Nem tudo foi mau

É a minha forma de estar na vida: tentar encontrar sempre um lado positivo, principalmente quando as coisas estão mal. Ora, de sábado, para além de um resultado merdoso e uma exibição que misturou o incapaz com o tresloucado, queria, ainda destacar o seguinte:

– Betinho teve, finalmente, uma oportunidade. O jogo era péssimo para a estreia, com o puto lançado às feras como se dele dependesse a nossa capacidade para inverter a desvantagem, daí que nem tenha dado tempo para grandes brilhantismos. Ainda não consegui ter a certeza de foi dele aquela recarga ao livre final, cortada quase em cima da linha, e que, a entrar, lhe daria uma estreia de sonho, mas fica o registo num jogo que também ajuda a tornar jogadores em homens;

– Viola continua a somar pontos pela entrega, irreverência e capacidade técnica. A adaptação ao futebol europeu está a ser feita à força (várias vezes dou comigo a vê-lo ao ritmo do tango), mas arrisco dizer que temos jogador;

– Aquele movimento de Izmailov, recebendo, rodando, cruzando com sabor a golo para Wolfs e Viola ficarem a milímetros do toque final. Tudo em movimento, pensando ao ritmo a que executava. Genial. Balakov ficaria orgulhoso de ver a camisola 10 no corpo do pequeno grande czar;

– Jeffren, quase sem darmos por ele, está recuperado (ou parece). Não só fisica como, não menos importante, mentalmente. Dois jogos seguidos em que entra e onde é visível uma qualidade superior na forma como ocupa os espaços, procura o jogo de equipa ou a iniciativa individual. Uma oportunidade a titular, já!

– Wolfswinkel. Assim, de repente, o «incapaz» começou a marcar e a resolver (ou a salvar). Continuo a achar patéticas as críticas doentias ao holandês, embora perceba que alguns dos seus falhanços são de fazer arrancar os cabelos. Continuo a achar que é um bom ponta-de-lança, com margem para vir a tornar-se muito bom. E, meus amigos, neste momento, o «tartaruga» vai fazendo de Liedson, o tal sacana que ia disfarçando as misérias tácticas e exibicionais.

p.s. – acho curioso como alguns Sportinguistas vão afirmando que o Ínsua devia ir para o banco. é tão bom falar de barriga cheia, não é?

Betigol

A notícia não é de hoje, mas não podia deixar passar a colocação de Betinho entre as 50 maiores promessas do futebol mundial, numa selecção levada a efeito pela revista World Soccer (aposto que se o rapaz vestisse uma camisola de outra cor, tinha sido manchete de alguns jornais).

Com contrato até 2015 e uma estampa física a fazer lembrar outro Alberto de que gostamos, o Acosta, Betinho tem tudo para poder vir a afirmar-se como jogador do Sporting, fruto de um faro pelo golo que ficou bem vincado nos juniores, incluindo Next Gen (a propósito, hoje há jogo contra o Celtic) e que volta a registar-se na equipa B, onde já leva dois golos apontados. A inscrição na Liga Europa, é mais uma prova da confiança que a equipa técnica e directiva depositam neste jovem jogador (é uma pena Rubio também não ter sido inscrito, mais não fosse para motivá-lo ainda mais depois do que de bom tem feito na B), não sendo de estranhar, até pela falta de soluções (será que o plano passava já por antecipar a promoção de Betinho?), que possamos vê-lo com a camisola da equipa principal mais cedo do que era suposto. E, acredito, também não deverão demorar a chegar as “notícias”, que colocarão clubes cheios de dinheiro na rota de “Betigol” (cuja cláusula está cifrada em 20 milhões).

Saibamos nós protegê-lo como temos feito até hoje (chegou com 11 anos) e potenciar todas as suas qualidades. Se assim for, nem Paulo Bento vai conseguir esquecer-se dele…