iô iô verde e branco

Patrício capitão, secundado por Rinaudo e Schaars. Olha o iô iô a subir na perfeição.
Carriço podia ter saído, em Abril, por três milhões. Olha o iô iô a respar no chão, sem voltar a subir.
Liedson a terminar a carreira em Alvalade. Olha o iô iô a saltar da mão, perante mais uma notícia gasprom.

Para inglês ver

«Estou muito orgulho por receber este prémio. É mais uma motivação para continuar a trabalhar no sentido de evoluir cada vez mais, até porque sei que a vida é feita de sucessos e insucessos  […] Falta-me ganhar o título nacional. Ser campeão é um sonho não só meu como de todos os meus colegas. […] Tottenham? Só estou concentrado no Sporting e em estar bem nos nossos jogos. Só me importa continuar no Sporting», Rui Patrício, ontem distinguido com o prémio Stromp de futebolista do ano.

Diz que fica

«Consigo garantir que, para o ano, faremos uma boa época. Teremos os jogadores que fazem falta ao Sporting e o Rui Patrício faz falta à equipa», Godinho Lopes, sobre aquela que pareceu ter sido uma despedida do Patrício, no final do jogo de ontem.

p.s. – para os interessados, às 19h passa uma entrevista com o Sr. Godinho, na Antena 1.

20 milhões

A fonte não será a melhor (the Sun), mas o mais importante é a questão que levanta: a cláusula são 20 milhões; o ManU ofereceu 8 milhões; o Sporting pediu 13, mais coisa menos coisa; os ingleses chegam a Lisboa para tentar um valor intermédio (10 milhões, digo eu).
Ora, a confirmar-se um cenário destes é um negócio de merda. Sim, dez milhões é uma quantia considerável, mas vender o melhor guarda-redes português, com uma tremenda margem de progressão, por metade do valor da cláusula, será algo para deixar-me de cabelos em pé. E estou-me bem a cagar que o Artur venha às cavalitas do Domingos para Alvalade. Querem o Patrício? São 20 milhões!