Para acordar bem (apesar da chuva)

Adeus, Evaldo, até depois, chamo-te triste por saber que entre os dois, não há mais nada pra fazer ou conversar, chegou a hora de ires a andar! (Evaldo, que nunca me pareceu uma contratação que nos desse garantias, conforme fiz questão de dizer aqui).

p.s. – hoje há futsal, em casa, frente ao braga, e drby de júniores, no Seixal. A agenda completa está aqui.

Anúncios

Coincidências

No dia em que os senadores brasileiros aprovaram o projecto de lei que transforma a corrupção em crime hediondo, o que faz com que os condenados por corrupção percam o direito à amnistia, indulto e pagamento de fiança para serem libertados, Godinho Lopes resolveu reaparecer com pérolas como «Quem está na direcção do clube, sabendo que está de passagem, deve unicamente preocupar-se em trabalhar e servir».
Trabalhar e servir quem, é a pergunta que fica.

É uma chatice estes gajos quererem cumprir promessas eleitorais

«[…] Estamos, também, a ultimar a auditoria de gestão. Ela já está definida nos seus termos gerais, mas, nos últimos dias, temos vindo a afinar pormenores dessa auditoria que vai abranger os últimos vinte anos da actividade do clube, incluindo todos os mandatos passados e incluindo os aspectos mais nevrálgicos da gestão dos últimos anos, tais como  património, aprovisionamento, fornecimento e contratações», Bacelar Gouveia, Presidente do Conselho Fiscal, em entrevista à Rádio Renascença.

 

Diz que isto aconteceu esta noite

Que Dias Ferreira se passou da tola e que transformou a conferência de imprensa do Futre num momento para aprendizes. É verdade que Dias Ferreira terá várias velux, sem cortina de protecção, no seu telhado, mas não posso deixar de assinalar o grito de revolta de alguém que sempre pareceu atarantado perante a hipótese de mudança.
Pego nas palavras do José (não sei quem és, mas um obrigado pela reportagem) e publico-as com um “aleluia!”.

– “Haverá mais uma vez os candidatos que têm a protecção da banca, designadamente do BESI e do seu presidente José Maria Ricciardi e os outros”

– “já foi tornado público que os candidatos só a partir de dia 22 terão acesso à real situação do clube. Se só no dia 22 é que vou ter acesso aos problemas reais do clube, como é que eu até dia 21 sei quais são os problemas e apresento a solução para eles?”

– “No dia a seguir às eleições é publico que os candidatos precisam de 25M, mas depois precisarão sempre de mais algum valor que podem ser 40M e depois ainda podem ser 60M, ou seja, a situação do clube é um cenário tão negro, tão negro que, a ser verdade, inspira respeito.
Se um individuo avançar e for eleito corre o risco de vir a ser acusado de fechar a porta do Sporting.”

– “Não sinto coragem para avançar perante esta situação…porque provavelmente iria branquear tudo o que de errado se fez para trás…qualquer dia o BPN parece um assunto de amadores”.

– As pessoas que são reponsáveis falam que são precisos 25M para que o clube não feche, falam de rescisões de jogadores, como se não tivessem nada a ver com isto. É uma falta de amor e de respeito pela história do Sporting…fazem mal ao clube e com total desplante ainda fazem chantagem sobre os sócios ao dizer que quem for candidato tem de trazer 25M, como se não tivessem responsabilidade nenhuma. Foram eles os responsáveis pela situação do clube e essa sua responsabilidade é criminosa.”

– “Talvez tenha sonhado, mas parece que para pagar algumas despesas correntes, algum capital social da SAD já estará comprometido.”

– “Só no 1º Conselho Fiscal da era Roquette é que José Maria Ricciardi não fez parte do Conselho Fiscal…do mesmo Conselho Fiscal fazem também parte aqueles que são os auditores. E depois é impressionante que criticam a gestão do clube e a situação a que o clube chegou.
Eu pergunto_:
– Então para que é que serve o Conselho Fiscal?
– Para que servem os auditores?
– O Conselho Fiscal não tem obrigação de chamar a atenção para os negócios que são feitos?
– Vêem os ordenados que são pagos, os negócios, etc, e não alertam para estas situações?”

– “(sobre os responsáveis pela situação do clube), não percebem nada de futebol. Isto é má gestão, cria revolta e têm de ser responsabilizados. E é ver um sorriso cínico desses responsáveis que dizem que quem quiser presidente tem de apresentar um cheque de 25M.
É triste ver que se reduz a história de um grande clube a um cheque.
Os valores que fizeram o Sporting desapareceram”