O Bloco de Notas do Gabriel Alves, Taça de Portugal

É um estádio bonito, novo, arejado
Sporting – Alba
18h00
Estádio José Alvalade

Uma humidade relativa, muito superior a 100%
Domingo, temperatura amena, boa hora para fechar o fim-de-semana com um jogo em família (se possível, com uma espreitadela à leoas do futsal antes). Diz que de Albergaria a Velha chegam mais de dois mil adeptos do Alba o que, desde logo, garante festa na bancada. E, sim, se a A estiver cheia, já será uma óptima casa.

A selecção do Mali tem um futebol com um perfume selvagem e com um odor realmente fresco…
Este é o jogo da vida do Sport Clube Alba, clube fundado em 1941 e que, curiosamente, teve os seus primeiros equipamentos à riscas verdes e brancas. Apresenta-se em 4-3-3, ainda sem conhecer a derrota no campeonato distrital de Aveiro e, segundo Leonardo Jardim, faz quase todos os seus ataques pelo lado direito.

Este homem é um Mister!
Diz que Hugo Oliveira bebe, todas as manhãs, um galão escuro com três pacotes de açúcar. E que, aos fins-de-semana, é estrela de karaoke no Salvador Caffé.

Ele é excelente nestes lances porque a bola está morta e passa a estar viva.
Zé Bastos, avançado, é o capitão de equipa, o médio João Pedro, lesionado, é sempre titular, mas o mais experiente é João Casal que, aos 33 anos, tem no cv uma Taça de Portugal ao serviço do Beira-Mar.

A vantagem de ter duas pernas!
No Alba, há vários jogadores com mais jeito para trabalhar na metalúrgica que lhes ocupa os dias, do que para jogar à bola (que lhes ocupa os finais de tarde e o fim-de-semana)

E agora entram as danças sevilhanas da catalunha
Leonardo, não haverá um adepto leonino que espere outra coisa que não seja uma goleada. E, sinceramente, essa parece-me ser a melhor forma de respeitar este adversário!

Vamos jogar no totobola
Sporting – Alba   1

Anúncios

O Bloco de Notas do Gabriel Alves – Liga 13-14, jornada 7

É um estádio bonito, novo, arejado
Sporting – Vitória de Setúbal
20h15
Estádio José Alvalade

Uma humidade relativa, muito superior a 100%
A chuva parou, como que convidando todos a dizerem presente em Alvalade. Sermos 40 mil esta noite, é o desafio que vos deixo!

A selecção do Mali tem um futebol com um perfume selvagem e com um odor realmente fresco…
O Vitória é uma equipa bipolar em vários aspectos: parece que só consegue jogar bem fora de casa (ok, pronto, na abertura do campeonato receberam o fcporto e aí de pouco lhes valeu jogarem bem, mas tão depressa ganham 1-4 em Guimarães como perde 2-4 em casa, com o Marítimo) e, até agora, é uma equipa onde o ataque é bom e a defesa bastante sofrível. José Mota diz que não abdica de três homens na frente, mas cheira-me que as linhas vão estar bem recuadas.

Este homem é um Mister!
José Mota não é o mesmo sem os seus bonés no flash interview. Não é mesmo… em termos estéticos, pois o seu tipo de futebol é bem conhecido (e quase aposto que vamos levar com o regresso do Ney “Varre tudo e todos” Santos, ao meio-campo).

Ele é excelente nestes lances porque a bola está morta e passa a estar viva.
Em Setúbal, mora outro paraguaio chamado Cardozo, que tem sido uma das surpresas deste campeonato. E também ele é um matacão (a marcação a Eder, em Braga, foi um excelente teste). Também na frente, nota de destaque para o brasileiro Bruno Sabino. Rúben Vezo tem nome de estrangeiro, mas é português e é um central a quem se augura grande futuro. Para já, vai mostrando enorme falta de maturidade.

A vantagem de ter duas pernas!
Como nem todos os pêssegos paraguaios são doces, também chegou um de qualidade duvidosa ao Bonfim. Javier Cohene, defesa central, dá casas atrás de casas. Pedro Queirós, outro defesa, dá pau até às costelas. O coreano Kang MinWoo foi contratado pelo facto do seu nome querer dizer «choco frito». E Diogo Rosado, aquele em quem tanto acreditávamos nas camadas jovens, anda por aqui perdido, tentado relançar a carreira.

E agora entram as danças sevilhanas da catalunha
Leonardo, este é um jogo à imagem do que disputámos, frente ao Rio Ave: adversário em tons de verde e branco com riscas verticais; com um avançado possante e extremos rápidos; linhas baixas à procura do contra-ataque. Para o filme ser diferente, importa manter o que fizemos bem (entrar a pressionar alto e marcar nos primeiros 20 minutos, mais coisa, menos coisa) e alterar o que foi mau (pé a sair do acelerador e a equipa a recuar e a perder posicionamento no meio-campo, após estarmos em vantagem). O resto é ganhar e conquistar o primeiro lugar!
SPOOOOOOOOOOOOOOOOORTING!

Vamos jogar no totobola
Sporting – Vitória de Setúbal   1

Hoje, às 10h30

É revelada mais uma página do Bloco de Notas.
Estamos a fazer todos os esforços para que o momento seja acompanhado por um relato do próprio Gabriel Alves que já nos confidenciou que, mais logo, acredita que se vai notar a «superavit tecnicista dos centro-campistas do Sporting» e que o segredo estará em praticar «um jogo de futebol curto… e longo, consoante as ocasiões».

O Bloco de Notas do Gabriel Alves, Liga 13-14, jornada 6

É um estádio bonito, novo, arejado
Braga – Sporting
20h15
Estádio Axa

Uma humidade relativa, muito superior a 100%
Noite mais fria, num estádio gelado, com possibilidade de chuva. Cachecol a aconchegar a garganta, punhos cerrados e as memórias de uma última vitória conquistada, neste mesmo palco de batalha, com a juba completamente ensopada.

A selecção do Mali tem um futebol com um perfume selvagem e com um odor realmente fresco…
Perdido o comboio europeu contra uns desconhecidos, o Braga ocupa a segunda posição, com um ponto a mais do que o Sporting. Mas, em termos de arbitragem amiga, entre penaltis e expulsões esquisitas, a turma do minho será o primeiro classificado, embora a bandalheira de ontem, no dragão, tenha equilibrado as coisas. Aliás, nesse aspecto, o jogo desta noite é a melhor forma de prepararmos o jogo que temos dentro de quinze dias. No futebol jogado, o Braga é a imagem de Jesualdo Ferreira: uma equipa de dentes arreganhados, com vitórias tangenciais e exibições muito mais suadas do que inspiradas.

Este homem é um Mister!
Quando saiu do Sporting, Jesualdo Ferreira deu a entender não estar preparado para enfrentar um ano muito complicado, chegando a aplicar a expressão «annus horribilis». E como já não vai para novo, escolheu um clube onde sabia que teria muito colinho. O problema será quando a mama terminar e ele tiver que andar pelo próprio pé.

Ele é excelente nestes lances porque a bola está morta e passa a estar viva.
O colombiano Pardo tem sido uma das revelações do campeonato. Alan é a referência da equipa. Eder é um avançado complicado.

A vantagem de ter duas pernas!
É uma pena Nuno André Coelho e Joãozinho não jogarem… Vinicius e Santos, os centrais, têm sérias dificuldades quando a bola é jogada rente à relva; Micael tem a mania que é craque (e alguém paga para ir à selecção) e farta-se de dar porrada (aliás, ele, Elderson e Luiz Carlos); Hugo Vieira era o tal que dizia que o Sporting ia arrepender-se por não o ter contratado. Pois…

E agora entram as danças sevilhanas da catalunha
Leonardo, este é um jogo para Leões de juba rija e eu acredito que vamos estar à altura. O «abre olhos» da semana passada, frente ao Rio Ave, é capaz de ter vindo em boa altura e não podemos esquecer o jogo disputado na pré-época, onde dominámos, falhámos golos e acabámos por perder com erros infantis. Atenção às bolas paradas, pois há vários matacões na equipa adversária (nestes jogos era bom que o Patrício encarnasse o Schmeichel nos cruzamentos e arrancasse cabeças juntamente com a bola). E, claro, atenção ao contra-ataque; duvido, muito, que o Braga assuma o jogo ao invés de se fechar lá atrás.
Spooooooooooooooooooooooooooooorting!

Vamos jogar no totobola
Braga – Sporting   X 2

O Bloco de Notas do Gabriel Alves, Liga 13-14, jornada 5

É um estádio bonito, novo, arejado
Sporting – Rio Ave
20h15
Estádio José Alvalade

Uma humidade relativa, muito superior a 100%
Diz que vai ser o fim-de-semana de despedida do verão, com noite a condizer. Total ausência de vento, cerca de 20 graus à hora do jogo, mesmo a pedir a verde e branca vestida. Nas bancadas, cerca de 35 mil Leões estarão prontos para colocar o vulcão em erupção e ser parte activa em mais uma batalha!

A selecção do Mali tem um futebol com um perfume selvagem e com um odor realmente fresco…
Depois de uma excelente época passada, em que lutou pelo acesso à europa, o Rio Ave começou o campeonato da melhor forma: dois jogos, duas vitórias, frente a Belenenses e Vitória de Setúbal. Mas os dois jogos seguintes traduziram-se em outras tantas derrotas, frente a Arouca e Vitória de Guimarães. Em Alvalade, o Rio Ave trará a motivação de, na época passada, ter sido a besta negra do Sporting, ganhando-lhe três em três, mas a verdade é que a vitória alcançada em Alvalade foi a primeira em 16 jogos. Nos outros, sempre derrotas.

Este homem é um Mister!
Nos tempos de Carlos Brito o Rio Ave era inspirado pelo histórico Sparta de Praga. Nos tempos de Nuno Espírito Santo, o Rio Ave é inspirado pelo corrupto fcPorto e serve de montra a vários jogadores de Jorge Mendes. Peço desculpa à família do dito Nuno, mas olhar para ele é olhar para uma extensão de um clube que abomino. Quanto a tácticas, obviamente que levaremos com três setas apontadas aos lances de contra-ataque (Ukra, Braga e Hassan).

Ele é excelente nestes lances porque a bola está morta e passa a estar viva.
Quando procurávamos ponta-de-lança, apontei várias vezes o nome de Hassan, ponta de lança egípcio. É o craque da equipa, bem secundado pelo extremo Braga. O redes Salin é capaz do melhor e do pior. Tarantini é o farol da equipa, porque para onde aponta a lanterna dá pau até ao pescoço (e até onde Xistra deixar. A propósito, ainda se lembram daquele jogo frente ao Olhanense, a abrir o campeonato? Já que falo de arbitragem, eu sei que a idade é um posto, mas de tanto levarem o Jesualdo ao colo qualquer dia o homem não sabe andar…)

A vantagem de ter duas pernas!
Apesar de ser um desconhecido, Diego Lopes fez capas de jornal quando chegou ao benfica. Hoje continua a ser um desconhecido. Roderick seria peça incontornável da espinha dorsal de um novo benfica; hoje é suplente do Rio Ave, pois chumbou no exame de sérvio. Ukra era um diamante a lapidar pelo dragão, hoje não passa de um zircão menos carregado do que Cassamá. Tiago Pinto podia estar hoje onde está Cédric, mas preferiu ser mais um exemplo de péssima gestão da carreira. Rodriguez, o mudo, é melhor a falar do que a jogar e espero que Montero se ria na sua tromba.

E agora entram as danças sevilhanas da catalunha
Leonardo, poupas-me palavras com a tua óptima conferência de imprensa.
«As expetativas e o nosso trabalho semanal procuram sempre que se traduza num resultado positivo, neste caso uma vitória, é para isso que os atletas trabalham durante a semana, para traduzirem o trabalho deles numa vitória e num bom espectáculo […] Podermos ser primeiros provisoriamente? À 5ª jornada não vai existir essa pressão. Os jogadores percebem que para jogar no Sporting têm de ter a responsabilidades de jogar para os lugares da frente e isso não nos vai inibir. Só conseguimos essa passagem à condição para o primeiro lugar se formos iguais a nós próprios e se tivermos a atitude que pretendemos, respeitando sempre o Rio Ave, mas fazendo um bom jogo […]
Sabemos que é um jogo importante porque vale três pontos, perante um adversário que apresenta grande qualidade técnica e sabe circular a bola. Temos de os pressionar para evitara essa qualidade que têm. Não nos podemos esquecer que, num passado recente, o Rio Ave ganhou por três vezes ao Sporting, fez seis golos contra apenas um do Sporting. Acho que isso está na mente dos sportinguistas e, por isso, não podemos acreditar em facilidades. Temos de disputar o jogo com enorme seriedade. Acredito, no plano teórico, que com esses três pontos podemos chegar à frente, mas na 5ª jornada isso não tem muita importância […]
«Fico satisfeito por orientar um Sporting com tanta alma como este, com tantos jovens ambiciosos. Este inicio de época positivo deve-se em grande parte aos jogadores. Consoante o campeonato vai passando, as equipas vão-nos respeitando de outra forma, mas temos de ter capacidade para ultrapassar essas dificuldades e colocar em campo toda a nossa qualidade. Desde a pré-temporada que digo que estamos a criar uma identidade na equipa. Temos trabalhado nesse objetivo, claro que hoje em dia a equipa está mais próxima daquilo que pretendemos, mas temos um caminho grande para percorrer, não só porque estamos no inicio da época, mas pela média de idades, acredito que podemos ser mais consistentes e melhores».
Resta-me acrescentar, SPOOOOOOOOOOOOOOOOORTING!

Vamos jogar no totobola
Sporting – Rio Ave   1

putofeliz

O Bloco de Notas do Gabriel Alves, liga 13-14, jornada 4

É um estádio bonito, novo, arejado
Olhanense – Sporting
17h45
Estádio do Algarve

Uma humidade relativa, muito superior a 100%
Uma noite de verão, no Algarve, num estádio moderno e bancadas cheias de Leões! É para levar a camisola oficial ou uma t-shirt verde, obviamente!

A selecção do Mali tem um futebol com um perfume selvagem e com um odor realmente fresco…
O Olhanense foi apontado como uma das equipas que maiores dificuldades teriam em lutar pela manutenção, mas a verdade é que existiu inteligência na forma de abordar os problemas de tesouraria: investidores italianos e vários jovens jogadores com essa escola, que chegaram por empréstimo (e há belíssimos exemplos para os Iés desta vida, que acham que assim que brilham nos júniores estão prontos para conquistar o mundo. O defesa Ricardo Ferreira ou o médio Pelé tinham concretizado o sonho de chegar ao Milan, mas quase aposto que no álbum de recordações não figurarão mais do que os treinos com os craques). É uma equipa em formação, que já experimentou perder, vencer e empatar, sendo este empate o de maior relevo por ter sido em casa do Marítimo e por, pela primeira vez, não terem acabado os jogos carregados de amarelos e com alguém expulso.

Este homem é um Mister!
Seria fácil fazer piadas a propósito de Abel Xavier, mas a verdade é que depois de ter lido duas entrevistas suas, já na pele de treinador do Olhanense, fico com ideia de ser alguém perfeitamente focado e consciente do que quer. Não sei o que dará como treinador, mas em termos de ideias para o futebol diria que é alguém que pode contribuir para a melhoria do futebol português.

Ele é excelente nestes lances porque a bola está morta e passa a estar viva.
Ricardo, o Labreca, é a maior figura desta equipa (e deveria ser contratado para, uma vez por semana, dar uma palestra na Academia sobre a forma como a ganância pelo dinheiro pode enterrar uma carreira). Por aqui também anda o nosso conhecido Celestino, em tempos apontado como parte do futuro do Sporting, o “velhinho” Rui Duarte é o líder da equipa e Mehmeti tem a responsabilidade de ser homem golo.

A vantagem de ter duas pernas!
Quando era pequenino e ainda não tinha resolvido o seu problema de estrabismo, alguém disse a Luís Filipe que poderia ser jogador de futebol. Foi extremo, foi defesa direito e teve momentos de glória capazes de envergonhar Gil Baiano. Para azar nosso, marcou o primeiro golo no novo Estádio de Alvalade e gravou o nome na nossa história…

E agora entram as danças sevilhanas da catalunha
Leonardo, eu também não gostei da pausa para compromissos comerciais, mas acredito que já foste capaz de recuperar o foco da rapaziada. Seria perfeito se repetíssemos a receita de Coimbra (até porque a defesa do Olhanense dá várias casas e, no geral, a equipa faz muitas faltas e vê muitos amarelos), mas o mais importante é continuarmos a vencer e a subir um degrau de cada vez. Depois, no final, quando voltarem a perguntar-te quais são os objectivos do Sporting e se já nos assumimos como candidatos ao título, podes responder: somos candidatos a vencer qualquer jogo que disputemos! É nisto que eu e mais quatro milhões de Sportinguistas acreditamos (e logo verás essa crença no apoio que virá das bancadas)!

Vamos jogar no totobola
Olhanense – Sporting    2

O Bloco de Notas do Gabriel Alves, liga 13-14, jornada 3

É um estádio bonito, novo, arejado
Sporting – Crvena Zvezda Benfica
20h00
Estádio José Alvalade

Uma humidade relativa, muito superior a 100%
Cerca de 45 mil pessoas nas bancadas, temperatura a rondar os 22 graus, o jogo dos jogos no relvado. Pode pedir-se mais? Pode, claro! Que os Leões presentes saibam apoiar do primeiro ao último minuto, independentemente das cambalhotas que o jogo possa ter.

A selecção do Mali tem um futebol com um perfume selvagem e com um odor realmente fresco…
Ao contrário do que a imprensa quis passar, não me parece que a vitória sobre o Gil Vicente tenha sido o tónico perfeito para afastar os fantasmas que pairam no balneário encarnado (se fosse no Sporting que um jogador constantemente apelidado de uma das maiores promessas mundiais, ficasse fora da convocatória para entrar outro que tudo fez para sair do clube, imagino o que se escreveria). Claro que é sempre melhor ganhar do que perder, mas há muita coisa presa por arames no reino lampião, a começar pelo lado anímico (será perfeito se o Sporting conseguir entrar a mandar e a marcar). A curiosidade passa, muito, por ver em quantos avançados Jesus vai apostar (eu arrisco dizer que Lima começa o jogo sozinho lá na frente).

Este homem é um Mister!
Eu sei que Jesus é do Sporting desde pequenino, eu sei que o homem é apologista do futebol de ataque, eu sei que tem vários predicados enquanto treinador. Mas também sei que não suporto o gajo, sendo aquela nojeira do «limpinho limpinho», a gota de água. Quero mais é que volte a perder amanhã e fique sem pio de uma vez (o que não deve ser complicado, tendo em conta que, em desespero de causa, engoliu um sapo do tamanho do Carodozo). Ah, e também já mete nojo aquela palermice de fazer bluff com o estado físico dos jogadores (é claro que Markovic está apto. Já agora, terá sido Jesus a inventar aquela nojeira de rumor sobre os problemas com a gravidez da mulher do Montero?).

Ele é excelente nestes lances porque a bola está morta e passa a estar viva.
Lazar Markovic tem sido a figura do Benfica neste arranque de temporada (incluindo pré-época); resta saber o quanto lhe pesará o derby sobre os ombros (acho piada que parece que apenas os estreantes do Sporting é que podem ficar afectados com o ambiente). Lima é um perigo constante e Salvio e Gaitan podem jogar 8 ou 80.

A vantagem de ter duas pernas!
Depois de Emerson e de Melgarejo, Cortês (ou Cortez), nesta verdadeira saga de ganhar comissões contratando defesas esquerdos que não sabem defender. E volto a repetir: sem aqueles cm extra, Luisão, o capitão que chama filhos da puta aos adeptos, seria pior do que o Argel (e que Montero me ajude a, uma vez mais, provar a minha teoria). Já agora, o Ola John sempre foi para o Milan?

E agora entram as danças sevilhanas da catalunha
Leonardo, excelente conferência de imprensa, incluindo o pormenor de chamares a atenção para a bandalheira que são as movimentações do xerife girafa e seus bandalhos nos lances de bola parada! Pareces-me saber perfeitamente com o tipo de adversário com que vamos lidar, mas permite-me o meu palpite de bancada: a defender, encravar as saídas de bola pelo Matic e pelo Perez e ter atenção às tais bolas paradas; a atacar, carregar sem dó nem piedade nas alas e dar a estocada final com as diagonais feitas entre os centrais e os defesas laterais (as bolas colocadas nas costas dos centrais também são uma excelente opção). No que depender do meu apoio, às 22h estamos com 9 pontos e continuamos a liderar o campeonato.

Vamos jogar no totobola
Sporting – Benfica   1 X

tuvaisvenceralvalade
p.s. – vai ser do Cacifo se a equipa entrar com o Estádio inteiro a cantar isto e com as bancadas transformadas numa enorme sciarpata!