sinto-me bem.

    Obrigado

  19. Cherba não te conheço de lado nenhum e tenho mesmo muita pena que te mantenhas no anonimato. Explico porque.

    O que estoua dizer não deve ser encarado como uma brincadeira, ou prestar vassalagem ao dono do blog.

    Venho aqui propor a todos os cacifeiros que o Cherba venha a ser proposto para receber um prémio Stromp. Tem feito mais pelo nosso clube que muitos dos que lá passaram. Aliás é vergonhoso querer sequer compara-lo.

    Cada texo que escreve consegues ir até à essencia de cada um de nós, aos sentimentos mais profundos e relembra-nos o orgulho e a honra que é ser Sportinguista.

    Obrigado Cherba mais uma vez, sei que não deve ser fácil partilhares tanto do teu intimo connosco.

    SL

  20. O meu sportinguismo foi-me transmitido pelo mano + velho.
    Aliás somos 4 filhos de um casal de benfiquistas, e somos os 4 (1 rapaz e 3 raparigas) do sporting (nisto quero agradecer ao meu pai que apesar de grande benfiquista nunca nos impôs a sua ‘crença’…UFA).
    O meu amor pelo nosso Sporting não o consigo explicar. Quanto mais tempo passa mais sportinguista me sinto. Eu própria por vezes me pergunto: “como é isto possível? já não tens idade para ter juízo?????”
    Não tenho filhos no entanto o meu sobrinho também já sente o sporting de uma maneira muito especial. Eu acho mesmo que quem é do sporting tem mesmo de ser especial. Ainda mais os nossos jovens e crianças. Não é fácil sermos a minoria mas o orgulho de o sermos supera tudo.
    Aguardo ansiosa pela primeira vez do meu sobrinho (11 anos) no nosso estádio…aí sim…tenho a certeza que ficará para sempre gravada a marca do leão na sua mente e coração….olha, até rimei. O Sporting inspira-me, mesmo!

    Ass: Leoa Ferrenha de Viseu

  21. No inicio do meu sportinguismo tambem o meu pai fez o mesmo comigo ainda no antigo estádio em alvalade se mandavam cartões de sócio dos varandins no domingo passado, 25 anos mais ao menos depois tb levei o meu filho à bola e não há nada mais valioso que isso, o de poder juntar os grandes amores da minha vida num momento só!

    SL

  22. Cherba,
    Sou pai de três, e há quatro anos fiz isto com a filhota do meio. Foi inesquecível!
    Por isso não tenho pejo em dizer que me rolaram as lágrimas pela cara, em pleno local de trabalho. Parece-me que consegui enxugá-las antes que os meus colegas as vissem.
    Acontece-me sempre que falo nos meus amores e recordo os bons momentos, sentimentos e emoções que me dão. Somos muito grandes!

    PS. É por estas e outras que o Cacifo é de longe o melhor blogue de todos.

    Saudações Leoninas, bem hajas, caro Cherbakov.

  23. Lindo, simplesmente lindo! Faz-me lembrar as idas a Alvalade com a minha filha pequenita, agora é ela que me motiva e me lava o espírito, quando estou em baixo com o nosso Sporting, é o que faz ter 19 anos, Sportinguista pior que o pai, mas subtil no trato das derrotas!
    Um dia irás ter saudades destes 5 anos da tua filhota, Cherba. O teu texto apenas me fez viajar no tempo, Obrigado!

  24. Arrepiante, verdadeiro, único…no meu caso tenho dois filhos sócios do Sporting. Um deles já não consegue ver os jogos – sofre tanto que prefere não ver. O meu Pai idem..liga-me no fim. Em 42 primos direitos, de entre os quais sou o mais velho, consegui converter uns 20, que ainda hoje me escrevem e ligam a falar do Sporting. Consegui converter sobrinhos com Pais lampiões – sou o terror da família. O Sporting tem uma chama única…não é qualquer clube que aguenta 18 anos sem vencer, com estádios cheios. Não é qualquer clube que aguenta um ano como este e consegue juntar 30 mil no seu estádio. Somos únicos!!!!

  25. Fabuloso, parabéns. Já passei por tudo isto e lembro-me bem do trabalho que tive para que a minha filha e o meu filho se tornassem sportinguistas contra todos os aliciamentos de sinal contrário. Era um enorme desgosto se não o tivesse conseguido mas consegui! Por isso é que não consigo perceber que tenha chegado a presidente do clube um fulano que só tinha 2 horas por dia para dar ao Sporting e que era o único sportinguista lá de casa. Respeito muito a liberdade de cada um mas se alguém não tem chama ou interesse em passar o sportinguismo aos próprios filhos como a poderá ter para liderar o clube? Foi apenas mais um sinal dos (maus) tempos por que temos passado.

  26. Parabéns Cherba,

    Grande post…. puseste a malta toda a chorar e alguns (como eu) a escrever pela 1ª vez para te agradecer este belo texto.
    Permite-me destacar entre outros bons comentários também o comentário mais acima do Sérgio ás 2:41 pm….. principalmente a ultima frase:
    ” Mas é este sentimento que também sinto que passei às minhas herdeiras, que se não lhes puder deixar nada na minha partida, terei deixado algo de valor incalculavel, inigulavel e eterno: SER do SPORTING!”
    Mais uma vez parabéns pelo excelente post e parabéns também ao Sérgio pelo seu comentário.

    SL

  27. Sou leitor assíduo mas raramente comento, no entanto, este post está excelente. Tenho dois filhos sócios, uma com 6 meses e outro com 4 anos e meio. O de 4 anos e meio já vai a todos os jogos comigo à mais ou menos um ano e sei bem o que são essas emoções. É lindo ouvi-lo de outros SPORTINGUISTAS.

    Muito bom.

    Abraço

  28. Fizeste-me chorar caralho, lembrando o 1o dia que eu fui a Alvalade em 2011 e fui cm meu filho e mulher (atenção vivo na Arábia Saudita e estava em Lisboa de férias)… o meu filho tbm pergunta quando voltamos à Alvalade e eu digo naa próximas férias…

  29. Isso mesmo. O futebol tem que se tornar um desporto que junte pessoas e famílias e deixar de ser um albergue de mentiras e defesas ocas de casos de arbitragem. Tem de ser uma família que se junta para defender um clube com ética. Espero que a tua filha já cresça com um Sporting com esses valores. Parabéns.

    • A violência nos estádios não convida muito. Enquanto não proibirem definitivamente certos indivíduos de frequentarem os estádios, há jogos que poderiam ser uma festa em família e não o são.

      Quanto ao texto, mais uma vez parabéns Cherba. Fiquei comovido.

      • Oh Diogo, eu estou muito longe para ter uma percepção real, é certo. Mas por exemplo, num Sporting – Benfica não há sempre riscos? Não necessariamente dentro do estádio. Mas ainda me lembro da cena do verylight. Não pode acontecer em Alvalade? Quem não tem gamebox e vai para o meio do pessoal não está sujeito? Confesso que não estou muito por dentro, não tenho assistido muito futebol ao vivo nos últimos anos… é a percepção que tenho.

      • Olha eu vou quase sempre para o seio das claques e o que te posso dizer é que vi (MUITO) mais porrada quando jogava aqui no Atlético da Malveira…

  30. Cherba,
    venho aqui praticamente todos os dias….
    Para quem tem um filho/a ….ler este post….sei lá…não encontro as palavras para descrever como me sinto.
    Embargado pelas lágrimas que tento impedir que me deslizem pela cara. engolindo em seco…
    Vivi algo semelhante o ano passado em quando levei o meu filho ao Sporting-Metalist. Agora também compartilha comigo este amor por este clube.
    Ler-te levou-me novamente áquele dia mágico!
    Obrigado!….agora vou lavar o rosto pois entretanto as lágrimas venceram….

  31. fizeste-me ficar com os olhos cheios de lágrimas Cherba, porque este Domingo a minha princesa não passou pelo mesmo que a tua porque estava com varicela … doeu-me muito a menina com 4 anos ficar a chorar em casa com a avó enquanto eu, a mãe e o irmão saiamos para Alvalade … No próximo não falha!!! E deixa-me que te diga que tenho um rapaz com 10 anos que vai comigo a todos os jogos desde os 3 anos de idade! Em casa e fora!!! O SPORTING é um elo lindo que nos une a todos, quase tanto como os laços familiares lol

  32. O meu amor pelo Sporting foi mais fácil, filho e neto de Sportinguistas, foi algo natural (Yazalde, Damas, Jordão, Manuel Fernandes e por aí fora… tb ajudaram)… Quanto à tua vivência: Clap; clap; clap

  33. O Cacifo é do “Caralho”!!!

    O SCP o nosso grande AMOR!!!

    😜

    SL

    PS: Tópico anterior: Concordo q o Carrillo, se tiver força mental, pode ser um Hulk… Mas, ofensivamente, o BRUMA, é o nosso jogador com maior potencial!
    😉

  34. Como gostaria que se tivesse passado o mesmo comigo. A minha filha que faz 4 agora em Julho, foi comigo ver o jogo com o Marítimo. Resultado: apanhou chuva, frio, teve medo dos assobios, dos insultos à equipa… Resultado: aos 25 minutos de jogo estava a arrancar para casa… Mas ao menos festeja os golos comigo quando vejo os jogos em casa… Fica para um próxima. Invejo também todos aqueles que o legado geracional os tornou sportinguistas. Eu nao tive essa sorte.. Pai tripeiro, mãe lampia (entretanto convertida), e o resto da família ou carnidense ou tripeira. Nem um leão! Ninguém! Nao sei a quem devo este amor, ou se foi obra do destino, mas que cresce a cada dia… Caramba! Se cresce!

    • Caro Jusko,

      é a vantagem de ter, novamente, futebol em Alvalade a horários decentes!!!

      Estava ventoso, é certo, mas estava sol e uma temperatura agradável. Isso conta muito para que as crianças, em particular as mais pequenitas, se sintam bem dispostas!!!

      Texto magnífico Cherba (mais um)… Que memórias me trouxeste!!!

      Abraço Leonino a todos os Cacifeiros Sportinguistas!!!

      SL

  35. Apesar de comentar pouco quero comentar este post por o meu sportinguismo ser igual ao teu, apesar da minha família ser sportinguista, nunca fui sequer ao estádio com o meu Pai, no entanto vou sempre que posso com um grupo de amigos (Coimbra-Lisboa-Coimbra não é fácil), e cada vez que chego a casa a minha mãe diz-me sempre o mesmo ” quando vais ver a bola chegas sempre excitado”, nunca lhe consegui explicar muito bem porque, secalhar porque simplesmente nao se explica, sente-se!

    SL

    • Jorge Jesus tornou-se voluntariamente num filha-da-putazinho com participação activa na vergonhosa campanha do orelhas na luta pelo “lugar ao sol”. Andava no norte, mas o Orelhas anda há anos a tentar trocar isso mais cá para baixo. Quero que o Jesus vá para a puta que o pariu. (eu bem tentei, mas não há outras palavras).

  36. Parece que n sou o único que chorei com este poste (antes de abrir a caixa de comentários estava a pensar que estava muito sensível)lol
    Eu ainda nao tenho filhos mas tenho uma sobrinha que tem quase 3 anos e se deus quiser amanha vou ter mais um sobrinho que farei logo sócio… A minha sobrinha ja é contemplante sportinguista (agora ofereci-lhe uma almofada do SCP e desde ai q anda semp a chatear a minha irmã porque so quer dormir agarrada a ela)
    cá em casa n é dificil ser do Sporting porque somos 16 primos e 5 tios e sao todos do Sporting… mas é bonito ver nascer um amor destes nas crianças ;)
    SL

  37. História deliciosa !
    O meu pai quando me levou pela primeira vez ao antigo estádio ( tinha eu 3 anos de idade ) e quando vi aquele tapete todo verdinho mandei um granda ” Pai ! Quero ir jogar para ali !” ( apontando para o relvado).
    O meu pai disse-me que as pessoas em volta levantaram-se a bater palmas.

  38. Foda-se, meter um gajo com as lágrimas nos olhos no trabalho não se faz.
    Texto fantástico que espelha bem o que é o Sporting. O meu vai fazer 3 anos em Agosto e espero sentir a mesma emoção que todos os pais do cacifo já sentiram.

    SL

  39. Em comun com este post tenho o facto de também contagiar com o Sporting quem me rodeia.
    Apesar do meu pai também ser Leão (que saudades que tenho dele) não vivia o futebol como eu, nunca fui ao estadio com ele.
    Já a minha mãe sendo natural de Miragaia tinha simpatia pelo porto, até eu entrar em acção,hoje é tão Sportinguista como eu e ai de quem fale mal dele na sua presença, o meu cunhado sabe do que falo.

    A minha irmã também não ligava, comecei a leva-la comigo para os jogos e hoje nem me atrevo fora de Alvalade, é uma leoa feroz, e o grande problema é que depois quem apanha sou eu.

    Nas bancadas apanham dela quem esta a sua volta, chuta bolas ficticias, solta cotoveladas em todas as direcções e como não chega aos dos apitos apanhamos nós.
    O filho dela adolescente que praticamente vive aqui em casa, Sporting pois esta claro.

    E agora o meu filho, que já esta a tornar a mãe tripeira numa Sportinguista como ele.

    Até o meu sogro já é Leão, homem que nunca ligou a bola já pergunta quqndo vamos ver o Sporting de novo.
    Este foi facil convencer, bastou lhe dar a direcção das escutas no youtube.

    • isto é ser SPORTING. Nasci em casa de um jogador do Spportring (Jurado) e talvez por isso antes de ter nome já era do SPORTING. Casei com um sportinguista, a minha filha foi ver o primeiro jogo aos três anos, é do Sporting de alma e coração pois casou com um doente do SPORTING. Cá em casa até a cadela é do Sporting. Continua assim. Pois quem é do Sporting tem alegria na vida…… Saudações…….

  40. Que linda posta…

    Também eu dei por mim com um sorriso estúpido a olhar para estas palavras, e perto das lágrimas, especialmente em tiradas tão genuínas e bonitas como “ao estádio grande?”

    Como já confessei aqui num outro texto sobre o sportinguismo da tua filha, tenho enorme ânsia de poder passar o meu amor ao Sporting a um rebento. Até lá, já levei grandes amigos para a sua primeira vez; namorada também pela primeira vez, para a curva; e na semana passada inseri o meu irmão mais novo na vida ultra… e que bem que ele se portou! Dei por mim a olhar para ele enquanto o miúdo gritava a plenos pulmões cânticos que tinha acabado de aprender.

    Até de costas para o relvado esteve, a cantar, abraçado a outros sportinguistas. Se já me senti babado com um irmão mais novo, imagino com um filho… :)

    Parabéns Cherba!

  41. OLha… Então não é que o ?excelente’ e ‘limpinho’ João Capela não foi, mais uma vez, convocado a apitar nenhum jogo!!! Será que está na jarra???

  42. Fizeste-me lembrar o meu avô e o meu pai. Estou sem palavras e parece que levei um soco no estômago e isso é coisa que só me acontece no Cacifo. Nunca deixes de escrever com sentimento Cherbakov!
    SL

  43. No Sporting como na vida, se perdes um jogo, perdes pouco, se perdes a honra perdes mto, mas se perdes a CORAGEM perdes TUDO!!!!

  44. Fiquei em lágrimas! Fantástico!
    Sou leitor assíduo do blog há 3 anos. Uma vez comentei mas pouca influencia teve, espectacular como com um simples texto recordo os meus 19 anos de vida, 19 anos de amor ao sporting.

  45. É a primeira vez que aqui escrevo mas sou um frequentador assíduo do “tasco” já de alguns anos, mas caro Cherba um texto destes até deixa um gajo com a lágrima no olho…brutal.
    Pelo que vou vendo penso que temos a mesma idade, mas eu ainda não tenho descendência, mas gosto de pensar que quando a tiver também vou transmitir este sentir sportinguista da mesma forma que tu fazes à tua filhota…
    Abraço e continua a brindar-nos com pérolas destas.

  46. Cherba leio o blog há imenso tempo mas só hoje senti a necessidade de comentar. Isto é poesia verde-e-branca, lindo mesmo! Os meus parabéns pelo blog e por mais este post genial!

  47. Incrível este post, Cherba. Das coisas mais genuínas que tenho lido ultimamente.
    Eu, que fui iniciada no Sportinguismo da forma clássica – pelo meu pai, portanto – morro de medo de não o conseguir fazer com um filho. Porque o meu namorado, e portanto futuro hipotético pai, é lampião… Enfim, ninguém merece ;)

    Só um aparte: não percebo porque é que o Alfaiate Lisboeta publica livros com os textos do blogue e tu não, Cherba. Escreves muito muito bem, consegues perceber a importância de pequenos detalhes, tens um estilo vivo e cativante. E dás autênticas lições de sportinguismo.

    SL

  48. Desde que há cerca de ano e meio “encontrei” por acaso este blog passei a ser leitor diário e altamente viciado. Meu caro Cherba, este post é simplesmente o melhor que escreveste… (e são dezenas aqueles que têm muito elevada qualidade, de texto e de substância … sportinguista. Mas este texto ficou demais: é a tua jogada de Maradona a fintar seis ingleses… Parabéns.

  49. OFF-TOPIC:

    Será muito mau se perdermos a oportunidade de ter isto do nosso lado:

    http://videos.sapo.pt/5WstyRPnTWSvimMlSJEc

    Já ouvi dizer de alguém de dentro: 1 – é caro; 2 – é um tiro no escuro; 3 – é o próprio inácio que diz que não serve ao SCP… é só para equipas que jogam em contra-ataque…

    Queira Deus que a minha fonte esteja completamente equivocada…

  50. Senti-me parvo a chorar em frente ao computador. Felizmente foi um fenómeno colectivo.

    Custa-me muito não levar a minha filha ao estádio, mas depois da compra de bilhetes para o Jamor no ano passado, proíbi-me de o fazer enquanto não se acabar com as claques.

  51. São momentos especiais estes que viveste, inesquecíveis na vida de um Pai, e fico contente por ter tudo acontecido nas melhores circunstâncias.

    Não tive a mesma sorte, tal como o Jusko, com o meu mais velho, pois tinha cerca de 4 anos quando o levei pela 1ª vez ao estádio, e foi aquele célebre golo com a mão do gajo do Paços, com derrota, muita gritaria e assobios, o que amedrontou o puto.

    Mas agora é sportinguista de alma e coração, já com 10 anos.

    O mais novo, com 5, equipa com “Dioguchi” nas costas da sua camisola da equipa da minha terra, e é um espectáculo dentro do espectáculo quando vai ao estádio, não deixando ninguém indiferente nas bancadas que o rodeiam.

    No último que fui ver, com o Moreirense, levei os dois, e são momentos… indescritíveis. É muita verdura, que nos enche a alma, e que nos fará perdurar nas suas memórias muito depois de morrermos.

    Melhor ainda do que o prazer de ser-se Leão, descobri como tu descobriste (ou descobrirás em pouco tempo), é ter-se o orgulho de criar mais Leões, daqueles que crescem à sombra do nosso exemplo, e que aprendem a amar este clube como nós sempre amámos, ou quiçã mais ainda (será sequer possível?).

    No fundo, eles é que serão os sportinguistas do futuro, os que levarão o nosso clube às costas daqui a 10-20 anos nas bancadas, e, até quem sabe, alguns mesmo dentro
    do campo….

    Logo, há todo o interesse em educá-los bem. E fazer deles uma espécie fortemente protegida entre nós, para nunca ficar em risco de extinção.

    Cabe a cada sportinguista a responsabilidade de multiplicar este sentimento pela sua descendência, essa honra de saber amar este clube. A bem do Futebol, e até do País.

  52. Sportinnnnnnnnnnnnng !!
    Gritei eu em pleno sarau de ginástica, não era habito, mas veio de dentro do orgulho em ser leonino e ver-te de verde e branco !!
    Durante meses juntei os tostões e além do teu equipamento à Sporting, completava um fato de treino preto com o emblema estampado no lado esquerdo, junto ao coração !!
    Quando podia lá ia eu ver as aulas de ginástica onde muito tempo atrás também eu com a tua idade subia os mesmo espaldares e com o mesmo emblema cimentava esta paixão imensa que é ser Sportinguista !!
    Depois íamos à toca do leão ou à sala de sócios lanchar e sempre que podíamos, levava-te até dentro do estádio, senta-vamo-nos na bancada e ia te contando as histórias do Sporting, respondendo à tua curiosidade de criança, normalmente desfasada dos discursos eloquentes que facciosamente fazia a uma criança de 4/5anos, falava de Stromp e de Jorge Vieira como se tu tivesses idade para tal coisa e bem perguntavas: Pai quando é que vou ao futebol contigo ?? Ou Pai eu gosto do Lito e tu ?? hehehehe eu gosto mais do Jordão filha !!
    No final do dia lá apanhava-mos o autocarro para casa, devidamente equipada com o emblema rampante bem visível, orgulhosamente pela minha mão, mais um dia de Sporting não antes de te ir adormecer, não te cantasse baixinho a saia da Carolina que tu tanto gostavas !!
    Um beijo e a pergunta sacramental: Filha gostas do Sporting ?? Um sorriso largo e a resposta óbvia, gosto muito Pai !!
    Obrigado Cherba, por me sensibilizares e estimulares a relembrar as minhas vivência leoninas !! SL

  53. Capela é sportinguista e a sua família também…na Malveira toda a gente sabe que para subir na vida não se pode ser do Sporting…isto é o futebol nacional…miserável!

  54. Cherba, este post devia ser impresso em papel timbrado e entregue à porta do estádio. É o corolário do sentir o Sporting. Brilhante.

    Também tenho um filho, de 2 anos, que ainda não levei ao estádio. No entanto já frequenta o pavilhão de Odivelas! E digo-te, vê-lo com a verde e branca vestida, com um sorriso inocente, de olhos vidrados na bola, e a gritar “Potinga” fazem-me ter a certeza que o verdadeiro Sporting jamais morrerá.

    SL

  55. A história é bonita e merece parabéns. Mas não é sportinguismo nem exclusivo do sporting, não percebo os comentários que o afirmam. Acontece em todos os clubes de todo o mundo, e é próprio de algo que não se explica, mas se sente. Tal como autor diz, apareceu na vida dele porque sim, e independentemente do nosso clube, devemos respeitar o simples facto de que tal como com ele aconteceu com o sporting, para outros aconteceu com outro clube. E a filha, habituada ao verde e branco familiar, regozijou, como os filhos de outros o fazem com outras cores e outros estádios.
    Não façam de algo tão belo um exclusivo que só pode acontecer num clube. Não faz sentido nenhum e é instrumentalizar uma inocência pura.

    • Escrever um post destes requer coragem, principalmente sabendo que haverá sempre alguém a tentar minorar, distorcer ou simplesmente a tentar ridicularizar . Já nem falo da trabalheira para apagar os comentários abjectos. Só por isso merece mais respeito que este processo de intenções disparatado.

      É óbvio que o amor ao clube de cada um é universal, o cherba partilhou a sua experiência, um momento que marcou a filha e a ele tambem no seu clube, instrumentalizar seria se estivesse a tentar converter alguém, mas escreveu num local em que já estão todos convertidos, não foi num jornal ou na televisão generalista (mas pouco imparcial) como vemos fazer todos os dias.

      Se quer combater algo, experimente ataques fáceis, vis e básicos como ver comentadores da bola a pedir que jogadores saiam lesionados. Ou a negar a existência de faltas quando está o adversário desmaiado e a sangrar á vista de todos. Essas seriam batalhas mais respeitáveis.

      Honi soit qui mal y pense.

    • Num espaço que é exclusivamente de sportinguistas vem uma ave rara afirmar que “não é sportinguismo nem exclusivo do sporting”. Gosto da contradição de termos que tanto dizem que não é “sportinguismo”, como na mesma frase dizem “não ser um exclusivo”.
      Antes de mais, neste espaço trata-se o clube com a dignidade que ele merece. Sporting escreve-se com maiúscula e é assim que é, e sempre será. Os acordos ortográficos assinados por Capelas ou Vitores Pereiras, só são aceites na casa de quem os quiser aceitar. Aqui não foram. Temos pena.
      O Miguel Lourenço, do alto da sua pura inocência, andava a navegar e eis quando de repente se encontra num núcleo de sportinguistas a falar das suas causas, das suas paixões e do seu enorme amor ao único clube neste país que ainda é um grande e respeita as mais elementares regras do fair-play e da verdade desportiva.
      Não percebo se o Miguel vinha à espera de encontrar no Cacifo uma igreja evangélica que lhe comesse a dízima, mas lhe garantisse que tinha a alma assegurada, ou se vinha à procura de mais uma evangelização de jornal, de tv, de tudo o que é eticamente correcto até se começar a falar sobre o Sporting ou os Capelas desta vida.
      Instrumentalizar é uma palavra que o Miguel aprendeu, mas que ainda não percebeu qual o significado.
      Instrumentalizar é termos um clube que sempre passou à margem das regras a ter a maior massa adepta dentro deste país tão pequeno. Um clube capaz de mentir sobre a própria data de fundação para dizer que está à nossa frente (como se isso nos importasse). Um clube que está-se nas tintas para os meios para atingir os fins e que os media protegem como se não houvesse amanhã.
      O Miguel acha que os sportinguistas estão a instrumentalizar as suas crianças ao passar-lhes o seu sportinguismo.
      O Miguel não sabe o que diz. Fala por falar. A própria evangelização dos seus filhos deve estar a correr mal, não sei.
      O Miguel, numa próxima vez, fazia-lhe mais falta um site de auto-motivação.

      • O texto do Cherba está muito bem escrito, é impossível fugir à unanimidade. Até os que não são dos nossos concordaram. Parabéns!
        Mas esta resposta ao intruso que quis desvirtuar a alma leonina também está muito bem escrita, e é bastante oportuna e apropriada.
        O facto virem aqui bisbilhotar com tanta frequência é a prova provada de que, apesar da grandeza que alardeiam, falta-lhes qualquer coisa para serem felizes.
        Parece que o sportinguismo é algo contagiante, e que se entranha.

        Viva o Sporting

  56. GRANDE POST CHERBA!!!
    Tb tenho uma filha(7anos)socia desde que nasceu, que adora o nosso SPORTING, vivemos no estrangeiro mas o amor pelo clube esta la, ver a minha pequena toda equipada em frente a tv e a dizer “Pai tem calma que eles ja vao marcar” ou “Pai quando formos a Portugal pudemos ir ao estadio?” enche-me de alegria e orgulho. Tenho sobrinhos e sobrinhas mais pequenas que vao ver o SPORTING e mal podem esperar para voltar e ver o Jubas. Tenho pena por nao puder leva-la ao estadio mais vezes…

    Sao estes posts cheios de sportinguismo que me fazem vir aqui e gostar muit daquilo que escreves, bem haja Grande Cherba.

    SPORTING SEMPRE

  57. Em tempos, houve um blog que se destacava, por muito, pela inteligência e pelo humor mordaz com que mexia com o nosso sportinguismo e com que revoltava os fígados aos adeptos de outros clubes. O “Escala de Barbas” é um texto de que muitos não se vão esquecer. Tenho esperança que o “Mãos ao ar”, um dia, volte ao activo.
    Hoje, o Cacifo está num patamar igual.
    Num registo diferente, é certo, mas com uma capacidade notável de trazer para a escrita um sentimento de que o que todos “queremos é que o Sporting seja um grande clube, tão grande como os maiores da Europa”.
    Eu sugeria ao jornal do Sporting, uma vez que os outros merdas só têm capacidade de aceitar a opinião verde e branca até um certo limite, que é ultrapassado todos os dias pelos seus cronistas que escrevem a penas de pato a tinta vermelha ou azul, contratarem o Cherba para escrever umas crónicas.
    Poderia manter a sua “indiscrição” e seria uma mais valia com a excelência de textos como este.

  58. Muito bom. Tenho uma filha pouco mais nova que a tua e uma grande desvantagem em relação a ti. Vive com a mãe, uma irritantezinha benfiquista, pelo que das poucas armas que vou tendo para impedir que se vire para o lado da corja é ameaça-la com castigo cada vez que disser asneiras como “Sou do Benfica” cada vez que está comigo. Se a influência do pai não funcionar, o terrorismo psicológico é a solução para evitar que a míuda enverede por caminhos menos próprios…

  59. Isto é o Sporting! Parabéns Cherba! Um enorme abraço para ti e para as tuas Leoas!

    Ao ler a prosa, voltei a ter (também) 5 anos…

  60. bem… é isso :) voltar a ter 5 anos, voltar a chorar quando a bola demora a entrar, enfim ser do sporting é tudo isso, é ser algo mais e ser assim :)
    obrigado pela partilha

  61. Boa tarde é a primeira vez que comento aqui e para falar a verdade poucas vezes vim a um blog sportinguista mas como amante do futebol, leio o máximo de blogues que puder e desde que sejam sinceros e sem anti-clubismo, sendo eu um benfiquista ferrenho e fanático eu digo uma coisa, se á coisa que prezo é o fair play e como tal gostei muito de ler este artigo pois como benfiquista ja fui ao estadio da luz quando era mais pequeno e com o meu pai e devo dizer que invertendo as cores me lembro de ir aos jogos com o meu pai e me arrepiei bastante ao ler este texto.
    Muito bem escrito e se não houvesse gente que só quisesse ir ao futebol bater em tudo o que é gente, com certeza que muitos pais e filhos viveriam momentos como este.
    Parabéns
    Saudações benfiquistas

  62. Tenho 55 anos , sou do Sporting desde que me conheço e este post emocionou-me. Parabéns! As maiores felicidades para a futura jogadora do Sporting e também para os papás.

  63. Lindo. Emocionei-me verdadeiramente com esta descrição. Tenho um miúdo de 2 anos e pouco e anseio pelo momento de o levar pela primeira vez ao estádio, para que se possa deslumbrar e eu me possa deslumbrar com ele.

    Felicidades para a tua filhota. A semente está plantada, e esse sportinguismo vai crescer forte.

  64. A minha filha … A minha filha é Leoa até de signo! Tem quase 16 anos e uma imensa paixão pelo Sporting, quer ir ver todos os jogos em casa, vibra com as derrotas e fica deprimida com os resultados menos bons, arrasta-me para os jogos mesmo quando não tenho alma para tantos desaires, “Pai que raio de Leão és tu ?, vamos lá, quero ver o Ricky a aquecer e o Dier também ” , na sua condição de teenager vibra com os bonitões do plantel, mas vibra muito mais com a equipa toda e com as vitórias. Criei um monstro, já pensei por diversas vezes, porque é que a trouxe aqui ? Não tenho explicação, é certo que desde pequena a influenciei para o verde, só para o verde, e confesso que seria trágico se ela considerasse outra cor, mas nunca pensei que a sua paixão atingi-se tal fasquia ! Obrigado Filhoca .
    Aqui em casa só temos uma cor … verde e branco, looooooooooool !

  65. Pingback: O nosso grande amor | O Cacifo do Paulinho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s