Rabinho entre as pernas

~

Ó Stoj, tem juizinho porque esta malta não brinca.

Anúncios

As multas são só para o russo?

“Depois da partida com o Manchester City, Liedson – que estava a fazer exercícios de aquecimento, mas não entrou porque entretanto a partida terminou – recolheu aos balneários apressado. Perto do brasileiro seguia Nuno André Coelho. Paulo Sérgio chamou os jogadores para cumprimentarem os adeptos, mas Liedson seguiu em frente, sem dar ouvidos ao técnico.
Confrontado com a situação, Paulo Sérgio foi claro: “os assuntos internos debatem-se com os jogadores, mas que fique claro que o Liedson, bem como qualquer outro elemento da equipa, joga o tempo que eu quiser, não o tempo que eles querem!”

Portanto, agora que já temos a bronca do dia (nós não sabemos viver sem tropeçar, foda-se…), agora que, ainda assim e seguindo a lógica das opções de Paulo Sérgio, Liedson deverá ser titular esta tarde, permitam-me perguntar se, realmente, existem dois pesos e duas medidas ou, se se preferir, se pelas bandas de Alvalade perdoa-se mais facilmente qualquer disparate com sotaque a samba do que se esse mesmo problema tiver sabor a vodka ou for acompanhado por música dos Balcãs?

Somos uns mãos largas!

Primeiro, enchemos os bolsos ao Braga.
Depois, mandamos o Moutinho para o Dragão.
Agora, e com pena dos minhotos, emprestamos-lhe o Stojkovic.
Se não fossemos nós a reforçar os rivais, este campeonato não tinha piada. Vinha direitinho para Alvalade, sem grandes problemas.
Parece-me é que estamos a ser um bocadinho injustos para com os lampiões, mas pronto, ainda temos o Veloso e o Yannick para mandar para lá.

Adeus definitivo?


Stojkovic vai jogar no Wigan Athletic até ao final da época. Foi esta a solução encontrada para que o guarda-redes sérvio possa ter ritmo competitivo quando chegar a altura do Mundial. Se tudo correr dentro da normalidade, Stoj dará nas vistas na África do Sul e, no próximo Verão, permitirá ao Sporting recuperar parte do investimento que fez na sua aquisição, colocando um ponto final numa passagem por Alvalade que nunca chegou a ser o que podia ser.
Eu, confesso, tenho pena de ver partir este guarda-redes, sem que tenhamos aproveitado as suas capacidades e sem termos tido alguém capaz de mediar o seu mau génio, transformando-o em algo de positivo para a equipa.

Foi há três anos…

Que Rui Patrício fez a sua estreia na baliza do Sporting, entrando para o lugar do lesionado Ricardo. O jogo foi nos Barreiros, contra o Marítimo, e o jovem Patrício acabou por ser decisivo, defendendo um penalti e garantindo a vitória leonina por 1-0.

Hoje, Patrício é titular indiscutível da nossa equipa, convivendo diariamente com um fantasma chamado Stojkovic que, imagine-se, escolheu precisamente esta data para voltar a dar sinais de vida. Ao que parece, o sérvio “despediu” o empresário Zoran Stojadinovic e, hoje, quando regressar a Portugal, vai pedir uma nova oportunidade a Bettencourt, Sá Pinto e Carvalhal, dizendo-lhes que quer começar de novo, enterrando as polémicas do passado.

Eu diria que, estando mesmo apostado em recuperar o tempo perdido, Stoj, mais do que o sim dos três acima citados, terá que ter o sim de um balneário onde apenas dois ou três jogadores lhe dirigem a palavra.