A Bola é do Stoj

Tal como o nosso amigo Sousa Cintra, o Stojkovic não vai deixar de ler A Bola.
Não porque tenha o privilégio laboral de não ter que comprá-la, muito menos por ter uma jornada de transportes até chegar a casa. O único ponto em que os motivos do Stoj e do Cintra para continuar a ler A Bola podem coincidir, é no terceiro: ambos acham que ler A Bola é divertido, embora com as devidas diferenças. O Cintra, como qualquer um de nós, diverte-se com os consecutivos exemplos de mau jornalismo, o Stoj diverte-se a ler as constantes provocações que ele ou o seu irmão Vladan encomendam ao dito jornaleco lampião.

Hoje temos mais um exemplo disso mesmo. “Mereço oportunidade. Acho que sou o melhor do plantel”, lê-se numa chamada de capa. Sabes, Stoj, eu também acho que, tecnicamente, és o melhor guarda-redes do plantel, para além de, quando estás em campo, teres aqueles momentos de bloqueio cerebral que têm tornado “redes” em ídolos. Acontece, meu caro louco da sérvia, que em termos de personalidade és uma verdadeira merda e começas realmente a cansar-me.

Depois de, pela boca do teu mano feio, teres dito o que disseste há pouco mais de um ano, depois de teres afrontado o Barbosa em pleno balneário, depois de te recusares a fazer o que te mandam nos treinos e de teres desaparecido em Liverpool, deixando os dirigentes do Everton à tua espera e impedindo a tua amiga Bola de escrever que tu e o Moutinho iam ser vendidos em pacote para aquele clubeco, ainda tiveste a sorte de te inscreverem na Champions. Com jeitinho, ou melhor, com verdadeira aplicação nos treinos, talvez até acontecesse voltares a ser convocado. Bastava mostrares que tinhas mudado, Stoj. Mas a verdade é que continuas a ser o mesmo palerma cheio de qualidades técnicas, incapaz de utilizá-las para ser jogador de futebol dos pés à cabeça.

Vá, vai lá divertir-te a ler A Bola. No Sporting, não voltas a jogar!

Anúncios