Enfim…

Dizem que Ogushi Onyewu ganhava muito dinheiro. E que falou grosso para o Sá Pinto. Num misto de contenção de custos e de gestão desportiva patética, emprestou-se o Capitão América ao Málaga. Veio um holandês, que também ganha muito, não joga um caracol e está sempre lesionado. Veio um argentino que é defesa esquerdo, mas que alguém julgou ser capaz de adaptar a central. Ficou um brasileiro que vive dos louros de um golo de calcanhar, ao City, mas que terminará a carreira ao nível de Gladstone. E um português que é mais trinco do que central, mas que, face ao quatro apresentado, tinha lugar sem espinhas no centro da defesa (ele e o Polga).

Agora, o brasileiro que, já se sabia, nunca seria contratado a título definitivo, vai para a Rússia. O português já cá não está. O holandês está lesionado (a sério?!?). E o argentino continuará a ser adaptado. Conclusão? Valia tanto mais pagar o ordenado ao Ogushi, não valia?

Já cá faltava

«Este Sá Pinto treinador do Sporting! Tirou Xandão da equipa porquê? Gostaria de saber».
De acordo com o Record, as palavras pertencem a Márcio Rivellino, empresário de Xandão, e terão sido escritas no Twitter.
Eu confesso que também acho estranho o súbito afastamento de Xandão. Poderá querer dizer que o Sporting não vai avançar para a compra, cifrada em 3 milhões, o que, quanto a mim, seria um erro (por aquilo que o central já mostrou e pela margem de progressão que tem). Ou poderá, simplesmente, querer dizer que Sá Pinto prefere Oniewu e Polga.
Mas o que me irrita, mesmo, é esta tendência dos empresários abrirem a boca apenas para dizer merda.