Ir à pedreira com preços de Bolshoi

É verdade que ainda falta mais de uma semana e, mais verdade ainda, temos pela frente a recepção ao Rio Ave que é o mais importante neste momento.
Mas já que o assunto veio à baila…

Não espanta quem quer que seja, a política de preços implementada pelo braga, para a recepção ao Sporting (deste sábado a oito, às 20h15). Afinal, os minhotos limitam-se a aproveitar a visita de um clube enorme e capaz de movimentar milhares de adeptos. Também não espanta que coloquem os bilhetes para sócios a cinco euros; afinal, todo o apoio é pouco para conseguir fazer um brilharete.

Agora, lindo, lindo, seria a nossa direcção fazer o seguinte:
– comprar todos os bilhetes para os sectores A13 A14 A15 e A16 (75, 40, 25 e 25 euros, respectivamente), garantindo quatro mil rugidos na pedreira; disponibilizá-los todos a 25 euros, entre Alvalade e núcleos; conseguir um acordo com uma empresa rodoviária, garantindo preços irrisórios para a deslocação (a Cosmos ainda existe ou serve, apenas, para promover viagens aos confins da Roménia?).

Acredito que chegará o tempo em que uma operação destas terá lugar. Para já, teremos que ir à pedreira com preços de Bolshoi.

Se um Leão incomoda muita gente, quatro milhões de Leões incomodam muito mais

Abro o e-mail do Cacifo. E sorrio. Alguém se deu ao trabalho de subscrever as newsletters de benfica e fcporto, reencaminhando-as para mim.
Sabe-me bem este sentimento de causar incómodo. Sabe-me bem este sentimento de que o Sporting voltou a incomodar. O contrário era, precisamente, o que me incomodava.

Cresci aprendendo a amar um Sporting que não ganhava. Mas que incomodava. Sempre. Fosse pelo futebol que praticava, fosse pela dedicação, devoção e militância dos seus adeptos, fosse pelos craques que forma ou que contratava. No fundo, e para lá de bocas da reacção, todos sabiam que o Leão Rampante o era e que os seus consecutivos inêxitos apenas disfarçavam uma grandiosidade ao alcance de poucos pelo mundo. Curiosamente, a conquista de dois campeonatos em três anos, no início do novo século, conduziu o Leão Rampante à cama do hospital. Fraco, cada vez mais fraco. Coma. E os milhares de Leões, que são milhões e que seguem este Leão para toda a parte, reuniram-se à sua volta afirmando não arredar pé e fazendo da fé verde e branca corrente de boas vibrações. Mal esperavam que, entre os escolhidos para reabilitar o Rampante, existissem hienas em pele de leão, desejosas de dar um tom azulado ao magnífico verde e de fazer da ímpar história do Sporting o motor de outros negócios.

Durou tanto, demasiado, esta letargia. Este cabrão deste coma que consumia todos os que «sem ti não sei viver». Dividiram-se Leões armados, de juba eriçada em trincheiras, numa guerra de rugidos alimentada por hienas e em que quem pia e quem fumaça se ria e esfregava as mãos de contente. Pior, em que quem pia e quem fumaça deixou de respeitar o Rampante, desejando-lhe irónicas melhoras e dando palmadinhas nas costas dos Leões sofredores que se recusavam a render-se. Outros, cansados de tanto mal ver fazer «ao nosso grande amor», abandonavam a luta, resguardando-se num luto que parecia inevitável.

As unhas cravam-se no chão. Os músculos retesam-se. A face retrai-se em raiva. «Levanta-te, Rampante!», rugem os que, após anos de luta, se recusaram a abandonar o líder. «Se é para cair, caímos todos de pé!». E o Rampante levanta-se, amparado por todos nós, caminhando sem receio para o recinto de batalha. Ao longe, orcs e trols, cada qual em sua elevação da planície, aguardam o início de mais uma guerra a dois. Olham para as suas tropas, com sorriso trocista, quando avistam a chegada do Leão.
Primeiro embate. Segundo. Terceiro. Quarto.
Semanas de batalha em que, a cada dia, novos infiltrados tentam minar a recuperação. Luta! Resiste!
Tentam diminuir-nos as vitórias com dois equívocos de apito, como se os restantes 89 minutos não fossem um desfilar de erros tendenciosos que se perdem no tempo e fazem campeões nas últimas décadas. Luta! Resiste!
São sindicatos que se só se preocupam connosco. São empresários a valer-se do desespero dos jornais. São jogadores que não respeitam a verde e branca com que cresceram. Luta! Resiste!
São hienas de cu apertado que gincham e até se mordem umas às outras. São famílias de jogadores ameaçadas e jogadores a “serem raptados” por soldados peidorrentos que se fazem passar pelas nossas cores. São casos resolvidos na secretaria. São fumaças desesperadas que, perdendo as hineas capachos, se contentam em roubar-nos dois dentes de leite que acabarão a apodrecer num qualquer confim da europa.
Luta e Resiste, meu Leão Rampante, que mesmo os que choravam o teu coma estão de volta para lutar a teu lado, num exército de quatro milhões onde até os judas serão envoltos nesta onda verde!

Abro o e-mail do Cacifo. E sorrio. Alguém se deu ao trabalho de subscrever as newsletters de benfica e fcporto, reencaminhando-as para mim.
Sabe-me bem este sentimento de causar incómodo. Sabe-me bem este sentimento de que o Sporting voltou a incomodar. O contrário era, precisamente, o que me incomodava.

leões

 

Nunca mais é sábado!

Os bilhetes para a recepção ao Rio Ave já estão à venda e Alvalade espera nova enchente! Sim, é pena que não joguemos mais cedo (o Belenenses – Marítimo também dá na Sporttv, às 18h, por exemplo), mas isso não deverá ser impeditivo de apoiarmos a nossa equipa rumo a mais uma vitória.
E há novidades no que toca a bilhetes: bilhete anti-crise (exclusivo para sócios com quota em dia, com preço único de €5, apenas disponível para os sectores B7 + B9 + B11) e bilhete família (há para a superior e para a lateral, sendo os mais baratos os que se destinam aos sectores A17 + A19 + A21: 3 pessoas, sendo obrigatório 1 Sócio Efectivo + Sub11, a €21).

Tu vais vencer…

alvaladecheio!

Força, Sporting! ouve a nossa voz!

Muitos de vocês já saberão, mas não podia deixar de destacar uma iniciativa que merece o meu aplauso e que lança o desafio desta forma: «Porque o ‘SPORTING É NOSSO, queremos que a tua mensagem possa lá estar e que os Leões possam sentir a tua força, antes de entrarem em campo!»

A ideia passa, então, por seleccionar as 12 melhores mensagens motivacionais que forem enviadas e que serão compiladas num mural que será colocado no balneário. Eu já enviei a minha e espero poder tê-la como uma das vencedoras, quem sabe ao lado de uma das vossas!

https://www.facebook.com/events/1412515188967072/

 

Acorda, Sporting!

«O Olhanense prepara-se para fazer um encaixe financeiro importante com a receita de bilheteira do jogo com o Sporting, domingo, no Estádio Algarve. A corrida aos bilhetes tem sido tal que os responsáveis já perspectivam a maior assistência de sempre.», in A Bola.

A onda verde continua a crescer e aproveito para lançar o desafio à direcção: organizar viagens, aos preços das que existem para claques, que levarão os Leões a todos os estádios do país!

spooooooooooorting

O Algarve espera por nós!

E não é para ir à praia, antes para apoiar o Sporting e “pintar” o Estádio do Algarve de verde e branco.
As claques leoninas estão a organizar uma invasão ao sul do país, com preços que andam entre os 20 e os 25 euros, incluindo viagem e bilhete (atenção, que há reservas a terminarem hoje). Quem quiser ir por conta própria, tem bilhetes entre 10 e 20 euros.

Alvalade espera por ti

O sucesso do nosso Clube depende de todos nós, onde cada um tem um papel fundamental e insubstituível. Todos temos direitos mas também deveres.
Pelo nosso lado, tudo estamos a fazer para que a magia de Alvalade se viva no Estádio, em cada jogo do nosso Clube.
São muitos os milhares de Sportinguistas que responderam já positivamente ao nosso apelo adquirindo a Gamebox, mas a realidade é que ainda falta 2650 para se atingir o objectivo, sendo esta uma responsabilidade de todos nós.
Para o sucesso que traçámos, apelamos para que adquiram e incentivem a aquisição da Gamebox, garantindo assim um lugar único no seio da família Sportinguista.

Contamos convosco para ganharmos este desafio.
O Sporting é nosso!

Bruno de Carvalho
Presidente da Sporting Clube de Portugal e Sporting SAD