Verdes Anos: Corre, Mamede! Corre!

Ontem, os cacifeiros escolheram o nome desta nova rubrica. Hoje, sou atropelado por uma proposta de post que não vai tão ao fundo do Cacifo, mas que encaixa neste desfilar de enormes memórias. E, logo de seguida, salta um comentário que me apetece transformar em post (só o título é que é meu).

Corre, Mamede! Corre!, by RugidoVerde, com ideia de Hic Svnt Leones e título de Cherba

E que puta de corrida fez o Mamede nesse dia!! Tinha 10 anos e lembro-me como se fosse hoje!!!!
Sempre em alto ritmo (O Carlos Lopes trabalhou para o Mamede durante toda a corrida) e depois à entra para a última volta o Mamede “fresquinho” ultrapassa o Carlos Lopes como se estivesse a correr os 800m!!
Alucinante!
Agora era o Carlos Lopes a tentar aproveitar a boleia do Mamede, mas já estava todo roto. Aliás acho que não me lembro de ver o Carlos Lopes alguma vez assim tão esbaforido no final de uma corrida. Mesmo assim o seu esforço foi compensado com o 2º melhor tempo de sempre mas a 4 segundos do Mamede, o que diz tudo!!!

Eu que aos 10 anos já era um leão fanático, delirei: dobradinha para o Sporting com ambos a baterem o recorde do Mundo?!?!? Melhor era impossível!!
No final, o sentido abraço entre o Carlos Lopes, o Mamede e o Moniz Pereira é de levar qualquer leão às lágrimas!


nota: Fernando Mamede bateu o recorde do Mundo e da Europa dos 10 000 metros em Estocolmo, com a marca de 27.13,81 minutos. Foi uma jornada gloriosa para o Sporting, porque o segundo classificado da prova foi o também sportinguista Carlos Lopes, com 27.17,48 minutos, então a segunda melhor marca mundial de sempre. A marca de Mamede foi recorde do Mundo durante cinco anos e da Europa durante 15 anos.

Permitam-me completar o ramalhete com esta aceleração impressionante!!!

Anúncios

56 thoughts on “Verdes Anos: Corre, Mamede! Corre!

  1. Eu também vi e ainda hoje me emociono.
    Eram anos em que as competições de atletismo pela tv faziam parar o país sportinguista (e não só), tal como acontece com os clássicos do futebol tuga.
    Vinham sempre títulos e choviam medalhas.
    Felizmente que isto não mudou, continuamos a ser a maior potência desportiva deste país.

    SL

  2. Julgo que no mesmo dia Paulo Ferreira ganhou uma etapa da volta à França.

    A corrida não deu em directo. Quando ouvi a notícia no telejornal caí de joelhos e de braços no ar. Tinha esperado por aquele momento, nos últimos 2 anos (era previsível que nas condições ideias Mamede bateria o record do mundo, porque o da Europa já lhe pertencia) e a alegria que senti foi tal que até chorei. A RTP depois transmitiu a corrida à noite, em gravação.

  3. Obrigado Cherba pelo privilégio de ter uma rúbrica a iniciar aqui no Cacifo c/ um texto meu. Ainda por cima foi surpresa (muito agradável, por sinal).

    Mas de facto seria quase criminoso não aproveitar o aniversário desta corrida épica p/ iniciar a rúbrica dos Verdes Anos. Foi muito bem lembrado pelo Hic Svnt Leones.

    Passados tantos anos ainda me deslumbro e emociono a ver estas imagens.
    O Sporting é um clube enorme, e como dizia ontem o nosso presidente ainda estará por cá daqui a 1000 anos!

    Sporting Sempre!!

  4. O Mamede era uma máquina de correr! O próprio Moniz Pereira disse-o! Parecia ter sido concebido num qq laboratório de genêtica com o objectivo de criar o corredor perfeito em termos fisiológicos. O problema do Mamede era lidar c/ a pressão. Tivesse o Mamede a força mental do Carlos Lopes e teria arrecadado muitos mais recordes Mundiais e Europeus. De qq modo, num dia sim como no caso dos vídeos acima, o Mamede era pura e simplesmente imbatível.

    • infelizmente nao consigo ver o video onde estou, mas a descriçao que fazes do Moniz Pereira é certeira: ele era geneticamente perfeito.

  5. Obrigado Cherba,

    Para um puto como eu era na altura, isto era onde verdadeiramente Portugal se confundia com o Sporting.

    Enquanto outros não tinham mais que o futebol para falar, o meu Clube era um Clube de Campeões. Era o Clube dos recordes do mundo, o Clube das medalhas Olímpicas, o Clube do Tour – era o Clube do Desporto de Portugal, que é exactamente o que significa Sporting Clube de Portugal. Isto não era mais que o cumprimento de um desígnio.

    Lembro-me deste momento, e de pensar que naquele momento o Sporting não tinha dois Campeões porque tinham sido os mais rápidos numa competição, tinha dois Campeões porque eram os mais rápidos de sempre, mais rápidos do que alguma vez alguém tinha sido.

    Lembro-me da importância e do relevo que este record teve a nível mundial, e do ORGULHO de ver as camisolas do Sporting Clube de Portugal no topo do Mundo.

    Inesquecível.

  6. Parabéns pela escolha do nome da rubrica. Tenho algum crédito dado que foi logo à partida a minha escolha, e acho que encaixa na perfeição. (e com a música do Paredes :)

    Em relação às belas memórias de Fernando Mamede, que dizer de um dos nossos atletas mais carismáticos? Era um autentico case-study. Mamede personificava o melhor e o pior dos portugueses: temerário nos desafios impossiveis e vacilante nas situações alcançáveis.

    Bateu recorde do mundo dos 10.000 ms em 85 (que durou até 89) e falhou varias medalhas. Nao tenho a mais pequena dúvida se a vertente psicologica de treino fosse uma realidade constante no Desporto de Alta competição da altura, Fernando Mamede teria sido o melhor do Mundo durante muitos anos.

    Em relação às memórias, curiosamente tenho uma dele inesquecivel, que foi presenciar um treino no Estadio do Jamor em que ele dava dezenas de voltas à pista de tartan, mal acompanhado pelo Jaime do Belenenses (o feiosos dos caracois). Foi uma experiencia intensa porque a ideia com que fiquei na altura era a de pensar: ” como é que um ser humano pode correr tanto durante tanto tempo?”. Era uma máquina autentica.Galgou milhares de metros (durante o tempo que o vi deu uma 5 voltas à pista a uma velocidade Boltónica) sem perder fólego. Eu era miudo, devia ter uns 16,17 anos e fiquei boquiaberto ao olhar para uma máquina humana, digna dos almanaques de super herois.

    Grande Mamede! Merece tudo, tambem pelo grande Sportinguismo que sempre evidenciou.

    Ao menos se a sua cabeça tivesses acompanhado os seus pulmoes e pernas de aço.
    Só foi ultrapassado pelo Lopes na força mental, porque de resto, nao lhe ficava atrás.

    • Banda sonora de Carlos Paredes é para desatarmos todos num pranto, não, Converge? Isto já são memórias que emocionam, pá! :D

      Infelizmente apanhei mesmo o final da carreira do Carlos Lopes (sou de 1980 e ele acabou em 1985) e Mamede mas o meu Avô paterno – mais um enorme Sportinguista que acompanhava sobretudo as modalidades – chegou a passar-me a reverência por essas duas grandes figuras. Em particular, do Mamede o meu Avô confirmava tudo isso, que era um atleta com capacidades inatas mas a quem faltava a força psicológica para por em prática todo o potencial desportivo que tinha.

      Sporting Sempre!

  7. Lembro-me perfeitamente. Era chavalo e ouvi com o meu tio lampião na rádio. Foi mais uma das alturas em que pensei a olhar para ele: Vou ser do Sporting nem que ta fodas 10 x…

  8. ###alho
    Embora petiz, fui daqueles que viu o Lopes vencer a maratona em LA, de madrugada. Limpinho, sem “tácticas”, apenas correr mais que os outros.
    Felizmente não assisti à debacle Mamede, mas conheço quem comprasse televisão nova especialmente para ver os JO, e após os 10000, estivesse inclinado a mandar o aparelho janela fora.

  9. esta merda vai parecendo a puta da tasca da terrinha, mal frequentada e mal cheirosa, mas que o pessoal ia lá só porque era possivel dizer palavroes ainda que sem enquadramento nenhum…

    era possivel dizer que fez uma grande corrida, mas dizer que puta de corrida é mais fixolas aqui na tasca.. qq dia parecem os morcões do norte a falar.. falta pouco…

  10. foda-se Cherba, tu és o maior. E obrigado tambem Hic. Diariamente estamos todos a fazer um trabalho em prol do verdadeiro sportinguismo.

    Lembrar Mamede e Lopes é tudo. Por isso nós temos um clube verdadeiramente diferente. Nós Somos Sporting por tudo aquilo que o Sporting representa. Pela dimensão universal do Desporto. Pela força agregadora do Desporto. Nós nao somos do Sporting só pelo Futebol. Nós Somos Sporting pois o nosso símbolo do Leao Rampante congrega todos os elemtneso do Desporto ao mais alto nível: Vitória e Dedicação.

    A historia do Sporting Clube de Portugal é a história duma Marca que transcende o seu País. Aquilo que temos que passar às novas gerações (aquilo que vou passando ao meu filho) não é só o Cristiano Ronaldo , Figo e Nani. É a história de como um Clube dum país pequeno e pobre se transformou na maior potencia Mundial de várias modalidades como o Atletismo, o Hoquei e o Futebol. Responder a esta questão é descobrir a quintessencia de um dos Maiores Clubes do Mundo.

    Porra, se recordar é viver, entao estamos vivos como nunca!

    Obrigado Cherba, obrigado Hic.

    VIVA O SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!

    • Quem assim fala de gago não tem nada!

      É por isso que muitas vezes penso: mas quem é o Ilori? quem é o Bruma? para justificar que se concentre neles todo o estado de uma nação.

      Digo e repito: Só de saber que um ano de Pranic(nem sei escrever esta merda)+outro de Bojinov pagavam equipas de Hoquei, Basket campeãs e garantiam a hegemonia no Atletismo, apetece-me bater em alguém…

      O SPORTING NÃO É UMA EQUIPA DE FUTEBOL!!

  11. Por falar em arranques (e inclinar-me um pouco sobre a secção Vidas, no Cacifo) ontem meninos como Viola e Cedric chegaram à Academia em Porsches. Já o mister Leonardo Jardim chegou num Volkswagen Polo. Mentalidades…

  12. Mas haverá algo mais belo que vencer com a verde e branca colocada sobre o corpo e coração?

    Que me dessem (uma vez só) essa oportunidade…

  13. Por uma questão de curiosidade:

    Sabiam que foi o Fernando Mamede que levantou a Taça das Taças após a vitória sobre o MTK em Antuérpia?

  14. Vi e confesso que não gostei…
    Fan incondicional do Carlos Lopes (esse sim, era enorme em tudo!), não gostei de ver o Mamede fazer a corrida quase toda ‘à mama’ e depois ultrapassar o colega de equipa (que evidentemente estava a correr para bater o recorde).
    Mas é bom recordar. Obrigado
    Viva o Sporting!

    • Eu também sou um fã incondicional do Carlos Lopes, mas o Mamede sempre foi melhor que Carlos Lopes na vertente física e há quem afirme que seria o preferido do Professor mas que nesse dia não “deu táctica” de propósito para não ser acusado de favoritismos… Carlos Lopes sabia que não tinha hipóteses se esperasse pelo Mamede e por isso, felizmente para o Sporting, arriscou.

      • Desculpem lá mas eu acho q esta táctica estava mais do q ensaida. Estes 2 treinavam juntos há anos: o Mamede desde junior q era atleta do Sporting e o Carlos Lopes desde os 20 anos. O Carlos Lopes, que nunca teve um grande pique final, sabia q mesmo sem o Mamede na corrida só poderia ganhá-la impondo um ritmo forte pois tinha de entrar na última volta sem ninguém nos seus calcanhares. O Mamede, mesmo q não tenham conversado sobre isso, tinha de saber q o Carlos Lopes ia atacar desde início e portanto só tinha a beneficiar (e não tinha alternativa) se conseguisse aguentar o ritmo do Carlos Lopes. O prof Moniz Pereira tinha tb de saber q esta seria a táctica q dava mais chances ao Sporting de ganhar a corrida pois se não fosse um seria o outro … fizeram isto outras vezes. A diferença é q desta vez foram ambos perfeitos!

        Quanto à relação entre o Lopes e o Mamede acho q o “problema” nunca foi uma suposta rivalidade mas o facto do Carlos Lopes nunca saber o q contar c/ o Mamede. Devia ser complicado fazer equipa c/ um tipo q um dia é de longe o melhor do Mundo e no fim-de-semana seguinte pode ser um atleta banal; e q altera isto vezes sem conta ao longo da época. Para o Mamede tb deveria ser dificílimo conviver c/ a frustração que gerava à sua volta …

      • Bem, eu também fiquei sempre convencido que a forma como a corrida ia decorrer estava definida à partida, e estava NATURALMENTE definida pelas características dos dois, mais que por qualquer combinação entre o Moniz Pereira e os atletas: o Carlos Lopes nunca ganhou corridas por ter um grande sprint, mas por imprimir um ritmo demolidor; o Fernando Mamede para além do ritmo, tinha, se chegasse perto do fim em boas condições psicológicas, um sprint final fabuloso (vi-o ganhar várias provas de 5.000 metros assim, sobretudo em meetings).

        Acho aliás que nunca esteve decidido entre eles quem iria ganhar, cada um fez a sua corrida, o Lopes a forçar o andamento tentando descolar, o Mamede a tentar aguentar a pedalada para poder aplicar o sprint.

        A sensação que tenho hoje, à distância, é a de ter assistido à corrida de um atleta único, cuja silhueta, à entrada da última volta, se desdobrou assemelhando-se a um cometa.

  15. Belíssimo. Carregadinho de estética. De ética. E de memória. Nossa. Todo o rio tende a afastar-se da fonte. Todo o ser humano tende a produzir uma capa de protecção e de recuperação do tempo percorrido. Daí, resulta, em nós, a necessidade absoluta de um regresso às origens. Nossas. Sempre!

  16. Grande Lopes e grande Mamede !

    Os dois, acompanhados de Bernardo Manuel, Aniceto Simões e Rafael Marques, formaram um quinteto que espalhou classe e conquistou títulos em barda por essas pistas fora, é justo chamar-lhes os 5 Vilolinos do atletismo.

    É essencial destacar o papel do Sr Atletismo, Mario Moniz Pereira, no fabrico de tantos e tantos campeões, masculinos e femininos.

    O Atletismo é, talvez, a modalidade que mais títulos conquistou para o Clube e que enormidade de palmarés, aqui ficam alguns dos títulos em masculinos;

    14 Taças dos Clubes Campeões Europeus de Corta-Mato, masculino

    1 Taça dos Clubes Campeões Europeus de Pista, masculino

    48 Campeonatos Nacionais de Pista, masculino

    16 Campeonatos Nacionais de Pista Coberta, masculino

    44 Campeonatos Nacionais de Corta-Mato, masculino

    Estafeta Cascais-Lisboa (71º Edição em 2007) – 42 Vitórias por equipas no sector masculino (16 das quais com a presença de Fernando Mamede!)

    É muito grande o SPORTING !

    SL

  17. Estes dois foram os grandes culpados de eu andar a correr desde os 11 anos até aos 15.
    Bem estes dois Senhores e a Lourdes mas essa é outra história, camisolas de alças e generosos peitos mais os olhos verdes dá muita vontade de correr, mesmo aos onze.

    O melhor é que nos primeiros 3 anos corri com uma camisola verde e branca da casa do povo da terrinha.
    Nessa atura no atletismo regional existiam muitas equipa com o mesmo equipamento, verde e branco, tal como as camisolas desses dois grandes campeões.
    E digo-vos que corria como poucos até me distrair com o futebol e outras corridas atrás de saias.

    Estas vitórias mais a da maratona de Lopes encheram-me de orgulho, aquele sorriso especial de se ser Sporting.

  18. Meus parabéns ao Rugido Verde por lembrar essa grande figura do SCP que foi o Fernando Mamede.

    Faço a minha mea culpa: quando normalmente recordo o atletismo do SCP as figuras que me vêm à mente são aos do Prof. Moniz Pereira (para mim, o maior símbolo de sempre do Clube) e do Carlos. Penitencio-me por muitas vezes não lembrar devidamente o Fernando Mamede, que era um estupendo atleta e que, caso fosse mais forte psicologicamente, teria sido um verdadeiro fenómeno.

    Excelente forma de “inaugurar” a rubrica.

    SL

    • Mamede, apesar da sua falha, foi um verdadeiro fenómeno! Mas sim, talvez se tivesse nascido noutra era ou noutro país fosse recordado hoje pelo mundo fora como um dos maiores… tal como tantos outros como Agostinho, Travassos, Peyroteu, e outros que tais.

  19. A verdade é que ainda hoje – e como bem dizia o Prof. Moniz Pereira – somos mais conhecidos pelas vitórias no atletismo do que no futebol.
    Este video demonstra bem isso, com estádios cheios a ovacionarem os nossos atletas. Enormes, gigantes Mamede e Lopes!

    Nem daqui a 50 anos, Portugal voltará a ter campeões como C.Lopes e J. Agostinho. Era outra fibra, já não se fazem assim. Tinham aquela fúria de vencer, de ultrapassar obstáculos e ser alguém na vida. No futebol então, até mete dó ver fedelhos que ainda não venceram nada a guiarem Porsches e Lamborghinis.

  20. Há alguma novidade em relação à transmissão dos jogos em sinal aberto para o próximo ano?

    Ao que li por aí o benfica vai passar a transmitir os jogos deles no canal deles que entretanto passou a ser pago.

    • Os jogos deles calma aí. Só os no galinheiro…
      Vai ser lindo, vai…
      Quando lá formos jogar vamos ter que levar com aquela meloada toda a comentar o jogo. Isto não deveria ser legal. O direito à informação não contempla serviços ainda que privados, exercidos de forma tendenciosa.
      Mas não estou a imaginar os gajos lá do canal do carnide a relatarem: GGGOOOOOOOOOLLLLLLLLOOOOO! É do SPORTING! GOOOOOLLLOOOO! BRUMA AUMENTA A VANTAGEM! RESULTADO MAIS QUE MERECIDO PARA A JOVEM EQUIPA DE ALVALADE!

      Fodias-te…

  21. Mamede era um bom atleta, mas nunca conseguiu qualquer medalha….foi afastado nas qualificações de todos os estilos em que participou nos Jogos Olimpicos de 72. No Canadá mais do mesmo…ficando nas qualificações e caindo nas meias finais. nos campeonatos do Mundo e da Europa obteve 10ºs e 15ºs lugares, respectivamente.
    em resumo, passou ao lado de uma grande carreira…

    • Estilos? O homem não corria de bruços nem de mariposa :)
      Em 84, foi demais… corria na frente, perfeitamente à vontade, sem esforço… depois apeou e desistiu. Simplesmente.

  22. Uma vez almocei com ele mais o meu pai, eu tinha para aí 5 ou 6 anos e não sabia quem ele era (para mim só existia o Manuel Fernandes e o Jordão), mas o meu pai estava feliz da vida com um sorriso de orelha a orelha :D

  23. Foda-se, é normal arrepiar-me ao ver isto?

    Que puta de bolina!! O homem nos últimos 200M sprinta como o Bolt, literalmente.

    Mais um grande atleta…cada vez mais me convenço, tudo o que é português e é bom tem selo SPORTING.

    SL

  24. Chorei quando vivi este momento dos meus heróis nos 10.000 através da TV, chorei para dentro com os flops vários do Mamede, meu pai acordou-me a meio da noite de verão para ver e dar saltinhos com os minutos finais da maratona do Carlos Lopes, e o fds parava para ver os gémeos Castro e outros tantos em cross das amendoeiras e afins.
    Fdx a dada altura da juventude sonhava tanto em ser jogador do Sporting como em ser corredor do Sporting.
    finais anos 80 entro numa loja de roupa (ou sapatos? Ou ténis?) na avenida de Roma e descubro que o dono era o Mamede e estava ali em carne e osso. Não tirei os olhos de cima dele e sorri incapaz de dizer algo perante tamanho herói. Semanalmente faço a Av Roma e dou por mim no semáforo a olhar a tentar identificar qual seria a loja.
    Obrigado pelo post, sincero.
    Entretanto já saíram mais uns quantos mas a este tive q comentar mesmo q extemporâneo.

  25. É isto… Aquele abraço final tripartido explica como é que uma equipa transforma um clube numa instituição, que é a MAIOR potência desportiva nacional!

    Orgulho, tanto orgulho!

    Sporting Sempre!

    SL

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s