Canhotices

Jefferson é carta fora do baralho para sábado à noite. King, que, supostamente, seria o seu reserva, está sem ritmo depois de uma lesão.
Assim, restam-nos as seguintes possibilidades: Rojo ocupa a lateral e Dier entra para o lado de Maurício; Piris é lançado à esquerda; Mica é promovido. Eu apostaria na solução que nos permitisse não perder o caudal ofensivo pela ala esquerda.

actualização: Jefferson: entorse no joelho direito. Estará ausente durante cerca de quatro semanas (foda-se)

Nojo

«Dier não pensa renovar»
Esta é uma das chamadas de capa do Record de hoje. Depois da rábula relativamente às declarações de Rinaudo que nunca existiram, ontem, encolho os ombros e penso “continua…”. A curiosidade é mais forte. Página 4, quase toda preenchida com este exercício de criatividade em que a base é «Record sabe» e «assim sendo, sabe Record».
Fight & resist!

Não dá para assinar um contrato vitalício?

[…] A equipa principal do Sporting era o meu objectivo desde criança. Quando surgiu a oportunidade, percebi que tinha de a agarrar. Penso que foi isso que fiz.
Mas o saldo pessoal contrasta com o balanço do colectivo…
[silêncio] Todos sabemos que isto não é o Sporting! O Sporting tem a sua história e essa obriga-nos a ganhar. Posso dizer-lhe que já achava muito estranho e mau quando se dizia que tínhamos que lutar por um lugar europeu. Temos de lutar é pelos títulos! Ficar em 2º, 3º, 4º, 5º não me interessa. Só quero ganhar!
[…]
Mas gostava de ver o seu contrato melhorado, não?
Compreendo que o Sporting esteja numa situação difícil neste momento, sobretudo a nível financeiro… Mas acho que, pelo que fiz esta época, talvez merecesse um pouco mais. No entanto, estou contente com o que tenho. Não é o dinheiro que me faz mais feliz. Só quero melhorar, cada vez mais, enquanto jogador. Ainda tenho muitos objectivos por concretizar e não é o dinheiro que me vai ajudar a alcançar essas metas.

Excerto da entrevista que Eric Dier dá, hoje, ao Record.

Não entendo a pancada

Voltaram a dizer-me, hoje, que foi uma estupidez não termos ido buscar o Steven Vitória.
Eu respondi que ele só tinha ido parar ao outro lado da segunda-circular, por ter Steven no nome; que gosto mais do Steven Seagal; que se o futebol tivesse a possibilidade de substituições para marcar penaltis era fixe; que o Jardel também era o maior quando estava no… Estoril; que eu sou suspeito para discutir estas coisas, porque sempre me incomodou ouvir Sportinguistas a dizer que o «Maicon e o Rolando é que eram» ou que «faz-nos falta um Luisão» (logo eu que sempre achei que, com menos 20 centímetros, o cabeçudo seria uma nova versão do Argel).
Depois, face ao «foda-se, tu és sempre a mesma merda!» com que fui brindado, concluí: eu quero é ver o Dier e o Ilori a jogarem juntos e a formarem uma das melhores duplas do mundo.

p.s. – já agora, e porque precisamos de avançados, dava bem mais jeito conseguir o Zé Luís, do Braga, que parece ter carta branca para rumar a Belém.

A não notícia e a questão que levanta

Dier será trinco – Leonardo Jardim prepara jovem inglês para nova posição.
É desta forma, cheia de certezas, que o Record coloca o Sporting na capa da sua edição. Lá dentro, o mesmo de sempre: não há uma única declaração do treinador que sustente a chamada de capa e, a meio, os escrivães de serviço lá resolvem dizer que não está descartada a possibilidade de Dier ser utilizado a central.

Chouriços mal enchidos à parte, esta brincadeira acaba por levantar uma questão (ou recuperar uma velha): onde utilizar o inglês? Eu continuo a achar que o lugar dele é ao lado de Ilori, mesmo acreditando que as suas características físicas e técnicas lhe permitem jogar no meio-campo.