A caminho de Alvalade

Deixo as portas abertas a todos os Leões que queiram fazer do Cacifo a sua bancada, criando uma corrente verde-e-branca (preparem-se para a coreografia que vai pintar todo o estádio com essas cores, daqui por quatro horas).
Que o Sporting esteja convosco!

Anúncios

O Bloco de Notas do Gabriel Alves, liga 13-14, jornada 3

É um estádio bonito, novo, arejado
Sporting – Crvena Zvezda Benfica
20h00
Estádio José Alvalade

Uma humidade relativa, muito superior a 100%
Cerca de 45 mil pessoas nas bancadas, temperatura a rondar os 22 graus, o jogo dos jogos no relvado. Pode pedir-se mais? Pode, claro! Que os Leões presentes saibam apoiar do primeiro ao último minuto, independentemente das cambalhotas que o jogo possa ter.

A selecção do Mali tem um futebol com um perfume selvagem e com um odor realmente fresco…
Ao contrário do que a imprensa quis passar, não me parece que a vitória sobre o Gil Vicente tenha sido o tónico perfeito para afastar os fantasmas que pairam no balneário encarnado (se fosse no Sporting que um jogador constantemente apelidado de uma das maiores promessas mundiais, ficasse fora da convocatória para entrar outro que tudo fez para sair do clube, imagino o que se escreveria). Claro que é sempre melhor ganhar do que perder, mas há muita coisa presa por arames no reino lampião, a começar pelo lado anímico (será perfeito se o Sporting conseguir entrar a mandar e a marcar). A curiosidade passa, muito, por ver em quantos avançados Jesus vai apostar (eu arrisco dizer que Lima começa o jogo sozinho lá na frente).

Este homem é um Mister!
Eu sei que Jesus é do Sporting desde pequenino, eu sei que o homem é apologista do futebol de ataque, eu sei que tem vários predicados enquanto treinador. Mas também sei que não suporto o gajo, sendo aquela nojeira do «limpinho limpinho», a gota de água. Quero mais é que volte a perder amanhã e fique sem pio de uma vez (o que não deve ser complicado, tendo em conta que, em desespero de causa, engoliu um sapo do tamanho do Carodozo). Ah, e também já mete nojo aquela palermice de fazer bluff com o estado físico dos jogadores (é claro que Markovic está apto. Já agora, terá sido Jesus a inventar aquela nojeira de rumor sobre os problemas com a gravidez da mulher do Montero?).

Ele é excelente nestes lances porque a bola está morta e passa a estar viva.
Lazar Markovic tem sido a figura do Benfica neste arranque de temporada (incluindo pré-época); resta saber o quanto lhe pesará o derby sobre os ombros (acho piada que parece que apenas os estreantes do Sporting é que podem ficar afectados com o ambiente). Lima é um perigo constante e Salvio e Gaitan podem jogar 8 ou 80.

A vantagem de ter duas pernas!
Depois de Emerson e de Melgarejo, Cortês (ou Cortez), nesta verdadeira saga de ganhar comissões contratando defesas esquerdos que não sabem defender. E volto a repetir: sem aqueles cm extra, Luisão, o capitão que chama filhos da puta aos adeptos, seria pior do que o Argel (e que Montero me ajude a, uma vez mais, provar a minha teoria). Já agora, o Ola John sempre foi para o Milan?

E agora entram as danças sevilhanas da catalunha
Leonardo, excelente conferência de imprensa, incluindo o pormenor de chamares a atenção para a bandalheira que são as movimentações do xerife girafa e seus bandalhos nos lances de bola parada! Pareces-me saber perfeitamente com o tipo de adversário com que vamos lidar, mas permite-me o meu palpite de bancada: a defender, encravar as saídas de bola pelo Matic e pelo Perez e ter atenção às tais bolas paradas; a atacar, carregar sem dó nem piedade nas alas e dar a estocada final com as diagonais feitas entre os centrais e os defesas laterais (as bolas colocadas nas costas dos centrais também são uma excelente opção). No que depender do meu apoio, às 22h estamos com 9 pontos e continuamos a liderar o campeonato.

Vamos jogar no totobola
Sporting – Benfica   1 X

tuvaisvenceralvalade
p.s. – vai ser do Cacifo se a equipa entrar com o Estádio inteiro a cantar isto e com as bancadas transformadas numa enorme sciarpata!

O Sonho

Rui, Marcelo, Cédric, Welder, Maurício, Eric, Jefferson, Rojo, Adrien, André Martins, Diego, Gerson, Fito, William, Carrillo, Wilson, Diogo, Slimani, Cissé, Fredy, Chaby, Luís Ribeiro, Nuno Reis, Rúben, Riquicho, King, Tobias, Fokobo, Mica, Esgaio, João Mário, Kikas, Zezinho, Alexandre, Iuri, Cristian, Betinho.

Vou contar-te uma história. É a história de um miúdo que, como tantos outros, sonhou ser jogador de futebol. Mas esse miúdo não queria ser, apenas, jogador de futebol. Queria ser jogador do Sporting. Cresceu colecionando recortes de jornal, posters, bilhetes de jogos… Cresceu com o coração acelerado, de cada vez que ia a Alvalade ver os craques a treinar.

Sempre que podia, quando ia para a rua jogar à bola com os amigos, ia equipado à Sporting. Tinha orgulho, muito, em encarar o mundo de leão ao peito. Andou ao soco por falarem mal do seu clube e zangou-se com amigos de outras cores. Os mesmos amigos que, quando fazia anos, obrigava a cantar os parabéns olhando para um bolo onde bonecos verde e brancos festejavam golos.

Quando eram mesmo a sério, esses golos eram gravados nas míticas k7. E quando os vídeos apareceram, passou a gravar os resumos do domingo desportivo. No cimento, no alcatrão ou nos pelados, tentava imitar o que os seus ídolos faziam na relva. Repetia, uma e outra vez, sonhando fazê-lo com a mais bela camisola do mundo. Lá para os 14 anos, ao fim de várias tentativas, conseguiu convencer os pais a deixarem-no ir a um treino de captação. Entrou pela porta 10-A, a mesma por onde passavam os profissionais. O coração batia mais depressa do que se tivesse feito um sprint de área a área. E jamais se esqueceu do som que os pítons das chuteiras faziam ao longo do corredor.

À medida que ia crescendo, o miúdo foi percebendo que seria complicado concretizar o sonho. Mas isso não o impediu de continuar a sonhar. Muito menos de ser miúdo, quando se trata de pensar em futebol. Quando se trata de pensar no Sporting. Ainda hoje, homem feito, o miúdo sonha marcar golos decisivos que conquistam o mundo. Sonha fazer, cortes de bicicleta, sobre a linha. Sonha aguentar estoicamente uma lesão e trocar a dor por um remate inacreditável. Sonha ver o seu guarda-redes ser expulso e, a poucos minutos do final, assumir a baliza e fazer uma defesa impossível.

Agora que uma nova época começa, é esse miúdo que te pede para não maltratares o seu sonho! Que te pede para, quando vestires a camisola do Sporting, te lembrares que estás a vestir muito mais do que uma camisola. Estás a vestir mais de um século de história feita se suor e de lágrimas, de sorrisos e de abraços, de esforço e dedicação, de devoção e de glória! Estás a vestir o sonho de milhões de miúdos e de miúdas, sem idade, que, se pudessem, pisariam essa relva prontos a lutar e a correr até deixarem de sentir as pernas! Estás a vestir a camisola do Sporting, caralho!
E, acredita, se sentires o mesmo orgulho que eu sinto quando visto a minha, vais sentir algo único: quando correres no relvado de Alvalade, gritando um golo de Leão ao peito, vais ter a sensação que há demasiada gente em campo. Como que por magia, milhares e milhares de miúdos e de miúdas terão transformado o fosso numa histórica pista de atletismo e, de lágrimas de felicidade nos olhos, correm a teu lado agradecendo-te quereres fazer parte de um sonho que jamais terá fim. »

Três em um

Ogushi rescinde. Atila Turan a título definitivo no Stade de Reims, ficando o Sporting com 40% de uma futura venda. Da Turquia sopram ventos na Bruma, que assobiam 12 milhões de euros e uma percentagem por definir numa futura venda (juntem-lhe os falados 7 milhões do Ilori, e temos as contas da época feitas).
Só falta encontrar solução para os pesos pesados da tesouraria.

Era obrigar toda a gente a ver isto antes de ir dormir

Fico com um nó na garganta ao ver a forma como um italiano, que por cá passou um ano, soube entender o Sporting, encarnar o Sporting, viver o Sporting, amar o Sporting! Mais do que palavras, o momento em que ele veste a verde e branca ao filho é um arrepio no coração.
SPOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOORTING!