A nova pele do Cobra

Sou defensor de André Carrillo desde os primeiros movimentos que o vi fazer com a camisola do Sporting. Vi nele pormenores que me faziam lembrar Quaresma, outros que me faziam lembrar Nani. Vi nele um potencial que me levou a defender que, bem trabalhado, o peruano podia ser para nós o que Hulk era para o fcPorto. E nunca cheguei a entender a forma como alguns Sportinguistas “babavam” por James ou por DiMaria (só para citar dois nomes e para não entrar nos Varelas e nos Licás desta vida), dando pouca ou nenhuma margem a Carrillo.

À entrada para a sua terceira época de Leão ao peito, Carrillo tem oportunidade de trabalhar com um treinador que, a julgar pelos indícios deixados durante a pré-época, tem capacidade para retirar do extremo tudo o que ele pode oferecer à equipa. E não é pouco (digo eu). À capacidade técnica que lhe permite ser dos melhores no 1×1, Carrilo adiciona velocidade, potência de remate (nomeadamente em diagonais, quando embalado a partir da esquerda), possibilidade de jogar em qualquer uma das alas e o facto de ser o extremo que melhor cabeceia e que me parece mais bem preparado para entrar nas costas do ponta de lança, quando os cruzamentos forem feitos da ala contrária.

Falta(va) aliar o espírito de sacrifício e compromisso táctico com a equipa, algo que parece ter chegado com o trabalho de Leonardo Jardim. Carrillo surge, hoje, como um jogador que percebe muito melhor o que fazer com a bola perante as mais variadas situações de jogo. Joga muito mais para a equipa do que para si e é impossível não reparar na forma como luta para, por exemplo, recuperar bolas. O grande desafio, agora, é ele conseguir conciliar esse compromisso táctico com o seu espírito de futebol de rua e, ainda mais importante, conseguir perceber que ser um jogador de sucesso implica várias cedências em termos de vida pessoal.

Cá para nós que ninguém nos ouve, André, isto de ser puto e ter uma conta bancária recheada tem que se lhe diga. Mas deve ser bem melhor, ouvirmos meio mundo a apontar-nos qualidades e a colocar-nos entre os melhores naquilo que fazemos.

Anúncios

49 thoughts on “A nova pele do Cobra

  1. Concordo com quase tudo em relação ao Carrillo. Pode ser um grande jogador. Penso que tem caraterísticas (físicas e técnicas) para ser do nível do Nani, o que seria excelente!

    No entanto, não consigo entender como dizem que esta pré-época está a ser tão boa por parte dele. Confesso que (devido à distância/fuso horário a que estou) não tenho acompanhado todos os jogos. Pegando neste último com a Fiorentina, achei o Carrillo longe daquilo que referes. Em termos defensivos/táticos poderá estar a melhorar, mas não senti que isso acontecesse em termos ofensivos nem tão pouco motivacionais.

    Quanto à “vida paralela” fora do relvado, chegou a altura de se saber quais os caminhos que quer. Um grande jogador tem que o ser a 100%.

    Esperemos que entre nos eixos e se deixe disso.

    SL

  2. Carrillo ainda não é um jogador regular, que jogue sempre bem, de vez em quando lá vai fazendo uns disparates.
    No entanto, é dos poucos jogadores que temos que é capaz de surpreender e ,de um momento para o outro ,tirar um “coelho da cartola”.
    Nao tenho duvidas que temos ali um diamante ainda por lapidar

  3. Por tudo o que disseste, Cherba (e concordo com quase tudo), Carrillo faz-me lembrar não tanto o Nani, ou o Quaresma, mas mais o Pedro Barbosa.

    Até pela reacção das bancadas.
    Parece ser daqueles que já está “marcado” para dividir-nos a todos, e isso neste clube parece ser para sempre. Quando jogar mal o problema vai ser porque eu bem dizia, o gajo não se esforça, está-se a cagar para isto, só quer saber de copos, gajas e boa vida. Quando jogar bem o problema vai ser que é muito irregular e a qualquer momento voltará a deixar de jogar a um nível aceitável, por menos que tenhamos alternativa sequer semelhante para pôr no lugar dele.

    Falta reconhecer que, mesmo desinspirado, é sempre preferível tê-lo em campo.
    Pelo simples facto porque pode, em 30 segundos, resolver um jogo do qual esteve ausente os restantes 90 minutos (tal como PB).
    Pelo simples facto que, mesmo não resolvendo, tem esse potencial, e os adversários sabem-no, nunca deixando por isso de fixar 2 ou 3 adversários à sua volta em 95% dos jogos, libertando os demais (tal como PB).

    Dito isto, é claro que Pedro Barbosa também me irritava. E é claro que sempre preferi CR, Figo, Balakov, Liedson, entre muito outros, que faziam da entrega total, permanente e constante em campo a sua assinatura. Mas tal nunca me impediu de ver em PB o génio que sempre foi. Nem discutir o seu valor, ou a sua importância.

    A questão da “cabeça” é, para mim, a decisiva. Claro que não sei o concreto, e cada qual se agarra aos boatos que dá mais jeito às teorias que defende.
    Independentemente da verdade, vai ser na tal cabeça que estará a resposta às nossas dúvidas, de se Carrillo passa de diamante em Bruto para jóia valiosa, ou não.

    E aí discordo de ti. Ele tem tudo para combinar conta recheada (facto adquirido, num puto com esse talento que “Deus lhe deu”) com o reconhecimento de mundo e meio. E não é opção exclusiva. É adição, ou não.

      • Pedro Barbosa? Só se for em rotações mais altas e menos técnica… Eu comparava-o ao nani ou quaresma como o cherba disse.

        O jogador deste plantel que me faz lembrar, repito “me faz lembrar” o PBarbosa é o G. Magrão… Mas por enquanto o número de jogos que lhe vi são insuficientes para substanciar esta opinião, mas que me fez lembrar, fez! Aguardemos por novos desenvolvimentos ;-)

      • O Nani não concordo. Nani sempre foi um tipo trabalhador e com muita ambição, nunca pensou somente no dinheiro.

        Faz sentido a comparação com o Quaresma mas eu preferia que Carrillo fosse o novo P. Barbosa ;)

  4. A primeira vez que vi o Carrillo foi no jogo em Alvalade com o Valência. Entrou para aí a 15 minutos do fim, quando o resultado já estava em 0-3 trazidos do intervalo, e foi para mim o maior destaque desse jogo, porque não perdeu uma bola e criou o perigo que os outros 10 colegas teimavam em não criar. Foi um jogo de merda, com um estádio composto e a puta da ideia de meter um leão (dos nossos, dos verdadeiros) num frasco gigante durante a apresentação dos jogadores, mas o melhor desse dia foi ter ido a pensar que o maior reforço desse ano era o Carrillo, e que provavelmente seria o nosso extremo mais importante desde os tempos do Cristiano e do Nani. Espero não me enganar, porque ainda vai a tempo, mas o Carrillo tem de acordar definitivamente. É talvez o jogador que me irrita mais de todos, talvez por esperar dele o que não espero dos outros, mas é também aquele que mais gosto de ver jogar, quando ele assim decide.
    Para o Carrillo:

  5. Eu sempre defendi que o Carrillo deve ter a possibilidade de fazer 7 ou 8 jogos seguidos como titular, pois julgar um jogador sem jogar regularmente não é muito justo.
    SL

  6. É explicar -lhe que as gajas que gravitam à volta dele não é pelos seus lindos olhos, ele só ficou mais bonito depois de ter a conta rocheda, por isso agora está na hora de abrir os olhos e começar a crescer como homem e jogador.

    Tenho fé que este ano o Carrillo seja diferente para melhor.

  7. Desde início que também vi nele todas essas qualidades, lembro-me de nos primeiros jogos o ver jogar e parecia que fazia tudo em slow motion, “à la matrix”, a maneira como recebia a bola e mesmo pressionado por 2 adversários conseguia segurar e sair a jogar ou dar a um colega. Talvez estes bons pormenores viessem da motivação que tinha no início e que foi perdendo, porque também me lembro de jogos onde parecia estar a fazer um frete…apesar de mesmo nesses não enganar, a qualidade técnica estava lá. E mesmo nesses jogos, onde as coisas não saiam bem, ele não se deixava abater, cada bola que recebia, com ou sem assobios, era mais uma oportunidade para ir para cima do adversário, essa magia do futebol de rua acho que nunca a vai perder. Tem aspectos a melhorar,claro que sim, aquele remate é forte mas não tem direcção, a finalização está longe de ser boa, mas acima de tudo tem de entender que também tem de defender e ofensivamente a opção não passa só por partir os rins do adversário no 1×1, existem momentos que o melhor a fazer é segurar e esperar apoios ou soltar a bola num companheiro…

    Tenho muita esperança no que nos pode dar e se o fizer tem tudo para ser um caso sério a nível mundial. A qualidade sempre a teve, agora é com ele ficar neste nível ou superar-se, mas isto só acontece com muita dedicação e trabalho, parece-me que ele entendeu isso e está disposto a tal, mas é esperar para ver.

  8. Se excluir o Boby Robson e, naturalmente, os treinadores campeões – Inácio e Boloni – confesso, que o único treinador do Nosso Amor nos tempos mais recentes q me enche as medidas, é o Leonardo Jardim!

    Assim, neste contexto, acredito q o LJ consiga potenciar o Carrillo q tem tudo para ser um novo “Nani”…
    Mas tem de querer… Se nao houver “cabeça”, empenho da sua parte, esforço e dedicação…. Será um “Paim”…

    SL

  9. Até entendo (no sentido de compreender, não no de aceitar, muito menos de caucionar) os assobios ao Carrillo. É um jogador capaz de impacientar pelo hiato entre o que, com fundadas razões, se espera dele e o que, de facto, produz em campo.

    Já vimos sinais promissores de que este hiato se está a reduzir este ano. Por mim, continuarei a dar tempo ao tempo, que é como quem diz crédito ao Leonardo Jardim para transformar o Carrillo no espantoso jogador que acredito que ele poderá ser.

    • Sendo a excepção o messi, que insiste irritantemente, em ser sempre excepcional, todos os génios da bola provocam-nos sempre uma atitude bipolar… O Carrillo não é exceção.

    • Domingos Castro – “Espera aí, lembrei-me agora de outra bem boa. Ainda Timisoara. No jantar de despedida, no Hotel Continental, sabe o que aconteceu aos instrumentos da banda que estava a tocar?”

      JI – “Não faço ideia.”

      DC – “O presidente [Sousa Cintra] comprou tudo, de um momento para o outro!”

      Foda-se, se o Sousa Cintra não existisse era inventado. Que grande pancada naquela careca. Estourar dinheiro nos instrumentos de uma banda romena, cum caralho.

      • Sim, mas lê tudo… o dinheiro era certamente Romeno igual ao da mala que não valia nada e que ele refere acima.

      • Lembram-se do Sousa Cintra tar a conduzir e a dar uma entrevista a TFS, acho, através do telefone do carro. Tínhamos ganho o jogo (um 3-0 num particular em Torres Novas, talvez) e, volta e meia, sai-se com uma caralhada em direto, porque tinha atirado uma garrafa de água de vidro pela janela, que nao estava aberta??!!

    • Alvalade era uma parada de estrelas nos anos 80: Agostinho, Gémeos Castro, Livramento, Lopes e Mamede, entre tantos outros. Esta entrevista mostra bem o verdadeiro e original espírito leonino.

    • Esta entrevista é um tratado. Um tratado, acima de tudo, de Sportinguismo verdadeiro (um orgulho os Castros serem Sportinguistas de Guimarães) e um tratado de bom jornalismo do excelente jornalista Rui Miguel Tovar.

      É de notar, também, que os atletas primeiro apresentavam resultados (e que resultados!) e só depois vinha a recompensa financeira. Tão diferente dos dias de hoje em que basta dar dois ou três pontapés numa bola, ou apresentar uma marca interessante, para se exigir um contrato milionário…

      PS: Cherba, esta entrevista dava um maravilhoso post :)

  10. Hum… eu gosto de Carillo, mas as constantes faltas de concentração e a inconsequência que 90% das suas acções trazem ao jogo irrita-me profundamente. Sinceramente não vejo nada mudado nele e não percebo porque dizem o contrário… corder para traz para recuperar as bolas que perde já ele fazia antes, mas depois só aguenta 20 minutos.

  11. Desde que apareceu que para mim é o meu jogador favorito. Há que apostar nele mesmo quando não está em forma porque se ele jogar muito não engana, vai ser jogador. Tem todas as caracteristicas de um grande jogador

  12. Reconheço todas as capacidades apontadas ao Carilho, nem se é preciso ser um génio para ver que é um jogador com tudo para ser o melhor! Mas, também é daqueles casos que quase nem vale a pena esperar muito mais, já mostrou o que tinha a mostrar e se até agora não mudou dificilmente irá mudar muito mais. Talvez por causa de todo o momento que estamos a viver no nosso clube se sinta que está mais concentrado, mais presente, mas, infelizmente na minha opinião rapidamente irá voltar a oscilar entre o génio e o medíocre mais vezes do que desejado!

    Eu cá não arranjo bodes expiatórios nem assobio os nossos jogadores, apenas desejo muito que o Cherba tenha razão, mais uma vez, com este post em relação á la Cuebra!

  13. Quero acreditar e vou apoiar …sempre!
    ( mas a minha experiência, do que assisti ao longo da vida, é que cabeças como à do Carrilho, dificilmente se endireitam… Podem fazer uma época ou duas boas, podem…. Mas depois voltam a cair nos mesmos erros!
    Deus queira que me engane, pois o puto tem muitíssimo talento.)

  14. O carrillo precisa de “encarrilar”! E o sporting vai precisar muito dele este ano é o desiquilibrador nato da nossa equipa. Acredito que seja este ano (ainda vai marcar muitos golos de cabeça com cruzamentos do capel ou do jefferson).
    Ps: Eu prefiro carrillo na direita e capel na esquerda!

  15. Tenho fé que Leonardo Jardim consiga mudar um bocado essa tal mentalidade que alguns parecem ter que tudo já aconteceu ou mesmo que com o tal talento tudo irá acontecer sem alguma dedicação e principalmente esforço que os levem a pelo menos pensar que não pode ser uma festa todos os dias.

    Não posso afirmar que é assim mas parece.

    Carrillo é tudo o que esta no post e ainda pode ser mais. é um jogador que gosto bastante, aqueles g´nios que do nada e quando ninguém espera faz magia.
    Quando o vi a arrancar do meio campo, levar tudo e só parar no golo fiquei segundos de boca aberta, nem golo gritei tal o espanto.
    Pensei, que sorte temos, este é nosso.
    Porém depois parece que a chama esmoreceu, não apagou pois vai e vem.
    O que queria era que ela lá estivesse sempre forte.

    O ser profissional não vem de agora(cherba, não recebeste o meu email?), sempre foi assim e sempre o será, a frase de que o futebol não é para meninos não é assim tão descabida, em todos os sentidos.

    No post falamos de Carrillo, mas podia ser Jeffren bem mais maduro e que desperdiça bem mais.
    Foi antes Paim ou Dani e há mais uns quantos, não quero que seja agora Carrillo ou outro qualquer, o nome dele só o ponho porque está aqui no post.

    Só me resta é a tal fé, em 1º no Treinador, em 2º em toda a estrutur para o futebol do Sporting, para já tenho-a inabalavel, acredito que estamos no caminho certo e com isso vamos ter muitos mais profissionais de talento do que talento sem miolo.

    Carrillo faz-me sonhar, eu quero é que ele ponha o sonho na realidade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s