Onde é que eu já vi isto?

“”[…] o pior jogador do clássico: Fábio Rochemback. A atuação de Rochemback merece um parágrafo exclusivo. Chegou ao Olímpico como grande reforço a meio do campeonato, não conseguiu jogar bem uma única vez e, ontem, foi nada menos do que bisonho. Rochemback passou o jogo a receber a bola na zona intermédia e a levantá-la para a área do Inter, com um dos seguintes resultados: na mão do guarda-redes, na cabeça do defesa-central ou para fora. Não conseguiu marcar, não conseguiu passar, não conseguiu chutar, não conseguiu driblar. E ainda assim foi mantido em campo o tempo inteiro. Em vez de tirar Rochemback, Autuori, por algum motivo, subtraiu da equipa o melhor jogador da primeira parte: Douglas Costa”, David Coimbra, editor executivo de desporto do jornal Zero Hora, na análise ao derbi entre o Internacional e o Grêmio.

p.s. – se a ideia passa mesmo por comprar mais um médio, dava para fazer um esforço e trazer o Rúben Micael para Alvalade?

Pesos e medidas

Sim, este post é sobre o Rochemback. Não, não vou falar sobre as medidas especiais deste médio que, em tempos, foi dos mais ovacionados pelas bancadas de Alvalade.

Acontece que, depois dos recadinhos deixados pelo seu empresário, o Fábio, entre três garfadas de farofa, resolveu fazer queixinhas ao pai, o tal que criou um circuito de manutenção na fazenda para que o seu filho chegasse a Alvalade sem correr o risco de ser metido no saco de bolas carregado pelo Paulinho.

Pai extremoso, o bom do Juarez não perdeu tempo em tomar as dores do filho e, vai daí, dispara recadinhos:

na Bola: “O Fábio não está satsifeito. Não entende a razão pela qual não joga. Até ao momento, só por uma vez foi titular [jogo frente ao Nacional] e saiu ao intervalo. Depois disso, o treinador não lhe deu qualquer explicação para a sua saída da equipa e ele gostava de saber a razão por que não joga. Isso o Fábio tem-me dito. […] Parece-me que o treinador está um pouco perdido. Estou no Brasil mas tenho assistido aos jogos. No último jogo, estava a perder e trocou lateral por lateral. É sinal de alguma desorientação

no Jogo “Ele tem lugar na equipa e sem ele a equipa não está a conseguir resultados. Só lhe peço que continue a trabalhar e vão ver que tem condições para jogar. Com uma sequência de jogos fica em forma

no Mais Futebol “Tenho 14 anos de experiência no futebol e sei como se monta uma equipa. Às vezes pergunto ao meu filho: Fábio, quem está contigo no banco de suplentes? Ele diz-me que só tem lá laterais e avançados. Como pode ser isso? […] Não tenho nada contra o Miguel Veloso, que está a jogar naquela posição, mas se o Sporting não ganhava, a culpa não era do Fábio […] Não pode ser apenas um médio a defender. Os outros dois estão a jogar demasiado abertos. Como fica um médio para três ou quatro adversários? Há coisas que não entendo. Aquele menino, o Adrien, que jogou bem quando o Fábio não estava, agora nem é convocado!”

 

Portanto, e voltando ao título deste post, estou curioso para ver que reacção Paulo Bento e a restante estrutura que gere o nosso futebol vão ter a todos estes recadinhos, enviados em véspera de um jogo muito importante e em nada diferentes de, por exemplo, aqueles que foram enviados pelo irmão de Stojkovic ou pelo pai de Miguel Veloso.

p.s. – ao que parece o Corinthians é o clube que está disposto a comprar o Rochemback. Tendo em conta a relação ordenado/produção futebolística deste rapaz, eu diria quem os nossos dirigentes nem deviam pensar duas vezes. Vendam-no! Com o ordenado do menino conseguem pagar dois ou três.

Vai mas é fazer dieta, gordo!

Vifran Pompeu, empresário de Rochemback, diz que o médio está farto de ser suplente, que não está gordo, que teve um filho e está mais maduro, que é bom profissional, mas que se é para continuar no banco o melhor é sair, sendo que há boas propostas para tal.
Curioso… não foi este gordo, amante de picanha e chopinho, que criticou publicamente o Miguel Veloso por este ter dito que queria sair? Vai-te foder, oh badocha!

Não é querer falar mal, mas confesso que isto faz-me alguma confusão

Já há uns tempos que ando para escrever sobre a verdadeira “brigada do reumático” em que se tornou a nossa equipa.
Tirando a lesão do Grimi, que aconteceu como  aconteceu (apesar de todos sabermos que o gajo tem pernas de esferovite), a verdade é que chegamos a esta altura da época com a equipa presa por arames sendo que, nalguns dos casos, os arames rebentaram (Vuk) ou estão prestes a rebentar (Izma).

O Liedson joga em esforço.
O Polga em esforço joga.
O Caneira joga em esforço e quando a época terminar vai ser operado. 
O Yannick não joga, mas ainda assim está carregadinho de mialgias.
O Izma joga em esforço (desde a época passada).
O Rui Patrício apresenta mialgias.
O Pedro Silva está tocado.
O Derlei, tocado está. Ou melhor, cumpre plano específico.
O Vuk foi operado ao ombro. O tal ombro que já estava lesionado, à espera de uma bordoada mais forte para ceder de vez, num misto de atracção pelo risco e estupidez que podia ter sido evitada com uma operação no final da época passada.
O Rochemback rasgou a coxa e só volta daqui a 15 dias.

Eu confesso que gostava que alguém me explicasse isto. Se é uma época mal planeada, se é a componente física dos treinos que não presta, se é um departamento médico que mete água a torto e a direito? Claro que ninguém vai explicar nada ou, no máximo, vão usar a frase preferida do Fernando Santos: “futebol é isto”.

O espírito

Izmailov, Polga, Caneira, Rochemback.
Todos eles sofrendo de problemas físicos. Todos eles fazendo um esforço para tentar terminar a época da melhor forma possível. Todos eles dando seguimento ao espírito de sacrifício que outros, como Liedson, Moutinho, Vuk ou Derlei, já demonstraram.

Eu, quando era puto e sonhava ser jogador do Sporting, nem que fosse à baliza defendendo penaltis como o Schumacher (mas sem o bigode) ou sorrindo depois de sacar uma bola como o Jean-Marie Pfaff (mas sem os caracolinhos), só não jogava à bola se tivesse um pé partido.

Seria precisamente esse espírito que teria, caso vestisse a verde-e-branca, por isso, tal como critico quando julgo que devo fazê-lo, não posso deixar de aplaudir quando vejo alguém do meu clube perceber que, no futebol, há dores bem piores do que as provocadas pelas lesões.

Alguém tem licença de porte de arma?

… assim como assim, os adeptos já são detidos em Alvalade por muito menos…

Adepto iraquiano mata jogador adversário que poderia empatar jogo

Um adepto iraquiano matou domingo a tiro um futebolista da equipa adversária, numa altura em que este estava isolado frente ao guarda-redes e tinha a possibilidade de marcar um golo que empataria o desafio.

Muthanna Khalid, responsável da polícia iraquiana, revelou que quando um jogador da equipa amadora de Buhairat estava isolado frente ao guarda-redes, durante um jogo de amadores em Hillah, um adepto da equipa de Sinjar atingiu-o com um tiro na cabeça, quando faltava um minuto para o jogo terminar.

A fonte policial indicou que o espectador foi detido.

Fonte: Lusa, via O Jogo Online.

Explique lá isso melhor, sff

O pai de Rochemback não tem dúvidas: a melhor forma do médio do Sporting está prestes a chegar, e ele vai fazer a diferença já na entrada do próximo ano! Juarez mostra-se, inclusive, despreocupado com o facto de o atleta ainda não ter feito o gosto ao pé desde que no Verão passado regressou a Alvalade e adivinha para muito breve uma bomba certeira do filho.

“O Fábio está a ganhar confiança, e, não tenho dúvida, a bola vai entrar! É verdade que não tem marcado os golos que se esperam dele, pois habituou a torcida do Sporting a isso, mas vai dar a volta por cima e, porque é uma das suas características, fará a diferença na cobrança de bolas paradas. Está quase a sair, ele vai rebentar rapidinho”.
Juarez Rochemback, pai de Roca, em declarações ao jornal O Jogo.

Ao ler isto, não consigo deixar de ficar preocupado. O que significa rebentar rapidinho? Que o Roca comeu tanto durante as férias de Natal, que agora vai estar de língua de fora ao fim de 15 minutos de jogo? Que a Puma vai ter que fazer camisolas novas?

A propósito, quem será que vai apresentar-se com mais peso extra? Roca, Veloso ou Pedro Silva? Fixe, fixe, era o Pipi ter comido tanto que se apresentasse pequeno e redondo, como uma bola. Aí, sim, o Roca podia rebentar rapidinho e mandar-lhe tamanho biqueiro que só parasse do outro lado do Atlântico.