Activos ou monos?

O jornal O Jogo, puxa hoje do nome de Labyad para propalar um possível empréstimo. Confesso que já era para ter abordado o assunto, mas mais vale tarde do que nunca: por aquilo que sei, Labyad e Jeffren não foram inscritos, não podendo jogar nem pela equipa principal, nem pela B.
Questões disciplinares à parte, a verdade é que estamos a falar de dois jogadores que não ganham nada pouco e que, sem minutos de competição, menos apelativos serão para outros clubes (espera, segundo A Bola, o facto do André Gomes não jogar no benfica fez disparar o número de interessados). Emprestá-los, mesmo que pagando parte do ordenado, parece-me que seria a melhor opção (mais não fosse, para diminuir o peso na massa salarial)

Anúncios

Toma, que é fresquinho!

A Sporting SAD, face à informação que tem sido tornada pública, em diversos órgãos de comunicação social, relacionada com questões contratuais e salariais sobre os seus jogadores, esclarece o seguinte:

– A Sporting SAD tem mantido nas últimas semanas contactos constantes com o representante do jogador Evaldo, Renato Moura, no sentido de encontrar uma solução para o atleta, na defesa dos interesses mútuos.

Estranha-se que o referido representante de Evaldo, nunca nos contactos estabelecidos, se tenha referido a qualquer dívida por parte do Sporting ao atleta, situação que aquele vem agora alegar através da comunicação social. A Sporting SAD rejeita liminarmente qualquer dívida ao jogador Evaldo que, como é do conhecimento público, esteve emprestado na época 2012/13 ao Deportivo da Corunha. A existir qualquer falta de pagamento, esta teria que ser naturalmente comprovada e só poderia ser atribuída ao Deportivo da Corunha e nunca ao Sporting Clube de Portugal.

– A Sporting SAD reitera que, desde que esta Administração tomou posse, não existe, nem existiu, qualquer dívida salarial ao jogador Elias. A dívida existente diz respeito a um contrato de direitos de imagem que esta Administração decidiu rescindir, sustentado no reiterado incumprimento por parte do atleta, sendo firme propósito por parte do Sporting a defesa dos seus legítimos interesses, pelo que irá exigir uma indemnização.

– Relativamente ao jogador Bojinov, a Sporting SAD reitera que o mesmo se encontra com o contrato rescindido, tendo o Sporting cumprido todos os preceitos. É com estupefacção que a Sporting SAD é confrontada com declarações hoje na comunicação social de Genaro Palomba, representante do jogador, quando já mesmo depois da rescisão, a Administração da SAD aceitou reunir com ele a seu pedido, no dia 29 de Agosto de 2013, e onde não manifestaram qualquer contestação à rescisão referida.

– A Sporting SAD salvaguarda o grupo de trabalho, a sua dinâmica, os princípios definidos e defende os seus activos como um todo, nas suas múltiplas interacções, não podendo permitir que estes sejam colocados em causa.

No que respeita a Zakaria Labyad, o que tem estado em causa é o não cumprimento dos deveres com o Clube e que em nada tem a ver com o montante salarial por si auferido. Salienta-se aliás que no grupo de trabalho há jogadores com montantes salariais superiores e que dão o seu normal contributo ao Clube. Trata-se, neste caso, de uma opção de gestão desportiva.

Realça-se que o jogador conhece, porque a Sporting SAD comunicou em 8 de Agosto de 2013, as acções que intentou, nomeadamente a rescisão do contrato de direitos de imagem que mantinha, sendo firme propósito por parte do Sporting a defesa dos seus legítimos interesses, pelo que irá exigir uma indemnização. Assim, como irão ser exigidos o cumprimento de vários aspectos do contrato que a esta data ainda não o estão, situação que lesa fortemente a Sporting SAD.
Pese a consciência que tem do seu comportamento, incorrecto e lesivo dos superiores interesses da Sporting SAD, o jogador tenta passar para a opinião pública uma imagem de desconhecimento e inocência de todo este processo, vitimizando-se, quando na realidade se trata do principal responsável desta situação.

O jogador não irá trabalhar isoladamente como tem sido referido publicamente, mas sim integrado na estrutura do futebol profissional. O Sporting evidencia que procurou sempre soluções que salvaguardassem os seus interesses e do atleta, nomeadamente através de propostas de clubes ingleses e turcos, mas que o jogador, pese embora estas cobrissem na totalidade as condições contratuais auferidas, rejeitou-as sempre, liminarmente.

Mexericos

Boek emprestado, com Cássio a chegar a custo zero para morder os calcanhares a Patrício. O Cássio é bom guarda-redes. Ponto. E, depois do que vi no Guadiana, o Boek é capaz de precisar de desenferrujar durante uma época. Só continua a levantar-me dúvidas o que se perde em termos de balneário e o número de anos que serão propostos a Cássio.

Labyad a treinar com a equipa B (que luxo, o gajo mais bem pago do plantel às ordens de Abel), Nuno Reis, Salomão e André Santos a treinar com a equipa principal. A propósito; renovar com o Salomão? Para quê?

Nova novela

Labyad, assim se intitula. E, infelizmente, promete demasiados episódios (onde é que eu já vi isto?).
Já se sabia que não haveria dinheiro para Labyad. Dois milhões, líquidos, por ano, é valor que dá para pagar o ordenado resultante das renovações de Chaby, Ponde, Betinho, Esgaio, João Mário e William Carvalho. E ainda podem juntar o ordenado de Eric Dier.
Sim, é um abuso. Seria sempre um abuso, mesmo para um Sporting desejando endividar-se, cada vez mais, à banca. E mesmo acreditando que Labyad tem enorme potencial.

A dúvida que fica é se, em vez de termos dado a titularidade ao rapaz em jogos da pré-época, não teria sido preferível deixar logo tudo bem claro.
Quer dizer, até podia estar tudo bem claro (o próprio Labyad, em férias, afirmava saber que o Sporting não podia pagar-lhe) e o objectivo ter passado por colocar o rapaz na montra. Assim sendo, parece que os potenciais clientes passaram pela dita montra e torceram o nariz, algo que deixou o empresário muito zangado, pois queria continuar a brincar aos souks. Acontece que é hora de afinar a máquina, não de regatear.

O que já foi, o que ainda está e o que há-de vir

Em declarações ao jornal do Sevilha, Daniel Carriço recordou o tempo em que vestiu de verde e branco e deixou uma nota elucidativa: «Os últimos anos foram complicados porque mudámos muitas vezes de presidente e treinador. Eu  era capitão, tinha apenas 21 ou 22 anos e tudo mudava. Éramos jogadores da casa, mas em dois anos chegaram 25 ou 26 jogadores novos e os que já lá estavam sentiam-se deslocados».

Entretanto, Labyad é uma estranha ausência na lista de convocados para o Torneio do Guadiana. Numa altura em que as opções começam a ser mais finais, será que está de saída?

Cardozo já deu a conhecer, através do seu empresário, que nem quer ouvir falar em jogar no Spartak de Moscovo. «Só se eu fosse estúpido é que voltava a equipar de encarnado e branco!», terá dito o paraguaio, segundo confidenciou, ao Cacifo, o seu irmão, Rámon Carodozo. Tacuarita, disse-nos, ainda, que Oscar Cardozo está «entusiasmado com a possibilidade de ir para o Sporting. Ele ainda hoje fala na noite em que, com o estádio da Luz cheio, só conseguia ouvir os adeptos do Sporting

Palavras

«A minha vontade é continuar e ajudar o Sporting por muitos mais anos. Temos um treinador novo e tenho a certeza que todos juntos vamos tentar recolocar o Sporting no lugar que merece», André Martins.

«Problemas com o salário? Essa questão nem sequer se coloca […] Este ano vão ver o verdadeiro Labyad! E é no Sporting que quer ficar», Marcel Veerman, empresário de Zakaria Labyad.

«O Sporting é um grande clube e todos os jogadores gostariam de jogar no Sporting. Eu também», Pizzi.

Pornografia… silêncio, calma…

A notícia já nos tinha chegado e volta, hoje, a ser lançada: Labyada assinou um contrato segundo o qual, independentemente de número de jogos e de objectivos que atingisse, veria o seu ordenado passar de 900 mil para 2 milhões de euros anuais.
Pornto prévio: não quero colocar em causa as qualidades de Labyad. Aliás, acho que tanto Labyad como Carrilo são duas verdadeiras pérolas que precisam de ser retiradas da ostra com todo o cuidado. O que me incomoda (eu sei, eu sei, já devia ter percebido que foi apanágio no tempo do cheque e da vassoura), é mais um exemplo de como o Sporting caminhava para um buraco sem fundo. O que me choca é este tipo de gestão sem a mínima lógica, é esta falta de respeito pelo clube, pelos seus associados e pelos seus adeptos. O que me choca é, engrossando a dívida como nunca, ter-se conseguido os piores resultados de sempre!

p.s. – no meio de tudo isto, outro pormenor «engraçado»: só temos 35% do passe de Labyad…
p.s.s. – são atrocidades como esta que dão carta branca aos empresários. E que tornam premente o implementar de uma política salarial com regras