Um jogo, uma imagem

capelgolo

Grande

«Existiram equipas interessadas, mas tentei sempre manter-me à margem. Não saí e só penso no Sporting. O clube deu-me tudo e, como já tinha dito, um dia que saia gostava de fazê-lo pela porta grande e que me recordassem por ter dado tudo por esta camisola», Capel, in Jornal Sporting

Uma equipa unida, mais dificilmente será vencida!

autocarro

Entretanto, via twitter.
Capel: «Felicidades à minha equipa pela vitória importante. Muito orgulhoso dos meus companheiros e este é o caminho. Felicidades irmão [Montero] pelo golo e pelo trabalho. Enorme! Vamos miúdo!»
Montero: «Obrigado amigo, falta pouco para regressares. Que bem Sporting. Outra vitória. Unidos somos mais fortes. Que grupo cheio de vontade de ganhar!»

Ilusão?

Já me tinha questionado várias vezes sobre se as nossas opções para as alas seriam suficientes. Pensava em Carrillo, pensava em Capel e ficava com a ideia que esses eram os nossos dois únicos extremos de raiz. Depois, Wilson, que tem dado muito boa conta do recado, mas que não vejo como extremo. Há Magrão, que pode jogar junto à linha, mas que está longe de ter o ritmo ideal. E, num momento de revolução, Jefferson pode ser médio-ala esquerdo.
Olho para a B. Há Esgaio, que já mostrou estar preparado para ser chamado. Há Salomão, a quem foi dada uma derradeira oportunidade. Há Iuri, a transpirar qualidade, mas ainda demasiado leve para lançar às feras. Há Mané, que me parece uma adaptação. Tal como Ponde ou Manafá também podem ser adaptados.

Tudo isto a propósito da lesão de Capel. Depois do que eu escrevi, qualquer um dirá que há opções suficientes. Os próximos tempos dirão se tão extensa lista será, ou não, uma ilusão.