A frase e o vídeo

«[…] o presidente Bruno de Carvalho, por quem tenho imenso respeito apesar de não ser do meu clubemas gostava que o meu clube tivesse um presidente assim […]».
A frase foi de Luís Franco Bastos e foi um dos momentos altos da madrugada. Bruno de Carvalho esteve igual a ele mesmo, com a diferença de se ter soltado à medida que o tempo passava (ao contrário do Pedro Fernandes, que me pareceu tolhido pelo facto de estar a entrevistar o presidente do seu clube). Boa piada com o sofá vermelho, logo a abrir, grande poder de encaixe ao fazer uma piada com um sketch onde aparecia a dar uma pinada ao ritmo da claque (a ideia da curva belíssima fez-me soltar uma valente gargalhada), elegante no não aproveitar do momento para espezinhar e atacar a direcção anterior.
Resumidamente, fiquei com a ideia de que Bruno de Carvalho estava pronto para mais provocações, mas… entretanto, deitei-me acreditando que, por volta desta hora já existiria um vídeo no youtube que completasse o post, mas a única coisa que encontrei foi um link para a RTP (façam o favor de clicar aqui e vejam, ou revejam, a entrevista)

E pronto

Esta tarde, Bruno de Carvalho respondeu ao diretor geral do Benfica. Enquanto dava diversos autógrafos a adeptos leoninos foi questionado pelos jornalistas sobre a declaração de Rui Costa, respondendo, inicialmente, com alguma ironia. “O Rui Costa conseguiu um grande feito para o ciclismo português, foi campeão do Mundo“, disse, referindo-se ao ciclista português antes de ser interrompido com a óbvia chamada de atenção de que era do dirigente encarnado de que se fala. “O Rui Costa do Benfica? Não conheço“, afirmou. (in O Jogo)

Adivinha quem voltou (num registo paninhos quentes)

António Dias da Cunha, ex-presidente sportinguista, quebrou o silêncio para destacar o excelente momento desportivo dos leões com esta nova direcção e neste início de temporada. Em entrevista a Bola Branca, o ex-dirigente sublinha que Bruno de Carvalho “é um presidente muito envolvido com o futebol”. “O mérito primeiro é dele“, complementa. Dias da Cunha não apoiou a candidatura do líder eleito, mas reconhece que “na gestão do futebol tem demonstrado muito acerto“.
Para além de Bruno de Carvalho, o antigo presidente elogia também Augusto Inácio e Leonardo Jardim, mostrando não estar preocupado com o lugar que a equipa ocupará no final da temporada e preferindo destacar “a maneira como o Sporting está a jogar, tendo em conta a juventude e a equipa técnica que está no clube pela primeira vez […] Acho que é um espanto a forma como Leonardo Jardim conseguiu pôr aquele conjunto a jogar da maneira como o está a fazer“, afirma. Bruno de Carvalho tem em marcha uma auditoria às contas do Sporting, algo que agrada a Dias da Cunha: “Espero que sirva para terminar com acusações feitas sem justificação e com os insultos […]  Se isso contribuir para esclarecer a realidade unindo os sportinguistas, então acho muito bem“, concluiu.

Bom jornalismo, mau jornalismo

Dentro do mesmo grupo, dois exemplos.
Enquanto o Jornal de Negócios nos oferece uma excelente entrevista, com perguntas que proporcionam as respostas que interessam (é espreitar os vídeos aqui, aqui, aqui, aqui ou aqui), o Correio da Manhã dá mais um triste exemplo do seu conceito de jornalismo. Segundo o CM, «Bruno de Carvalho repreendeu Leonardo Jardim, após o empate (1-1) do Sporting diante do Rio Ave, em Alvalade, na última jornada da Liga. Segundo apurou o CM, o presidente leonino, além de não ter gostado da exibição da equipa, ficou surpreendido com o facto de o treinador ter abordado a questão dos árbitros no final da partida frente aos vila-condenses».
Obviamente que  não chegamos a saber como é que o CM apurou, ou será que sabemos? Hum, espera. «Segundo as fontes contactadas, Bruno de Carvalho não gostou que o técnico tivesse falado das arbitragens e disse-lhe isso mesmo após o jogo com o Rio Ave. Tal como afirmou na 2ª feira à noite, na cerimónia do 103º aniversário da AF Lisboa, o dirigente fez ver ao treinador que a obrigação dele é treinar e não falar de arbitragens». Aaaaaaaaaaaaaaa, fontes contactadas! Então está bem. Chato, no meio disto, é o facto das fontes não terem percebido que o recado de segunda à noite tinham um destinatário que não Leonardo Jardim.